Wishlist #80 - Funkos de Backstreet Boys

5 de dezembro de 2019

Pááááraaaa tudo, Jesus!
Eu já tinha tido um mini infarto quando algumas artes do que seriam os popíneos de Backstreet Boys começaram a vazar. Eis que agora os abençoados foram confirmados e quero toooodos.
A boy band marcou minha adolescência e, até hoje, mais de vinte anos depois, ainda sou super fã, continuo acompanhando as novidades, e amo demais ♥


Na Telinha - Bojack Horseman (3ª Temporada)

3 de dezembro de 2019

Título: Bojack Horseman
Temporada: 3 | Episódios: 12
Elenco: Will Arnett, Alison Brie, Amy Sedaris, Paul F. Tompkins, Aaron Paul
Gênero: Animação/Comédia/Drama/Fantasia
Ano: 2016
Duração: 25min
Classificação: +16
Nota
Sinopse: Com o enorme sucesso de "Secretariat", BoJack finalmente se sente importante na indústria. Mas quando o assunto é vida pessoal, ele ainda fracassa em tudo o que se propõe a fazer.

Depois de duas temporadas recheadas de humor ácido essa terceira temporada manteve a narrativa subversiva, e trouxe críticas sociais inacreditáveis, que cutucam até a alma da sociedade. O roteiro se aproveita de sutilezas acerca de questões sociais, morais e éticas, e é capaz de enfiar reflexões nas cabeças alheias, principalmente devido ao toque de drama que tornou essa temporada bem mais pesada que as demais.



BoJack voltou aos tempos de glória, conseguiu recuperar a fama perdida e agora fica imaginando como será sua vida quando receber seu cobiçado troféu. Porém, seus defeitos superam qualquer virtude que ele possa ter e chega a ser doloroso acompanhar um personagem que faz tanta merda num espaço de tempo tão curto. Por mais que ele sempre esteja rodeado de gente, é nítido o quanto ele é um cara sozinho e impotente quando precisa lidar com algo mais sério. Mesmo que Princesa Carolyn e Diane estejam alí o aconselhando da melhor forma possível, ele continua tomando decisões questionáveis e dignas de puro repúdio.


Uma coisa que acho super interessante nesse seriado é o fato de que a grande maioria dos personagens antropomórficos tem características da própria espécie. É como se, por mais que eles tenham evoluído a ponto de conviver lado a lado dos humanos como iguais, eles ainda mantiveram hábitos clássicos dos animais que representam. Um exemplo é Mr. Peanuttbutter, que por ser um cachorro, é leal, meio abobalhado, bastante agitado, fica com a língua pra fora e outros comportamentos caninos do tipo. Uma cena interessante é quando BoJack observa um grupo de cavalos correndo juntos e levantando poeira numa pradaria, coisa que animais de outra espécie não tem costume de fazer. A cena, além de demonstrar essa característica, também evidencia o quanto BoJack é solitário, infeliz e almeja por uma vida que está bem distante de sua realidade. O episódio onde BoJack vai pra um evento no fundo do mar e podemos acompanhar, entre outras coisas, um pouco da vida de um cavalo marinho, que como pai é responsável pela gestação e criação dos filhos, também é um dos mais filosóficos e interessantes da temporada, principalmente por não ter quase nenhum diálogo, e as ações falam por si.



Em contrapartida e como exceção à regra, Princesa Carolyn, que é uma gata, precisa lidar com sua vida profissional que toma todo seu tempo e a isenta de uma vida social. Ela mal tem tempo pra comer e dormir, mas ainda sonha com um relacionamento duradouro.
E falando em relacionamentos, é interessante acompanhar o relacionamento entre Diane e Mr. Peanuttbutter e como o casamento deles vai de mal a pior, mostrando que nada é perfeito por mais que eles pareçam ser feitos um pro outro. Todd, que é o maior alívio cômico da série com sua total falta de noção, reencontra uma antiga colega de escola e dá um novo vislumbre à série acerca de sua sexualidade.



