18 de agosto de 2013

Como dizer adeus em robô - Natalie Standiford

Lido em: Agosto de 2013
Título: Como dizer adeus em robô
Autora: Natalie Standiford
Editora: Galera Record
Gênero: Ficção/Romance/Drama
Ano: 2013
Páginas: 344
Nota:
Sinopse: Bea não tem coração. Ela é feita de lata. Pelo menos é o que sua mãe pensa. Na verdade, ela é muito, muito sensível. Uma Garota Robô que protege um coração de ouro. Prestes a ser flechado por Cupido. Mas esqueça as asinhas e o arco e flecha. Nada de anjinhos rechonchudos... para Bea, o Cupido é o alfabeto. É ele que conspira para sentá-la ao lado de Jonah, também conhecido como Garoto Fantasma.
Observador silencioso, ele não faz um amigo novo desde a terceira série. Não é um grande fã das pessoas em geral... Mas está disposto a abrir uma exceção para Bea. Talvez. Aos poucos, eles criam uma ligação singular. Nada de amizade comum para esses dois, em que tudo se baseia em fofocas e festas e o que todos acham. Não. Bea e Jonah não são como os outros... muito animados, muito simpáticos. Muito medíocres.
Em vez disso, sua amizade vem de conversas comprometidas com a verdade, segredos partilhados, jogadas ousadas e telefonemas furtivos para o mesmo programa noturno de rádio, fértil em teorias de conspiração. Eles ajudam um ao outro. E magoam um ao outro. Se rejeitam e se aproximam. Não é romance, exatamente - mas é definitivamente amor. E significa mais para eles do que qualquer um dos dois consegue compreender...

Resenha: Beatrice Szabo, ou Bea, é uma jovem de 17 anos, filha única, e acredita que as cabeleireiras da Islândias são as pessoas mais felizes do mundo. Ela é bem solitária pois vive se mudando de cidade e de escola devido às ambições de seu pai, com quem ela se dá bem melhor do que com sua mãe, então ela não se apega a nada nem ninguém já que logo vai se afastar e deixar tudo pra trás, como sempre. Baltimore é seu novo lar após ter deixado Ithaca e desde essa última mudança, Bea notou que sua mãe estava se comportando de forma muito estranha, principalmente após um episódio em que as duas encontraram um gerbil (um tipo de esquilo) e o pobre logo morreu. A mãe de Bea aprontou um escândalo de tão sentida que ficou (o que nos leva a suspeitar sobre sua sanidade já que ela não era apegada nem nunca tinha visto o bicho na vida), mas a menina se mostrou super fria e indiferente com o ocorrido. Por isso, Bea além de ser tratada com muito descaso por ela, foi considerada como sendo alguém insensível, sem coração, uma robô feita de lata...

Na nova escola, Bea faz algumas amizades. Ela conhece ASUE (Anne), Tom, Tiza, Walt e especialmente Jonah Tate, de quem tem uma aproximação maior.
Jonah também é muito frio e solitário... além de viver sendo alvo de risadas na escola desde a 3ª série devido a sua aparência que lembra um fantasma, leva a vida com a filosofia de que deve ser invisível. Sua história de vida não é muito feliz já que perdeu a mãe e o irmão gêmeo deficiente. Ele vive com seu pai, que é muito rico e lhe dá tudo que ele precisa, exceto o mais importante: o amor fraterno...

Bea e Jonah são bem parecidos... são solitários, tímidos, insatisfeitos com tudo que estão em torno deles, e passam a ficar ainda mais curiosos um com o outro devido ao The Night Lights, um programa de rádio que adentra a madrugada e funciona como uma terapia em grupo, cujos ouvintes participam e embarcam num "Tapete Voador", usando codinomes para se abrirem e desabafarem sobre o que os afligem, compartilharem seus medos, preocupações, sonhos, desejos e o que mais quiserem falar. Bea participa como Garota Robô, e Jonah, o Garoto Fantasma, apelidos que, de certa forma, os definem. O relacionamento dos dois ultrapassa as barreiras da amizade e vai além do que poderiam imaginar... e sentir... Bea acredita que Jonah sofre em silêncio, principalmente quanto revelações sobre o irmão dele começam a vir a tona, e ela está disposta a ajudá-lo, só resta saber se o garoto vai permitir...

Narrado em primeira pessoa, Como dizer adeus em robô é um livro que traz uma história super original e carregada de emoção em que temas fortes como bullying, solidão, depressão, problemas familiares e psicológicos são abordados de uma forma crua, melancólica mas ao mesmo tempo com muita doçura. A leitura é fácil e fluída, delicada mas muito ácida.
O amor aparece como algo diferente do que estamos acostumados, mostrando que por mais que aparente ser algo forte, é muito frágil. É algo inexplicável e surpreendente...
Bea é uma personagem que apesar de ter problemas e ser insensível, consegue ser muito humana e me senti muito próxima a ela. Jonah, ao contrário dela, é uma incógnita. Ele é imprevisível, misterioso e bastante complexo. Não tente entendê-lo, nem duvide de sua capacidade... Os demais personagens, por mais que sejam secundários, são muito bem construídos, desde os pais de Bea, os alunos da escola e até o locutor e os ouvintes peculiares do The Night Lights. Com certeza alguém irá se identificar com algum deles.

A parte física do livro é admirável. O telefone (meio de comunicação com o programa de rádio) da capa é em alto relevo e os capítulos tem divisões onde as páginas são cor-de-rosa trazendo o mês em que os acontecimentos se iniciam. As páginas são brancas e a fonte tem um tamanho perfeito. A diagramação é de encher os olhos, de tão caprichada. Durante as conversas no programa, os nomes dos personagens também são destacados em rosa.

Com um final imprevisível e que com certeza vai arrancar lágrimas dos mais sensíveis, Como dizer adeus em robô é o tipo de história que carrega uma beleza extrema, que não deve ser lida de forma superficial jamais. Deve ser apreciada e sentida aos poucos, pois fica na memória e deixa saudade ao acabar...

21 comentários

  1. Minha nossa, é totalmente diferente do que eu pensava. Eu acreditava que fosse uma história mais humorada, alguma coisa entre um romance ou uma comédia, do amor entre o homem e uma máquina, ou vice-versa, mas não, é uma história que explora vários temas. Agora, depois de ler sua resenha, até eu, que não dava nada por esse livro, me interessei. Ótima Resenha XD

    Bjss!

    ResponderExcluir
  2. Falou em emocionante, arrancar lágrimas e diagramação perfeita não precisava dizer mais nada. E olhe que disse, porque o livro me parece mesmo maravilhoso, principalmente tendo em vista que sou apaixonada por capas, e essa tem detalhe em alto relevo, hahaha. Parece que a amizade dos dois vai se transformar em um companheirismo extremamente forte e tocante, não vejo a hora de comprar, devorar e morrer de chorar, hahaha
    Beijo flor, ótima resenha, como sempre!!

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    menina eu vi esse livro por acaso no skoob e adorei o sinopse.
    Sua resenha me fez querer ler o livro logo. parece ser tão lindo!!!!!

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Flavia, este livro deve ser emocionante então...
    Mesmo lendo sua resenha, não sei se leria no momento, eu nunca tinha prestado a atenção ao livro e nunca tinha lido uma resenha tb.
    Gostei de saber de tantas qualidades que o livro tem, como o carinho com a Diagramação, as emoções ao ler, o fato de ser leitura fluída e fácil mais delicada tb, mais como ácido?! interessante...

    beijos Mila
    Tem resenha nova no Daily
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Se o livro possui uma boa diagramação, uma leitura fácil, e um enredo impressionante, eu quero... JÁ.
    Deixo-me influenciar muito pela organização e diagramação dos livros, então ver alguém comentando sobre isso é sempre um incentivo ainda maior para minha leitura. Fora que somente a sinopse já nos mostra o quão o livro promete! Fora que temas juvenis sempre me atraem...
    Depois dessa resenha, com certeza correrei atrás do meu próprio volume!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, Flávia!
    Já tinha lido algumas coisinhas sobre o livro, mas agora fiquei realmente curiosa para lê-lo! :)

    tatimunhoz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Flávia!!
    Nossa, esse livro chamou muito a minha atenção...
    Parece ser algo ótimo para se ler..
    Obrigada pela dica! Ótima resenha...

    ResponderExcluir
  8. Lágrimas dos mais sensíveis?? hahaha..esse com certeza eh pra mim *--*
    Ja tinha ouvido falar do livro, mas nunca tinha visto..adorei a capa, o enredo, sua resenha..com certeza mais um para minha listinha de proximos livros ;)

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha e o designe do blog!
    Beijos!

    www.likelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Já li algumas resenhas que me fizeram achar o livro um pouco confuso, infelizmente, tenho que ser sincero, com a sua não foi diferente. Porém teve uma parte que me chamou muita atenção e despertou minha vontade e curiosidade, exatamente esta: "Com um final imprevisível e que com certeza vai arrancar lágrimas dos mais sensíveis"... pronto, um único trecho que fez toda a diferença. Salvou minha ideia do livro :)
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Um dos muitos que pretendo ler.

    http://perdidanoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Muuuuuito bom ! eu quero. Com a sua avaliação então... aumentou meu desejo.
    Ah,pra não perder o costume(hehehehe), que resenha maravilhosa...enquanto eu sofro fazendo resenhas(pra escola) com muita dificuldade, você faz varias por semana...
    O site está cada vez mais maravilhoso, parabéns !!

    ResponderExcluir
  13. Nossa pensei que o livro fosse meio geek, mais é muito bom. Adorei a resenha, acho que comprarei

    ResponderExcluir
  14. Realmente achava outra coisa desse livro...não é nada do que eu pensava...já quero esse livro ^^

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu não conhecia o livro e foi a primeira resenha que li dele. Pela capa não imaginava que a história seria tão tocante. De verdade, eu gostei muito! Sua resenha me encantou!

    Beijinhos
    www.estilogeek.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Já conhecia mais ou menos esse livro, mas nunca me interessei, nunca nem cheguei a ler a sinopse na verdade, julguei pela capa, mas adorei sua resenha, parece realmente um livro MUITO bom, toca em assuntos dos quais eu me interesso, então acredito que irei gostar! *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Flávia.

    Eu tenho alguns livros com enredo forte e dramático na lista, como 'A Culpa é das Estrelas', então este vai para a lista, mas mais para o final do ano, senão não dou conta... não sei se me encaixo no grupo "dois mais sensíveis" mas sempre choro... hahaha

    Beijos!

    Escrev'Arte

    ResponderExcluir
  18. Caraca! Eu achava que era um livro meio engraçado e tal, até dei uma risadinha quando comecei a ler a sinopse. Mas pelo que vi deve ser bem forte mesmo. Gostei!

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Nossa! Que incrível esse livro...Gostei muito.Gosto de livros que demonstram a realidade humana! Pois apesar de falarem que o preconceito não existe, isso é mais uma forma de mascarar o mesmo.
    Nós precisamos de livros que falem de tudo isso, para que as pessoas possam mudar a sua forma de ver o mundo!
    Beijoos (;

    ResponderExcluir
  21. Eu quero muito ler esse livro, mas tenho impressão de quando o fizer vou entrar em uma daquelas ressacas literárias terríveis. E como sou chorona tenho certeza que vou chorar muito.
    Fiquei curiosa com o final.

    ResponderExcluir