21 de fevereiro de 2017

Na Telinha - A Noiva Cadáver

Título: A Noiva cadáver (Corpse Bride)
Produtora: Warner Bros
Direção: Tim Burton e Mike Johnson
Elenco: Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Emily Watson, Tracey Ullman, Christopher Lee
Gênero: Animação/Fantasia/Musical
Ano: 2005
Duração: 1h 18min
Classificação: Livre
Nota:
Sinopse: Em um vilarejo europeu do século XIX vive Victor Van Dort (Johnny Depp), um jovem que está prestes a se casar com Victoria Everglot (Emily Watson). Porém acidentalmente Victor se casa com a Noiva-Cadáver (Helena Bonham Carter), que o leva para conhecer a Terra dos Mortos. Desejando desfazer o ocorrido para poder enfim se casar com Victoria, aos poucos Victor percebe que a Terra dos Mortos é bem mais animada do que o meio vitoriano em que nasceu e cresceu.
A Noiva Cadáver é uma animação em stop-motion ambientada na Inglaterra vitoriana em um pequeno vilarejo onde os habitantes são intrometidos, fofoqueiros e vivem para cuidar da vida alheia.
Em meio a isso, os Van Dort estão em busca de status e querem ser aceitos pela burguesia quando se tornaram os novos ricos da sociedade, e a forma mais fácil de atigir o objetivo é através de um casamento arranjado para seu filho, Victor, com a filha dos Everglot, a adorável Victoria. Então, sem ao menos se conhecerem, os joven se tornam noivos. Porém, o que os Van Dort (e ninguém mais do vilarejo) não sabiam, é que os Everglot estão falidos e vivendo de aparências, e o noivado iria salvá-los da miséria.
Victor e Victoria se encontram pela primeira vez e precisam fazer o ensaio do casamento, que está bem próximo, mas, devido ao nervosismo do rapaz, ele acaba estragando tudo e foge rumo à floresta. Lá ele põe a cabeça no lugar e começa a treinar as frases do casamento para voltar pro ensaio e fazer tudo certo, mas, ao fazer as juras de amor e colocar a aliança no que pensou ser um galho que representava o dedo de Victoria, uma mulher morta chamada Emily brota do chão com o anel em seu dedo, aceita o pedido de casamento, e arrasta Victor para o mundo dos mortos como seu esposo...


No mundo dos vivos, Victoria se sente abandonada depois do sumiço de Victor, as famílias ficam preocupadas sem saber de seu paradeiro, mas o casamento não deveria ser cancelado para evitar um escândalo. Eis que Lord Barkis, um homem mais velho e que surgiu do nada, se prontifica a se casar com a jovem deixando Victoria e os Van Dort em desespero. Victor deve voltar pois sabe de seu compromisso com sua noiva já que aquele casamento com a defunta foi um grande engano, mas quando ele descobre um mundo totalmente diferente e mais divertido do qual estava acostumado, fica dividido entre o que deve fazer...


A Noiva Cadáver dá um show quando o assunto é o visual, e o enredo, que foi baseado num conto russo-judeu, também não fica atrás.
A diferença entre o mundo dos vivos e dos mortos é bem visível e lembra o filme Os Fantasmas se Divertem, do mesmo diretor. Enquanto o mundo dos vivos é sem cor e sem vida, as pessoas são tristes e suas vidas carregadas de melancolia, o mundo dos mortos é colorido, todos são felizes e muito animados, fazem festas e brincam com qualquer assunto.
As músicas são cantadas pelos próprios personagens e as letras sempre explicam suas intenções ou esclarecem alguma situação presente na trama, então devem ser ouvidas com atenção.


Os personagens possuem expressões melancólicas mas distintas, e personalidades únicas que revelam muito do ser humano, como medos, anseios e ambições, e a experiência - ou a falta dela - faz um contraste bastante interessante quando o assunto é o coportamento de cada um deles.
Victor é inseguro e medroso, mas muito bondoso. Victoria é romântica e sonhadora e mesmo sabendo que o casamento é arranjado, não hesita em se esforçar para que tudo dê certo.
Emily é uma mulher amável e que, apesar de ter arrastado Victor sem saber de sua real condição no mundo dos vivos, entende que pra certos tipos de coisas, principamente qundo o assunto é amor, é preciso ceder. Ela já teve uma experiência traumática em vida, e o desfecho da história está diretamente ligado a ela.

Enfim, a animação é uma graça, traz mensagens muito válidas sobre vida, morte, amor, perdão e redenção e super recomendo.

Nenhum comentário

Postar um comentário