A série aborda temas contemporâneos e controversos sem rodeios, mostrando uma verdade crua sobre os bastidores da fama e levantando questões sobre a objetificação da mulher, aborto, abandono, drogas e até a morte, mas sempre com aquele humor negro e típico da série, além das referências hilárias de outros atores, como "Jurj Clooners", ou cenas clássicas de princesas de desenhos animados famosos reproduzidas por Sarah Lynn, que está tentando se manter sóbria e falhando miseravelmente pois a companhia e a má influência de BoJack é a pior que existe, por mais que suas observações e comentários sejam geniais.
"Viu, Sarah Lynn? Não estamos condenados. No panorama geral das coisas, somos apenas partículas mínimas que, um dia, serão esquecidas. Então, não importa o que fizemos no passado, ou como vamos ser lembrados. A única coisa que importa é o presente. Este momento. Este momento único e espetacular que estamos compartilhando. Certo, Sarah Lynn? Sarah Lynn? Sarah Lynn?''
- Temporada 03, episódio 11
É impossível não se identificar de alguma forma, refletir com os tapas na cara que vem com as verdades cômicas e amargas, e/ou sentir a dor dos personagens devido aos dramas que vivem. A oscilação entre o trágico e o cômico é evidente, e é quase impossível não sentir a ferida sendo cutucada com tudo que o roteiro aborda. No mais, BoJack Horseman é um retrato fiel à tragicidade daquilo que há de mais depreciativo na sociedade e que está tão presente na vida de muitos nos dias de hoje.

Resumo do Mês - Nem Tão Doce Novembro

1 de dezembro de 2019


Confesso que esse mês eu achei que iria ter um troço e cair dura no chão. Não vou entrar muito em detalhes, mas, pela primeira vez na vida, acabei desabafando no meu perfil do face, depois de passar por um desgosto por ter que lidar com a criatura amarga que é o ser humano, e não tô muito a fim de falar do caso outra vez, porque a sensação é a mesma de cutucar uma ferida aberta com um graveto pontudo, e quero evitar a fadiga.

Tirei força e coragem do além pra finalizar minhas leituras, e acabei demorando duas semanas pra voltar pro blog pra atualizar o pobre com as minhas pendências. Então, sorry pela ausência. Juro que estou me esforçando pra não deixar nada largado. Pode parecer que não, mas eu ainda me importo com esse cantinho já que, de alguma forma, ele me ajuda a esfriar a cabeça e até organizar minhas ideias, que não andam prestando nada ultimamente.

Enfim, bora ver o que teve no blog:

♥ Resenhas
- Aprendiz de Assassino - Robin Hobb
- A Fúria dos Reis - George R.R. Martin
- A Tormenta de Espadas - George R.R. Martin
- Os Sete Maridos de Evelyn Hugo - Taylor Jenkins Reid
- Sessão da Meia-Noite com Rayne e Delilah - Jeff Zentner

♥ Na Telinha
- Gilmore Girls (3ª Temporada)
BoJack Horseman (2ª Temporada)

♥ Games
- Cat Room

♥ Wishlist
- Funkos de The Devil Wears Prada ♥

Caixa de Correio de Novembro

Caixa de Correio #93 - Novembro

30 de novembro de 2019

Novembro foi um mês meio brochante, vou ser sincera. A caixinha em si, apesar de simples, me deixou super feliz. Fazia tempo que eu queria ler esses livros do King por sempre ouvir falar muito bem e enfim, vou conseguir. Mesmo que eu não tenha comprado muitos pops (muitos só vão chegar mês que vem, principalmente os que estou importando), também fiquei feliz com o pop do Harry. Faltava ele pro trio do baile ficar completo e foi o primeiro dessa wave nova que dei um jeito de comprar. O desânimo maior é saber que a Funko já lançou mais uma cacetada de pops de Harry Potter, com os personagens usando as roupinhas do baile (e já anunciaram mais alguns outros pro ano que vem, pelamordosantodeus) e eu estou aqui, falida. Quando penso que falta pouco pra completar essa coleção sem fim, brotam mais cem do além pra deixar qualquer um desesperado.
Mas, coleção é assim mesmo, a gente conquista devagarinho e com paciência. Minha falta de coragem vai um pouco além disso, mas acho que não cabe comentar aqui, afinal, caixinha de correio é postagem pra coisas boas, que me deixam alegrinha e feliz, e a lamúria fica pra lá.

Bora ver o que chegou esse mês: