17 de julho de 2013

O Teorema Katherine - John Green

Lido em: Julho de 2013
Título: O Teorema Katherine
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção/Literatura Estrangeira
Ano: 2013
Páginas: 304
Nota:
Sinopse: Colin conhece Katherine. Katherine gosta de Colin. Colin e Katherine namoram. Katherine termina com Colin. É sempre assim.
Após seu mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, com pura matemática, o desfecho de qualquer relacionamento.
Uma descoberta que vai entrar para a história, elevando Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. E também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Resenha: O Teorema Katherine foi o segundo livro escrito pelo autor John Green no ano de 2006, e lançado esse ano no Brasil pela Editora Intrínseca. É o segundo livro que leio do autor (o primeiro foi A Culpa é das Estrelas) e como gostei bastante, criei expectativas para continuar lendo seus livros.
Ele conta a história de Colin Singleton, um prodígio, super nerd e viciado em anagramas que já começa na pior. Sua namorada, Katherine, acabou de terminar o namoro com ele, e o pobrezinho ficou arrasado. Términos de namoro são situações chatas, mas comuns na vida das pessoas, porém, na vida de Colin, isso é um pouco "diferente". Esta Katherine em especial foi a namorada de quem ele mais gostou e ficou apegado, de todas as outras 18 Katherines que ele já namorou na vida! Sim! Colin já teve a experiência impossível de ter namorado 19 garotas, e todas elas se chamam Katherine, e o pior: todas elas lhe deram um pé na bunda!
Colin fica inconformado com a situação, e é aí que entra Hassan, seu melhor amigo. Os dois então caem na estrada, dirigindo o Rabecão de Satã, e chegam em Gutshot, e lá conhecem uma caipirona com quem eles fazem amizade, Lindsey. Então, Colin resolve aproveitar toda sua genialidade para criar gráficos e elaborar uma equação matemática a fim de comprovar que, através dos números, é possível prever o fim de todos os relacionamentos. Dessa forma, além de, quem sabe, conseguir ganhar um prêmio importante, ainda poderia reconquistar sua tão amada 19ª Katherine. Mas será que realmente é possível realizar esse feito?

Feita em terceira pessoa, o que abrange o ponto de vista do leitor para as mais diversas situações, a narrativa é bem leve e o texto muito bem escrito. John Green consegue mesclar diálogos simples, inteligentes e engraçados, e ao mesmo tempo inserir uma linguagem mais culta junto com gírias adolescentes e locais, e com várias referências histórias relacionadas à Ciência e algumas descobertas que complementam a história. O livro ainda é cheio de notas de rodapé hilárias que explicam brincadeiras e diálogos entre os dois amigos, entre outras maluquices que acontecem, e a própria capa já demonstra essa característica com o nº 1 acima do nome dele, o que dá um toque na diagramação. Tradução e revisão também foram ótimas, e a capa me agradou bastante, pois adoro capas "limpas".
Os personagens são típicos do autor... Todos muito inteligentes, bem construídos, que sempre colocam humor até onde não se deve, através de atitudes e comentários, e com alguma "mania" estranha que os tornam diferentes e "especiais". Collin se formou no colégio e sempre foi muito sozinho. Por ser o nerd da turma, sempre era sacaneado pelos outros. Hassan é muçulmano, tem suas próprias crenças, mas pra mim foi o melhor personagem da história. Lindsey também não fica atrás, pois, com todo seu jeitão e sotaque caipira, consegue despertar a simpatia do leitor.
Porém, o livro não me surpreendeu, nem me prendeu como achei que fosse acontecer. Muitas vezes senti que houve enrolação e a história não saia do lugar, como se perdesse um pouco do foco, e a medida que vai avançando, se torna um pouco entediante, principalmente com as explicações e fórmulas matemáticas, que sinceramente, não perdi tempo tentando decifrar, talvez até porque eu tenha uma certa antipatia de matemática (viva o Português e a História). Cheguei num ponto em que passei a considerar o humor forçado, e todas as notas de rodapé prejudiciais, pois acabam interrompendo o texto... Sério, são mais de 80 notas de rodapé! No final das contas, é possível captar a mensagem sobre nossos valores, aceitação e busca pela felicidade, o que acho válido, mas pra mim, houve muito floreio desnecessário. Acho que quem realmente gosta da utilização da matemática dessa forma, deva se interessar, aproveitar e gostar bem mais.
No geral, é um bom livro para passar o tempo.

18 comentários

  1. Não é uma leitura inesquecível, longe disso, mas a narrativa é gostosa e leve, e os personagens são carismáticos - cada qual à sua maneira. Ao contrário de você, não achei que as notas de rodapé atrapalharam a leitura em momento algum, e não achei o humor forçado.
    Mas uma coisa é importante: ainda não li A Culpa é das Estrelas, então não tenho como comparar; este é o primeiro livro que leio do John Green.

    Um beijo!! Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Eu já li muitos comentários positivos sobre O teorema Katherine e também sobre o autor John Green, o qual ainda não tive oportunidade de ler suas obras, mas acredito que dos livros dele, o que eu mais possa gostar seja esse! Tenho muita curiosidade em ler A culpa é das estrelas, mas não posso com livros com doença, sabe? =/ Já matemática eu AMO <3 hehe Só espero que ela não tenha sido usada exageradamente no livro! Sobre notas de rodapés, acho que se utilizadas para facilitar a leitura, ótimo! Mas se começarem a atrapalhá-la, já não é uma boa...

    Beeijos,
    iSteh

    ResponderExcluir
  3. Estou com esse livro aqui mas ainda não consegui ler. Pena que ele não funcionou muito para ti.
    Não sou fã de John Green como um todo. Gosto bastante de A culpa é das estrelas mas não posso dizer que virei fã dele por isso, até porque só li isso.
    Tenho vontade de ler esse. Adoro esses personagens bem construídos!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Flavia.
    Vou arriscar porque gostei de A Culpa é das Estrelas. Vai que eu gosto desse também. Se a leitura é fluida e os personagens são bens construídos, pra mim jé é meio caminho andado.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. De qualquer forma, ainda estou muito curioso para ler John Green, nem que seja para ama-lo ou odia-lo de uma vez, rsrss (ou os dois, hehe).
    Muito boa essa resenha, mostrou todos os pontos do livro!
    Aliás, muito legal esse blog, já estou seguindo!
    O meu ainda está no início, mas se quiser passar lá depois, pra tomar um cafezinho, rsrsrs, ficaria muito feliz!

    Abraços!

    http://pecasdeoito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Uma pena que este não seja tão bom quanto A Culpa é das Estrelas. Eu particularmente gosto de matemática, mas não imaginei que o livro realmente traria "fórmulas Matemáticas" pra história, não sei, mas acho que isso pode interferir no ritmo de leitura como você mesmo disse. Ótima resenha XD

    Bjss!

    ResponderExcluir
  7. Oi Oi Flavia!
    Ainda nao consegui ler nenhum livro do Jhon e a minha prioridade é "A Culpa É Das Estrelas".
    Achei a tua resenha ótima, também não sou uma das pessoas mais apaixonadas por matematica sei o básico, e quando você disse que o livro pode provavelmente agradar pessoas que gostam de matemática, pensei logo no meu namorado... De toda a forma apesar dos pontos negativos que você citou ainda pretendo ler o livro, quem sabe acabo gostando e me interessando pelos numeros.
    Tem promoção no meu blog, se puder aparecer por lá agradeço a visita e se gostar participa, será ótimo!

    Beijos da Lua =*
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. É uma pena que não tenha comentários tão bons quanto os que ouço de A Culpa Não é das Estrelas. Não sou muito chegada a matemática, mas irei conferir o livro futuramente né, vai que é bom. Nunca li nenhum livro do John. haha
    Beijinhos linda, a resenha está muito boa!
    http://mydreamsofasummernight.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Definitivamente, esse é um livro pra passar o tempo. Não é aquela bomba de emoções como A Culpa é das Estrelas foi pra alguns (não pra mim, sou do contra). Tem resenha dele lá no blog!

    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Quero tanto comprar A Cula é das Estrela e o Teorema,adorei as sinopses desses livro e gostaria muito de ler.Ter na minhas estante pessoal *.*
    Ler isso só me deu mais vontade de ter o livro!

    ResponderExcluir
  11. Eu adoro quando buscam explicações pra essas coisas com matemática, ciência e tudo o mais. E por ser do John Green, acabei criando muitas expectativas que acabaram não sendo atendidas. Mas é um livro muito legal, sim. Como você falou...pra passar o tempo. =)

    www.resenhasealgomais.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá Fla!
    Achei a sua resenha ótima.
    Gostei muito do livro A culpa é das estrelas do mesmo autor, mas pretendo ler "Quem é você, Alasca" antes de ler O teorema Katherine...
    Beijos

    cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Estou lendo esse livro agora. Ele realmente está me cativando.
    Abraços.
    palavrapequenas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oie Flávia,
    Ainda não li esse livo (nem a culpa é das estrelas, por mais que esteja morrendo de vontade y.y), mas a capa dele é mesmo linda, e como eu não tenho nenhum problema com matemática e notas de rodapé, acho que talvez eu goste x)
    Gostei bastante da sua resenha, por mais que eu ache que tenha ficado um pouco contraditória. você disse que o humor e as notas de rodapé eram legais e depois falou que é forçado e cansativo.. Mas no geral, eu gostei!!
    Beijos :*
    fantasiandocomoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas como assim contraditória? Não entendi.
      Disse que as notas de rodapé são hilárias, mas uma coisa hilária não é necessariamente legal, ou é? São tantas notas que, pelo menos pra mim, se tornaram cansativas no decorrer do livro, interrompendo a história, mesmo que algumas sejam engraçadas.
      ;)

      Excluir
  15. ai,ai,ai!
    falar de john green para mim é dificil, eu acho esse homem um genio!
    ainda não li, tenho que confessar, mas assim como will e will, estou em panico por ele!!
    Adorei a sua resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Sua resenha confirmou o que eu já achava do livro.
    Bom, mas nada " de mais" :P

    ResponderExcluir
  17. Concordo sobre as notas de rodapé, elas deixaram a leitura um pouco cansativa, mas apesar disso na minha opinião foi o melhor livro do John Green que eu já li! Achei divertido o livro!

    ResponderExcluir