20 de dezembro de 2017

A Zona Morta - Stephen King

Título: A Zona Morta
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Gênero: Suspense
Ano: 2017
Páginas: 480
Nota:
Sinopse: Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro – nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que é uma maldição. Basta um toque, e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

Resenha: John Smith é um cara comum que leva uma vida comum. Ele é professor e está feliz em seu novo relacionamento com Sarah, também professora. Até que numa noite de sorte, ele ganha uma bela grana na Roda da Fortuna do parque de diversões, mas, mais tarde, ao deixar Sarah em casa e ir embora, ele sofre um acidente no táxi e entra em coma. Quase cinco anos depois, para a surpresa da família, já esgotada após tanto tempo, e dos médicos desesperançosos, Johnny acorda. Porém, ele acaba percebendo que não foi só o mundo que sofreu alguns avanços nesse tempo e mudou. Sarah seguiu com a vida, mas ele também está diferente: a zona morta, a área do seu cérebro que foi afetada, lhe deu alguns "poderes". Um simples toque em alguém, ou em algum objeto pertencente a uma pessoa, ele consegue ver o passado, o presente, e o futuro... Tal dom acabou desencadeando uma fama indesejada a John, pois todos passaram a ficar atrás dele, seja querendo saber do futuro, ou acusando-o de ser uma fraude. O problema se agrava ainda mais quando John conhece Greg Stillson, um candidato a deputado que faz qualquer coisa pra conseguir alcançar seus objetivos. A visão de John é de um futuro terrível caso Stillson consiga o que quer. O que John fará com seu dom (ou seria uma maldição?) e como ele irá lidar com o fato de um possível fim do mundo?

O livro é narrado em terceira pessoa e a história se desenvolve de forma bastante ampla, com muitos detalhes e descrições acerca de cenários, personagens e emoções. Penso que o excesso de descrições pode ajudar alguns leitores a se situarem melhor e a "encarnarem" o personagem, e por mais que a história tenha sido maravilhosamente bem escrita, bem fluída e prenda a nossa atenção, achei cansativa e um pouco arrastada em alguns pontos pois a impressão que fica é que o autor não tem pressa alguma para trabalhar e se aprofundar em todos os aspectos da história que quer apresentar aos leitores. O livro é extenso, gradual e lento, e isso requer uma boa dose de paciência.
Fora isso, a trama é carregada de tensão e a imersão na leitura é tanta que suas quase 500 páginas não demoram nada a serem devoradas.

O livro, publicado pela primeira vez em 1979, foi relançado agora em 2017 pela Suma de Letras sob novo projeto gráfico. A capa combina com os demais livros assinados pelo autor e, embora seja simples, representa bem um dos elementos da trama.

A Zona Morta é um livro que, mesmo que já tenha quase quarenta anos, consegue ser bastante atual no que diz respeito aos elementos e as discussões relevantes que pode trazer. A história tem um pé no drama e no sobrenatural devido ao dom do protagonista e seus dilemas, mas o misto que faz com os demais assuntos faz dela algo plausível e digna de reflexão, abordando questões que vão desde a corrupção política até o fanatismo religioso sem que nada se confunda e nenhum tema passe por cima do outro.

Esse foi o primeiro livro do mestre King que li, e só posso dizer que a experiência além de incrível, me fez pensar além acerca do governo e do funcionamento da sociedade. Livro mais do que indicado.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário