12 de agosto de 2015

Espera - Maggie Stiefvater

Lido em: Julho de 2015
Título: Espera - Os Lobos de Mercy Falls #2
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Agir Now
Gênero: Fantasia/Sobrenatural/YA
Ano: 2015
Páginas: 360
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Sam ainda tenta se acostumar ao fato de ser plenamente humano e ter uma vida pela frente; Grace precisa lidar com sua iminente transformação e sente dificuldade em esconder esse segredo.
Além disso, volta à cena Isabel, ainda abalada pela morte do irmão, mas sem conseguir esconder sua atração por Cole, um garoto sarcástico que escolheu ser lobo para fugir dos problemas de sua vida humana. O que ela não sabe, porém, é que essa decisão o fará enfrentar tudo o que sempre quis evitar.
Com um mundo em constante mutação, com forças que obrigam Grace, Sam, Isabel e Cole a continuamente questionarem suas escolhas e buscarem alternativas, Espera faz com que leitores se perguntem: quando tudo ao seu redor está desabando, o amor é o bastante?
Resenha: Espera é o segundo volume da trilogia Os Lobos de Mercy Falls escrita pela autora Maggie Stiefvater. O livro havia sido lançado em 2011 pela Editora Agir e agora, junto com os demais volumes, foi relançado pela Agir Now.
A resenha pode ter spoilers do livro anterior!

"Essa é a história de um garoto que costumava ser lobo e de uma garota que estava começando a se transformar em um."
- Pág. 9
Depois de todo o suplício passado no primeiro livro em busca da cura para a licantropia de Sam, ele, enfim, conseguiu se tornar humano e passa a se acostumar com sua nova condição, sem temer por uma transformação indesejada. O frio já não é mais o inimigo do casal e apesar da insegurança de Sam, tudo parecia estar muito bem. Mas Grace começa a ter dores de cabeça intensas e constantes e todos os sinais indicam que ela estaria prestes a se transformar em loba. Enquanto isso, eles continuam na luta para ficarem juntos ao mesmo tempo em que esperam pelo inevitável pois os pais de Grace, que no primeiro livro eram totalmente ausentes e relapsos, resolveram se intrometer e prestar atenção no namoro da filha qu não é tão bobinho como pensavam. Ela, então, além de desafiá-los, ainda prefere manter seu estado de saúde em segredo.
Sam se preocupa com seu futuro pensando numa maneira de conseguir sobreviver, enquanto luta contra seu passado de lobo.
E em meio a luta de Sam e Grace, Cole e Isabel entram em cena e dividem seus pontos de vista acerca da história que se passa. Cole era membro de uma banda de rock e optou por se transformar em lobo a fim de fugir das responsabilidades da vida humana, mas acaba chamando atenção e despertando sentimentos em Isabel, que ainda está abalada pela morte do irmão.
A espera é o que resta ao casal... E nunca um título caiu tão bem num livro, pois ele resume praticamente toda a história numa única palavra.

Narrado em primeira pessoa pelos pontos de vista de Sam, Grace, Isabel e Cole, Espera não apresenta muita evolução do desenvolvimento do relacionamento e até da situação de Sam e Grace, mas incluir a voz de Isabel e Cole na trama foi algo genial e que deu um up na história. Os capítulos são curtos e o nome do personagem aparece para identificar de quem é a voz da vez. Tudo continua discorrendo de forma lenta e gradual mas a escrita incrível e poética da autora foi a responsável por me manter ligada à história como se não houvesse amanhã.
Continuo não sendo muito fã de Sam devido a sua construção. Ele fica responsável pelo bando de lobos, incluindo os novos que apareceram na floresta e até de Cole, em quem ele não confia nada, mas não consigo imaginá-lo como um líder forte e destemido por ele ter um comportamento feminino e tão passivo que é quase impossível de suportar. Ele é gentil e doce demais e pra quem prefere vilões ou bad boys (como eu) pode se incomodar e muito com a personalidade dele. Mas é pura questão de gosto, acho. Então, acompanhar os acontecimentos pela visão de Cole, que é totalmente o oposto, assim como de Isabel, me fez ficar empolgada e satisfeita pois talvez a trama não se sustentasse se o foco fosse mantido somente no primeiro casal já que nada de tão novo acontecia com eles. Ter uma nova perspectiva para os acontecimentos a partir de personagens tão diferentes foi algo que superou minhas expectativas, com certeza.
Isabel já havia aparecido no primeiro livro, mas aqui é possível conhecer um pouco mais dela e passei a gostar dela mais do que antes. Por mais que ela se sinta culpada pela morte do irmão, ela deixou de ser mimada para se tornar alguém forte, corajosa, quase sempre impulsiva e na maioria das vezes sarcástica. Ela é irritante no bom sentido, é uma pessoa boa e é uma personagem digna de admiração pois ela percebe que diante da situação em que se encontra, sua única alternativa é amadurecer.
Cole é o contrário de Sam. Ele faz o estilo bad boy e é o tipo de personagem ferrado mas que ainda assim consegue despertar a simpatia de qualquer um, mesmo que seja insuportável. Sua história antes de se tornar lobo é bastante complexa e espero que no próximo livro haja mais informações e explicações sobre ele. Ele precisa se adaptar à vida que escolheu mesmo não estando com o passado totalmente cicatrizado.

A única coisa que não consegui engolir nesse livro foi a relação dos pais de Grace com ela pois é o que foge completamente do que qualquer um possa considerar como algo normal. A história é uma fantasia, claro, mas a forma como é contada, assim como a construção dos personagens, faz com que tudo soe bastante real. São personagens comuns, que erram e acertam, mas só querem ter seu lugar no mundo e serem felizes com quem amam, mesmo que isso signifique enfrentar perigos, problemas e afins. Mas pais que nunca demonstraram preocupação com ninguém além deles mesmos e viviam curtindo a vida fora de casa a ponto de não perceberem Sam morando lá (isso acontece no primeiro livro), do nada resolverem colocar em prática tudo o que não fizeram em dezessete anos foi lamentável. Mas pior do que essa mudança repentina dos pais, como se fosse algo criado de forma proposital para servir de empecilho no romance, foi Grace. Ela também não ligava pra eles e achou que resolver enfrentá-los na base de respostas atrevidas e batendo as portas da casa como uma adolescente em crise e tomada por acessos de raivinha resolveria tudo. Sinceramente não sei o que foi pior. Então agradeço imensamente à autora por ter incluído Cole e Isabel como protagonistas em Espera, deixando as coisas equilibradas.

A nova edição da editora está linda! Há detalhes em verniz e outros foscos, as páginas são amarelas, a diagramação é simples, não há mais a indicação da temperatura nos capítulos e não encontrei erros de revisão.

Enquanto Grace e Sam formam um casal delicado e frágil cujo relacionamento se baseia na honestidade e na sinceridade, Cole e Isabel contrastam com sarcasmo e rebeldia, mas a autora foca no lado sentimental dos personagens evidenciando seus sentimentos com intensidade através de uma escrita melancólica e pura capaz de envolver e encantar qualquer leitor, principalmente se levarmos o clima frio e sem cor em consideração.

Posso afirmar que Os Lobos de Mercy Falls se tornou uma de minhas trilogias favoritas e super recomendo!

Nenhum comentário

Postar um comentário