24 de novembro de 2016

Duff - Kody Keplinger

Título: Duff
Autora: Kody Keplinger
Editora: Globo Alt
Gênero: YA
Ano: 2016
Páginas: 328
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.

Resenha: Bianca Piper é uma adolescente inteligente que parece ser uma das poucas que usufruem do bom senso. Ela sempre está acompanhada de Jess e Casey, as duas melhores amigas lindas e que vivem chamando atenção por onde passam, e Bianca não se importa muito por ser diferente. Ela não liga pro que pensam sobre quem ela é ou o que faz ou deixa de fazer, até que Wesley Rush, o garoto mais lindo e popular da escola, a quem Bianca não gosta nem um pouco, decide ser legal com ela e bater um papo descontraído enquanto ela faz companhia - a contra gosto - pras amigas numa festinha. Mas Bianca acaba descobrindo que essa aproximação aconteceu por ela ser uma DUFF (Designated Ugly Fat Friend), ou seja, a amiga do grupinho que sempre sobra por ser feia e gorda.
Mesmo que Bianca nunca tenha se importado com a opinião alheia, essa descoberta começa a mexer com seus sentimentos pois ela sempre soube que as amigas eram mais bonitas e descoladas, mas ouvir isso da boca de alguém como Wesley foi um choque de realidade pra ela. Ela começa a entrar em conflito com os próprios ideais além de precisar lidar com um problema familiar bastante delicado.
Tudo fica um pouco mais complicado quando ela precisa fazer um trabalho da escola e Wesley é seu par, e numa situação inusitada, diante de um impulso totalmente maluco, os dois se beijam e, a partir dalí, começam a levar um relacionamento escondido. Mas ela é uma DUFF, quem garante que esse namorinho secreto vai durar ou que seja de verdade? E se Wesley estiver se aproveitando dela? E o que Bianca vai fazer quando descobre que esse rolo todo com ele está despertando sentimentos mais fortes nela?

Narrado em primeira pessoa através de uma escrita leve e bem humorada, vamos acompanhando os dilemas de Bianca com relação ao que ela passa em casa, na escola, com as amigas e com Wesley e tudo muito criativo e envolvente. A primeira impressão é que a história vai trazer um drama adolescente em que o casal que se odeia e não tem nada a ver um com o outro começa a se conhecer melhor e se apaixona como se não houvesse amanhã, mas a forma como o enredo é desenvolvido e os pontos que são levantados dão ao livro um tom mais do que especial. A autora aborda temas delicados e pertinentes acerca do universo adolescente, que não envolve somente as desventuras amorosas de dois jovens que não têm nada em comum, mas também o medo de arriscar investir no desconhecido por falta de experiências, a fuga da realidade e os artifícios usados pra isso, a sexualidade e suas consequências retratada de uma forma bem leve e natural, e, o mais importante ao meu ver, os rótulos e estereótipos impostos pela sociedade e a forma que as pessoas taxadas de alguma forma lidam com eles.

Eu gostei de Bianca e do seu jeitão "dane-se todo mundo", e mesmo quando ela começa a se sentir um pouco insegura com sua definição de DUFF dada por Wesley, seu progresso e as mudanças pelas quais ela passa foram importantes para seu amadurecimento, mesmo que às vezes ela ainda se comporte de maneira infantil. O comportamento dela pode fazer com que várias pessoas se identifiquem. Talvez uma pessoa que já saiu da adolescência faz tempo considere que essa fase é uma grande besteira, que os problemas são inúteis, que as escolhas são vazias e as atitudes desinteressantes e sem o menor nexo, mas através de Bianca e seus dilemas é possível perceber que os problemas que surgem na adolescência podem interferir no futuro e trazer consequências que podem ser, muitas vezes, irreversíveis, se não puderem ser tratados com a devida atenção.

Mesmo que a leitura traga reflexões nesse sentido, o livro não é pesado, muito pelo contrário. O bom humor, o sarcasmo, o toque de romance e os personagens bem construídos e que cativam o leitor com suas personalidades distintas tornam a história única, retratando pessoas próximas da nossa realidade, e que faz com que a gente pense sobre nossas transformações ao longo da vida enquanto descobrimos quem, de fato, somos.


Nenhum comentário

Postar um comentário