6 de julho de 2015

Escola Noturna - C.J. Daugherty

Lido em: Abril de 2015
Título: Escola Noturna -  Escola Noturna #1
Autora: C.J. Daugherty
Editora: Suma de Letras
Gênero: YA/Suspense
Ano: 2015
Páginas: 336
Nota
Sinopse: O mundo de Allie está desmoronando. Sua família está destroçada, ela foi expulsa de várias escolas por mau comportamento e acabou de ser presa. De novo. Quando os pais a mandam para um colégio interno longe de casa e de seus amigos, Allie espera encontrar um presídio.
Apesar das regras rígidas, que incluem proibição de celular e laptop, ela descobre que a Academia Cimmeria é um lugar bastante peculiar. Os alunos são ricos e talentosos — diferentemente dela — e um grupo de elite participa de uma organização secreta: a Escola Noturna. Logo ela faz algumas amizades e se vê envolvida entre o atencioso Sylvain e o misterioso Carter.
Mas Allie não demora muito a perceber que a Cimmeria é um lugar cheio de segredos e mentiras que envolvem não só seus colegas, mas também alguns professores. E, quando uma aluna é encontrada morta, ela precisa descobrir em quem confiar se quiser desvendar o que está acontecendo. 

Resenha: Escola Noturna é o primeiro volume da série de mesmo nome escrita pela autora  C.J. Daugherty e publicado no Brasil pela Suma de Letras.
O livro conta a história de Allie Sheridan, uma jovem de dezesseis anos que transformou a própria vida após Christopher, seu irmão, ter desaparecido misteriosamente sem deixar rastros. Sem saber o que houve com ele, Allie se rebelou e saiu completamente da linha fazendo com que seus pais tomassem medidas drásticas para o que estava acontecendo. Invadir e vandalizar a escola que estudava até ser pega pela polícia foi a gota d'água para que ela fosse enviada à Academia Cimmeria, uma escola distante, pouco conhecida e com regras muito rígidas para onde pessoas ricas e influentes enviam seus filhos. Mas a família de Allie não é rica e nem influente, e ela não parece ter nada demais que justifique sua aceitação lá. Mesmo com a impressão de estar numa prisão, Allie se depara com uma realidade bem diferente do que havia imaginado. Cimmeria é um lugar peculiar, misterioso, que esconde segredos e é cercado por mentiras evolvendo pessoas de quem ela se aproxima e outras que parecem estar acima de suspeitas.
Allie quer descobrir porque está alí já que não se encaixa nos parâmetros para ser aceita, e o que é a misteriosa Escola Noturna, um tipo de grupo secreto do qual sua simples menção é proibida.
Até que algumas coisas estranhas e acidentes começam a acontecer e uma aluna é encontrada morta. Resta a Allie descobrir em quem pode confiar se quiser descobrir o que está se passando na escola, mas ninguém parece ser capaz de lhe dar respostas...

Narrado em terceira pessoa com foco no ponto de vista de Allie, Escola Noturna tem um ritmo mediano para os acontecimentos. A escrita da autora é simples, sugestiva e muito boa, a atmosfera assustadora do ambiente é muito bem descrita e é possível visualizar o lugar a partir dessas descrições. Os diálogos dos personagens são naturais e as pistas que o leitor encontra são sempre bem sutis em vez de óbvias, e unindo esses pontos com as intrigas e o suspense presentes no enredo a história se torna bem satisfatória e até instigante.
O cenário sombrio de Cimmeria é o melhor pois faz com que a história passe a impressão de algo assustador e até sobrenatural, mas se trata de uma trama recheada de suspense, mistério e várias reviravoltas. O que não me agradou foi o fato de que o livro é muito, muito longo para o pouco de história que ele contém, além de Allie não ser uma protagonista muito carismática e nada simpática, muito pelo contrário. Ela é rebelde mas muito imatura e demonstra ser inocente num nível catastrófico, o que me faz pensar que ela não abandonou totalmente as raízes e essa rebeldia toda é pura encheção de linguiça. Antes ela era uma boa aluna, tinha respeito pelos pais, era amorosa, obediente e era um exemplo de filha, mas pelo irmão ter desaparecido, ela parece ter optado por dificultar a própria vida quando resolve odiar tudo, principalmente a autoridade. Ela parece não enxergar o sofrimento que é para seus pais lidar com o sumiço de Christopher e ainda ter que vê-la dessa forma. Confesso que senti pena deles pois eles refletem exatamente o que os pais querem para os filhos e que se for necessário fazer sacrifícios para o bem deles, não se deve pensar duas vezes. Mandar Allie para a Academia é a última esperança que lhes resta.
Talvez a construção da protagonista com essa personalidade estúpida tenha sido feita pela autora de forma proposital, para que a medida que a história evoluísse, Allie amadurecesse e desenvolvesse o próprio caráter, mas ela nunca cresce, pelo menos não nesse livro. As regras rígidas de Cimmeria ajudam no comportamento dela, tanto que ela está alí e não hesita em ajudar seus novos amigos quando necessário e não tem medo de nada, mas mentalmente ela continua imatura e inocente da mesma forma, até mesmo porque ela vive frustrada por não ter respostas para o segredo que ronda o lugar além de acreditar no primeiro maluco que surge do nada.
Sylvain e Carter são os garotos com quem Allie se envolve a ponto de surgir um triângulo amoroso e por estar mais próxima a eles, a maioria de seus questionamentos são feitas a eles. O problema é que ela questiona mas não exige as respostas, então é impossível que ela as tenha, e isso se prolonga pelo livro inteiro, como num círculo, e não há respostas definitivas para coisa alguma.
Então, diante disso, confesso que por mais que Allie se sinta um peixe fora d'água onde está, de destacando em meio aos outros alunos de uma forma negativa, não tive dó dela.
Sylvain é desejado pelas garotas por ser popular e muito bonito mas só Allie foi capaz de despertar seu interesse ao chegar na escola. Já Carter é o oposto, pois ele faz o estilo misterioso com má reputação e humor terrível. Ele é o tipo de cara mulherengo, que consegue o que quer e logo em seguida já não tem interesse pelo que acabou de conseguir. O pior é que tudo o que ele diz para Allie é de uma forma enigmática e obscura em vez de ser claro e direto, e ele ainda se sente no direito de ficar irritado por ela não escutá-lo. Ninguém gosta dele, eu não gostei dele e acho bem clichê quando a protagonista se aproxima ou se relaciona com um tipo desses. E assim como há o bad boy, há também o cara gato e popular, no caso Sylvain, que nunca se interessou por ninguém até a mocinha chegar... É clichê, e muito. Dos dois caras mais populares, tanto positiva quanto negativamente, os dois resolvem dar atenção a recém chegada ao mesmo tempo, mesmo que a escola esteja cheia de garotas por aí.
Carter ainda tenta colocar Allie contra Sylvain mas a disputa parecia algo como dois alfas brigando para defender o território.
Os demais personagens possuem personalidades complexas e nunca sabemos se podemos confiar em algum deles ou saber quais são suas verdadeiras intenções, mas, pra mim, os laços que foram criados me soaram um tanto falsos e superficiais, e esse foi um dos motivos de eu não ter conseguido me apegar a nenhum deles.
É como se o óbvio estivesse alí por todo o tempo mas foram necessárias muitas páginas para iludir os curiosos. É possível chegar do ponto A ao B indo em linha reta, o que seria mais fácil e prático na teoria, mas essa linha pode ser um completo emaranhado levando o leitor pra baixo e pra cima e em várias direções, e foi isso que senti enquanto lia Escola Notuna. Por um lado é bom que tenha essa dificuldade para que o mistério seja revelado, mas a autora segurou demais e chegou a ser um pouco irritante. O excesso nem sempre é algo positivo. Não digo que o livro seja ruim. não. Mesmo com altos e baixos é um bom livro e tem uma premissa muito boa. O cenário também consegue instigar a curiosidade e a imaginação de quem lê. Há tensão suficiente para deixar o leitor agoniado e curioso pelo que vem a seguir mas talvez por ser o primeiro volume, muitas perguntas ficaram sem respostas, muitas pontas ficaram soltas e me pergunto se era realmente necessário que o leitor ficasse tão no escuro dessa forma.
A dita Escola Noturna é o mistério principal da história mas é quase impossível adivinhar o motivo de sua existência, principalmente porque a autora dá pistas falsas de propósito para que nada seja entregue de forma fácil.

Sobre a parte física, a capa é bastante misteriosa pois a silhueta de Allie e as árvores secas dão um toque muito sombrio fazendo com que seja possível imaginar o que nos aguarda. As páginas são amarelas e a diagramação é simples. Cada início de capítulo tem um ornamento como enfeite e a fonte é pequena.

No mais, é um livro divertido e acredito que deva ser lido para que cada um absorva à sua maneira e possa chegar a própria conclusão. Apesar de não ter superado totalmente as minhas expectativas, foi uma leitura que valeu a pena investir e que venha o segundo volume: Escola Noturna - O Legado.


Um comentário

  1. Oi Flá! Nossa, nossas opiniões sobre o livro são quase que idênticas, vou deixar o link da minha resenha aqui para você ler! http://migre.me/qFPp5

    Achei que a autora me enrolou me enrolou mas não me disse nada. Não sei se isso foi bom ou ruim, mas acredito que ela poderia ter me prendido de outra forma, pois como você disse a premissa é bacana mas para mim foi bem mal executada =/

    Uma pena!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir