23 de agosto de 2015

Cartas Extraordinárias - Shaun Usher

Título: Cartas Extraordinárias
Autor: Shaun Usher
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Coletânea
Ano: 2014
Páginas: 368
Nota
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Do comovente bilhete suicida de Virginia Woolf à receita que a rainha Elizabeth II enviou ao presidente americano Eisenhower; do pedido especial que Fidel Castro, aos catorze anos, faz a Franklin D. Roosevelt à carta em que Gandhi suplica a Hitler que tenha calma; e da bela carta em que Iggy Pop dá conselhos a uma fã atormentada ao genial pedido de emprego de Leonardo da Vinci - Cartas extraordinárias é uma celebração do poder da correspondência escrita, que captura o humor, a seriedade e o brilhantismo que fazem parte da vida de todos nós.
Esta coletânea de mais de 125 cartas oferece um olhar inédito sobre os eventos e as pessoas notáveis da nossa história. O livro reproduz a maior parte dos fac-símiles das missivas, com sua transcrição e uma breve contextualização, além de ser ricamente ilustrado com fotografias e documentos. A engenhosa organização de Shaun Usher cria uma experiência de leitura que proporciona muitas descobertas, e cada nova página traz uma bela surpresa para o leitor. Não apenas um deleite literário, mas também um livro-presente inesquecível.
Inclui cartas de:
Zelda Fitzgerald, Dostoiévski, Amelia Earhart, Charles Darwin, Albert Einstein, Elvis Presley, Dorothy Parker, John F. Kennedy, Charles Dickens, Katharine Hepburn, Mick Jagger, Steve Martin, Emily Dickinson e muito mais.

Resenha: Cartas Extraordinárias é um livro completamente diferente de tudo que já li e em todos os sentidos possíveis. O autor Shaun Usher reuniu 125 cartas interessantes e inesquecíveis de pessoas notáveis da história mundial e para deleite dos leitores, a Editora Companhia das Letras publicou o livro no Brasil.

O Projeto de Shaun começou com um site, o Letters of Note, onde o organizador publica algumas das cartas que encontramos no livro e outras inéditas, que farão parte do "Cartas Extraordinárias 2" que já está em fase de produção/autorização de publicação das cartas (oremos).

Iniciamos a coleção com Elizabeth II em correspondência com Dwight D. Eisenhower, presidente dos EUA em 1960 e enviando-lhe sua receita particular de Scones (pão rápido de origem escocesa que não utiliza fermento biológico), o qual o presidente teria gostado muito em sua visita ao Castelo de Balmoral, na Escócia.

Me impressionei demais com a carta de Maria Stuart para o Rei Henrique III da França (seu cunhado), defendendo o Cristianismo horas antes de ser executada por ordem Rainha Elizabeth I. Herdeira do trono da Escócia aos seis anos de idade e por cobiçar o trono da Inglaterra, Maria fora condenada e decapitada diante de 300 testemunhas em 1587.
"A Religião católica e a afirmação do direito que me foi dado por Deus a essa coroa são os dois motivos da minha condenação; todavia, não me permitem dizer que é pela religião católica que eu morro, mas pelo temor da mudança da religião deles".
Cartas Extraordinárias fala também de despedidas como a da romancista Virgínia Woolf que após vários abalos nervosos se jogou em um rio para se livrar de seus distúrbios mentais e escreveu uma carta de suicídio para seu marido; fala dos sofrimentos de guerra como os sofridos por Fiódor Dostoievski, capturado por ser membro de uma sociedade secreta que discutia literatura, conduta proibida pelo tsar Nicolau I.
Nos envolvemos com pedidos criativos de emprego, um pedido de 3 fãs de Elvis Presley para que o exército não cortasse as costeletas do cantor, o pedido (um dos muitos) de Patrick Hitler para ingressar nas forças armadas Americanas e lutar contra seu próprio tio e bárbaro, Adolf Hitler.
"Agora não é mais hora de escrever e falar, e estou ciente da grande dívida que minha mãe e eu temos para com os Estados Unidos. Mais que qualquer outra coisa, eu gostaria de ir para o front de batalha assim que possível e ser aceito por meus amigos e colegas como um deles nessa grande luta pela liberdade".
Encontro-me, ainda, extasiada com muita coisa boa que encontrei aqui, como por exemplo, uma carta com um anexo, uma Letra de Câmbio no valor de 10 Luíses (ano de 1784) de Benjamin Franklin para Benjamin Webb. Franklin foi então, o precursor da atual famosa "corrente do bem", ao exigir que ao invés de o devedor saldar sua dívida com seu credor, o mesmo emprestasse a quantia a outro "homem honesto em semelhante penúria" e solicitar operação idêntica como pagamento, ou ainda, a carta de uma garotinha ao jornal The Sun, perguntando sobre a existência do Papai Noel.


Shaun fez um excelente trabalho de organização de cartas de pessoas notáveis e nos trouxe um pouco mais de cultura geral e dos bastidores da vida de algumas personalidades que fizeram parte de nossos estudos de História Geral através de cartas, bilhetes, telegramas ou memorandos diversos. Com uma seleção eclética, com certeza atingirá um público, no mínimo, curioso por pormenores da vida, conseguindo, além de inspirar, despertar as mais diversas reações e sentimentos nos leitores.

Impossível ler apenas uma, mas com uma necessidade quase que vital de digerir uma a uma antes de avançar, me vi em um beco sem saída ao precisar escolher apenas algumas para mencionar aqui para vocês, sendo que temos tantas e tantas cartas interessantes.
É imprescindível dizer que a parte gráfica deste livro está impecável, todas as páginas são em papel fotográfico, todas as cartas vêem acompanhadas de seu original digitalizado e também de uma breve ambientação para situar o leitor antes da leitura de cada carta/bilhete/memorando, etc.


Dizer que Cartas Extraordinárias é um livro fantástico e empolgante seria pouco perto do que o livro representou para mim. Tenho em mãos uma verdadeira relíquia da humanidade se partirmos do princípio de que a tecnologia suprimiu quase que totalmente as tradicionais cartas por mensagens de texto em redes sociais.



Nenhum comentário

Postar um comentário