Caixa de Correio #116 - Outubro

31 de outubro de 2021

Mais um mês chegando ao fim, mais rápido do que pensei. Esse mês não teve popinho e eu confesso que ando bem desanimada em seguir com a coleção. Mais lançamento do que o bolso de qualquer um pode aguentar, preços altíssimos por causa da alta do dólar, então por enquanto só vou esperar chegar os popinhos de HP que encomendei há uns dois meses mais ou menos e em último caso focar somente nessa coleção. No mais, teve livros (o da Intrínseca eu ganhei naqueles sorteios do Skoob, nem acreditei!!) e teve decks e eu AMEI. Espiem:

The Sims 4 - Desafio das Décadas - 1890

29 de outubro de 2021

O início da década:

Como eu preferi usar as 4 estações como contagem de tempo pra década, e esse tempo não é suficiente pra que o primeiro herdeiro da família cresça e se case, a década passou com os filhos ainda crianças. Mas pelo menos a segunda geração já estava ali.
Recomendo não criar os Sims já adultos para que não se tornem idosos ao final desse tempo, e assim dá pra aproveitar mais. Outra recomendação é, mesmo que você não vá jogar com eles, criar outras famílias com filhos e distribuir pela vizinhança, assim os Sims da sua família podem ir visitá-los quando puder sair sozinho. Mais tarde, conhecer Sims adolescentes para um futuro casório vai ser uma saga (ainda mais se você for respeitar a regra sobre casamento da mesma etnia)... Então fica a dica.

A Casa:

Como disse no post de explicações do desafio, construí a casa inicial do casal "Gallo" inspirada na casa feita pelo Márcio, do MTSims. Fiz algumas pequenas alterações por questão de espaço e gosto, mas achei que pra começar ficou excelente. Saldo inicial foi de 20mil.



A Casa é toda de madeira, tem 2 andares, 2 quartos, sala, copa, cozinha, um cômodo 2x2 para a banheira, a casinha do lado de fora com o vaso, e uma hortinha.

O Trabalho:

Como o Seu Giancarlo não poderia trabalhar fora e a Matilde não pode trabalhar de jeito nenhum, ele teria que tirar o sustento da família da terra, trabalhando em casa, e a horta foi importantíssima pois ele colhia legumes pra ter alimento em casa e vendia pra ter um dinheirinho e poder pagar as contas. Na primeira oportunidade eles compraram uma mesa de carpintaria e, mesmo que ele ainda cuidasse das plantas (o que ajudou a subir a habilidade de jardinagem dele), ele começou a criar esculturas e móveis de madeira (a habilidade de mecânica dele foi subindo a medida que fazia mais e mais itens), e o valor desses itens que ele vendia também ia subindo a medida que ele se aperfeiçoava, o que ajudou bastante em juntar dinheiro (tinha mesas que ele vendia a mais de 600) e ao final da década a família ja estava com um saldo positivo de mais de 9mil pra poder fazer a reforma na casa de 1900.

A vida e a saga da família na "Terra da Liberdade":

Com falta de energia elétrica e usando um sistema de encanamento precário, a sujeira e a bagunça na casa era um troço de outro mundo. Era pratos sujos em todo canto, comida azeda na geladeira, vaso e banheira quebrando toda hora, pilhas de roupas espalhadas pelo chão inteiro, e como Seu Giancarlo não faz tarefas domésticas, sobrava pra Matilde.

Diversão também é um problema estratosférico nessa época, pois não tem nada permitido que pudesse ser comprado pra aumentar a diversão desses dois, e isso fazia com que eles sempre ficassem tensos, estressados, tristes e, no caso do Giancarlo, furioso. Oooo homem chato. Ele reclama de cheio ruim e bagunça e queria gritar com a mulher a todo momento. Esses modificadores de "mau humor" e tristeza impedem que eles obedeçam aos comandos, e se o abençoado do Giancarlo estivesse puto da cara, ele não trabalhava, e se não trabalhava não dava pra ganhar dinheiro e nem comida. Foi um de-ses-pe-ro. De vez em quando Matilde até fazia uns bordados pra se distrair, não não adiantava muito. A única forma realmente eficiente de se aumentar a diversão era partindo pras intimidades, mas como o "oba-oba" não é permitido, eles só podiam "tentar ter um bebê". E nessa gracinha, Matilde teve 5 filhos e ao fim da década estava grávida do sexto.

Em meados da década eles compraram um galinheiro pois ercebi que algumas refeições pediam ovo como ingrediente. De vez em quando Giancarlo ia até o mercado da cidade comprar carne e leite, ou pescava algum peixe no lago da cidade, mas basicamente a família Gallo viveu sobreviveu de sopa de cogumelos, pão e salada de frutas. Matilde ajudava na horta regando as plantas e colhendo o que nascia, e ela acabou tomando gosto por jardinagem.

Gente, é difícil demais cozinhar só com ingredientes cultivados, ainda mais porque é preciso esperar o tempo de nascerem, e quando não se tem produtos suficientes eles tinham que comer o pimentão cru pra não morrerem de fome. É difícil jogar e ver os Sims nesse sofrimento, mas sei que uma hora essa fase difícil e terrível de sobrevivência chega ao fim e eles vão ter uma qualidade de vida bem melhor lá na frente.

Os filhos foram nascendo e fazendo aquela escadinha: Primeiro nasceu o Federico, depois a Paola, em seguida veio a Bibiana, depois o Dom e o, até então caçulinha, Giuseppe. Matilde já estava no segundo trimestre da gravidez quando passamos pra 1900 e daqui a pouco vem mais uma criança pra descabelar a todos. O desespero de cuidar dessa tropa sem deixar ninguém morrer de fome enquanto não se podia nem dormir porque sempre tinha alguém esgoelando foi uma agonia. Essa quantidade de gente numa casa com um banheiro só foi surreal, e deparar com poças de xixi pelo chão de vez em quando e Sims exalando aquele cheirinho de pobre pedindo um banho pelo amor de Cristo foi inevitável. Dá pra imaginar.

Quando criei o casal, Matilde era jovem adulta e Giancarlo era adulto. No final da década ele tinha se tornado idoso e vivia reclamando de dor nas costas ou cochilando na cadeira de balanço como o bom e velho ranzinza que ele é, mas Matilde ainda era jovem adulta, Federico, Paola e Bibiana eram crianças, e Dom e Giuseppe eram bebês. Como o Giuseppe não podia cuidar nem ensinar nada aos filhos, tudo ficava a cargo da Matilde, e as meninas ajudavam com as louças sujas e as roupas espalhadas pelo chão. Que antipatia desse homem, meudeus, que ódio.

Na foto abaixo a família está na mesa fabricada pelo próprio Giancarlo, e eu tinha acabado de reformar a casa porque a década tinha virado, por isso as portas brancas e o papel de parede.



No mais é isso. Foi um desafio enorme controlar e suprir as necessidades de todos esses Sims esfomeados, cansados e mijões ao mesmo tempo sem que eles morressem, mas entre mortos e feridos, salvaram-se todos. Até 1900!

The Sims 4 - Desafio das Décadas

28 de outubro de 2021



O Desafio das Décadas foi originalmente criado por ZombieCleo, e consiste em passar pelas décadas de 1890 até 2010, criando uma linha do tempo histórica de acordo com eventos marcantes que aconteceram nos EUA e no mundo até a atualidade, respeitando costumes, tradições, culturas e limitações a medida que novas gerações vão nascendo, crescendo e envelhecendo, assim como a forma que foram evoluindo com o tempo.

Já fiz uma postagem anterior explicando porque comecei a fazer esse desafio, e falando também sobre algumas adaptações que fiz pra iniciar. Lá tem orientações sobre a forma de contar o tempo que fez mais sentido pra mim (que é o que vou adotar pra mim, mas sinta-se livre pra contar da forma que fizer mais sentido pra você), e indicações dos mods que serão úteis nessa jornada.
Ao final das décadas eu volto fazendo a retrospectiva do que aconteceu com a família pra registrar o progresso.
Então, vamo lá:

Começando o Desafio
  • Crie um casal de Sims Jovens adultos, casados e da mesma etnia;
  • Eles podem morar em qualquer mundo e deverão comprar um lote vazio onde a casa inicial será construída;
  • O dinheiro inicial é $20.000;
  • Uma década corresponde a um ciclo completo de 4 estações (ou 28 dias);
  • O casal principal não pode se mudar da casa inicial, somente seus herdeiros à medida que forem se casando;
  • Reformas na casa só podem ser feitas a cada início de década;
  • Configure o calendário de eventos mantendo somente os feriados "Festival da Colheita" e "Festival de Inverno". Adicione o feriado "Espírito de Gratidão" em todos os Domingos para simular a missa e "Caçada aos Ovos" em qualquer dia da Primavera para simular a Páscoa. Decorações de feriado na casa não são permitidas. Com exceção de casamentos, qualquer outro festival ou evento não é permitido;
  • Cheats ou mods de edições de dinheiro e personalidade só podem ser usados em situações específicas, e haverá a informação sobre isso na década indicada;
  • Ao iniciar a década, não deixe de consultar as regras para não esquecer de cumprir o que se pede.
A casa inicial
- A casa deve ter paredes e pisos feitos somente de madeira, sem papel de parede;
- Móveis também devem ser de madeira (nada que seja de plástico é permitido);
- Cozinha sem eletrodomésticos, somente fogão e geladeira dos mais simples e antigos;
- A privada deve ser colocada do lado de fora da casa (construa uma "casinha");
- Chuveiros são proibidos, é permitido somente uma banheira de madeira;
- Sem eletricidade: Somente velas ou lampiões;
- É permitido criar galinhas e vacas;
- Traço do lote: Fora da rede;
Sobre as Guerras
- Para simular as Guerras, você irá precisar da Planta-Vaca;
- Como a primeira guerra só vai acontecer em 1910, temos até o início de 1900 para procurar a semente da planta no mundo e cultivá-la;
- Quando a planta já estiver adulta e os Sims tiverem que ser mandados pra Guerra, a forma de fazer com que o Sim "lute" e sobreviva ou não de forma aleatória, é fazer com que ele pegue o bolo/isca na boca da planta. Se ele for comido, significa que ele morreu na Guerra, caso contrário, ele sobreviveu;
- É preciso que o Sim tente pegar o bolo da boca da planta por 2x, pois as chances do Sim ser engolido, de fato, e morrer só valem a partir da segunda tentativa. Na primeira vez ele sempre será cuspido então sempre vai sobreviver, o que iria estragar essa "simulação" de luta.
- Sobreviver à Guerra tem consequências, e alguns traços de personalidade (que serão indicados nas regras da década específica) devem ser editados a fim de simular o "trauma";
- Caso não queira ter a Planta-vaca em casa, ela pode ser incluída num outro lote. Nesse caso, quando chegar a hora, basta reunir todos os Sims "convocados" e mudá-los pro lote onde a planta está e, assim, simular a luta.

♥ 1890 - A virada do séc. XIX
  • Proibido arranjar emprego ou seguir alguma carreira. Para ganhar dinheiro e sustentar a família somente o homem pode trabalhar em casa através da jardinagem, carpintaria, pesca ou pintura;
  • Com a falta de energia e encanamento, os Sims deverão pegar água num lago para abastecer a casa sempre que necessário;
  • Casamentos só são permitidos entre Sims da mesma etnia e gênero oposto;
  • O divórcio é proibido;
  • Nas intimidades, os Sims devem sempre "Tentar ter um bebê". Oba-oba não é permitido;
  • Todo bebê deve nascer em casa e deve ser alimentado exclusivamente pela amamentação;
  • Proibido adotar crianças;
  • As meninas que nascerem na família devem ter o traço de Criatividade;
  • Somente as mulheres devem cuidar das crianças e ensiná-las;
  • Mulheres devem fazer todas as tarefas domésticas e só é permitido lavar roupas na bacia (roupas lavadas devem ser penduradas no varal);
  • Homens não podem cuidar nem ensinar nada aos filhos, e não realizam tarefas domésticas a não ser reparar itens quebrados;
  • As filhas mulheres devem sair de casa com seus maridos ao se casarem, a partir da adolescência;
  • Apenas herdeiros do sexo masculino podem ter herança, se não houver meninos, o marido da filha que se casou primeiro se torna herdeiro;
  • Em caso de morte, é permitido que o viúvo se case novamente o mais rápido possível, mas a viúva só pode se casar novamente com um homem pobre e após um luto de 14 dias;
  • Viúvas podem conseguir dinheiro através de jardinagem e pintura.

♥ 1900 - A Era Eduardiana
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Eletricidade passou a ser permitida somente para iluminação (sem lustres modernos, somente lâmpadas simples);
  • Remova o traço "Fora da Rede";
  • Banheiro/vaso pode ser passado pro interior da casa, porém chuveiros ainda não são permitidos
  • Papel de parede é permitido;
  • Móveis estofados são permitidos;
  • Homens podem trabalhar nas seguintes carreiras: Criminal, Médico, Entretenimento (como músico), Militar, Político, Cientista, Escritor, Negócios (até nível 6) ou Culinária (até nível 5); - Observação: No The Sims 4 não existe o entregador de jornal para se conseguir um emprego através dos classificados. Somente nesse caso é permitido usar o celular para conseguir emprego simulando o jornal.
  • Empregos de meio período não são permitidos;
  • Se tiver dinheiro suficiente, é permitido abrir um restaurante;
  • Mulheres ainda não podem trabalhar formalmente, mas podem conseguir dinheiro com pintura, jardinagem, bordado e arranjo de flores mesmo que sejam casadas;
  • Ao fim dessa década a Planta-vaca deve estar completamente crescida.

♥ 1910 - A Primeira Guerra Mundial
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Todos os homens da família (incluindo os maridos das filhas) que sejam pelo menos jovens adultos são convocados para a Guerra;
  • É permitido aos homens casados "Tentar ter um bebê" antes da "partida";
  • Para simular a Guerra, faça com que o Sim tente pegar o bolo da Planta-vaca uma vez. Se forem comidos, é porque morreram na Guerra, se escaparem, são sobreviventes e podem voltar pra casa.
  • Os sobreviventes só podem trabalhar na carreira Militar (simulando que estão na Guerra) pelo menos até a idade adulta, e é permitido movê-los pra outro lote;
  • Como consequência do "trauma" desencadeado pela Guerra, todos os Sims do sexo masculino devem ter pelo menos um dos traços de personalidade a seguir: Soturno, Cabeça-quente, Desajeitado, Insano ou Preguiçoso;
  • Paredes pintadas e tapetes sem estampas são permitidos;

♥ 1920 - Os Direitos Femininos e a Lei Seca
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • As mulheres podem ser herdeiras e ao se casarem não são mais obrigadas a se mudar de casa;
  • As mulheres podem trabalhar como pintora ou musicista se não forem mães, ou se o marido não ganhar dinheiro o suficiente para pagar as contas;
  • O traço de Criatividade não é mais obrigatório para as meninas;
  • Homens podem cuidar das crianças e fazer pequenas tarefas domésticas;
  • Todas as iluminações estão liberadas;
  • Rádio permitido;
  • Bebidas alcoólicas estão proibidas;
  • Remova o feriado "Festival da Colheita" do calendário;

♥ 1930 - A Grande Depressão
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Sims que trabalham devem perder seus empregos por pelo menos duas semanas;
  • Se o Sim tem um comércio, este deve ser fechado;
  • Para conseguir dinheiro, os Sims devem vasculhar o bairro durante essas duas semanas e vender o que for encontrado;
  • Contas só podem ser pagas após o corte da eletricidade na casa;
  • Sims que atingirem a fase adulta nessa época devem ter o traço de Soturno, Evasivo ou Maldoso;
  • Bebidas alcoólicas estão liberadas;
  • Adicione o feriado "Gostosuras ou Travessuras" às tradições para comemorar o Halloween no final do Outono.

♥ 1940 - A Segunda Guerra Mundial
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Homens que entrem na década como Jovens adultos e Adultos devem ir pra Guerra no mesmo esquema anterior;
  • Sobreviventes da Guerra podem se mudar pra outro lote;
  • Adolescentes que se tornarem Jovens adultos durante essa década não vão pra Guerra e devem ingressar em alguma das carreiras permitidas somente após se tornarem Adultos;
  • Carreiras permitidas para homens adultos: Criminal, Médico, Entretenimento, Jardineiro, Militar, Político, Cientista, Escritor, Crítico, Culinária, Pintor, Detetive, Agente Secreto e Atleta;
  • Carreiras permitidas para mulheres: Atleta, Pintora, Culinária, Entretenimento;
  • Adolescentes podem conseguir trabalhos de meio período como Babá (somente mulheres), empregado de fast-food, Pescador (apenas homens), Salva-vidas, Artesanato e Atendente de loja;
  • Trabalhos autônomos como Veterinário e Dono de restaurante são permitidos
  • Sobreviventes da Guerra devem ter algum dos traços de personalidade a seguir: Soturno, Cabeça-quente, Desajeitado, Insano, Preguiçoso, Malvado ou Evasivo;
  • Deve haver um rádio na casa e alguém deve ouvir as notícias durante 1hr por dia;
  • Máquina de lavar e secadora são permitidas;
  • Deve haver um jardim na casa;
  • Sims podem fazer somente uma única refeição cozida por pessoa durante o dia. Qualquer outro alimento deve ser preparado fora do fogão com produtos da horta;
  • Relacionamentos interraciais passar a ser permitidos, mas o casamento ainda é proibido;
  • Decorações para comemorar os feriados são permitidas.
  • Bebês já podem nascer no hospital e serem alimentados com mamadeira.

♥ 1950 - A Guerra Coreana e a Ameaça Vermelha
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • O casal de filhos mais velhos que sejam jovens adultos deve ir pra Guerra no mesmo esquema anterior (o homem é recrutado, a mulher vai como enfermeira voluntária);
  • É permitido ter uma televisão na casa (a mais barata disponível), mas os Sims só podem assistir de 6hs às 10hrs e das 18hs às 24hrs;
  • Carreira de Ator/Atriz é permitida, e Sims podem se tornar famosos;
  • Computador mais barato é permitido, mas só pode ser usado para escrita;
  • Chuveiros passam a ser permitidos nos banheiros;
  • Micro-ondas são permitidos;
  • É permitido decorar a casa com popart;
  • Adicione o feriado "Véspera de ano novo" no último dia do Inverno para comemorar o ano novo.

