Wishlist #100 - Funko Pop - Pokémon

6 de junho de 2021

Não sei o que deu na minha cabeça pra eu ter pulado essa wishlist que fez parte da minha adolescência. Pokémon dispensa comentários, convenhamos... Vou assumir que hoje não assisto mais, mas a febre que isso foi quando surgiu no Brasil, os ataques epiléticos que o povo tinha, os desenhos dos personagens que eu fazia na carteira da escola, e a fofurice do Pikachu falando "pika pika" eram impagáveis. Sendo assim, mesmo que tenha outros modelos já lançados, resolvi incluir na wishlist esses fofildos (talvez eu inclua outros futuramente), e eu que lute pra conciliar com os pops da Disney e de Harry Potter que não param de ser lançados a cada 2 minutos. Socorroooo...




Resumo do Mês - Maio

1 de junho de 2021


Comecei maio naquele gás, mas desacelerei no meio do caminho e acabei não sendo produtiva como eu gostaria. Até a Marina deu as caras por aqui esse mês depois de um tempão. Com esse lance de eu estar estudando (e ela trabalhando), acaba que o tempo que me sobra no meio dessa loucura que é aqui em casa, fica bem escasso, mas ainda assim dei conta de fazer bastante coisa se comparar com os meses anteriores, e cá estou eu com a rotina desesperada de um mãe de cabelo em pé. Senta que lá vem história.

Eu nem acredito que a saga da escola da Vitória chegou ao fim. Desde que a gente mudou de casa, em agosto do ano passado, ela continuou na mesma escola com o ensino a distância, e a forma como as atividades estavam sendo passadas, apesar de práticas por serem online, não eram muito eficientes e não me agradava muito. Então, depois que consegui a vaga pro Theo, em abril, eu comecei a via sacra de tentar a vaga pra Vitória na mesma escola, porque isso já ia facilitar muito a nossa vida. E depois de 2 meses de puro suplício, preenchendo formulários sem ter respostas, mandando emails pra todos os responsáveis possíveis na regional de educação e nem sei mais quem, até que enfim uma boa alma resolveu tudo e a autorização pra matrícula foi liberada. Tudo bem que as aulas continuam remotas, mas eu já queria resolver isso o quanto antes, até mesmo porque a escola aqui perto parece ser bem mais organizada e preocupada com o ensino, a forma de passar as atividades é diferente e mais eficiente ao meu ver, e acredito que vai ajudar mais no aprendizado dos dois.

Outro motivo de eu estar na correria, fora o serviço de casa que não tem fim, é porque esse ano o Theo entrou no 1º ano, aquela fase de alfabetização e tudo, mas com a falta da aula presencial, quem anda ensinando o menino a ler e a escrever sou eu, então tenho que dedicar um tempo considerável pra isso, pra tentar evitar que ele fique tão atrasado e mais prejudicado do que já está. E a mãe dar aula em casa enquanto tem mais filhos pra dar conta e outras mil coisas pra fazer é difícil viu... Mas desde quando ele entrou na escola de novo e começou a fazer as atividades, conversei com a professora e descobri que ele tá bem adiantado, porque os exercícios que eu passava por minha conta antes dele receber a apostila da escola, eram mais avançados, então pra ele fazer e acompanhar as atividades daqui em diante vai ser mais fácil, porque ele já sabe.

E ainda sobre a escola, também consegui uma vaga no ensino infantil pro Ian. É muuito difícil conseguir vaga numa escolinha infantil municipal e boa, ainda mais fora do período de inscrição, mas mandei email pra escola falando que tinha interesse na vaga e com menos de uma semana me responderam. Já resolvi tudo cancelando a vaga dele na escolinha lá perto de onde eu morava antes (e não ficou nem um mês direito porque começou essa pandemia tenebrosa) e já encaixaram ele nessa outra. Mesmo com a pandemia, as escolinhas infantis estão voltando a funcionar, mas como é preciso um cuidado mais do que redobrado, o número de alunos está bem reduzido e as aulas super espaçadas, então ele vai pra escola uma única vez por semana e amanhã vai ser o primeiro dia. Vamos ver o que vai dar. Espero que ele se comporte.

