12 de janeiro de 2017

O Código dos Bucaneiros - Caroline Carlson

Título: O Código dos Bucaneiros - A Quase Honrosa Liga de Piratas #3
Autora: Caroline Carlson
Editora: Seguinte
Gênero: Infantojuvenil/Fantasia
Ano: 2016
Páginas: 336
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: A filiação da jovem Hilary Westfield à Quase Honrosa Liga de Piratas não durou muito tempo. Depois de descobrir que o líder da organização, o capitão Dentenegro, estava envolvido com um grupo de criminosos que quer dominar o reino, Hilary decidiu se tornar uma pirata autônoma.
Contudo, a fiel tripulação que a acompanha em suas aventuras em alto-mar acredita que ela seria a pessoa ideal para combater Dentenegro e assumir a liderança da QHLP, o que leva a garota a desafiar o capitão para uma batalha. O problema é que a disputa nem vai começar se Hilary não conseguir reunir duzentos seguidores para lutar ao seu lado. Assim, a jovem pirata parte numa missão de recrutamento que pode ou não envolver piratas temíveis, damas delicadas mais temíveis ainda… e galinhas.

Resenha: O Còdigo dos Bucaneiros é o terceiro e ultimo livro da trilogia A Quase Honrosa Liga dos Piratas, escrito por Caroline Carlson e publicado pela Seguinte.
Pra quem deu uma conferida nas resenhas dos livros anteriores, sabe que eu simplesmente adorei acompanhar as aventuras de Hilary Westfield e sua ambição por se tornar uma grande pirata num lugar onde as meninas deviam se comportar como damas.

A história é ambientada na cidadezinha de Augusta, um lugar onde existia magia, mas pelas pessoas começarem a usá-la de forma desenfreada, a Encantadora das Terras do Sul foi embora e levou a magia consigo. Logo a maior riqueza que poderia ser encontrada nessas terras não era ouro ou pedras preciosas, mas sim a magia, e os piratas estavam em busca dela...

Em O Tesouro da Encantadora, primeiro livro da série, Hilary tenta se inscrever para a QHLP (Quase Honrosa Liga de Piratas) mas é rejeitada por ser uma menina, e seu destino foi a escola da Srta. Pimm, onde ela iria aprender a ser uma verdadeira dama. Mas embora seja uma menina, ela jamais quis fazer "coisas de menina" como dançar, ter aulas de crochê e afins. Seu grande sonho era ir pro mar num navio, ser uma pirata de verdade, e ela não iria desistir disso tão fácil.

Em O Terror das Terras do Sul, Hilary se tornou capitã de sua própria embarcação após seus feitos anteriores, e agora é conhecida como o Terror das Terras do Sul. Ela parte em busca da Encantadora, que havia sido sequestrada enquanto a cidade de Augusta está um caos. Porém começa a ter problemas com Dentenegro, o líder da QHLP, e por isso ela deve provar que seu título de Terror não foi dado a ela em vão.

Dessa vez, depois de ter descoberto que Rupert Dentenegro estava envolvido com o que não devia, Hilary decidiu sair da QHLP para virar é uma pirata autônoma. Ela está mais conhecida do que nunca depois de seus atos heróicos e sua fiel tripulação ainda acredita que ela deveria desbancar Dentenegro para que ela se tornasse a nova líder da QHLP. Mas ela precisa de muito mais seguidores do que tem para tal, os piratas de Augusta não querem se envolver, Dentenegro é poderoso e influente e as coisas vão ser mais difíceis do que ela imaginou... Então, partir no Pombo, seu navio, em busca de novos recrutas em lugares distantes e desconhecidos para se unirem a sua causa e poder desafiar aquele safado numa batalha crucial será sua nova missão.

Narrado em terceira pessoa, a escrita da autora continua super leve, divertida, cheia de ação e xingamentos hilários que fazem jus ao universo pirata e que tornam essa trilogia incrível de se acompanhar, e não importa a idade do leitor.
Assim como os livros anteriores, há ilustrações, cartas, comunicados, bilhetes e afins que auxiliam o desenrolar da aventura dando um ar descontraído e mantendo o padrão do funcionamento de Augusta.

Cada livro traz uma aventura única mas que acaba sendo consequência de escolhas e decisões feitas anteriormente, então não recomendo que os livros sejam lidos fora de ordem para que toda a magia do enredo não seja quebrada.
Hilary é uma personagem ótima, destemida, esperta, corajosa e que não aceita limitações só por ser uma garota. Na cabeça dela não existe diferença entre o que meninas e meninos podem ou não fazer. Embora ela tenha orgulho de ter chegado tão longe, ela também reconhece que sem os amigos não seria nada, então ela também é um grande exemplo de humildade.
Ela se vê no maior desafio que já precisou enfrentar até então e em alguns momentos é possível que o leitor fique em dúvida sobre o sucesso de sua missão. Os acontecimentos são tão envolventes, engraçados e empolgantes que só nos resta torcer para que nossa heroína consiga concluir sua jornada maluca, afinal, por mais que os rivais de Hilary sejam vilões desalmados e salafrários, suas atitudes caricatas e absurdas não são dignas de serem consideradas realmente perigosas, muito pelo contrário. São atitudes questionáveis, ridículas e que vai arrancar muitas risadas do leitor.

Claro que os demais personagens também são ótimos e queridos, mas nossa querida Gárgula não poderia ficar de fora. Ela contnua marcando presença, sendo impagável e sua participação para finalizar a história foi crucial. Amo essa criatura, gente ♥

Pra quem procura por uma aventura muito divertida, que mostra não só o poder da amizade e da lealdade, mas que também quebra estereótipos e dá um grande exemplo de igualdade e empoderamento feminino, é leitura mais do que indicada!


Nenhum comentário

Postar um comentário