20 de junho de 2015

A Aposta - Rachel Van Dyken

Título: A Aposta - Aposta #1
Autor: Rachel Van Dyken
Editora: Suma de Letras
Gênero: Romance
Ano: 2014
Páginas: 288
Nota
Sinopse: Kacey deveria ter fugido assim que ouviu essas palavras do milionário Jake Titus. O amigo de infância que Kacey não via há anos é hoje um dos homens mais poderosos e cobiçados de Seattle. E ele precisa de um favor dela: que ela finja ser sua noiva em uma viagem para visitar a avó Nadine, que está muito doente. Kacey aceita sem hesitar, afinal, o que poderia acontecer em apenas quatro dias? Mas o que ela não esperava era reencontrar Travis, o irmão mais velho de Jake, Quando mais novo, ele adorava perturbar Kacey: já incendiou uma boneca, colocou uma cobra em seu saco de dormir. Por isso, recebeu dela o apelido de “Satã”. Mas depois de tantos anos, Kacey se vê diante de um homem lindo, por quem se apaixona no momento em que vê o seu sorriso. O que ela não sabe, no entanto, é que os dois irmãos haviam feito uma aposta quando eram meninos: quem se casasse com Kacey receberia um milhão de dólares. Em “A Aposta”, da autora best-seller do New York Times Rachel Van Dyken, Kacey terá que descobrir qual dos irmãos é o cara certo e fazer sua escolha. Essa é a única certeza que lhe resta.

Resenha: Quando li a sinopse, pensei que seria mais um clássico caso de triângulo amoroso de uma mulher tendo que escolher entre 2 homens lindos e ricos. Ok, foi quase isso, mas teve alguma coisa que talvez eu nem consiga explicar direito, mas que me conquistou de jeito.

Kacey cresceu com a família Titus, mas era muito mais próximo do filho mais novo, Jake. O mais velho, Travis, era aquele implicante, que enchia o saco pra perturbar mesmo. Mesmo assim, os irmãos acabaram fazendo uma aposta: um milhão de dólares (coisa de criança mesmo, né? zero noção de dinheiro) praquele que casasse com Kacey.

As famílias se adoravam e conviviam muito bem, até que um acidente interrompeu essa amizade. Jake e Kacey, que já eram melhores amigos, ficaram ainda mais próximos com o passar da idade. Mas sempre tem aquela fase em que álcool e hormônios não combinam muito bem. Numa dessas bebedeiras, a amizade vai além, mas não passa de uma noite; assim que tudo acaba, Jake vai embora, deixando uma Kacey arrasada e traumatizada.

Quatro anos depois, Jake está com a vida bem complicada. Prestes a perder a presidência da empresa da família e vendo a avó doente, resolve fingir que vive muito bem e está prestes a se casar. E a única pessoa a quem pode pedir o favor de ser sua noiva por um fim de semana é sua grande (ex) amiga. Se isso fosse vida real, por mais que o coração de Kacey balançasse, ela iria dizer não, só que é livro, livro precisa de história, e você já sabe o que vai acontecer, né? Lá estão os 2 embarcando no avião rumo ao encontro da família que foi tão importante, mas se transformou apenas em boas lembranças.

Como SEMPRE torço pro cara errado, sabia que meu coração ia bater mais forte por aquele que ela não escolhe, mas logo no comecinho percebi o rumo que a história ia tornar e não levei um baque muito grande. Na verdade, nem chego a considerar como um triângulo, pois já era previsível a escolha de Kacey, mas fiquei curiosa pra saber os caminhos que a autora ia percorrer até chegar lá. E foi isso que fez a diferença.

Não rolou aquele climão de disputa entre irmãos, tudo foi evoluindo de forma natural, colocando o leitor na pele dos três e nos fazendo entender tudo que aconteceu no passado e como estavam seus pensamentos do presente. A narrativa em 3ª pessoal foi mais imparcial, o que dividiu meu coração entre o canalha e o certinho, principalmente porque ambos já tinham traumatizado Kacey - um na infância e outro na adolescência -, mas também mexiam com seus sentimentos e com outras partes do corpo também.

O livro até tem cenas picantes, mas não chega a ser considerado hot, digamos que é a cereja do bolo. E é legal porque, como tem sentimento por trás de tudo, não fica aquela coisa vazia, é uma entrega mútua, uma vontade de agradar o outro e aproveitar o momento ao máximo. Ah, sou romântica mesmo e gostei de ler um livro em que a autora se preocupa em mostrar os personagens fazendo amor, e não sexo.

Destaque mais que especial pra vovó Nadine, que foi inspirada na avó da autora. De longe a melhor das personagens, que conferiu humor à narrativa. Uma senhora de 85 anos que tem a vida sexual mais ativa que eu. E o melhor: não tem papas na língua nem pudor algum, fala o que tiver que falar, causando altos constrangimentos que me fizeram gargalhar durante a leitura.

A Suma fez um bom trabalho mantendo a capa, mas fazendo uma edição muito melhor que a original parece eu mexendo no Paint, tem misericórdia!. Gostei do casal, bem próximo do que eu imaginei. A revisão está bem boa. Só achei a fonte um pouco grande demais, podia ter diminuído um tiquinho e economizado páginas.

No fim, percebi que não sei explicar por que esse livro ganhou um espaço tão grande no meu coração. Não consigo achar um motivo pra falar pra você: leia, é imperdível. Mas, se serve de argumento, eu devorei o livro em um dia e fiquei suspirando durante a leitura e após terminá-la.

Ah! Esse livro faz parte de uma trilogia. Os próximos livros têm outros casais como protagonistas, então cada um tem sua história fechada. Pode ler sem medo de precisar esperar pela continuação, mas mantenha a ordem pra evitar spoilers.

Mesclando romance, conflitos pessoais, bom humor e uma pitada de pimenta, Rachel Van Dyken escreveu um livro despretensioso, que não tem nada demais, mas surpreende pela maneira como cativa o leitor.

Quantas pessoas poderiam dizer isso de fato? Que, pela vida toda, a única pessoa com quem queriam passar a eternidade nunca havia mudado nem hesitado. Ela. Sempre fora ela. E ele ia lhe mostrar o quanto a amava.

Nenhum comentário

Postar um comentário