Caixa de Correio - #111 - Maio

31 de maio de 2021

Maio foi um mês bem bom, chegou muita coisa boa pra aproveitar e quase todas as minhas leituras estão em dia. Com os popinhos desse mês fechei o set de Friends, e essa é uma coleção que dá aquela sensação de zerar a vida. Dos pops de Harry Potter, ainda estou sonhando com o pop da Molly com A Toca, mas o preço está tão estratosférico e fora da minha realidade que talvez vai ser um pop que vai ficar de fora da coleção, pra minha tristeza. Sem condições de pagar quase 2 mil num único pop quando as coisas estão tão difíceis, principalmente porque preciso comprar algumas coisas aqui pra casa e esse dinheiro já compraria boa parte do que falta, a menos que eu parcele de mil vezes e fique um ano sem comprar mais nada, coisa que me deixaria arrasada, cá entre nós. Então, dos mais acessíveis, estou esperando o correio trazer o Patrono do Professor Lupin (junto com algumas princesas Disney), que é uma gracinha. E logo logo deve chegar o Patrono da Professora Minerva aqui no Brasil pra me fazer gastar mais um pouco, fora os outros lançamentos que estão por vir. Colecionador de Funko Pop de Harry Potter não tem um minuto de paz nesse car*lho.

Fechando a Saga dos Corvos, consegui o último volume dessa série e fiquei super feliz quando descobri que existe um deck de tarô inspirado nela, o The Raven's Prophecy Tarot. Mesmo que não seja um deck pra iniciantes como eu, é muito bonito, então tive que comprar pra coleção porque sim, e como pretendo ler ao longo do ano, vou trazendo as resenhas assim que possível e quem sabe algumas fotos das cartas junto.

Espiem a caixinha desse mês:

Novidade de Maio - Seguinte

8 de maio de 2021

Destruidor de Mundos - Destruidor de Mundos #1 - Victoria Aveyard
Ano após ano, Corayne assiste sua mãe, uma célebre pirata, partir para o alto-mar e desbravar todos os reinos de Todala, sem jamais poder acompanhá-la. Quando um misterioso imortal e uma assassina de aluguel aparecem dizendo que ela é a última descendente viva de uma poderosa linhagem – e a única pessoa capaz de salvar o mundo de um perigo iminente –, ela aproveita a chance para ir em busca de sua própria aventura.
O problema é que o perigo é muito maior do que ela imaginava: um homem sedento por poder, determinado a reabrir os portais que, no passado, levavam para outros mundos, povoados por criaturas sinistras. Com a ajuda de um grupo de bandidos e maltrapilhos, Corayne terá de provar que o heroísmo pode surgir até nos lugares mais inesperados.

Novidade de Maio - Suma

Não Existe Amanhã - Killing Eve #2 - Luke Jennings
Em um quarto de hotel em Veneza, onde acabou de concluir um assassinato de rotina, Villanelle recebe um telefonema tarde da noite.
Eve Polastri, a funcionária do governo inglês que está em seu encalço há meses, conseguiu rastrear um oficial do MI5 a serviço dos Doze e está prestes a levá-lo a interrogatório. Enquanto Eve se prepara para procurar respostas, tentando desesperadamente encaixar as peças de um terrível quebra-cabeça, Villanelle avança para o abate.
O duelo entre as duas mulheres se intensifica, assim como sua obsessão mútua, com a ação passando dos altos picos do Tirol até o coração da Rússia. Eve enfim começa a desvendar o enigma da identidade de sua adversária, e Villanelle se pega correndo riscos cada vez maiores para se aproximar da mulher que pode ser sua ruína.
Um thriller cheio de descrições chocantes e também sensuais, Não existe amanhã é brilhante ao narrar a mente psicótica de uma assassina e a caçada apaixonada de sua nêmesis, aproximando duas rivais a ponto de não saberem mais se estão uma contra a outra... ou mais unidas do que nunca.

Isso que a Gente Chama de Amor - Maurene Goo

7 de maio de 2021

Título:
Isso que a Gente Chama de Amor
Autora: Maurene Goo
Editora: Seguinte
Gênero: Romance/Jovem adulto
Ano: 2021
Páginas: 304
Compre: Amazon
Nota:★★★☆☆
Sinopse: Desi Lee acredita que tudo é possível, basta ter um plano. Foi assim, com método e disciplina, que se tornou a aluna mais brilhante do colégio e uma atleta talentosa. É apenas no amor que Desi nunca se dá bem, colecionando uma sucessão de desastres quando se trata de garotos.
Depois de protagonizar mais um desastre na frente de Luca, um jovem recém-chegado à cidade que logo atrai seu interesse, a garota passa um fim de semana assistindo a k-dramas, certa de que os finais felizes só existem nas novelas coreanas que seu pai tanto ama. É aí que ela se dá conta de que naquelas histórias também existe uma fórmula, um passo a passo que ela poderia seguir – e conquistar Luca.
Em pouco tempo, sua vida se transforma em um enredo digno de um dorama. Mas ao contrário do que acontece na TV, isso pode não ser o suficiente para ela alcançar seu final feliz...

