6 de janeiro de 2016

Anota Aí #2 - Modos Narrativos - Você sabe diferenciar um do outro?


Quando lemos qualquer tipo de texto nos deparamos com um estilo narrativo que irá determinar o direcionamento da história, seja com relação aos personagens, a quem conta a história ou até mesmo ao próprio leitor.

O narrador é aquele que conta a história, claro, e ela pode ser narrada a partir de alguns pontos de vistas distintos. O estilo de narrativa que o autor/escritor utiliza determina o que ele sabe da história, impactando diretamente na compreensão daquilo que se lê.

Narrativa em Primeira Pessoa
O narrador é um personagem que faz parte da história e o leitor se limita à visão dele. Geralmente a narrativa em primeira pessoa é feita pelo protagonista da história e o leitor fica a par da sua visão de mundo, dos seus pensamentos e emoções não sendo possível saber o que se passa com outros personagens a menos que o personagem/narrador conte o que sabe sobre ele.
Tal narrativa aproxima o personagem do leitor e faz com que seja possível termos uma interpretação da história por uma visão particular e pessoal, pois seu íntimo acaba vindo à tona e é possível conhecê-lo com mais profundidade. Há autores que contam a mesma história, mesmo que em outro livro, pelo ponto de vista de outro personagem que faz parte dela, logo a percepção muda pois cada um tem sua forma de pensar e descrever o que vê.
"A conversa é tão normal que quase coloco um fim nela completamente. Não gosto de conversa fiada. Mas o resto da minha mente está vazia de emoção e tenho de me esforçar para não dizer algo sobre lenços umedecidos e como são  feitos para limpar bumbuns de bebês, e não mãos."
Uma História de Amor e TOC - Corey Ann Haydu





Narrativa em Segunda Pessoa
Este estilo de narrativa é bastante incomum e difícil de ser utilizado. O narrador da história reconhece que existe um leitor e se refere a ele frequentemente ou o trata como um personagem fazendo com que seja possível vivermos as situações construídas alí.
Geralmente este modo é mais facilmente encontrado em livros de autoajuda ou livros interativos, desses que funcionam como jogos para que o leitor escolha caminhos a serem seguidos com finais alternativos para cada decisão tomada, mas também pode ser encontrado em livros de ficção.
Quando o narrador usa pronomes de tratamento como "você", desde que direcionado ao leitor em vez de usar em diálogos entre personagens, faz com que ele faça parte da história, o transformando em um personagem.
"Você o deixa te beijar, os lábios dele nos seus, em seu rosto, seu queixo. Você leva as mãos ao rosto dele, e ele te puxa para mais perto. Ben pressiona o corpo junto ao seu e você se agarra nas costas dele, sentindo cada músculo sob a superfície da pele, passando a mão sobre os ombros. Ben sorri e se ajoelha, te puxando para a areia junto com ele."
Blackbird: A Fuga - Anna Carey





Narrativa em Terceira Pessoa
Numa narrativa feita em terceira pessoa, o narrador não faz parte da história como um personagem. É o próprio autor quem conta a história englobando todos os pontos sem se limitar a estar na cabeça de um único personagem. Ele fala de todos e por todos, mostrando percepções diferentes acerca das situações, diálogos e cenários dos quais os personagens estão envolvidos.
Embora sempre exista um protagonista, o narrador pode expressar oniscência aos personagens secundários também, ampliando ainda mais o universo e se aprofundando nas particularidades de cada um. A narrativa em terceira pessoa é mais flexível e permite uma visão mais ampla da história, sendo possível ter um conhecimento geral sobre ela.
"Madeline estava sofrendo um ataque brutal de TPM no primeiro dia de aula de Chloe. Tentava resistir bravamente, mas era em vão. Sou eu que escolho meu estado de espírito, dizia a si mesma em pé na cozinha, tomando cápsulas de onagra como se fossem Valium."
Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

Narrativa alternada
Algumas histórias são contadas em alternância. Algumas podem mesclar capíulos que se passam no passado e outros no presente, e outras podem apresentar dois ou mais personagens narrando ao mesmo tempo. Ambas as formas podem ser narradas em primeira e/ou terceira pessoa.
Quando a alternância é feita em primeira pessoa, o autor permite que o leitor conheça pontos de vista distintos no que se refere aos personagens e tal característica permite percebermos que toda história tem dois lados, ou que cada um dos personagens enxerga o que acontece e expõe os fatos à própria maneira. Quando há alternancia entre o tempo, é possível que o leitor se situe acerca do que está acontecendo através de descrições do passado, flashbacks ou lembranças para que se entenda melhor o desenvolvimento e desenrolar da trama.

Narrativa com alternância entre personagens
Narrativa com alternância de tempo (passado/presente)

Epistolar
A narrativa espistolar pode ser feita em qualquer pessoa, com o diferencial de que o texto é apresentado em formato de cartas, emails, diários e etc.
Irei considerar somente livros que foram totalmente escritos utilizando dessa característica.
"Para: John Trent <john.trent@thenychronicle.com>
De: Jason Trent <jason.trent@trentcapital.com>
Assunto: Como foi tudo?
____________________________________________________________________

Ela é ruiva? Então é ISSO? Vai me deixar de molho aqui até quando?
O QUE ACONTECEU???

Jason

P.S.: Stacy também quer saber"
O Garoto da Casa ao Lado - Meg Cabot



Por hoje é só. Espero que tenham aproveitado o tema do post e caso queiram sugerir mais posts do tipo, basta entrar em contato comentando abaixo ou por email!


3 comentários

  1. Adooooorei o post!!!
    Muito bem explicado!
    Parabéns!!!

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  2. Oi, Flávia! Tudo bom? ((:
    Nunca tinha parado pra pensar a respeito dos modos narrativos, e foi lendo o seu post que me dei conta que nunca li um livro narrado em segunda pessoa. Na verdade, eu nem tinha conhecimento da existência de uma narrativa em segunda pessoa - shame on me - mas gostei muito da proposta e com certeza irei buscar livros com esse estilo narrativo.
    Ótimo post! ^-^

    Um super beijo e uma ótima semana! :*
    www.inconstantecontroversia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que post excelente, Flávia!
    Confesso que achava que só existia em 1ª e 3ª pessoa haha apesar de que, lendo a sua descrição, percebi que já li diversos livros em 2ª pessoa apesar de serem bem mais raros, mesmo.
    Amo/sou narrativas alternadas ♥

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir