7 de abril de 2016

Uma História de Solidão - John Boyne

Título: Uma História de Solidão
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Drama
Ano: 2016
Páginas: 416
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Primogênito de um lar disfuncional na Irlanda, o inocente Odran Yates vai estudar em um colégio que prepara garotos para a vida eclesiástica. Ao relatar sua jornada, da ingenuidade dos primeiros anos de colégio à descoberta dos segredos mais bem guardados da Igreja, Odran descreve uma Irlanda cheia de contradições e ódio por trás de uma fachada de bons costumes.
Enquanto lida com as implicações de seu trabalho e o sofrimento das pessoas que ama, o padre Odran se convence de que era inocente demais para entender o que acontecia ao seu redor e tenta fazer um acerto de contas com a própria consciência.


Resenha: "A raiz dos abusos na Igreja está no seminário", "Por que a instituição que mais prega castidade e retidão moral é palco de tantos escândalos sexuais? A porta dos fundos da igreja está aberta. É hora de entrar", "Padre é acusado de cometer abuso sexual contra jovens em São Paulo", "Vítima de abuso sexual nos EUA responsabiliza papa". Esses são inúmeros títulos de uma pequena, senão ínfima, parte da grande e vasta lista de reportagens que retratam as denúncias contra padres e seus abusos sexuais. John Boyne, autor do famoso livro O Menino do Pijama Listrado, brinda os leitores, mais uma vez, com uma história brilhante e estarrecedora que retrata essa dura e sórdida realidade.

Odran, um pequeno menino de família irlandesa, poderia ter tido uma vida comum, como qualquer outra pessoa. Porém, um acontecimento trágico fez com que seu pai e irmão mais novo morressem, e assim sua mãe, até então uma mulher sem muitas devoções, acreditou que seu filho tinha vocação para ser padre e o mandou para uma escola católica. Assim se inicia a trajetória do pequeno e imaturo garoto na vida de estudos para o celibatário e, na paróquia, conhece Tom, que se torna seu amigo e companheiro nessa longa jornada.

Os livros de Boyne são sempre um deleite para qualquer leitor. Digo isso pela maneira que o irlandês consegue passar todos os sentimentos possíveis em um "simples punhado de papel". Todas suas histórias são carregadas de sentimentalismo e isso torna tudo emotivo e muito cativante. Uma História de Solidão não é diferente e pega uma questão muito delicada, que é o abuso sexual cometido por padres e todo escândalo envolvendo a igreja católica.

Desde o começo da trama é bem notável a maneira como tudo será conduzido: recheado de muito drama e tristeza, como diz o título. Todos os livros do autor que tive oportunidade de ler são muito tocantes e mexem bastante comigo. Neste, Odran e sua família têm uma vida muito difícil e sofrida na década de 70. Uma pergunta que sempre fica na mente: por que todos os personagens criados por Boyne são tão tristes? Todos os personagens têm uma luta contra seus próprios demônios e isso é bem explorado. A vontade é de entrar nas páginas e falar com eles: "vai ficar tudo bem, não se preocupe". Mas não fica.

Em uma narrativa bem ágil e dinâmica, característica muito marcante em suas obras, o autor vai conduzindo a história em décadas diferentes e mostrando as situações importantes vividas pelos personagens. O mais bacana de tudo isso é que há um embasamento histórico e pesquisa por trás de todo o conteúdo, o que deixa o leitor abismado e revoltado com tudo. A igreja católica foi alvo de duras críticas e acusações no começo da década passada, o que acarretou audiências em tribunais e prisões. Tudo isso transcrito numa história fictícia não devia ser tão dolorido, mas é. O autor consegue mostrar situações em que o único pensamento é "como esse personagem pode ser tão burro?", e outros que a incredulidade nos atinge vendo como o ser humano pode ser podre. O que mais choca em todo o contexto é a perversidade, que é real, e nos fazer questionar a que ponto chegamos nessa sociedade atual. Existe, ainda, uma leve sugestão de que o abusador já foi abusado. Será mesmo? Será que é preciso passar um trauma adiante? Acredito que não.

Uma História de Solidão é um livro de extremos. É muito mais do que uma história em que você fecha as páginas e pode pensar numa próxima leitura. Tudo criado por Boyne é emocional e ao final é praticamente impossível segurar as lágrimas.



Um comentário

  1. Sou fã do autor desde de O Menino do Pijama Listrado.Esse parece ser bem interessante,vou lê-lo.
    Beijos!

    http://nomundodaka.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir