12 de outubro de 2017

Mister O - Lauren Blakely

Título: Mister O
Autora: Lauren Blakely
Editora: Faro Editorial
Gênero: Romance
Ano: 2017
Páginas: 272
Nota:
Sinopse: Nick Hammer tem a vida que todo cara sempre sonhou: dinheiro e mulheres lindas aos seus pés, que não esperam nada em troca além do melhor sexo de suas vidas. E tudo isso graças ao seu personagem, Mister Orgasmo, que saiu das páginas dos gibis para ganhar um programa na televisão. Agora Nick se tornou o mentor sexual de homens ao redor do mundo e o objeto de desejo de todas as mulheres. Para para Nick, e seu alter ego Mister O, a receita é simples: dar prazer, sempre!
Mas tudo isso pode estar em risco quando um pedido acontece. Harper, A irmã de seu melhor amigo, Spencer Holiday, também quer aprender as valiosas lições de Nick e Mister O. Harper é divertida, inteligente, linda e irresistivelmente sexy. E lutar contra o desejo de ter ela em sua cama será o pior pesadelo de Nick. Mister O vai conseguir “salvar” essa mocinha e ainda não ferrar a relação com o seu melhor amigo? Um romance divertido, leve, sexy e que vai arrancar suspiros dos leitores. Afinal, não dizem que o amor e a amizade andam lado a lado? Talvez eles até possam dormir na mesma cama.

Resenha: Desde a adolescência, Nick Hammer sempre foi aquele garoto nerd que adorava desenhar. Ele se tornou um cartunista de sucesso quando decidiu criar o Mister Orgasmo, e hoje, solteiro e bem sucedido, leva o público à loucura com as animações que passam na TV. Nick não poderia deixar de colocar um pouco de si em seu personagem já que sempre gostou de levar a mulherada ao delírio com sua especialidade. Ele é adorado pelos homens por todas as artimanhas que ele tem na manga e, claro, muito desejado pelas mulheres pelo seu talento super peculiar.
Tudo ia muito bem na vida dele, mas as coisas mudam um pouco de cenário quando Harper Holiday, irmã de Spencer (de Big Rock), aparece a fim de conselhos amorosos. Ela trabalha com mágica em eventos infantis e, por não ter muita experiência ou contato com homens e relacionamentos, sempre que alguém se aproxima, ela começa a agir feito boba, trava, fala um monte de coisas nada a ver e acaba passando vergonha, então, talvez, Nick poderia ajudá-la nesse quesito como seu ilustre e sábio professor. O problema é que Nick sempre teve uma queda pela moça, mas a amizade e o parentesco com o melhor amigo, que já o ameaçou caso ele se aproxime com segundas intenções de Harper, nunca foram algo favorável à investidas, assim, ele sempre evita pensar nela pra não estragar as coisas e pra não ser atacado por Spencer. Quando Harper demonstra que é mais ousada do que se imaginava, Nick não consegue se controlar... Mas pra que lutar contra esse desejo?

Embora a experiência com Mister O seja mais legal se Big Rock for lido primeiro (por causa de algumas cenas específicas, dos personagens anteriores e da ligação que possuem com os desse livro e tal), a história é independente e pode ser lida tranquilamente fora de ordem ou sem ter lido o anterior.
A escrita é fluída e cativante, os personagens são bem construídos e possuem algum diferencial com relação aos outros.

Pelo ponto de vista de Nick, vamos acompanhando o envolvimento dele com Harper que, além de ter muita química, é muito engraçado. Eles se completam e estão conectados física e emocionalmente, mas ainda há aquela leve resistência por causa da amizade e os dilemas que envolvem isso.
A ideia da autora em narrar a história pelo ponto de vista masculino é super bacana, principalmente porque fica bem evidente e realista o quanto os homens não têm muita capacidade de entender muito bem as mulheres, se sentindo confusos com sinais, expressões e sentimentos, por mais especialistas e incrivelmente generosos que possam ser.

Mesmo que Nick aproveite de seus dons quando o assunto é sexo e seja um mulherengo de carteirinha, ele não faz o tipo aproveitador. Ele cria desenhos indecentes, sua mente é indecente, e o que ele faz com as mulheres é mais indecente ainda, mas ele é um doce de sujeito que jamais magoaria alguém. Pode até parecer um pouco contraditório, mas acho que não há nada errado em aproveitar a vida quando se é solteiro e quando não existe um compromisso até que um sentimento maior seja despertado...
Harper é encantadora, divertida, bonita, inteligente, sexy e fazer par com Nick fez com que seu lado indecente fosse aflorado - e muito -, coisa que ela andava precisando, cá entre nós... Uma coisa que gostei bastante na construção de Harper é a certeza do que ela quer pra própria vida, seja pessoal ou profissional. Ela é decidida e não se deixa levar.
A tensão sexual entre eles é explosiva, os diálogos são espirituosos e eles como casal foi algo ótimo de se acompanhar.

A autora acertou em cheio ao presentear as leitoras com personagens irresistíveis e sexys, cenas deliciosamente quentes e uma história tão encantadora quanto viciante. Pras leitoras fogosas de plantão, Mister O é leitura mais do que indicada pra se aproveitar ao máximo e, se possível, se recomponham depois!

11 de outubro de 2017

Fera - Brie Spangler

Título: Fera
Autora: Brie Spangler
Editora: Seguinte
Gênero: Romance/Young Adult
Ano: 2017
Páginas: 384
Nota:
Sinopse: Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de Fera na escola. Quando ele conhece Jamie, em uma sessão de terapia em grupo para adolescentes, se apaixona quase instantaneamente. Ela é linda, engraçada, inteligente e, ao contrário de todas as pessoas de sua idade, parece não se importar nem um pouco com a aparência dele. O que Dylan não sabe de início, porém, é que Jamie também não é como a maioria das garotas de quinze anos - ela é transgênera, ou seja, se identifica com o gênero feminino, mas foi designada com o sexo masculino ao nascer. Agora Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros podem pensar ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração.

Resenha: Dylan só tem quinze anos mas é o garoto mais alto, corpulento e peludo da escola. Sua aparência "monstruosa" lhe rendeu o apelido de Fera, por onde passa ele atrai olhares assustados, e ele se sente muito sozinho por sempre ser excluído do convívio social do colégio. Seu único amigo é JP, que diferente dele é popular e rico, e sempre conta com a ajudinha de Dylan para resolver alguns assuntos particulares.
Com problemas de baixa estima e aceitação, Dylan é convencido por sua mãe a participar de sessões de terapia em grupo, e lá ele acaba conhecendo a Jamie, por quem ele logo se apaixona. Porém, ao descobrir que ela é uma mulher trans (nasceu no sexo masculino mas se identifica como feminino), as coisas começam a ficar bem confusas, pois Dylan passa a ter dúvidas sobre os próprios sentimentos além de precisar lidar com o preconceito social de quem não entende ou não aceita as diferenças dos outros. Ele vai esconder seus sentimentos ou vai seguir seu coração?

Mesmo que a história seja simples, o fato de existir um romance entre um garoto e uma garota trans é o bastante para desconstruir alguns preconceitos que muitas pessoa ainda têm. A autora fala sobre o assunto com muita naturalidade e é muito importante que exista esse tipo de representatividade na literatura jovem para ajudar a esclarecer que o gênero é uma condição natural e de característica congênita, e não uma opção.
Dylan é um garoto com muitos problemas pessoais, que sente ódio do mundo e não sabe controlar muito bem a raiva que sente e guarda dentro de si, mas que amadurece bastante após se aproximar de Jamie. Ele não é o personagem mais amável que já encontrei, mas consegui compreender seus motivos, mesmo que tenha sentido vontade de quebrar a cara dele quando ele se comporta feito um imbecil. Através da Jamie temos uma boa noção das dificuldades e dos dilemas que os adolescentes trans enfrentam no dia-a-dia, além de acompanharmos as consequências que partem do preconceito, e isso pode ser bastante incômodo para alguns. E acho que justamente por trazer algumas cenas cruéis, o livro é essencial pra quem busca por leituras desse gênero e com personagens com essas características.

Fera é um livro super especial que mostra a importância de se ter apoio naqueles momentos tristes e difíceis, e dos vários tipos de relacionamentos com aqueles que sempre queremos bem, seja a família, os amigos ou aqueles por quem desenvolvemos o sentimento mais bonito do mundo: o amor.
É um romance entre dois adolescentes que tem as suas aparências julgadas, mas que com o passar do tempo consegue mostrar que barreiras podem ser quebradas e preconceitos superados, basta seguir o coração.

7 de outubro de 2017

À Procura do Par Perfeito - Jennifer Probst

Título: À Procura do Par Perfeito - Searching For #2
Autora: Jennifer Probst
Editora: Paralela
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 288
Nota:
Sinopse: Linda, talentosa e apaixonada por seu trabalho, Kennedy é sempre estilosa, e sua imagem transmite feminilidade, confiança e profissionalismo. Quem a vê nem imagina sua adolescência difícil e uma vida inteira de luta contra o peso. Coach e consultora da famosa agência de relacionamentos Kinnection, Kennedy cria dates incríveis, encoraja solteiros a brilharem, e nunca recusa um desafio – nem mesmo Nate Ellison Raymon Dunkle, cujas iniciais são N.E.R.D! Ele é engenheiro aeroespacial, um gênio, e o mais novo cliente de Kennedy, que vai trabalhar sua mágica para transformá-lo de desajeitado e mal vestido no mais desejado gato de Verily. Quando ela se dá conta de que ela e Nate são muito parecidos e podem ser perfeitos juntos, será que ela vai permitir que seu coração entre no caminho certo? Ou seus próprios medos e inseguranças vão condená-la a uma vida de solteira enquanto ajuda Nate a encontrar outra pessoa?

Resenha: Nate Ellison Raymon Dunkle é um completo nerd, até nas iniciais do próprio nome! Ele é um engenheiro aeroespacial genial, ou um cientista de foguetes pra facilitar, que tem trinta anos e decidiu que está pronto para encontrar uma esposa, só não sabe como já que ser desajeitado não é algo muito favorável ou atrativo. Depois de participar de um evento de encontros, Ned encontra Kennedy, uma das consultoras da Kinnections (a agência de relacionamentos fundada por Kate Seymor, do primeiro livro, junto com as amigas). Kennedy, constatando que Ned está em num estado desesperador, necessitando de uma reforma com urgência, decide ajudá-lo para garantir que a esposa perfeita será encontrada para ele, mesmo que pra isso ele precise se submeter a dias de spa, ser torturado com depilação e até adotando um nome mais estiloso, Nate. Mas trabalhar em Nate fez Kennedy perceber que os dois tem muita coisa em comum, e ela se deu conta de que eles podem ser perfeitos juntos, mas talvez suas inseguranças, que permanecem desde o passado, podem fazer com que ela não se permita tentar ser feliz por não acreditar que relacionamentos possam dar certo com ela... Será que Nate vai convencê-la do contrário?

Narrado em terceira pessoa, com pontos de vista que se alternam entre os protagonistas, e com uma escrita deliciosa e super cativante, vamos acompanhando uma aventura hilária de duas pessoas que, inicialmente, não tem nada a ver, mas que estão ali pra mostrar que as diferenças podem ser suas maiores virtudes.

Kennedy é uma mulher maravilhosa, forte e decidida, e seus problemas do passado fizeram dela quem ela é atualmente. Esses problemas, que envolvem autoestima e superação, acabam fazendo com que ela desperte a simpatia das leitoras e até se identifiquem com ela, seja por já terem enfrentado o que ela passou, ou por idealizarem ser alguém como ela se tornou, afinal, o que ela sofreu não é algo fácil de enfrentar e superar. Kennedy, mesmo tendo conseguido dar a volta por cima, ainda tem seus medos e inseguranças que a impedem de confiar em alguém, e isso interfere diretamente na duração e na intensidade de seus relacionamentos, que são sempre passageiros.

Nate é aquele nerd desajeitado e estranho, que, mesmo sem maldade, fala ou faz o que não deve por não ter recebido conselhos idiotas do irmão quando o assunto é mulher. Até que ele resolve ser quem é de verdade, mostrando o quão perfeito pode ser. Ao lado de Kennedy, ele consegue mostrar essa essência, sabendo o que fazer quando larga mãos das orientações malucas de Connor, o dito irmão, e seguindo os próprios instintos. E sua aparência não é nenhum problema, muito pelo contrário, só o deixou com um charme a mais que inclusive desconstrói estereótipos de que mocinhos devem ser sempre lindos, saradões e bad-boys... Ele é um dos personagens masculinos mais bem construídos do gênero!

Os demais personagens são ótimos, contamos com a presença ilustre de alguns que deram as caras no primeiro livro, mas não posso deixar de elogiar Connor. Por mais ridículo que ele possa parecer quando é apresentado, com o desenrolar da história vamos quebrando a cara e percebendo que nem sempre a primeira impressão é a que fica. Connor é maravilhoso e se não fosse pelos cuidados e dedicação dele com Nate, sabe-se lá o que seria da vida do irmão mais novo.

Enfim, o romance é muito bem trabalhado e, mesmo que haja alguns pontos meio batidos, como a resistência de Kennedy com o mocinho e seu excesso de drama, tem um final divino. A autora mostra com excelência as inseguranças e prazeres de quem está se aventurando num novo relacionamento, que é praticamente um território desconhecido. Os personagens são ótimos e seus sentimentos mais verdadeiros vêm à tona quando o assunto é amor, além de deixarem claro que, embora possamos ter defeitos, há quem nos aceite e nos ame do jeitinho que somos.

6 de outubro de 2017

A Soma de Todos os Beijos - Julia Quinn

Título: A Soma de Todos os Beijos - Quarteto Smythe-Smith #3
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de época
Ano: 2017
Páginas: 272
Nota:
Sinopse: Lorde Hugh Prentice é um gênio da matemática e teve sua perna (e sua vida) arruinada por causa de um duelo com seu amigo, Daniel Smythe-Smith.
Nesse livro, conheceremos um pouco da história de Hugh, antes e depois do acontecido. Sua família, o desespero de seu pai para conseguir que um de seus filhos lhe desse um herdeiro, visto que um não é chegado à mulheres e o outro, provavelmente terá dificuldades em encontrar uma esposa, e principalmente em ter filhos.
E, claro, sua relação de amor e ódio com Sarah Pleinsworth, prima mais velha de Daniel, que mesmo antes de conhecê-lo, já odiava Hugh por ter arruinado sua família através desse duelo.
Mas, as coisas começam a mudar quando Honoria, sua prima, pede para Hugh substituir seu padrinho no casamento e para Sarah ser sua acompanhante durante sua estadia, para que ele ficasse mais confortável diante dos familiares de Daniel. E esse tempo se prolonga, já que Daniel se casará duas semanas depois da irmã e resolve torná-los uma única festa...
É claro que eles não se dão no início, mas com o tempo, ainda mais depois do primeiro casamento, quando ela fica impossibilitada de andar, eles deixam as diferenças de lado e começam a se conhecer realmente, e, o que era ódio, acaba se tornando uma paixão avassaladora.
Mas as limitações de Hugh vão ser apenas um dos problemas que o casal enfrentará pelo caminho...

Resenha: A Soma de Todos os Beijos é o terceiro livro da série Quarteto Smythe-Smith, escrito por Julia Quinn e publicado pela Editora Arqueiro.

Hugh e Daniel Smythe-Smith eram amigos, bons amigos. Numa noite resolveram jogar cartas, e claro: onde há jogo, há bebida. Hugh é extremamente inteligente e por ter facilidade em contar e decorar as coisas, jamais perdeu um jogo na vida. Até que nessa fatídica noite, perde! Furioso, acusa Daniel de trapacear, mas como bons cavalheiros que são, para salvar a sua honra, marcam um duelo para o dia seguinte. O esperado é que eles atirem um contra o outro, mas mirem longe do alvo. Algo dá errado e Hugh acerta o ombro de Daniel, que se desequilibra e atira na perna do amigo, estraçalhando-lhe o osso.

A única esperança do pai de Hugh ter um herdeiro é através do filho, que supõe-se, com a perna arruinada, jamais poderá lhe dar um neto. Isso faz com que o pai do rapaz jure vingança, que promete matar Daniel, que foge para Londres sem alternativa. Depois de três longos anos, tempo que Hugh usa para convencer o pai a desistir da vingança, ele parte a procura do amigo para trazê-lo de volta para casa.

Sarah é prima de Daniel e nutre um ódio enorme por Hugh, tudo por que, na opinião dela, ele é o culpado por ela ainda não estar casada, já que por conta do duelo e do escândalo naquele ano, ela não pôde participar da temporada que rendeu ótimos casamentos para as jovens da sociedade, menos para ela.

Nos livros anteriores, vimos o desenrolar do romance de Marcus e Honoria, e depois de Daniel e Anne. Agora, neste terceiro livro, teremos os casamentos deles. Começando pelo casal do primeiro livro, Marcus e Honoria, logo todos vão para a casa de Marcus, e Honoria, com medo de que Hugh fique se sentindo sozinho pede para que Sarah faça companhia ao amigo, sem saber da antipatia mútua deles. Conversa vai conversa vem, eles acabam se aproximando, criando até uma certa amizade durante o período que antecede o casamento de Honoria.

O Casamento acontece e eles partem então para a residência de Daniel, onde haverá o casamento deste com Anne. A incumbência de Sarah não muda, ainda deve fazer companhia a Hugh, só que deixou de ser um sacrifício, agora ela está gostando, e ele também.

Então vemos o romance dos dois crescer bem aos poucos, é bem bonitinho e temos a certeza de que eles vão mesmo ficar juntos no final. Até que o pai de Hugh chega com toda a sua maldade e se mostra pior do que até o próprio filho poderia imaginar. Prepara uma armadilha que põe Sarah em risco, e se ela não se cuidar, vai acabar com a vida dela para sempre.

Está difícil para eu dizer de qual eu gostei mais até agora. Tudo bem que eu achei os romances dessa série mais morninhos, mas isso não é ruim, está mais para diferente do estilo da autora, mas os diálogos, como sempre são maravilhosos, o desenrolar de cada romance é apaixonante, os personagens são super bem construídos e a forma com que ela amarrou esse terceiro livro com os outros dois foi perfeita! Só posso dizer que nem imagino o que está por vir no próximo livro!

A parte física do livro é maravilhosa, com capítulos curtos e bem gostosos de ler e uma diagramação perfeita. A capa é linda e bem condizente com o contexto e como sempre a leitura flui com uma leveza sem igual. Só posso recomendar muito a leitura.