Resenha: Desi Lee está no ensino médio e é a aluna exemplar. Desde que perdeu a mãe na infância, todos os passos da sua vida passaram a ser calculados pra nada sair errado, então Desi sempre tem um plano. E como resultado disso, além do sucesso nos estudos, ela é uma atleta excelente e falta pouco pra alcançar seu objetivo de entrar na faculdade de medicina. Mas, mesmo que o pai de Desi seja admirável, afinal, foram só os dois cuidando um do outro desde a morte da mãe, e suas amizades sejam ótimas, não se pode dizer o mesmo quando o assunto é amor... Nessa área Desi é um desastre completo.

Então, depois de mais um desastre, dessa vez na frente de Luca Drakos, um jovem artista recém chegado a escola que logo lhe chamou a atenção, ela decide maratonar K-dramas num final de semana, afinal, somente num seriado dramático coreano parece ser possível se ter um final feliz nessa vida. Mas, ao identificar um padrão nos K-dramas, onde parece existir uma "fórmula" seguida pela mocinha até que ela caia nos braços do seu amado, Desi, enfim, encontra a solução pro seu problema: Basta seguir uma lista de coisas a se fazer, que conquistar o crush vai ser batata. Mas, quando esse passo-a-passo realmente deixa de ser um joguinho a se transforma em sentimentos, ela percebe que o amor vai muito além do que ela assistiu nas séries de TV.

A escrita da autora é leve, fluída e descontraída, e a ideia de acompanharmos a protagonista em capítulos curtos numa tentativa desastrada de conquistar o garoto dos seus sonhos seguindo técnicas de K-drama é muito engraçada, mas, seguiu por um caminho diferente do que eu esperava e eu fiquei só o meme da Nazaré Tedesco.

Durante boa parte da trama acompanhamos Desi tentando colocar em prática um plano que a gente sabe que nunca ia dar certo, e sua obsessão em conquistar Luca, mesmo que sua intenção seja "nobre", chega a ser preocupante e assustadora. Ela exagera em alguns momentos se colocando em risco, passa cada vergonha que só Deus pra ter misericórdia, age de forma infantil (mesmo que lá no começo tenha passado a impressão de ser super madura e inteligente), e ainda abre mão de coisas super importantes pra vida dela, incluindo o próprio bom senso, em nome de um namoro com um menino que apareceu há poucos dias e ela nem conhece direito. E vamos de terapia, porque Desi fica completamente maluca e até o próprio Luca conseguiu chegar facilmente nessa conclusão. Coitado do menino. Se eu pudesse dar um único conselho pra ele seria FUJA!

Luca é um fofo em todos os sentidos, bonito, educado, realista, desenha muito bem, mas é um pouco traumatizado com esse lances sentimentais (e com razão), o que acaba dificultando o plano mirabolante de Desi de conquistá-lo. Não vou negar que a conexão que eles desenvolvem com o tempo vai ganhando mais consistência, mas é aquela história né? Adolescentes, trama clichê baseada nos k-dramas exagerados e surreais, situações inacreditáveis, o ditado sobre a mentira ter pernas curtas... É aquele tipo de livro que deve ser lido fantasiando os fatos, sem levar realmente a sério, senão a experiência só faz a gente passar ódio com tantos absurdos, porque a vontade é de pegar a Desi pelo braço e sair arrastando ela direto pro hospício. E ao final, eu fiquei esperando que houvesse algum tipo de lição onde os personagens realmente aprendessem com seus erros depois de se meter em tantas situações malucas e até perigosas, mas não rolou e fiquei com cara de tacho.

Posso dizer que adorei o pai de Desi e o relacionamento super bacana que ela tem com ele, assim como seus amigos, Wes e Fiona, que estão junto com ela pro que der e vier. A construção e a diversidade que a autora deu pra esses personagens e seus relacionamentos (com exceção da loucura com Luca) é super legal. Apesar de não ser fã de k-dramas e cultura coreana em geral, eu achei muito legal a forma como a autora inseriu esses elementos na história, desde os próprios k-dramas até a culinária oriental (o que dá fome só de pensar), então pra quem não conhece muito desse universo, a história já desperta essa curiosidade, e a lista de k-dramas ao final já é um primeiro passo.

Apesar de não ser exatamente o que eu esperava, o livro me rendeu alguns momentos de diversão e descontração (assim como de raiva e desespero), então, caso você aí tenha ficado curioso, leia sem criar muitas expectativas e ciente de que Isso que a Gente Chama de Amor é a "ficção da ficção", e que tudo aqui é de mentirinha.