9 de dezembro de 2015

Caçadora de Tempestades - Jennifer Bosworth

Título: Caçadora de Tempesdades
Autora: Jennifer Bosworth
Editora: Agir Now
Gênero: YA
Ano: 2015
Páginas: 288
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Mia Price é viciada em raios. Já sobreviveu a inúmeros choques, mas seu desejo de receber a energia liberada durante tempestades coloca em risco sua vida e a de todos ao seu redor.
Los Angeles, onde raramente há tempestades, é um dos poucos lugares em que Mia se sente segura. Mas quando um terremoto destrói a cidade, seu porto-seguro é transformado em um campo minado de caos e perigos. Neste cenário aterrador, dois grupos antagônicos se formam, e ambos vêem Mia como a chave para as profecias de uma tempestade ainda maior que está por vir.
Mia quer confiar no enigmático Jeremy, que prometeu protegê-la, mas teme que ele não seja quem diz ser. No fim, o poder e a paixão que os aproximou pode ser o que vai colocar tudo a perder. Agora Mia precisa aprender a utilizar seus poderes, ou então pode acabar perdendo tudo o que ama.

Resenha: Caçadora de Tempestades, da autora Jennifer Bosworth e publicado no Brasil pela Agir Now traz a história de Mia Price, uma garota de dezessete anos que foi atingida por um raio e desde então ficou "viciada" nisso.
"Meu Nome é Mia Price, e sou viciada em raios.
Pronto. Agora você sabe a verdade. Quero que os raios me encontrem. Desejo isso como pulmões desejam oxigênio. Não há nada no mundo que faça alguém se sentir mais vivo do que ser fulminado. A não ser, é claro, que seja fatal."
- Pág. 12
A fim de evitar maiores problemas, afinal, ser atingida por raios poderia colocar a vida dela e das pessoas que a cercam em risco, Mia e a família se mudam para Los Angeles acreditando que a falta de tempestades na cidade não traria os raios que pudessem acertar a garota, assim ela poderia viver em segurança.
Em LA, Rance Ridley é um líder religioso, conhecido como Profeta. Ele alega ser o único a falar com Deus e sua profecias sobre várias catástrofes fizeram com que o povo acreditasse mesmo que ele fora enviado por Ele. Ridley lidera o grupo dos Seguidores da Luz e previu o fim do mundo. Diante disto, ele prega que todas as pessoas que tiverem pecados serão erradicadas da Terra. Somente seus seguidores que entregarem suas almas a Deus serão poupados e dignos de salvação.
Do outro lado estão os Caçadores, um grupo de pessoas que num determinado momento da vida já foram atingidas por raios e por isso acabaram desenvolvendo algum tipo de poder. Eles são detentores da Centelha e o propósito deles é derrubar o Profeta, ainda que também acreditassem que o fim estava próximo.
Por Mia já ter sido atingida tantas vezes, ela parece reservar dentro de si uma fonte de poder, e quando um terremoto destrói a cidade, o caos passa a reinar no local e o cenário apocalíptico dá espaço a esses grupos extremistas com interesses contrários, mas ambos enxergam em Mia a chave para a profecia que envolve uma grande tempestade que está a caminho e que traria o apocalipse. Quando a mãe de Mia tem intenção de seguir o Profeta e seu irmão está disposto a seguir os Caçadores, Mia fica confusa sobre o que fazer, dividida sem saber em quem acreditar, e quando o misterioso Jeremy aparece em sua vida, as coisas começam a mudar pois o garoto parece querer protegê-la e afastá-la de toda a confusão. Por mais que a atração por Jeremy seja inevitável, como saber se ele é confiável em meio a todo esse caos?

Não posso negar que alguns elementos presentes na história lembram bastante o livro "Vivian Contra o Apocalipse". O fanatismo é abordado de uma forma verdadeira, mesmo que haja elementos fantásticos como a questão dos raios e os poderes que eles dão aos atingidos, e a crítica da autora sobre o extremismo religioso, e não sobre a religião propriamente dita já que isso não se discute, fica bastante evidente.
Ao lermos a sinopse fica claro que não há evidência sobre tais fatores estarem presentes na história e talvez alguns leitores que não curtem livros que abordam esse tema, que pode ser visto como bastante polêmico, podem se sentir meio enganados...
Eu particularmente fui fisgada pela ideia de uma protagonista que atrái raios e esperava por uma história sobrenatural cheia de reviravoltas e muita ação, mas senti que no desenrolar dos fatos esta capacidade não foi explorada de forma tão satisfatória assim como imagineie as coisas seguiram pelo caminho do conflito religioso e das opiniões que se divergem entre ele. Não que eu não tenha gostado desse rumo, mas como eu não costumo ler resenhas ou informações que revelam qualquer coisa da história, fui pega de surpresa por esperar outra coisa.

O livro é dividido em quatro partes e todas elas são bem amarradas. A narrativa é feita em primeira pessoa sob o ponto de vista de Mia e ficamos limitados à sua visão de mundo.
Um ponto que achei muito bom é sobre a aparência de Mia, que tem o corpo cheio de cicatrizes pelas vezes em que foi atingida e, de certa forma, isso acaba abordando o tema sobre a aceitação pelo próprio corpo, por mais imperfeito que seja. A autora dá uma floreada na história com o interesse por Jeremy e mostra como a aproximação entre eles mexe com Mia, mas não achei que o romance foi muito bem desenvolvido, mesmo que traga alguns beijos e amassos trabalhando um pouco a questão da descoberta da sexualidade na adolescência.
As escolhas de Mia não são as melhores pois ela é teimosa e, apesar de se preocupar com a família, não tem medo de correr riscos. Eu acabei relevando alguns pontos por Mia ser adolescente e, diante da situação caótica em que se encontra, não tem que agir como uma adulta super madura, mas confesso ter me irritado com alguns problemas que poderiam ser evitados com uma boa conversa entre Mia e seu irmão, ou se Jeremy dissesse a verdade em vez de ser vago só para manter sua pose de "cara misterioso".

Eu gostei bastante do cenário criado pela autora pois toda a situação de Los Angeles poderia acontecer em qualquer lugar que sofresse uma destruição, principalmente quando ela decorre de atitudes que partem do ser humano que não considera as consequências de seus atos com relação à natureza. É difícil, e até triste, encarar uma história onde as pessoas passam por necessidades após um desastre natural arrasar com suas vidas e elas não terem a quem recorrer. Desabrigadas, sem comida, sem água e morrendo aos poucos, elas ficam fragilizadas e acabam se agarrando a qualquer ideia de salvação que podem tirá-las daquele sofrimento... E é nessa fragilidade que entra a questão da fé e como as palavras podem ter poder quando partem de alguém que tem o dom da manipulação, fazendo com que as pessoas idealizem coisas inexistentes, movidas pela esperança de conseguirem sair da situação em que se encontram mas que acabam se deixando enganar... Os fatores sobrenaturais, pra mim, foram apenas detalhes que incrementaram a história para que tal mensagem/crítica pudesse ser passada.

A capa é bastante sombria mostrando uma silhueta num local escuro e coberto de nuvens espessas. O vermelho do título faz um contraste bastante chamativo e o resultado final ficou bastante satisfatório.
A diagramação segue o estilo dos demais livros da editora, trazendo imagens na parte superior da página a cada início de capítulo. Encontrei alguns erros na revisão, mas nada que atrapalhasse a compreensão da história. Um dos erros está bem na sinopse na orelha do livro: o sobrenome de Mia está escrito como "Pierce", mas durante a história é "Price", como ela se apresenta.

Enfim, é uma história que vale a pena ser lida pela mensagem que passa. Pode parecer confusa pra alguns, mas pode ser bastante clara pra outros que conseguem captar a crítica da autora, mas pra quem procura por uma ficção que faz esse misto de sobrenatural com questões que envolvem a religião, mesmo que para ter um novo ponto de vista sobre o extremo fanatismo, recomendo.

Nenhum comentário

Postar um comentário