♥ 1960 - Direitos Civis, Movimento Paz & Amor e A Geração X
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • O controle de natalidade é permitido: O casal não precisa ficar condicionado ao "Tentar ter um bebê" pois o "Oba-oba" finalmente está liberado;
  • O casamento interracial está permitido;
  • Relacionamentos homoafetivos são permitidos, mas o casamento ainda é proibido;
  • Meditação e incensos são permitidos;
  • Carreira de Agente Secreto e Astronauta são permitidas;
  • Tv's de tubo são permitidas;
  • Em caso de gravidez, os Sims podem tirar folga para se dedicarem ao nascimento e aos cuidados com o bebê;
  • É permitido fazer tatuagens;
  • Homens podem fazer qualquer tarefa doméstica para manter a casa limpa e organizada;
  • Remova os feriados "Espírito de Gratidão"

♥ 1970 - Feminismo, Ambientalismo e o Fim da Guerra do Vietnã
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • O casal de filhos mais velhos que sejam jovens adultos deve ir pra Guerra novamente, no mesmo esquema anterior;
  • Sobrevivente devem ter pelo menos um dos seguintes traços: Soturno, Cabeça Quente, Desajeitado, Insano, Preguiçoso, Enjoado, Maldoso ou Evasivo;
  • Toda criança nascida nessa época deve ter um dos seguintes traços assim que liberados: Ativo, Seguro de Si, Amante do Ar Livre, Vegetariano ou Extrovertido;
  • O computador pode ser usado somente para escrita e jogos;
  • Divórcio é permitido;
  • Sims que saem de casa, casados ou não, podem morar em apartamentos;
  • Cafeteiras, máquinas de lavar louça e itens de plástico são permitidos;
  • É permitido trocar ou aprimorar os eletrodomésticos para modelos melhores;
  • É permitido trocar ou aprimorar pias, vasos e chuveiros para modelos melhores;
  • Festivais e eventos na cidade estão permitidos;

♥ 1980 - A Era Yuppie e a Geração Y (Os Millennials)
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Toda criança nascida nessa época deve ter um dos seguintes traços assim que liberados: Seguro de Si, Glutão, Ambicioso, Materialista ou Esnobe.
  • Nova carreira permitida: Guru da Tecnologia;
  • Pelo menos um Sim da família deve estar na carreira de Negócios;
  • Horário para ver TV é restrito das 6hs às 14hrs;
  • Acampamentos são permitidos;
  • Tv's podem ser melhores e mais caras, mas as de tela plana ainda não são permitidas;
  • Video game é permitido;
  • Permitido usar pisos de mármore na reforma da casa;
  • Bebês devem nascer somente no hospital;
  • Adoção é permitido;

♥ 1990 - A Globalização e a Era da Internet
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Todas as carreiras, profissões, trabalhos autônomos e trabalhos de meio período são permitidos;
  • Não há mais restrições de construção, mobília e eletrodomésticos;
  • Tv's de tela plana ainda não são permitidas;
  • Notebooks são permitidos e computadores não possuem mais restrição de uso;
  • O uso do celular está permitido;
  • Esteiras de yoga são permitidas;
  • Fones de ouvido são permitidos;
  • O feriado "Véspera de ano novo" deve ser removido;
  • Na última semana ou estação da década, a família teme o fim do mundo e deve se preparar para o famigerado bug do milênio na virada, construindo um bunker/porão no subsolo da casa;
  • A mobília do porão deve ser a mais barata, não é permitido usar computadores nesse período,  deve haver estoque de comida, pois os Sims devem permanecer lá embaixo nos últimos 3 dias da década sem ir à escola ou ao trabalho;
  • Bebês só podem nascer em casa se a família estiver no porão;

♥ 2000 - O Novo Milênio
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • O feriado "Véspera de ano novo" deve ser incluído novamente;
  • Tv de tela plana é permitida;
  • Aparelhos de ginástica são permitidos;
  • Robô aspirador é permitido;
  • Gestantes podem escolher ter o bebê em casa ou no hospital;
  • Homens podem tirar um dia de licença-paternidade;

♥ 2010 - A Geração Z e a Explosão da Tecnologia
Todas as regras anteriores continuam válidas, com as seguintes mudanças:
  • Sims do mesmo sexo finalmente podem se casar;
  • Carreira de Jornalismo deve ser evitada (a mídia impressa está deixando de existir);
  • Sims podem buscar fama através de redes sociais;
  • Não há mais restrições do que o Sim pode ou não fazer da vida;


Bom jogo!

Explicações, observações e indicações para iniciar o "Desafio das Décadas" no The Sims 4

27 de outubro de 2021

Não sei se alguém por aqui gosta de jogos de simulação, mas aposto que todo mundo conhece ou já jogou The Sims, né verdade?
Antes de começar, deixa eu contar a história do início: Eu já fui a louca do The Sims. Conheci o jogo desde o lançamento do primeiro, aquele quadradão em 2D lá nos anos 2000. Na época eu tinha uns 16 anos e zero preocupações na vida. Desde então fui acompanhando a evolução desse jogo que é um vício só: já tive comunidade grande no finado Orkut (a The Sims 2 Brasil) onde eu escrevia vários guias e tutoriais de tudo o que o jogo oferecia, criava desafios, traduzia vários mods, já fui convidada pela Eletronic Arts junto com outros donos de comunidades e portais grandes pra conhecer o The Sims 3 lá na sede deles antes mesmo de ser lançado (e viajei lá pra São Paulo, e além de ter virado um caco, fiquei com a bunda quadrada porque fui e voltei no mesmo dia, de ônibus), já fui colunista da PontoPackage (uma revista online sobre o universo do The Sims que, infelizmente, não existe mais), e, de brinde, fiz amizades que duram até hoje, quase 20 anos depois. Só não levei isso pra frente porque os filhos foram nascendo, a vida adulta foi ficando cada vez mais pesada, as tarefas de casa e de trabalho não tiveram fim nunca mais, e eu acabei não podendo investir meu tempo curto nisso, mesmo que eu tivesse vontade.

Importante: Já adianto que o post é enorme, então peço que leia só se tiver paciência e interesse no desafio.

Maternidades no Plural - Várias Autoras

14 de outubro de 2021

Título:
Maternidades no Plural: Retratos de diferentes formas de maternar
Autora: Annie Baracat, Deh Bastos, Glaucia Batista, Ligia Moreiras, Marcela Tiboni, Mariana Camardelli
Editora: Fontanar
Gênero: Não Ficção/Maternidade
Ano: 2021
Páginas: 236
Nota:★★★★★
Sinopse: Não existe jeito certo de ser mãe: maternar é um amplo leque de possibilidades.
Annie Baracat, por exemplo, enfrentou resistência até de amigos quando adotou uma criança e se tornou mãe solo por opção. Já Ligia Moreiras nunca sonhou em ser mãe, mas aprendeu a percorrer o caminho da maternidade sozinha e hoje ajuda outras mulheres a fazerem o mesmo. Junto com seu primeiro filho, Deh Bastos nasceu como mãe e renasceu como mulher preta. Glaucia Batista não imaginava que teria que se adaptar à maternidade atípica, mas passou por esse processo duas vezes. Depois de abandonar o projeto hollywoodiano de família heteronormativa, Marcela Tiboni pôde vivenciar a dupla maternidade. Mariana Camardelli, por sua vez, aprendeu na prática que é possível maternar (e amar) filhos que não são seus.
Aqui estão algumas das muitas maneiras possíveis de cuidar e de ser mãe em um mundo cada vez mais diverso e aberto às diferenças.

Resenha: Como mãe, acredito que eu tenha um tico de propriedade pra falar sobre o que é a maternidade real e o quanto isso pesa na vida da mulher. Quem acompanha o blog já deve ter visto várias postagens onde faço desabafos sobre minhas dificuldades e sobre meu esgotamento físico e mental por ser mãe de quatro filhos e dona de casa em tempo integral. Não tenho com quem conversar sobre (talvez por isso use o blog pra escrever o que me deixa angustiada e isso acaba sendo de grande ajuda), não tenho rede de apoio, então tudo acaba sendo mais difícil do que eu acredito que deveria ser. Sempre que possível, procuro ler relatos de outras mães sobre suas experiências, e assim consigo ver que essas dificuldades não são só minhas, e foi por isso que resolvi ler esse livro.

Maternidades no Plural é um compilado de relatos sobre a experiências das autoras com a maternidade. Experiências estas que expõe os desafios de ser mãe, cada uma com a própria realidade, mostrando que não se tem e cria filhos somente dentro do conceito de "família tradicional". E ler esses relatos, vários deles contendo estatísticas de vários estudos sobre o tema, foi como ter uma conversa com as autoras, onde elas contam, cada uma a sua maneira, como elas vivem a maternidade, ao mesmo tempo que lidam com a sociedade atual, que não só romantiza a maternidade, como também não abre mão dos seus eternos julgamentos.

São relatos intensos e comoventes onde é impossível não se identificar com pelo menos um deles. Relatos que abordam as burocracias que parecem não ter fim e o preconceito dos outros quando duas mulheres casadas decidem ser mães; a conciliação da carreira com a maternidade solo e as conturbações da guarda compartilhada; os anseios, os desafios e os eternos aprendizados da maternidade atípica, por se ter um filho que está no espectro autista; a experiência de entrar num relacionamento onde o parceiro já tem filhos e a mulher além de passar a ter a posição de madrasta, aprende a amar incondicionalmente os filhos que não são seus mostrando que nem sempre a madrasta é aquela bruxa má dos desenhos infantis; a enorme mudança na vida de uma mulher que, solteira, decide adotar uma criança por ter o sonho de ser mãe mas não querer passar por um relacionamento e nem pela gravidez, mostrando a realidade da fila de adoção, das burocracias e dos anseios de acolher e criar uma criança que foi abandonada e já carrega esse trauma desde muito pequena; e, pra finalizar, a mulher que passou a vida inteira sofrendo preconceito por causa do racismo estrutural presente na sociedade, e que, ao se tornar mãe, viu a importância de lutar contra esse sistema e ensinar as crianças sobre o assunto, o que é um passo enorme para levantar inúmeros questionamentos e começar a fazer alguma mudança.
"Foi muito cedo que entendemos que parte da sociedade valida o abandono paterno diante da estatística de que mais de 6 milhões de cidadãos brasileiros não têm o nome do pai na certidão, mas recrimina um casal de mulheres por escolher ter filhos sem a presença masculina. Dois pesos, duas medidas, e nossa jornada só estaria começando." (Marcela Tiboni)
"Não há paz quando há sobrecarga materna. Pergunte para uma mãe solo cansada, exausta e invisibilizada se ela se sente em paz." (Ligia Moreiras)
"Misoginia é o ódio à mulher, tem a ver com sentimentos de repulsa e de aversão. Na nossa cultura, ela se manifesta de algumas formas: objetificação da mulher, comportamentos agressivos, depreciação, violência e feminicídio.
No caso das famílias recompostas, está ligada ao fato de admirarmos um homem que cria um filho de outro (padrasto), mas rechaçamos uma mulher que cria um filho de outra (madrasta). O primeiro é herói, merece crédito e honra. A segunda é apenas uma mulher competindo e tentando roubar o lugar da mãe. Essa narrativa ajuda a sustentar o sistema patriarcal, extremamente machista, sexista e desigual." (Mariana Camardelli)
Enfim, cada mãe falando da sua realidade na maternidade, e por mais que todos os casos sejam diferentes, com histórias de vida diferentes e experiências diferentes, todas têm em comum a jornada do aprendizado, o amor pelos filhos e a vontade de lutar de forma incansável pra fazer com que essas crianças sejam felizes. É necessário que a sociedade entenda que nenhuma mãe é igual a outra, que cada mãe tem sua própria realidade, e todas elas, juntamente com seus filhos, devem ser respeitadas e acolhidas em vez de serem inseridas em determinados estereótipos como se isso fosse legal e aceitável, como se a opinião alheia correspondesse à realidade quando a gente sabe que não é assim que funciona, principalmente quando se trata de uma mãe que se encaixa num desses modelos dos relatos.

Penso que esse é o tipo de livro com informações mais do que relevantes para se levar e se praticar na vida, que deveria ser lido por todos a fim de compreenderem não só o que é a maternidade real em todos os seus aspectos, e como ser mãe muda a vida da mulher pra sempre, mas também a importância do feminismo e desse tipo de ativismo para todas essas mulheres, que todo dia enfrentam essa sociedade que ainda não abandonou o patriarcado e nem os estereótipos construídos há séculos atrás.

Com que Roupa? - Giovanna Nader

8 de outubro de 2021

Título:
Com que Roupa?
Autora: Giovanna Nader
Editora: Paralela
Gênero: Não ficção
Ano: 2021
Páginas: 200
Nota:★★★★★
Sinopse: Você já parou para pensar no impacto que uma única blusinha tem no meio ambiente? Uma peça simples como essa pode parecer inofensiva, mas, considerando os agrotóxicos e pesticidas utilizados nas plantações de fibras de tecido, a desigualdade social entre trabalhadores e consumidores e a quantidade de poliéster e microplásticos liberados por nossas roupas na lavagem, é impossível separar o mercado da moda da crise climática. Ao mesmo tempo, é impossível pensar na vida sem a existência da moda. Então qual é a melhor maneira de se relacionar com esse universo tão complexo e essencial?
Em Com que roupa?: Guia prático de moda sustentável, a comunicadora e ativista ambiental Giovanna Nader convida o leitor a participar de uma jornada para reinventar sua relação com a moda. Nestas páginas você vai encontrar dicas de estilo, técnicas para preservar mais as suas roupas e orientações para consumir menos e melhor.

Resenha: Giovanna Nader é ativista ambiental, consultora de moda e apresenta o programa Se Essa Roupa Fosse Minha na GNT, e em seu livro Com que Roupa?, publicado pelo selo Paralela da Companhia das Letras, a mineira vai mostrar aos leitores, através de um guia super prático de moda sustentável, que é importante que as pessoas se unam em prol de ajudar o planeta a partir de escolhas relacionadas ao consumo mais conscientes.

A autora se aprofunda em tópicos importantes, como os impactos causados no meio ambiente desencadeados pela alta produção, sobre condições de trabalho das pessoas que trabalham nesse meio de consumo e que muitas das vezes são bem precárias, e sobre como a indústria gira num ciclo vicioso e sem fim, que incentiva o consumismo desenfreado das pessoas cada vez mais, trazendo reflexões - e não soluções - sobre problemas sérios e atuais que estão presentes no cotidiano, mas que por costume ou ignorância acabamos nem percebendo os malefícios que comportamentos, aparentemente inofensivos que temos, podem causar.

Sendo assim, mesmo que não haja nenhuma imposição por parte da autora, podemos encontrar no livro alternativas inteligentes e informações esclarecedoras para impulsionar e melhorar hábitos, e ajudar a amenizar essa problemática trabalhada, tendo acesso a opções diversificadas para se renovar o guarda roupa, reaproveitar ou personalizar uma peça esquecida e "fora de moda", dicas de estilo e economia na hora de comprar, e etc.

É um livro super legal que todos deveriam ler, seja pra esfriar a cabeça e sair de uma ressaca literária após uma leitura mais densa, ou simplesmente a título de curiosidade sobre os impactos da moda em geral no meio ambiente. Recomendo muito!

"Por uma moda mais ética, humana e sustentável."

A Rosa Mais Vermelha Desabrocha - Liv Strömquist

6 de outubro de 2021

Título:
A Rosa Mais Vermelha Desabrocha - O amor nos tempos do capitalismo tardio ou por que as pessoas se apaixonam tão raramente hoje em dia
Autora: Liv Strömquist
Editora: Quadrinhos na Cia
Gênero: HQ/Não Ficção
Ano: 2021
Páginas: 176
Nota:★★★★★
Sinopse: Podemos controlar o amor? O que realmente acontece quando ele acaba? Como o amor deixou de ser considerado uma força misteriosa para se tornar algo racionalmente explicável? Por que procuramos ser mais amados do que amar?
Com muito humor e inteligência, e o título emprestado de um verso da poeta norte-americana Hilda Doolittle, A rosa mais vermelha desabrocha examina as engrenagens do amor nos tempos do capitalismo tardio. A partir de histórias como a de Sócrates, que traiu Alcibíades há mais de dois mil anos, ou a de Teseu, que abandonou a amada Ariadne de uma hora para outra na ilha de Naxos, e com a ajuda de Beyoncé, do filósofo Sören Kierkegaard, dos smurfs, da namorada alucinada de Lorde Byron, de Platão, de Jabba de Star Wars, e de outros especialistas na arte de amar, a artista sueca Liv Strömquist mais uma vez desconstrói mitos e se afirma como uma das quadrinistas mais relevantes da atualidade.

Resenha: Depois de conquistar os leitores com a HQ A Origem do Mundo, a autora sueca Liv Strömquist está de volta com A Rosa Mais Vermelha Desabrocha, publicado no Brasil pelo selo Quadrinhos na Cia, da Companhia das Letras.

O livro vai abordar de uma forma bem didática, utilizando de vários fundamentos acadêmicos, a evolução do amor desde a era medieval até os dias atuais, apontando seus prós e contras, e as diversas teorias filosóficas e seus embasamentos intelectuais que lhe são aplicadas para reforçar seus pontos e argumentos.

A autora evidencia e faz comparações relacionadas a vários ícones, de Sócrates a Leonardo DiCaprio, abordando alguns de seus relacionamentos, assim como levanta temas importantes, como fatores que interferem na autoestima e na confiança, de onde surgiu e quais as consequências do narcisismo, a responsabilidade afetiva, a falta de interesse em um amor duradouro, a diferença envolvendo ter privilégios ou não entre homens e mulheres, e afins, os estudando através de estatísticas e situações corriqueiras, e com base nos conhecimentos de grandes especialistas nas área da filosofia e da sociologia, sempre usando do bom humor. E por mais que haja bastante dados e informações, a leitura não fica cansativa, muito pelo contrário, só mostra que os fatos estão aí e não podem ser contestados, mas sim discutidos para que mais e mais pessoas se informem e reflitam sobre o assunto.




Pra quem gosta de HQs que trazem temas relevantes na sociedade atual, que é capaz de promover debates e fazer com que os leitores pensem de forma mais crítica sobre relacionamentos num geral, é uma excelente e esclarecedora leitura.

Resumo do Mês - Setembro

1 de outubro de 2021


Pode ser impressão minha, mas de Agosto pra cá o tempo parece ter voado. Nem acredito que o ano acaba em 3 meses e pelo visto a gente vai piscar e, quando assustar, já vai ser ano novo. No mais, vou aproveitar esse pingo de tempo que falta pro ano acabar pra colocar minhas pendências do blog em dia e não ficar devendo nada pra acabar o ano em paz.

Espiem o resuminho do que teve em Setembro aqui no bloguito: