16 de julho de 2015

Calafrio - Maggie Stiefvater

Lido em: Julho de 2015
Título: Calafrio - Os Lobos de Mercy Falls #1
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Agir Now
Gênero: Fantasia/Sobrenatural/YA
Ano: 2015
Páginas: 344
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Grace Brisbane tem 17 anos e os mesmos desejos e inseguranças das outras meninas de sua idade. Entrar na faculdade é uma de suas preocupações, mas ultimamente ela anda dispersa durante as aulas na escola de Mercy Falls, perdida num mundo só seu.
Há seis anos, ela foi levada por um bando de lobos que vive num bosque vizinho à sua casa. Em meio a uma paisagem congelada e sombria, um lobo de profundos olhos amarelos, deslumbrado por sua beleza, a salvou do ataque. Desde então, Grace nunca conseguiu esquecer aqueles olhos. Fascinada por esses animais, todo ano ela espera ansiosamente pela chegada do inverno para reencontrar o "seu lobo", com quem trava um diálogo silencioso.
Os anos se passam, e quando um rapaz da escola de Grace é assassinado por uma matilha, a cidade inteira se mobiliza para caçar os lobos. Homens armados entram na floresta, e Grace não consegue impedir que eles atirem. Agora era tarde demais, pensou. No entanto, no silêncio do crepúsculo, ao voltar para casa, depara-se com um garoto nu, caído na soleira de casa. Ao fitar seus olhos brilhantes, ela não tem dúvida de que está diante de seu lobo em forma humana. Os dois se apaixonam, e mesmo sabendo dos perigos, Grace está disposta a tudo para viver esse grande amor.
Misturando suspense, sensualidade e fantasia, Calafrio é a história de dois jovens que aceitam correr todos os riscos, até mesmo o de deixarem de ser quem são.

Resenha: Calafrio é o primeiro volume da trilogia Os Lobos de Mercy Falls escrita pela autora Maggie Stiefvater. O livro já havia sido lançado em 2010 mas agora foi relançado com novo projeto gráfico junto com os demais volumes pela Agir Now.
Grace Brisbane é uma garota de dezessete anos que mora na cidadezinha de Mercy Falls, Minnesota. Há seis anos atrás, quando estava em seu balanço feito de pneu, Grace foi atacada e arrastada por uma alcateia que vivia na floresta nos arredores de sua casa e em meio a confusão ela avista um lobo em particular, o único que além de não atacá-la ainda impediu que ela fosse morta, salvando sua vida. Após o incidente, o lobo voltava durante o inverno para fazer uma visita a Grace, e sempre a observava dos limites da floresta. Seus olhos amarelos eram inconfundíveis e durante os seis anos que se seguiram eles trocavam olhares sempre que ele aparecia. Aquele era o lobo "dela" e dessa troca de olhares surgiu uma ligação tão íntima quanto inexplicável, mas tão real e intensa quanto o frio do inverno. Até que um dia um dos garotos da escola de Grace foi morto e a cidade inteira se mobiliza contra os lobos por eles terem sido os responsáveis por atacá-lo A ideia de uma caça aos lobos faz com que Grace fique desesperada, pois por mais que ela tenha sido atacada no passado, ela desenvolveu um certo carinho pelos animais. Quando homens entram na floresta armados, ela não consegue impedir que eles atirem, mas ao voltar pra casa ela se depara com um garoto ferido e nu caído em frente a sua casa, e quando ela olha em seus olhos amarelos e brilhantes, percebe que está diante daquele que a observava em silêncio depois de tantos anos: Sam, seu lobo...
Um misto de sentimentos a deixa confusa, mas sua única certeza é que ela está disposta a qualquer coisa em nome desse amor...

Posso dizer que ao comparar Calafrio com outros livros do gênero Young Adult, cheguei a conclusão que se trata de um livro bastante introspectivo e que se desenvolve de forma lenta e gradual. A narrativa é feita em primeira pessoa e se alterna entre Sam e Grace. A escrita da autora é perfeita, suas descrições para cenários, sentimentos e sensações faz com que possamos nos colocar no lugar dos personagens e viver o que estão vivendo.
Estranhei muito o fato de Grace ter sido atacada por lobos quando criança e em vez de desenvolver um trauma passou a ter um enorme fascínio por eles e talvez isso, de certa forma, tenha alguma coisa a ver com a personalidade dela.
Grace não é a personagem mais carismática do mundo e ao estar junto de Sam o coloca no centro de sua vida e não se importa com o resto. O amor só não é a primeira vista porque ela já conhecia aquele olhar de outros carnavais e foi exatamente isso que tornou o romance instantâneo algo possível e aceitável. Um ponto que gostei bastante nela é que ela tem seus medos e inseguranças mas procura não demonstrá-los para não evidenciar fraquezas o que a torna alguém bastante real.
Eu só não achei adequada a ideia de Grace levar Sam escondido para morar em sua casa, dormindo em seu quarto sem que ninguém desconfie de nada. A autora parece ter construído essa situação usando a ausência dos pais da garota para "justificar" a falta de percepção de que tinha alguém morando debaixo do teto deles, mas isso me soou muito estranho.

Um ponto bastante original foi a ideia da autora em deixar o clássico de lado em que lobisomens se transformam com a lua cheia. Em Calafrio a licantropia é apresentada como uma "doença" que só se manifesta durante o inverno quando o clima está congelante e emoções e pensamentos humanos se mantém distantes de suas cabeças. Mas, no verão, eles se transformam em humanos e vivem normalmente. Um humano comum pode se transformar em lobo se for mordido, mas a pergunta que fica no ar é se Grace foi mordida quando criança, o que impediu que ela também se transformasse? Isso tem uma importância bem considerável na história e acredito que devido a esse fator o livro tem assunto para render as continuações fora o romance entre os protagonistas, principalmente porque outras pessoas haviam sido mordidas rendendo pequenas subtramas na história principal.
Sam briga internamente consigo mesmo, desesperado para manter sua forma humana pois esta seria sua última temporada como humano antes que ele se transforme em lobo e permaneça assim pra sempre. É triste e comovente, mas ao mesmo tempo doce e bonito acompanhar sua luta para aproveitar cada momento com ela, mesmo que ela não saiba que ele corre contra o tempo. Sam só quer seguir em frente no relacionamento com Grace pois ele a ama de todo o coração. No momento o maior inimigo deles é o inverno e é simplesmente agonizante acompanhar a temperatura cair no decorrer dos capítulos.
Um ponto não muito favorável para Sam é que ele, na maioria das vezes, não convenceu como sendo um personagem masculino. Ele é o alfa da alcateia, tem espírito de liderança e logo deveria ser bem mais viril ao meu ver, mas ele tem pensamentos extremamente femininos e acho que a autora falhou um pouco em sua construção.

O trabalho gráfico está um arraso. A capa com o lobo de olhos amarelos já ilustra bem o personagem mas os detalhes é que são de encher os olhos. A capa é lisa, mas os ramos são foscos, enquanto a contracapa é fosca com os ramos lisos.
As páginas são amarelas e o tamanho da fonte é muito bom. A diagramação é simples e cada início de capítulo indica a temperatura do dia a fim de situar o leitor no clima. Encontrei alguns erros de revisão no início do livro mas nada que tenha interferido na leitura.

Eu já conhecia a escrita da autora e somando com a boa história passei a ter grande admiração por ela, e posso dizer que, mesmo com algumas falhas, Calafrio me trouxe emoções bem fortes. Estive diante de uma história de amor tão bonita quanto melancólica e simplesmente adorei.


2 comentários

  1. Assim que a Agir Now surgiu das cinzas, eu fiquei morrendo de vontade de ler essa trilogia. Como você disse, o projeto gráfico está lindo! E eu tenho um fraco por lobos (e por mocinhos, e badboys, vampiros, bruxos, assassinos, etc). quanto a má construção da personagens, acredito que se dê ao fato de a autora querer o público feminino enlouquecendo por ele (não seria isso?)

    adorei sua resenha e fiquei com várias perguntas em mente: por que ele ficará para sempre em forma de lobo? é por que é o alfa? Como fica o romance? Será que Grace pode virar uma loba e viver feliz pra sempre com Sam?

    Sam... esse nome vem me perseguindo literariamente e em série. (Supernatural, Trono de Vidro e agora Mercy Falls)

    Espero adorar a leitura assim como você
    beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei essas novas capas, elas estão maravilhosas. Da Maggie Stiefvater só li A Saga dos Corvos e gostei bastante da escrita dela. Fiquei bastante curiosa com Calafrio, parece ser um ótimo livro. Adorei a resenha :D

    Beijos.
    www.cidadedascerejas.com

    ResponderExcluir