15 de maio de 2015

No Mundo da Luna - Carina Rissi

Lido em: Abril de 2015
Título: No Mundo da Luna
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Gênero: Romance/Chick lit/Literatura Nacional
Ano: 2015
Páginas: 476
Nota:
Sinopse: A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome.
Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção?
Mas a garota nem desconsufia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.

Resenha: No Mundo da Luna é um romance escrito pela autora nacional Carina Rissi e publicado pelo selo Verus do Grupo Editorial Record.
Luna é uma moça de 23 anos recém-formada em jornalismo e trabalha na  renomada revista Fatos&Furos.
Porém, a revista já não está no auge mais... Em tempos de internet e tecnologia ninguém mais compra impressos já que tudo é lido online. Luna sempre quis trabalhar na revista e ter sua própria coluna, mas Dante, o redator-chefe, a colocou como recepcionista para atender telefonemas e anotar recados e acabou se revelando um completo imbecil. Nem o nome da coitada ele acerta.
Traída pelo namorado, cheia de problemas e com um emprego ruim, ela não sabe mais o que fazer pra melhorar sua vida. Até que, durante uma reunião de pauta, Dante decidiu por falta de opção que Luna poderia substituir o antigo colunista responsável pelo Horóscopo e ela aceita o novo trabalho, afinal, escrever uma coluna, por mais bobinha que seja, é melhor que trabalhar na recepção.
Eis que Luna recorre a sua avó, que entende de misticismo e magia, lhe pedindo ajuda para fazer as previsões dos signos, mas, ao perceber que a neta queria fazer uso leviano desse poder, a adverte que não se deve brincar com essas coisas e nega ajuda. Luna não vê alternativa a não ser ir a uma loja mística e, após pechinchar, acaba comprando um baralho de tarô muito poderoso que pertenceu a uma cigana antiga. Ainda ignorando os avisos da avó, Luna começa a fazer leituras astrológicas, tirando 3 cartas do baralho e interpretando a sua maneira. Ela, então, usando o nome de Cigana Clara pra se indentificar, faz previsões para cada signo de forma descontraída e irreverente e isso além de chamar atenção dos leitores, faz a revista voltar a ser um sucesso, vendendo como nunca.
Ela continua sendo alertada pela avó, e também por Sabrina, sua melhor amiga, de que deve ter cautela ao lidar com magia, mas Luna não acredita nessas "bobagens" e ignora os conselhos delas.
Se aproximando de Viny, um fotógrafo freelancer da revista, e também de Dante, Luna começa a ficar dividida entre seus sentimentos e acaba caindo em tentação quando não deveria... Mas tudo parece indo de vento em poupa e Luna mal pode acreditar que sua vida, enfim, está dando certo, mas algumas mudanças começam a acontecer, os destinos das pessoas parecem mesmo estar em suas mãos, e talvez seja hora de repensar se Sabrina e sua avó têm razão.

O livro é narrado em primeira pessoa e a leitura é bem leve e fácil. A história é simples, água com açúcar e com vários toques de humor e, mesmo que clichê, é bem divertida, do tipo que faz a gente rir mesmo.
Luna tem pensamentos malucos mas representa muito bem uma jovem adulta recém formada que está "quase" pronta pra vida lá fora. Ela passa por altos perrengues e tem o sonho de se realizar numa área que gosta, esperando um futuro melhor. E talvez pelas dificuldades que enfrenta, muitas vezes ela demonstra ser alguém muito temperamental, confusa e, às vezes, infantil.
Dante faz o estilo "bonitinho mas ordinário". O cara demonstra ser um babaca mas ainda assim pode ser o cara dos sonhos de qualquer uma, desde que alguém seja a responsável por essa mudança, claro.
Senti que houve algumas situações e detalhes que acabaram não sendo tão importantes para o desenvolvimento da trama, situações cotidianas por exemplo, talvez para dar um toque mais real à vida da protagonista, mas que por não fazer muita diferença na história só engrossaram o livro. Até mesmo pela própria Luna, que é muito inconstante e muitas vezes imatura e sua confusão acabou me atingindo e me fazendo ficar confusa também. Quando ela e Dante estão juntos, por serem tão diferentes um do outro, sempre há brigas e discussões, muitas delas desnecessárias e até cansativas, que só prolongaram o enredo. E como se não bastasse as brigas, ainda há uma infantilidade sem tamanho quando esses dois começam a falar na lingua do Z e do D (letras que substituem S e N) o que foi o cúmulo do ridículo. Os personagens não amadurecem com o desenrolar dos acontecimentos. É como se houvesse uma insistência em cima de algo que já sabemos e lá vem mais. Alguns personagens poderiam ter sido dispensados sem que fizesse diferença e o mais importante: do meio do livro pra lá me deparei com várias situações e cenas que não fizeram o menor sentido além de achar que foi uma grande encheção de linguiça. Talvez se essas páginas fossem enxugadas e/ou transformadas em um aprofundamento maior sobre a cultura cigana, já que há menção superficial sobre isso na história, eu teria aproveitado e curtido muito mais a leitura do livro.
Sobre as cenas mais quentes, gostei e acheis dignas, pois não foram escrachadas nem vulgares e um público mais jovem pode ler sem maiores problemas. A autora soube dosar muito bem o erotismo pra que fosse inserido à trama.

Uma coisa que acho interessante ressaltar é que, pelo menos ao levar o livro "Procura-se um Marido" em consideração (já que não li os demais), parece haver um tipo de fórmula pra esse tipo de romance da autora e senti que tanto a trama quanto os personagens são muitíssimos parecidos. Protagonista destrambelhada com um emprego que começa lá de baixo querendo subir na vida, que vive um relacionamento de amor e ódio com um cara comprometido com o trabalho, enquanto vive recebendo conselhos de um parente cujo relacionamento tem um enorme significado sentimental e fraterno, conselhos estes que são ignorados solenemente. Fora as situações de "ação" extrema que, ao meu ver, são absurdas e não se encaixam em lugar nenhum. É como se a escrita ficasse estagnada numa zona de conforto e não saísse nunca. Esperei uma evolução que não aconteceu...

A capa é bonita com aplicações locais em verniz no título e na personagem. A diagramação é simples e as folhas amarelas. Os capítulos são curtos e alguns deles terminam com previsões astrológicas de Luna. A revisão está impecável.

O livro é muito bom, sim, até a metade pelo menos, mas depois parece perder o fio da meada e se torna arrastado. Até chegar ao desfecho da história, parece que se passou uma eternidade pra algo tão simples, mas não é de todo ruim.
Recomendo a leitura pra leitores menos exigentes, pra quem procura por um romance descontraído e despretensioso que, de certa forma, mostra que podemos encontrar o amor, por ironia do destino ou não, quando menos se espera.

3 comentários

  1. Oi Flávia!
    Desde o lançamento desse novo livro da Rissi fiquei um pouco com pé atrás, tinha lido Encontrada e fiquei desanimada com a autora (e ainda continuo desanimada). Vejo que a blogosfera tá dividida entre amar loucamente esse livro e só gostar/curtir.
    E a sua comparação sobre a fórmula de Procura-se um Marido com O Mundo da Luna realmente bate, então mais um ponto para eu deixar atrasar um pouco mais essa leitura -q

    Beijos!
    ~nathália n.
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
  2. Li Perdida e gostei, aí li Procura-se um marido e achei uma porcaria, li no mundo da Luna e gostei de algumas partes, apesar dela (autora) ofender nossa inteligencia, e então li a segunda parte de Perdida, o Encontrada, definitivamente a receita já desandou.

    ResponderExcluir
  3. Li Perdida e gostei, aí li Procura-se um marido e achei uma porcaria, li no mundo da Luna e gostei de algumas partes, apesar dela (autora) ofender nossa inteligencia, e então li a segunda parte de Perdida, o Encontrada, definitivamente a receita já desandou.

    ResponderExcluir