12 de dezembro de 2017

O Gabinete Paralelo - Maureen Johnson

Título: O Gabinete Paralelo - Sombras de Londres #3
Autora: Maureen Johnson
Editora: Fantástica/Rocco
Gênero: Suspense/Fantasia/Jovem Adulto
Ano: 2017
Páginas: 352
Nota:
Sinopse: A vida de Rory está de cabeça para baixo. Sem tempo para respirar, mesmo após ser salva de um sequestro, a situação sái rapidamente de controle quando a morte inesperada de um amigo abate o esquadrão. Rory, um terminal humano, pensa que teve tempo suficiente para transformá-lo em fantasma, mas se é assim, onde ele está? E quanto a Jane Quaint e seu culto, o que pretendem? O que querem com Charlotte? Com tantas perguntas se avolumando no horizonte, Rory e seus amigos correm contra o tempo para descobrir os segredos de uma antiga sociedade secreta, muito mais poderosa do que jamais poderiam imaginar...

Resenha: O Gabinete Paralelo é o terceiro volume da série Sombras de Londres, escrita pela autora Maureen Johnson e publicado no Brasil pelo selo Fantástica da Editora Rocco.

Este volume parte do onde o segundo parou e esta resenha pode ter spoilers.

Desde que chegou a Wexford, a vida de Rory está uma loucura. No final do livro anterior (No Limite da Loucura), Rory, Callum e Bu estão no hospital junto com Stephen, seu amor, que está a beira da morte. Sem saber como lidar com a perda dele, Rory, aproveitando dos poderes que tem, pensa em mantê-lo por perto como um fantasma. Mas as coisas acabam não saindo conforme ela planejou...
Quando Jane Quaint, a antiga psicóloga de Rory, revela que não é nada do que todos imaginaram e ainda sequestra Charlotte, os membros do esquadrão que monitora os fantasmas em Londres, do qual Rory e seus amigos fazem parte, precisam agir de alguma forma, tanto por Stephen quanto por buscar pistas para encontrar a garota.
No meio de toda essa confusão, surge alguém com poderes bem semelhantes aos de Rory e dos membros do esquadrão: Freddie Sellars também consegue enxergar fantasmas. E não só isso, ela também usou de sua astúcia para pesquisar sobre o esquadrão e o papel desempenhado por cada um deles alí. Assim, quando ela se une ao grupo eles podem contar com a inteligência dela.
O que Rory não esperava era Jane aparecer outra vez com uma oferta que ela não poderia recusar: trazer Stephen de volta.

Como o segundo livro ficou em aberto, este dá continuidade aos acontecimentos mas também deixa várias pontas soltas que deverão ser esclarecidas no próximo volume.
Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Rory, temos uma narrativa mais ágil e cheia de adrenalina, que já é iniciada com a ação e a tensão que o final do livro anterior deixou.
Percebi que este volume teve um tom diferente dos demais, seja pela falta do bom humor ou pela adição de elementos que até então não faziam parte do enredo, como a mitologia egípcia e a mudança de rumo ao considerar Jack, o estripador, como inspiração. São coisas que parecem terem vindo do nada e sem maiores explicação do motivo de estarem alí.

Um ponto que pode agradar, ou não, é o fato de que a autora não perde tempo em resumir acontecimentos anteriores para refrescar a memória do leitor. Isso pra mim foi um problema pois devido ao intervalo de lançamento entre os livros, muitos detalhes eu já havia esquecido e em algumas situações acabei ficando um pouco perdida. Talvez isso não aconteça com quem tem uma memória muito boa ou que leia um livro atrás do outro.

Não sou fã de romances em livros que envolvem suspense e mistério, e neste não é diferente. Ainda procuro respostas sobre como a protagonista tem atitudes desesperadas e aflitas com um relacionamento que não vai além de bitocas sem sal. Ela até é bastante simpática, mas algumas atitudes, pra mim, são injustificáveis e não fazem muito sentido no contexto geral.
Os personagens secundários são ótimos, bem construídos e interessantes, mesmo que alguns diálogos pareçam forçados, mas por mais que eu tenha gostado da Freddie, achei que sua presença era sempre muito conveniente para trazer respostas e soluções rápidas para os problemas mais difíceis.
Se no primeiro volume os pais de Rory são apresentados como relapsos, desta vez eles mostraram mais preocupação com a filha e se comportaram como pais de verdade, e eu gostei que a autora tenha trabalhado nesse ponto para reparar esse relacionamento que antes era bastante estranho.

Os detalhes acerca do cenário são bons, mas não chegam no nível do que foi apresentado no primeiro livro. Se antes era possível considerar Londres como parte fundamental da história, desta vez as descrições não foram o suficiente para sentir toda aquele atmosfera e a história poderia ter se passado em qualquer outro lugar.

O projeto gráfico é muito bacana e segue o mesmo padrão das anteriores, com respingos de "sangue" sujando a capa, que traz um dos túneis subterrâneos que faz parte dos cenários da história. A diagramação também é ótima, e as páginas destinadas ao início do capítulo possuem molduras e ornamentos. Os capítulos são numerados e não percebi erros da revisão.

Tudo indica que o quarto volume da série seja lançado este ano, e embora não seja a minha série favorita, tenho curiosidade para saber o que mais Rory vai encarar.
De forma geral, a história tem suas falhas de desenvolvimento e a protagonista em alguns momentos é irritante, mas pra quem curte suspenses juvenis com o toque do universo sobrenatural é uma série que vale a pena de ser lida.


0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário