29 de maio de 2015

Hotelles: Quarto 1 - Emma Mars

Título: Hotelles: Quarto 1 - Hotelles #1
Autora: Emma Mars
EditoraRocco  
Tradutora: Rejane Janowitzer
Gênero: Ficção Francesa/Romance/Hot
Ano: 2014
Páginas: 496
Nota +18
Sinopse: Um quarto de hotel no meio da tarde, na sempre sedutora Paris, é o cenário escolhido pela escritora francesa Emma Mars para contar a história de Annabelle, jovem jornalista que trabalha esporadicamente como acompanhante de luxo. É no Hôtel des Charmes que ela conhece o atraente David Barlet, um magnata da mídia com quem engrena um relacionamento, sem deixar de manter encontros com outros clientes. Presa a um arriscado e excitante jogo sexual, Annabelle protagoniza uma história rica em detalhes picantes, sem cair na vulgaridade. Espécie de versão contemporânea do clássico Bela da tarde, Hotelles – Quarto 1 é o primeiro de uma trilogia que mistura romance, mistério e intrigas, temperada com uma boa dose de sensualidade.

Resenha: Hotelles: Quarto 1 é o primeiro volume da trilogia Hotelles, escrita pela autora francesa Emma Mars e publicado pela Editora Rocco no Brasil.
Anabelle "Elle" Lorand é uma jovem de vinte e três anos que está terminando o curso de jornalismo. Ela se deparou com uma situação bastante preocupante: sua mãe está muito doente e a fim de cobrir as despesas com os cuidados dela, por indicação de sua amiga Sophie, ela se tornou uma escort, ou seja, uma acompanhante de luxo. E no Hôtel des Charmes, através de um de seus clientes, ela conhece David Barlet, um atraente magnata com quem passa a ter um relacionamento e dentro de poucos meses já planejam se casar.
Elle começa a receber bilhetes anônimos escritos a mão, com mensagens explícitas e propostas de teor sexual e que parecem falar sobre os desejos mais íntimos e secretos que ela guarda pra si mesma. Ela passa a guardar esses bilhetes e mantém um diário com suas experiências, mas começa a se questionar o que está acontecendo e por que alguém está lhe passando instruções e detalhes tão particulares. Mas o que ela acredita ser pode se tratar de algo muito além do que imaginou...

Com uma escrita bastante refinada e narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Elle, Hotelles segue com uma trama recheada de intrigas, mistérios e personagens bem construídos e estruturados, e ainda tendo Paris como pano de fundo. Um ponto a se destacar é que a autora expões seus conhecimentos sobre arte e a História do país tornando a leitura bastante rica, pois consegue levar um pouco desse conhecimento adiante, mesmo que a título de curiosidade. Os personagens vão sendo melhores desvendados com o desenrolar da trama e o ditado que diz que "as máscaras caem mais cedo ou mais tarde" representam bem o que quero dizer.

Engana-se quem julga este livro pela capa e se esperar encontrar um romance totalmente erótico. A história é mais focada nos mistérios que envolvem os irmãos Barlet e o jogo sexual do qual Belle passou a fazer parte, pois mesmo que tenha se envolvido com David, ela ainda atende clientes e acaba se deparando com uma situação bastante delicada ao conhecer Louis, o irmão dele. E através de suas experiências e das notas com descrições sexuais bastante intensas que atingem seu íntimo, é notável que ocorre uma mudança sobre quem ela é no que diz respeito à sua autodescoberta e aos seus limites. E falando em descoberta, a autora aborda um universo onde a prática sexual trata de uma incursão aos sentidos e ao prazer, mostrando que através do erotismo é possível se libertar, e o melhor, sem nada vulgar, muito pelo contrário.
“Um estudo concluiu que os homens pensam em sexo cerca de dezenove vezes por dia. As mulheres, não mais do que dez. E você, quantas vezes se deixa invadir diariamente por esse tipo de pensamento?”
- Pág. 12
O hotel possui quartos temáticos que levam grandes nomes de cortesãs ou amantes da história da França e por eles o leitor pode ser levado as histórias delas e a forma como exploraram seus desejos carnais.
Minha única estranhez foi referente ao estilo da narrativa, que faz parecer com que se trate de um romance histórico quando na verdade a história se passa nos dias atuais, mas acredito que se trate do estilo da autora que transpassa requinte e elegância, típicos da literatura francesa. É como se houvesse um misto de narrativa contemporânea com toques clássicos e floreados de séculos passados.
Uma coisa que gostei bastante foram as descrições da autora. Os cenários, as características dos personagens, comidas e fragrâncias, tudo é descrito com bastante propriedade. Elle ainda possui uma impressionante sensibilidade olfativa, e as descrições sobre cheiros tem um destaque ainda maior por isso.
O interessante é que apesar de a história ter começo, meio e fim, é pelo prólogo, e não pelo final, que temos o gancho pro segundo livro, pois por alí vamos acompanhando a história de Elle a fim de sabermos como ela se tornou o que é.
O começo pode parecer monótono, mas as coisas sofrem uma reviravolta e entram num ritmo de mistério quando Louis aparece e começa a mexer com os pensamentos de Elle. O melhor é que com sua aparição achei que a história seria previsível, mas me enganei. A autora soube conduzir o enredo com bastante originalidade.

A capa é linda, pois evidencia a beleza da sensualidade e da descoberta além das cores quentes que fazem juz ao tema. O título é dourado passando a impressão de requinte. A diagramação é simples, os capítulos são numerados e não são muitos longos. As páginas são amarelas e a fonte é pequena. Os bilhetes aparecem com uma fonte diferenciada como se fossem mesmo escritos à mão com a observação de quando foram escritos. A revisão do livro é ótima.

Não acredito que seja um livro indicado pra qualquer leitor, principalmente para aqueles que não gostam de uma história cujo ritmo é bem lento. Não é um livro explicitamente sexual, pois a autora tem o dom de descrever cenas e situações sensuais deixando a imaginação nos guiar, mas posso afirmar que é um livro com uma carga muito mais hot do que se vê em outros livros do gênero por aí, além de ser único e inovador. Ele só não tem um romance do tipo que se aprofunda em sentimentos amorosos e paixões, é algo mais voltado ao prazer e sensações que vem com o despertar da sexualidade.
Pra quem gosta de histórias imprevisíveis e está disposto a testar seus sentidos e, quem sabe, perder suas inibições, com certeza vai gostar de Hotelles, então, recomendo muito.


Um comentário

  1. Parece envolver muitos sentimentos principalmente o da dúvida, e até eu pensei que seria um livro de romance mais histórico rsrsrs.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir