27 de junho de 2015

Meu Romeu - Leisa Rayven

Lido em: Junho de 2015
Título: Meu Romeu - Starcrossed #1
Autora: Leisa Rayven
Editora: Globo Livros
Gênero: NA/Romance
Ano: 2015
Páginas: 408
Nota
Sinopse: Cassie está prestes a realizar o grande sonho: estrelar um espetáculo na Broadway. O que ela não esperava era ter que enfrentar o reencontro com o ex-namorado, que será novamente protagonista ao seu lado, em uma peça cheia de romance e cenas quentes. Trabalhar com Ethan traz o passado à tona, e lembra a Cassie que o que existe entre eles vai muito além de simples química.

Resenha: Meu Romeu, primeiro volume da série Starcrossed, publicado no Brasil pela Globo Livros, é o primeiro romance New Adult da autora australiana Leisa Rayven.
Cassandra Taylor é atriz e está prestes a estrelar um espetáculo na Broadway realizando um grande sonho, mas o que ela não esperava era que seu ex namorado, Ethan Holt, que no passado destruíra seu coração, seria seu par romântico novamente na peça. Esse reencontro revira o passado e faz com que Cassie precise lidar com as lembranças do que viveu ao lado de Ethan seis anos atrás quando se conheceram e ela ainda era uma estudante de teatro e os dois iriam protagonizar a peça Romeu e Julieta.
Cassia jamais havia sentido nada tão forte e intenso por ninguém, e nenhum outro rapaz mexeu tanto com ela quando Holt, mas quanto mais ela tentava se aproximar, mais ele parecia resistir em mantê-la afastada.
Agora Ethan quer o perdão de Cassie e voltou para a vida dela com força total, mas ela irá relutar até o fim para evitar ser magoada mais uma vez... Resta saber se a química entre os dois irá ser despertada e se ela irá se libertar do que reprimiu durante o tempo em que ficaram separados...

Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Cassie, a história se intercala entre o presente e o passado onde ela conta como conheceu Ethan e quais as sensações que ele era capaz de provocar nela.
A história tem várias passagens sensuais e picantes, mas não considerei como sendo necessariamente eróticas pois o sexo propriamente dito é algo que Cassie anseia e fantasia com todas as suas forças mas parece ser algo impossível e inalcançável para a coitada.
A Cassie de seis anos atrás era a típica moça de família, virgem, dedicada e estudiosa, mas ao conhecer Ethan começa a ter a sexualidade despertada de uma forma bastante intensa mas muito frustrante, mesmo que ela lide com isso com bastante humor. Escrever em seu diário que o pênis de Ethan deve ser tão lindo a ponto de ganhar prêmios dá uma ideia de como seus pensamentos são cômicos. E mais cômico ainda é quando Ethan lê essas barbaridades... Isso que eles têm vai além das encenações no palco, e as coisas começam a sair fora de controle a medida que eles convivem juntos, estudam juntos e vão se envolvendo e tendo mais intimidade um com o outro. A química se faz presente no palco mas não pode ser contida nos bastidores, não tem jeito...
Ethan é gato, sarado, gostoso, faz o estilo bad-boy e não quer se envolver por já ter tido uma decepção amorosa no passado e isso fez com que ele deixasse de acreditar no amor. Ele se comporta de forma hostil na maioria das vezes, mas enquanto a história se desenrola, partes de seu passado começam a vir a tona e suas ações começam a fazer mais sentido, principalmente quando um pouco do relacionamento que ele tem com a família é explorado, e o melhor disso é que Cassie o compreende, respeita seu espaço e se torna um porto seguro.
Passado o tempo em que ficaram separados, mesmo que não tenha havido uma explicação do que houve para que Holt fosse embora, o leitor se depara com versões bem diferentes dos protagonistas. Cassie se tornou uma mulher fria e sem o menor apego emocional pelos caras com quem se envolve justamente por receio de se decepcionar. Já Ethan quer uma segunda chance, mas reparar algo quebrado é difícil. Uma vez que a confiança é perdida o que resta é pouco para recuperá-la. Ainda há mágoa, raiva e decepção, mas no fundo talvez exista um sentimento maior que pode nunca ter acabado e por isso, talvez, seja possível recomeçar e construir algo novo...

Os personagens secundários foram todos bem construídos, desde os amigos da faculdade até a família de Ethan. No passado o círculo de amizade se resume a jovens que curtem bebendo e fumando, pensando em sexo e aproveitando a vida como pessoas comuns fazem. No presente Cassie convive com um colega de quarto, Tristan, gay e que faz o estilo zen, mas quando o assunto é proteger a amiga de furadas, ele não hesita em ajudá-la.
Elissa é a irmã de Ethan e ela se torna amiga de Cassie desde os tempos do colégio. Ela também tem um papel bem legal na história e parece que o terceiro livro será sobre ela.
Os diálogos também são bem construídos e estruturados e a autora conseguiu dar uma voz bem convincente aos personagens pois cada um tem sua própria forma de falar. Às vezes é possível saber quem está falando alguma coisa por algum termo utilizado sem que haja necessidade de mencionar o nome do personagem. Ethan é desbocado, vive falando palavrões e xingando tudo e todos e isso evidenciou bastante seu estilo bad-boy.

A capa é linda, super chamativa e provocativa e já dá ideia de como Holt tem o dom da pegada. A continuação da imagem dos dois está na orelha do livro. A diagramação é simples e a fonte é diferenciada quando Cassie escreve em seu diário ou lê os emails que recebe de Ethan. Encontrei alguns erros de revisão e algumas frases mal construídas (talvez devido a tradução, que inclusive foi muito bem adaptada), mas nada que tenha tanta interferência a ponto de atrapalhar a leitura.

Confesso que fico receosa quando pego um livro desse gênero para ler pois logo imagino que o romance vai cair no clichê e que os personagens vão contracenar cafonices sexuais que me fazem revirar os olhos de tanta preguiça, mas me surpreendi bastante com o que encontrei em Meu Romeu.
A autora tem uma capacidade sem igual de inserir uma carga emocional muito intensa nos personagens quando o assunto diz respeito a tensão sexual que eles vivenciam enquanto equilibra a história com cenas hilárias que além de evidenciar a personalidade deles, ainda faz o leitor rir e se divertir muito.
A escrita é ótima, empolgante e muito fluída, as descrições são detalhadas, feitas na medida certa e com uma intensidade perfeita, e somando isso ao enredo super cativante, posso afirmar que Meu Romeu mexeu muito comigo e juro que não me envolvia assim com um livro há bastante tempo, tanto pelo lado romântico quanto pelo lado engraçado. O romance desenvolvido manteve a conexão intensa ao longo dos anos que se passaram, e é daquele tipo que deixa marcas indeléveis e brechas para pensarmos que se marcou tanto é porque não acabou, de fato, e que existem pendências a serem resolvidas. Ninguém esquece uma pessoa tentando substituí-la por outra ou tentando se livrar dela no fundo de um copo. Resta aos envolvidos não serem orgulhosos e darem uma chance se for algo que valha a pena...
"- Às vezes, gostar de alguém não tem nada a ver com o que você quer e tudo a ver com o que você precisa."
- Pág. 114
"O amor é assim. Não mais pertencer a si mesma. Ser transportada do que você conhece para o que você sente."
- Pág. 211
"Ele me beija sem pudor, apaixonadamente, e eu sinto que, depois de dar tantos passos para trás, estamos enfim seguindo adiante. Em direção a quê, eu não faço ideia, mas só saber que ele está aberto à experiência é melhor do que qualquer sensação que já tive."
- Pág. 247

O melhor livro New Adult que li até agora e recomendo para quem quer se deixar levar por sentimentos intensos (e picantes) que se misturam numa história divertida, sensível, engraçada, com personagens únicos e inesquecíveis. Leisa Rayven ganhou mais uma fã.
Ansiosa pela continuação Broken Juliet, ainda não publicado no Brasil.

Nenhum comentário

Postar um comentário