27 de janeiro de 2017

Eu Estou Aqui - Clélie Avit

Título: Eu Estou Aqui
Autora: Clélie Avit
Editora: Fábrica 231
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 288
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Thibault está no hospital visitando seu irmão. Ele entra por acidente no quarto de Elsa, e alí ele encontra uma paz há muito perdida. Thibault passa a visitá-la frequentemente. E só duas certezas passam a habitar seu coração: a primeira, é que ele está apaixonado por ela. E a segunda, que ela ouve cada uma de suas palavras.

Resenha: Eu Estou Aqui é romance escrito pela autora francesa Clélie Avit e publicado no Brasil pelo selo Fábrica 231 da Editora Rocco.

Elsa é uma mulher de vinte e nove anos que praticava montanhismo até sofrer um acidente e entrar em coma. Já faz vinte semanas que ela se encontra no hospital, mas ninguém sabe que há seis semanas ela consegue ouvir e perceber o que está acontecendo ao seu redor, só não consegue fazer seu corpo "desligado" reagir. É como se os médicos e as enfermeiras já não demonstrassem interesse pelo caso dela, as visitas estão cada vez menos frequentes e tudo indica que ninguém mais tem esperanças de que ela saia dessa.
Thibault é um jovem que visitava o irmão que está internado devido a um acidente de carro no mesmo hospital onde Elsa está. Ele não consegue aceitar que o irmão tenha causado um acidente com duas vítimas fatais por pura irresponsabilidade e não quer mais continuar com essas visitas. Porém, ao ir embora, ele se confunde e entra no quarto onde Elsa está. Ele fica curioso ao sentir um cheiro de jasmin e se aproxima um pouco mais, percebe que Elsa está num estado bastante delicado mas ao mesmo tempo sente conforto em estar alí, dessa forma, visitá-la se torna um refúgio pra ele se desligar do que o perturba.

O livro é narrado em primeira pessoa e os capítulos se alternam entre Elsa e Thibault. As vozes de cada um deles são distintas, eles possuem peculiaridades e características próprias e é possível saber quem é quem pela forma de falar ou pensar, não sendo necessário nem a indicação do nome deles nos capítulos. A escrita é delicada, cheia de sutilezas e até poética, mas ao mesmo tempo muito intensa. Acredito não ser nada fácil descrever como alguém que está preso no próprio corpo não é capaz de reagir a estímulos, sem poder dizer com todas as letras que está alí, que está viva e não quer desistir, e a autora conseguiu realizar esse feito com maestria. Não é frustrante só para Elsa essa sensação de impotência, o leitor também se pega extremamente angustiado por considerar essa situação.
E é aí que entra Thibault, pois a aproximação dele faz com que o coração de Elsa bata mais forte, mais rápido e ele é o único que parece perceber isso já que com o passar do tempo ele se apaixona e sua necessidade de proteger e cuidar dela são suas únicas motivações.
Thibault compartilha fatos sobre si mesmo com Elsa, e mesmo que ela não reaga e não responda, ele está convencido - e com razão - de que ela pode ouví-lo. Isso mexe com Elsa pois, até então, ninguém lhe tratava dessa forma nem lhe dava tanta atenção como ele faz, e mesmo que tudo o que ela sinta e pense fique guardado só pra ela, no fundo Thibault sente que o sentimento é recíproco.

O que não me convenceu 100% foi a forma como Thibault se apaixonou, mas isso não foi um fator que me fez desgostar da história, muito pelo contrário. Acho bastante improvável que alguém se apaixone por outra pessoa sem conhecê-la, sem poder ouvir o que ela tem a dizer e que não pode reagir a nada do que lhe é dito, mas pelo fato de Elsa dar conforto e trazer a sensação de que Thibault esta livre de seus problemas e preocupações quando está na companhia dela, e levando em consideração e última decepçõ amorosa que ele teve com a ex esposa, tudo isso foi bastante compreensível.
Pelo fato da trama se passar num hospital, a sensação de frieza fica no ar, como se a história estivesse estagnada, logo o que dá fluidez ao desenvolvimento são os momentos que os dois passam juntos enquanto o sentimento cresce cada vez mais no peito deles.

Claro que nada são flores e em determinado momento o livro começa a abordar o lado da família de Elsa, que já está prestes a desistir de sua recuperação e passa a considerar que os aparelhos sejam desligados, e isso gera momentos de tensão pois seria difícil para Thibault, um mero desconhecido, convencer a todos de que eles deviam mantê-la viva se baseando apenas em seus argumentos.

Eu Estou Aqui é um livro doce e singelo, e mesmo que aborde temas difíceis como conflitos familiares e eutanásia, também fala sobre o amor em sua forma mais verdadeira e como ele pode surgir nas circunstâncias mais improváveis que se possa imaginar. Pra quem procura por um livro que vai ficar na memória e causa uma péquena ressaca literária, é leitura mais do que indicada.

Nenhum comentário

Postar um comentário