O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

Relido em: Fevereiro de 2015
Título: O Pequeno Príncipe
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Editora: Geração
Gênero: Romance/Clássico
Ano: 2015
Páginas: 160
Nota:
Sinopse: Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

Resenha: O Pequeno Príncipe é o mais famoso clássico na literatura universal, escrito pelo escritor francês Antoine de Saint-Exupéry há 70 anos. Em 2015, a obra ganhou nova edição e tradução ao ser publicada pela Geração Editorial em duas versões: Luxo e Pocket. A resenha a seguir é baseada na edição de luxo que possui capa dura, título dourado, alto relevo, e detalhes internos de encher os olhos devido ao capricho que a editora dedicou à obra. Seu conteúdo já era admirável, mas com o excelente trabalho visual, o livro superou todas as expectativas em todos os fatores. As ilustrações originais ganharam muito mais cor e vida, assim como as páginas que transformaram o maior clássico de todos os tempos num maravilhoso tesouro. Uma nova tradução, feita por Frei Betto, aproxima o leitor ao texto que ficou mais fácil e fluído. Quem já havia lido o livro em alguma edição anterior poderá perceber algumas diferenças na tradução, mas nada que interfira no entendimento, muito pelo contrário, facilita bastante.
Ao final do livro o leitor se depara com um pouco da vida do escritor, assim como uma galeria linda de fotos do mais famoso principezinho que o mundo já conheceu.



A história começa quando seu narrador se lembra de seu primeiro desenho e como os adultos não foram capazes de enxergar o que, de fato, ele representava...
"Quem tem medo de um chapéu?"
Sendo desencorajado pelos adultos a continuar a desenhar, ele optou por outro caminho quando cresceu, e se tornou um piloto de avião... Até que ao fazer uma viagem sobre o deserto, precisou fazer um pouso de emergência, e lá se depara com um garotinho que pediu para que ele lhe fizesse um desenho. E esse foi o momento em que se conheceram. Aos poucos o narrador vai descobrindo mais sobre esse garoto, e que a saída dele do Asteroide B612 - deixando sua rosa e seus três pequenos vulcões pra trás, para viajar pelo universo a procura de outras pessoas, até chegar a Terra - é uma viagem carregada de histórias para se contar, histórias estas que o fazem ter uma nova visão de mundo...
A viagem do Pequeno Príncipe é contada em forma de fábula. Em cada planeta que o garoto visita, ele se encontra com seu único habitante e aprende um pouco mais com cada um deles.

O Pequeno Príncipe cativou gerações de leitores ao longo dos anos ao evidenciar a pureza e a inocência de uma criança quando ela se vê diante de questões adultas e que não fazem muito sentido devido a sua percepção diferenciada...
De que adianta alguém se intitular rei se vive sozinho e não possui súditos? Pra que serve a vaidade excessiva quando não se há expectadores? Quais as consequências de se criar vínculos e depois ter que partir? A preocupação em tomar conta do que é seu é grande, mas descobrir a verdade e o funcionamento das coisas é o que faz o Pequeno Príncipe ir além, ansiando e insistindo em perguntas que muitas vezes não possuem respostas, que requerem apenas atitudes, como a amizade verdadeira ou um amor duradouro e fiel.

É o tipo de livro, que por ser todo escrito em forma de metáforas, a cada vez que é lido, se aprende uma nova lição, pois a mensagem pode ser entendida de forma diferente de acordo com o momento em que o leitor se encontra ou lhe dar uma nova perspectiva para determinada situação. É um livro rotulado como infantil, mas acredito que o autor, ao escrevê-lo, acabou fazendo da história algo que atinge e emociona quem quer que seja, independente da idade que tenha, e que é capaz de nos fazer enxergar a criança que há dentro de nós e que há tempos foi deixada de lado para dar lugar ao adulto que nos tornamos.

Para ser lido e relido, por muitas e muitas vezes.
"É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se conseguir julgar a si mesmo, provará que é um verdadeiro sábio."
- pág. 55
"Óbvio, para os vaidosos todas as pessoas são suas fãs."
- pág. 57
"Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa."
- pág. 101
"Os olhos são cegos. É preciso ver com o coração".
- pág. 113

Pó de Lua - Clarice Freire

Lido em: Setembro de 2014
Título: Pó de Lua - Para diminuir a gravidade das coisas
Autora: Clarice Freire
Editora: Intrínseca
Gênero: Poesia/Nacional/Autoajuda
Ano: 2014
Páginas: 192
Nota
Sinopse: Em 2011, discretamente, a publicitária Clarice Freire criou no Facebook uma página para reunir seus escritos e desenhos. Batizou-a como 'Pó de Lua', sua receita infalível 'para tirar a gravidade das coisas'. Desde então, ela vem conquistando uma legião de fãs fiéis e engajados, que se encantaram com a delicadeza de seus pensamentos, seu humor sutil e o traço despretensioso, que combina desenho e até fragmentos de palavras. Entre eles, estão personalidades como a atriz Grazi Massafera e a apresentadora Ticiane Pinheiro. Da internet para as páginas de um livro, foi mais um salto para a jovem autora recifense. Ela surpreende seus admiradores com uma proposta diferente. Pó de lua, o livro, tem o formato de um dos cadernos moleskine em que Clarice exercita sua criatividade. Inspirada pelas quatro fases da lua - minguante, nova, crescente e cheia - ela trata em frases concisas e certeiras de sentimentos como a saudade, o medo, a paixão e a alegria, sempre em sua caligrafia característica, ilustradas com muitos desenhos.

Resenha: Inspirada na lua, que deixa refletir a luz iluminando as noites, Pó de Lua nasceu como um blog, um cantinho que a autora usava para expor pensamentos a fim de acalmar suas inquietações, e ao ser criada sua fanpage no Facebook, um lugar para se "escrever desenhado", milhares de pessoas se identificaram com suas ideias e se tornaram seguidoras, admiradas pelo seu jeitinho poético, fofo, criativo e sensível de brincar com as palavras. Clarice Freire tem a incrível capacidade de levar aos leitores uma nova forma de encarar e enxergar a vida, e mostra como é importante valorizar o que é simples. A frase que ficou tão conhecida que diz que o livro serve para diminuir a gravidade das coisas, é totalmente verdadeira.

Dividido em quatro partes, seguindo as fases da lua e a forma como elas afetam nosso humor, os textos abordam assuntos de acordo com a influências dessas fases, como dor, saudade, amor, despedida, alegria, e sentimentos ou questionamentos comuns que atingem e fazem parte da vida de cada um de nós.
O grande diferencial é o jogo de palavras e imagens, tudo desenhado e escrito a mão com bastante delicadeza e com traços super particulares e característicos, o que faz da parte gráfica do livro uma incrível obra de arte cheia de cores e personalidade. Em formato de moleskine, a capa com adornos prateados é uma fofura só, e as bordas das páginas em azul colaboram na riqueza do visual do livro.
O livro não só diminui a gravidade das coisas, mas aumenta o efeito e é simplesmente impossível não se identificar ou se sentir tocado com pelo menos uma frase que o compõe. O resultado final é, no mínimo, um sorriso no canto da boca. É um livro cheio de doçura, com verdades que, às vezes, julgamos serem somente nossas, que deve ser lido, relido e compartilhado com todos.

Então, aqui vai meu muito obrigada à Clarice, por ter aprendido a usar as palavras com essa graciosidade ímpar e de forma genial, e obrigada por colocá-las no papel, atingindo os leitores individualmente, mostrando com tanta peculiaridade que nós somos os responsáveis por complicarmos coisas simples, mas que, de alguma forma, podemos, sim, diminuir os danos e sermos mais felizes. Se você quer - e precisa - diminuir a gravidade das coisas pra tornar a vida um pouco mais leve, não deixe de conferir Pó de Lua. ♥

- Como assim uma pessoa VAZIA pode ter algo de BOM?
- BOM. Se ela for VAZIA e INTELIGENTE, ao menos vai saber escolher bem o que vai PREENCHÊ-LA.
Pense bem.
Os cheios DE SI não têm [ESPAÇO] para mais NADA.
- pág. 72

Novidades e lançamentos - Geração Editorial

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry
Edição de Luxo
Edição Pocket
Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.


O Caso Pedrinho - Renato Alves
O livro traz os detalhes do sequestro na maternidade de uma das crianças mais famosas do país, que ficou conhecido como O Caso Pedrinho. Mesmo passados 12 anos, a história não sai da cabeça do imaginário popular,
basta lembrar do garoto e da sequestradora Vilma. O enredo parece de um filme mas o repórter Renato Alves (ganhador dos maiores prêmios do país), que acompanhou tudo de perto, revela e compartilha com o leitor os bastidores da investigação policial e da cobertura jornalística do caso Pedrinho, solucionada em 2002. Não era um filme mas teve um final feliz e surpreendentemente. Neste livro reportagem são exibidas em close as entranhas desta comovente história real de amor e perseverança, de falsidade e engano, de generosidade e egoísmo.

O Ratinho do Violão - Marta Reis
A gente fala búlin, mas a palavra é inglesa e até um pouco difícil de escrever: bullying. A história do Chiquinho é uma história de bullying, uma judiação que gente maldosa faz com os outros, com as crianças. O Chiquinho é um menino muito bacana, do bem, que toca violão como ninguém. O que importa se ele manca um pouquinho, né? Se você ficar um pouco triste de ver o menininho encolhidinho de tanta chateação dos amigos, vai ter uma surpresa lá no final do livro. E vai querer gritar: viva o nosso Chiquinho!

Li até a página 100... #4 - A Mais Pura Verdade

Criado pelo blog "Eu leio, eu conto", Li até a página 100..., consiste em dizer o que achamos da nossa leitura atual até a centésima página . A Editora Novo Conceito enviou os primeiros 6 capítulos do livro A Mais Pura Verdade, do autor Dan Gemeinhart, para uma prévia e eis minhas impressões:


Primeira frase da página 95 (a amostra não vai até a página 100): 
"... E não perdem tempo tendo medo do amanhã."

Do que se trata o livro?
O livro conta a história de Mark, um garoto de 12 anos que descobre estar doente e em companhia de Beau, seu cachorro, e munido de remédios, uma câmera, um caderno e caneta, "foge" de casa para aproveitar os dias que lhe restam para realizar seu sonho de escalar uma montanha.

O que está achando até agora?
A narrativa é fácil, fluída e é intercalada entre a aventura que Mark vivencia no presente e a situação em que os pais dele e a amiga se encontram, e a história parece ser bastante promissora, daquele tipo que emociona e mexe com o leitor. A diagramação também é muito bacana, pois todos os capítulos possuem a mesma fresta que há na capa.

O que está achando dos protagonistas?
Apesar de não ficar claro qual é o problema de Mark, ele é um garotinho corajoso e que não quer se deixar abater por nada. Mesmo que esteja doente, ele não quer ser tratado diferente de ninguém e quer ir atrás do seu grande sonho junto com seu fiel companheiro, Beau.

Melhor quote até agora:
"Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar sua mão e estar ao seu lado."
- Pág. 27
Vai continuar lendo?
Vou, sim. O livro será lançado dia 23 de março e estou bastante curiosa pra continuar a leitura.

Última frase da página:
"- Eu sei o que você está fazendo, garoto. Saia do meu ônibus. Agora."


Clube da Liga #1 - Resenha + Promoção: Caixa de Pássaros - Josh Malerman

Oie, pessoas! Hoje a resenha vai ser diferente! Ela vai funcionar como uma coluna mensal, na qual vocês, leitores, poderão conferir a resenha feita em grupo seguida da opinião individual de cada blog participante, e ainda vão poder participar da promoção para concorrer ao livro do mês! Aproveitem!

Lido em: Janeiro de 2015
Título: Caixa de Pássaros
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Gênero: Terror/Suspense/Thriller Psicológico
Ano: 2015
Páginas: 272
Nota
Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.


RESENHA COLETIVA

Um misterioso surto começou a ser noticiado na TV, se espalhou pela internet e fez a população entrar em pânico. Alguma coisa desencadeou uma reação terrível nas pessoas, fazendo com que elas atacassem as outras brutalmente e depois cometessem suicídio da forma mais bizarra possível. Ninguém sabe de onde isso surgiu e por que se espalhou em escala global. A única coisa que se sabe é que basta estar de olhos abertos para ser afetado.
O livro possui uma narrativa empolgante que não deixa o leitor perdido nas mudanças de capítulos entre o passado e o presente da protagonista Malorie. Começa contando desde quando ela vivia uma vida normal até o seu presente, em que ela luta pela sobrevivência. Isso é surpreendente pela sagacidade do autor em transpor a barreira do tempo e dançar entre passado distante, passado imediato e presente, sem deixar o leitor sequer desorientado.
Cada personagem tem suas particularidades, e todos são importantes na trama para torná-la ainda mais angustiante e nada previsível. Malorie não apenas retrata a luta pela sobrevivência em um ambiente caótico como também sintetiza vários temores maternos.
O autor apresenta um enredo bem articulado numa narrativa fluida e enigmática permeada de situações cabulosas e inimagináveis, interligando os fatos cuidadosamente. Esse é o diferencial da história criada por Josh: ele estimula o leitor a especular em busca de algo racional, a buscar explicações e criar teorias. A ansiedade em descobrir o que são as criaturas, de onde surgiram e como agiam, te faz virar cada página.
Como sempre, a Intrínseca arrasou no trabalho gráfico. A capa transmite ao leitor o clima de tensão e escuridão do livro, de bônus ela apresenta uma textura levemente áspera, simulando uma caixa. Sua diagramação é simples, com folhas amareladas, letras capitulares, fontes e margens confortáveis. As primeiras páginas trazem galhos de árvores secas (típicas de florestas mal-assombradas) para você já entrar no clima, os quais se repetem no início de cada capítulo.

MINHAS CONSIDERAÇÕES

A história tem como pano de fundo o mundo tomado por uma epidemia já conhecida, principalmente entre aqueles fãs de histórias de zumbis que imaginam um apocalipse do tipo acometer o mundo um dia, porém, os elementos usados pelo autor são bem mais misteriosos e sombrios.
A trama mexe com os sentidos do leitor, envolve, aflige e a sensação é de estar as cegas como os personagens. O autor consegue descrever sons e ruídos com perfeição o que torna tudo muito mais tenso e assustador, como se o leitor estivesse vivenciando tudo aquilo ao mesmo tempo que não sabe o que está acontecendo devido aos olhos estarem "vendados".
Vou ser sincera em afirmar que a história, por mais que tenha um final "fechado", ainda deixa muitas perguntas fazendo com que os leitores fiquem muito curiosos e ansiosos por respostas e esclarecimentos, ou bolando teorias mirabolantes para alguns elementos presentes na trama, mas também posso afirmar que devido ao ritmo frenético e angustiante, o texto muito bem escrito e fluído, e considerando o quanto Caixa de Pássaros mexeu comigo, me fazendo pensar por dias a fio sobre o quão genial o autor foi em, talvez, deixar o mistério em aberto justamente para que as pessoas reajam querendo discutir sobre o livro e procurando opiniões alheias, o livro foi uma das melhores leituras que já tive até então.

Caixa de Pássaros é o livro de estreia de Josh Malerman, cantor e compositor da banda de rock High Strung, e foi lançado no Brasil pela Intrínseca.
Super indico para quem curte thrillers psicológicos carregados de muito suspense, que mostram do que as pessoas são capazes quando sentem medo, o que fazem para se sentirem seguras e até onde vão, ultrapassando todos os limites, para protegerem quem mais amam.
Recomendo de olhos fechados.


PARTICIPEM DA PROMOÇÃO!




Termos e condições
- Ter endereço fixo no Brasil.
- Comentar na resenha de um dos blogs participantes.
- A promoção começa dia 18/02 e termina dia 15/03.
- Perfis fakes ou criados exclusivamente para promoções serão desclassificados.
- O sorteado receberá um email e terá 48 horas para respondê-lo. Caso não seja respondido, será feito um novo sorteio.
- O livro será enviado em até 30 dias.
- Não nos responsabilizamos por eventual extravio ou problemas com o correio, nem caso o endereço para envio seja passado errado.

a Rafflecopter giveaway
Boa sorte!
O "Clube do Livro da Liga" é formado por amigos que resolveram arriscar uma leitura coletiva e se surpreenderam com a interação que foi proporcionada. Temos muitos gostos e ideias em comum, além de muitas discussões e risadas. Ninguém nunca irá nos entender, ainda bem.
Os blogs: Arquivo Passional | Entre Palcos e Livros | Este Já Li | Leitora Viciada | Leituras da Paty | Livros e Chocolate | Mais que Livros | Meus Livros, Meu Mundo | Meus Livros Preciosos | MoonLight Books | Prazer, me chamo Livro | SA Revista | Segredo entre Amigas | Seguindo o Coelho Branco | Todas as Coisas do Meu Mundo