16 de maio de 2015

A Vida Misteriosa de Jack - Kelly Barnhill

Lido em: Maio de 2015
Título: A Vida Misteriosa de Jack
Autora: Kelly Barnhill
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Juvenil/Fantasia
Ano: 2015
Páginas: 294
Nota:
Sinopse: Às vezes, a invisibilidade tem o seu lado positivo. Quando sua mãe o leva a Hazelwood, Iowa, para passar um tempo na casa dos seus estranhos tios, Jack não espera nada além de um verão entediante. Nem passa pela sua cabeça que os habitantes de Hazelwood o aguardam há muito, muito tempo. Logo que chega à cidade, três coisas inacreditáveis acontecem. Primeiro, ele faz amigos – amigos de verdade, não imaginários. Segundo, ele apanha do maior valentão da área – os valentões da sua rua sempre o ignoraram completamente. Terceiro, o homem mais rico da cidade começa a tramar o seu fim – um fim doloroso, aliás. Dependerá somente de Jack descobrir por que, de uma hora para a outra, todos passaram a dar tanta atenção a ele. Logo a ele, que sempre foi tão invisível.
A Vida Misteriosa de Jack é uma encantadora história sobre magia e amizade. 

Resenha: A história de Jack começa quando alguns moradores de Hazelwood, em Iowa começam a sentir algo estranho no ar, mesmo que não soubessem o que fosse. Logo em seguida Jack está num carro com a mãe sendo levado de São Franscisco para aquela cidadezinha. Os pais estão se divorciando e enquanto a poeira não baixa, Jack passaria um tempo morando com os tios.
Jack sempre se sentiu invisível, ninguém nunca percebe sua presença, seus pais nunca pararam para ouví-lo e é como se ele nem existisse. Ele já se acostumou com isso, mas quando chega em Hazelwood as coisas começam a mudar pois ele se surpreende quando seus tios lhe dirigem a palavra ou o abraçam! O garoto, enfim, está recebendo atenção, fazendo amigos e até apanhando de um valentão! Mesmo que tudo isso o deixe assustado, afinal, ele nunca havia sido notado dessa forma antes, seu sentimento é de muita raiva quando descobre que os tios já o esperavam fazia muito tempo por precisarem dele pra alguma coisa importante... Ele acredita que existe alguma coisa de errado na cidade, que as pessoas guardam segredos sobre coisas que aconteceram por lá e cabe a Jack descobrir o que está acontecendo. O que ele não sabe é que corre um grande perigo e que terá uma tarefa crucial, de vida ou morte, envolvendo todos aqueles que o cercam...

A narrativa é feita em terceira pessoa mas a forma como a história é contada chega a ser um pouco confusa e demorou um pouco até que eu me conectasse a ela. É como se a autora criasse um mistério além do que permeia a vida de Jack e acaba não passando maiores informações sobre o que, de fato, está acontecendo.
Ele vai percebendo de forma muito lenta que ele é o centro de algumas relações misteriosas e perigosas. Ele não consegue se comunicar com a mãe, se depara com casas que brilham ou se movem, crianças desaparecem e alguém ainda parece que o quer morto. Mas mesmo sabendo desses fatos, não há maiores explicações pra nada. O leitor acaba ficando no escuro. Não sei se é uma boa ideia usar essa técnica numa narrativa assim, principalmente num livro voltado ao público juvenil/adolescente, pois da forma como foi feita, o leitor pode até perder o interesse pela história confusa e enrolada em vez de ficar curioso e continuar lendo. No caso desse livro, será necessário uma persistência muito grande já que não se entende muita coisa logo de cara e a vontade é de abandoná-lo logo nos dois primeiros capítulos.

Os personagens não tem um aprofundamento adequado e nem é possível se apegar a nenhum deles pois a trama está voltada ao mistério que Jack está envolvido e o resto se torna meros detalhes. Foram poucos os personagens que me lembrava do nome.
A autora usa elementos fantásticos pra dar um ar mágico à história e o misto de magia com segredos a serem descobertos é um ponto a favor: sabemos que existe algo relacionado a mágica, mas o que é?
Mas acho que deve haver um limite no que se refere a sustentação do suspense em qualquer história. Tudo o que excede nem sempre é bom e a sensação e de ler e pensar "anda logo com isso, Lord!" foi inevitável.
O negócio só alavanca depois da metade, pois só a partir daí é que as coisas parecem ficar mais claras e fica evidente a mensagem bonita que a história carrega sobre amizade, amor e sacrifício por aqueles dos quais nos importamos. Há também a mensagem sobre optar pelo que é certo - mesmo que isso seja muito difícil -, e sobre encontrar seu lugar no mundo e são esses elementos que deram uma reviravolta no enredo e fizeram a leitura se tornar mais satisfatória num geral.

"- Ás vezes, tudo o que você pode fazer é o melhor de si, e às vezes o melhor de si não é o suficiente."
- Pág. 29

A capa é linda linda. É aveludada e os ramos tem um tom verde acinzentado em alto relevo, além do título dourado. Até os gatinhos que fazem parte da história aparecem "escondidos" no meio dos ramos.
Os capítulos são curtos e tem títulos que devem ser levados em conta pois alguns deles servem como "pistas" pra se entender o que se passa. Páginas amarelas e revisão perfeita.
No final das contas, trata-se de um tipo de conto de fadas que fala sobre os perigos e as consequências quando se perturba algo que está em equilíbrio.
Acredito que poderia ser melhor desenvolvida, mas é uma história em que o final faz o livro valer a pena.

Nenhum comentário

Postar um comentário