19 de novembro de 2015

A Lista - Cecelia Ahern

Título: A Lista
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance
Ano: 2015
Páginas: 384
Nota
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

Resenha: A Lista, escrito pela autora irlandesa Cecelia Ahern e publicado no Brasil pela Novo conceito conta a história de Kitty Logan, uma jornalista de 32 anos que, aos poucos, está perdendo o que conquistou ao longo de sua vida. Sua carreira está arruinada devido a uma matéria falsa que destruiu a vida de um homem inocente exibida em seu antigo programa e o escândalo foi tanto que ninguém quer empregá-la mais. Kitty perdeu sua reputação e sua credibilidade como jornalista, é odiada pelas pessoas, está enfrentando um processo judicial pela calúnia que cometeu, seu namorado a abandonou sem um motivo aparente, sua casa virou alvo de ataques e Constance, sua melhor amiga, confidente e também editora chefe da única revista que abriu as portas pra ela escrever, a Etecetera, está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa uma lista com cem nomes para que Kitty pudesse escrever uma matéria - a melhor matéria - sobre estas pessoas que não se conhecem e parecem não ter nenhuma ligação. Cabe a Kitty descobrir o que motivou Constance a listar aqueles nomes e qual o propótito real da referida tarefa, E diante deste pequeno mistério que ela toma como missão, Kitty parte em busca dessas pessoas e descobre gradualmente as conexões entre as histórias de vida de cada uma delas para saber o motivo de ser ela a responsável por escrever sobre elas.

A história é ambientada na Irlanda, é narrada em terceira pessoa e a escrita da autora é fluída e cheia de descrições. O início da história é bastante lento, Kitty divaga sobre sua vida e seus problemas de forma cansativa e isso se tornou bem monótono até as coisas melhorarem. Começamos com o drama da protagonista, desacreditada e na pior, e sua chance de dar a volta por cima está em suas mãos. O desafio deixado pela amiga seria sua última chance de recuperar a credibilidade, a confiança em si mesma e o respeito daqueles que deram as costas a ela, além de mostrar quem ela é de verdade e do que é capaz.

E a medida que Kitty encontra as pessoas da lista (não todas, é claro), acompanhamos essas histórias paralelas das quais o leitor acaba se identificando. E cada personagem que aparece tem características próprias e são bastate interessantes, cada qual a sua maneira. Tais histórias acabam sendo exemplos que colaboram para que ela amadureça e se torne alguém menos antipática, além de também ser possível tirarmos alguma lição das situações que os personagens vivem, mostrando que por pior que as coisas estejam ou pareçam estar, sempre temos a possibilidade de mudarmos o caminhar das coisas por sermos capazes de escolher o que fazer. Uma escolha muda tudo, basta tomarmos a iniciativa.
O único problema é que até que isso aconteça, não senti afinidade nenhuma com a protagonista, muito pelo contrário. Senti que Kitty se fez de vítima a todo instante e parece não reconhecer os próprios erros. Mas é aquela história... a pessoa só dá valor quando perde, e com Kitty não foi diferente. Mas penso que se ela não tivesse o impulso de Constance que lhe deixou a lista, talvez Kitty continuaria estagnada no fracasso.

Eu ainda não tive oportunidade de ler outros livros da autora, mesmo que sejam bem conhecidos e campeões de vendas, mas tomando A Lista como base, posso dizer que apesar de clichê, somos apresentados a um enredo simples e envolvente, com toques de muito bom humor e que faz com que os leitores reflitam sobre os temas apresentados visto por um ângulo diferente e se mantenham conectados à história no decorrer das páginas. Há romance sim, mas este fator não ganhou tanto destaque devido às histórias das pessoas da lista.
Não sei se foi só eu, mas fiquei com a impressão de que o enredo foi construído de uma maneira que pudesse se tornar uma adaptação cinematográfica (assim como outros livros da autora se tornaram), pois de forma resumida, nos deparamos com uma personagem fracassada que busca a redenção ao mergulhar no que toma como missão de vida. Os diálogos são curtos e diretos e há alguns floreios fofos e dignos de suspiros espalhados pela história e o final feliz que todos esperam. Não que isso seja ruim, mas é perceptível o quão forçado isso se torna.

A capa é bastante minimalista, mas já dá uma ideia da história ao trazer vários nomes nela. Ainda que a tradução do título remeta à lista, acredito que se o nome original, One Hundred Names, fosse mantido teria feito mais jus ao que foi contado.
A diagramação é simples e a cada início de capítulo há um ornamento bem caprichado na parte superior da página. As páginas são amarelas e tamanho de fonte, espaçamento e margens são bem agradáveis para a leitura.

A Lista é uma história sobre as verdades por trás de pessoas comuns e aparentemente sem maiores atrativos, mas que ainda assim possuem algo de especial a ser compartilhado, tornando tais experiências verdadeiras lições de vida, não só para Kitty, mas para nós leitores, também.


Um comentário

  1. Olá Flávia,

    Eu já li vários outros livros da Cecelia e atualmente estou lendo "Como se Apaixonar", por incrível que pareça, mesmo sendo clichês são ótimos e reflexivos e fofos... Meu livro preferido dela é "A Vez da Minha vida" porque além da mensagem ele é super engraçado, eu juro que ficava rindo sozinha enquanto lia e me sentia uma ET quando as outras pessoas me encaravam nesse momento de 'loucura'.
    A Lista é um livro fofo, que ensinou muito, o quanto uma pessoa 'perdida' pode voltar a se encontrar ao deixar o egoísmo e aprender a lidar com sua vida em prol também da vida dos outros.

    xoxo
    Mila F
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir