18 de dezembro de 2016

Lead - Kylie Scott

Título: Lead - Stage Dive #3
Autora: Kylie Scott
Editora: Universo dos Livros
Gênero: New Adult
Ano: 2016
Páginas: 368
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Embarque em mais uma aventura com os roqueiros sensuais de Stage Dive, a série New Adult de Kylie Scott, autora best-seller do The New York Times. Como vocalista da banda Stage Dive, Jimmy sempre teve tudo na hora que quis, fosse bebida, drogas ou mulheres, até que a destruição de sua reputação na mídia serviu de alerta e o conduziu à reabilitação. É neste momento que Lena surge em sua vida. Contratada para ser a assistente que tem como missão mantê-lo longe de problemas, ela não planeja aguentar desaforos do sensual roqueiro, e está determinada a manter a relação em nível estritamente profissional, apesar da química efervescente entre eles, até que Jimmy vai longe demais e Lena vai embora. Isso o faz perceber que talvez tenha perdido a melhor coisa que já lhe aconteceu.

Resenha: Lead é o terceiro volume da série escrita pela autora Kylie Scott que gira em torno dos integrantes da banda Stage Dive, que dá nome à série. O primeiro volume, Lick, conta a história de David Ferris, o guitarrista. O segundo, Play, conta a história de Mal Ericson, o baterista. Desta vez, a história gira em torno de Jimmy, o vocalista e irmão de David, e os inúmeros problemas que ele e seu temperamento difícil causam.
Depois de passar um tempo numa clínica de reabilitação por se envolver com drogas e bebida de forma descontrolada a ponto de ter destruído sua reputação, Jimmy está de volta, mas os demais membros da Stage Dive querem que ele tenha uma "babá", alguém que o vigie e sempre fique ao seu lado para evitar que ele faça qualquer besteira. Essas garotas não costumam durar muito tempo por ele ser muito temperamental e desaforado, e sempre pulam fora por não aturá-lo, até que Lena é contratada para mantê-lo longe de problemas.
Inicialmente Lena se irrita um pouco com o jeito de Jimmy, mas também se sente atraída por ele (quem não se sentiria, não?), e para não ter maiores problemas com um envolvimento que, na certa, a faria sofrer, decide se afastar. Obviamente Jimmy não aceita esse pedido de demissão com facilidade, quer explicações do motivo de ela querer deixá-lo e quando Lena decide revelar seus sentimentos mais profundos por ele, Jimmy tenta "consertar" as coisas mas acaba causando mais problemas. E talvez isso tenha servido pra ensinar a Jimmy que ele não é totalmente incapaz de sentir ou fazer alguma coisa por alguém...

Antes de mais nada, é possível que os livros sejam lidos fora de ordem sem que a compreensão da história seja afetada, mas como os personagens dos livros anteriores continuam marcando presença de forma que é possível sabermos um pouco do que aconteceu com cada um deles após o fim de suas histórias, é recomendado que a leitura seja feita na ordem certinha para evitar maiores surpresas.

Lena é uma mulher ótima, é determinada, corre atrás dos seus objetivos, é muito sincera e não leva desaforos pra casa. Jimmy se comporta como se sua alma fosse a de um velho de 90 anos: tem um temperamento difícil, é mal humorado e ranzinza.
E mesmo que eles sejam o oposto um do outro, a química que eles têm é algo explosivo, que transborda das páginas e cativa a leitora como nenhum outro livro dessa série foi capaz.
A medida que convivem juntos, Lena começa a perceber que o comportamento de Jimmy não corresponde a quem ele é na realidade, que aquela pose toda funciona como uma máscara, um mecanismo de defesa, e a revelação de seu eu interior só me fez ficar ainda mais apaixonada por esse vocalista louco e que as vezes pode ser considerado como um imbecil pelas coisas que faz, mas que no fundo é um amor de pessoa. Em sua defesa, só posso dizer que ele não faz nada de forma proposital, pra machucar alguém, ele só precisa aprender a se relacionar, e Lena faz esse papel de professora muito bem.
Eles se alfinetam e se desentendem feito loucos, sempre querem ter a última palavra numa briga, o que dá um toque de muito bom humor à história, e acompanhar o progresso desse relacionamento, que passou por muitos altos e baixos, foi incrível. As coisas não acontecem de forma instantânea, muitas coisas que de desenrolam me deixaram com um nó na garganta mas suspirar pela ideia de que tudo vai dar certo é inevitável.

Lead, pra mim, foi o volume mais envolvente até então. Os personagens também têm seus passados abordados, mostrando que um pouco do que eles são hoje é devido ao que passaram antes, e esse toque de drama acaba dando um tom mais intenso a cada personagem, fazendo com que eles tenham alguma substância em vez de estarem alí só por estar.
E somando a isto uma escrita maravilhosa de boa, a uma capa que faz qualquer uma imaginar coisas e a um romance que sacude nossas estruturas, não tenho mais o que falar a não ser indicar essa série com todas as minhas forças para quem adora um bom New Adult mais do que envolvente, viciante e cheio de sensualidade.


Nenhum comentário

Postar um comentário