2 de abril de 2013

No cinema #1 - A Hospedeira

Oie, gentem!
Essa postagem devia ter saído no domingo, mas aloka aqui, mais atarefada com mudança do que tudo, esqueceu! Primeiro post no blog sobre filmes e achei digno estrear com esse.
Sábado resolvi sair da minha toca pra ir ao cinema assistir A Hospedeira com o Matheus Braga, do blog Vida de Leitor, e com o Philip, do blog Entrando Numa Fria (sim, eles moram quase perto de mim huhuhu).

Titulo original: The Host
Direção: Andrew Niccol
Gênero: Ficção Científica, Romance
Elenco: Saoirse Ronan, Diane Kruger, Max Irons, Jake Abel, William Hurt, Frances Fisher, Boyd Holbrook, Chandler Canterbury
Nota
Sinopse: A fome e a violência foram erradicadas da Terra, bem como os problemas climáticos do planeta foram resolvidos. Estes feitos foram conquistados graças aos seres alienígenas conhecidos como almas, que ocupam corpos humanos como se fossem parasitas. Pregando uma sociedade baseada na paz, as almas perseguem os poucos humanos que ainda não foram dominados. Um deles é Melanie Stryder (Saoirse Ronan), que se sacrifica para que o irmão caçula, Jamie (Chandler Canterbury), possa escapar. Melanie passa a ser dominada por uma alma chamada Peregrina, que tem por missão vasculhar suas memórias para encontrar rastros de outros humanos. Entretanto, a consciência de Melanie ainda está viva dentro do corpo, o que faz com que Peregrina tenha que lidar com ela constantemente. Com o tempo, a alma fica cada vez mais fascinada com a vida e os sentimentos que Melanie tinha e passa a protegê-la de Buscadora (Diane Kruger), que deseja capturar seus amigos humanos o quanto antes.
Acho que todo mundo já sabe que A Hospedeira é a adaptação do livro de mesmo nome da autora Stephanie Meyer, que foi lançado em 2009 pela Editora Intrínseca, e eu comprei por R$40,00 reais gordos e li logo em seguida. Nem preciso falar que morro de ódio porque hoje dá pra comprar por R$8,71 no Submarino, né?! Mas enfim... Não me arrependo, pois diferente de Crepúsculo, A Hospedeira foi um livro que me surpreendeu e gostei muito (veja a resenha do livro clicando aqui), e quando soube que iria virar filme, já fiquei bem animada pra poder assistir. E já que surgiu a oportunidade, e aproveitando a companhia dos meninos, lá fomos nós, munidos de copões de meio litro de milkshake de ovo maltine do Bob's. Obrigada.
Vou ser sincera, pois como já faz anos que li o livro, muitos detalhes já tinham escapado da minha memória, mas até que por ser uma adaptação, é possível observar mudanças bem significativas, mas no geral, o filme não decepcionou.


O foco da história é um romance um tanto complicado, que tem como pano de fundo um mundo onde seres alienígenas, denominados "almas", se "hospedam" nos corpos dos humanos passando a controlá-los de forma a tornar a Terra um planeta melhor pra se viver depois de não se conformarem com o quanto os humanos a destroem, onde a cortesia e a gentileza flui entre todos os habitantes e todos vivem em paz e harmonia absoluta. O que acontece é que Peregrina, uma das almas, é implantada em Melanie Stryder, que numa tentativa de salvar seu irmão caçula, acaba sendo capturada. Mas mesmo tendo o corpo controlado, ela ainda está com a consciência intacta e demonstra que está disposta a lutar. As duas, sempre em conflito, acabam por se entenderem até chegarem ao esconderijo dos humanos, liderado por Jebb, tio de Melanie. Eles vivem fugindo dos buscadores, os responsáveis por procurar e capturar os humanos dessa resistência para implantar outras almas em seus corpos. Porém, ao verem que Mel agora é hospedeira da "coisa", não a vêem com os mesmos olhos (trocadilho infame). Peregrina, agora aliada dos humanos, se deixa levar por várias emoções, inclusive quando sabe que é intrusa no relacionamento que Mel mantinha com Jared, mas ao mesmo tempo se sente atraída por Ian. Um quarteto amoroso com 3 corpos.


Gostei da atuação dos atores, gostei do cenário onde humanos aparecem como a escória, sempre sujos e andrajosos, enquanto os alienígenas sempre se vestem de branco, limpos e puros, e andam por aí em seus carros, motos e helicópteros cromados, blindados e futurísticos, mas houveram algumas mudanças que ao meu ver não foram necessárias, como a aparência da buscadora que fica na cola de Peregrina a fim de descobrir onde esses humanos se escondem, travando sua própria guerra, em desacordo com os princípios de sua própria espécie. A mulher do livro é uma bruxa feia, mas no filme é uma loira, linda e gostosona o_O


Também estou tentando ignorar o fato de que assisti a versão dublada desse filme, e morri de ódio. Uma porque odeio filme dublado, e outra porque além de algumas vozes não combinarem nada com os personagens, outras são claramente forçadas e travadas, como se a pessoa estivesse falando um texto decorado, feito um robô, tirando a naturalidade do diálogo... Credo.

Recomendo que antes de assistirem, leiam o livro, pois não dá pra pegar a verdadeira essência da história e nem tirar conclusões plausíveis se baseando somente no filme... É que nem Harry Potter. Muito bom, mas nem se compara ao livro, que é mil vezes melhor.


18 comentários

  1. Eu amei o filme, mas queria mais Ian nele, tiraram muita coisa por não ter tempo, queria dois filmes do livro, assim ficaria completinhos.
    Aqui por sorte eu achei UM cinema que tinha legendado, estou ficando doida com isso de somente colocarem filme dublado, detesto dublado, parece que cada vez mais as pessoas tem preguiça de lerem.

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente não sei o que dizer do livro e muito menos do filme. Pois não li e nem assisti, mas uma coisa eu posso dizer: As adaptações de livros para o cinema, principalmente os de ficção/fantasia e outros, me deixaram um tanto frustados. Começando por Senhor dos Anéis, fiquei bem chateado, por que no filme eles remontaram quase o livro todo, mas voltando A Hospedeira, vou seguir sua dica Flávia, vou ler o livro e depois assistir o filme.

    Bjss!

    ResponderExcluir
  3. Oi Flávia!

    hmmm confesso que tenho um pouco de preconceitos com os livros da Stephanie, mas vejo muita gente falando que A Hospedeira é muito bom! Acho que o que me desanima um pouco também é que eu não gosto muito dessa temática de alienigenas etc.

    Um beijo
    Kel
    http://porumaboaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo fala que não dá para julgar a Stephanie Meyer antes de ler esse livro. E creio que esse pessoal deva ter razão, pelo pouco que li: a história é realmente beem interessante e diferente dos vampirinhos...

    ResponderExcluir
  5. Oi Flávia, tudo bom?
    Acabei de conhecer eu blog e estou seguindo õ/
    Gostei da sua análise do filme, foi sincera. Na época em que li o livro eu ganhei de presente, minha tia me contou que pagou R$20,00, mas hoje em dia o livro tá bem barato, isso se você levar em conta o tamanho.
    Eu adorei o livro A Hospedeira, diferente da saga Crepúsculo. Não vi o filme, mas algumas mudanças que vi no trailer e escolha dos atores já me decepcionaram. Espero que o filme seja legal!

    Beijos!
    www.nathlambert.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Concordo com tudo tudinho. Essa adaptação é como todas outras de livros, nada 100%. O que eu senti falta foi o desenvolvimento gradativo do sentimento dos personagens, que não notei no filme.
    O final é realmente lindo, quase chorei, rs!
    Mas em suma foi tudo muito bom! Eu amei, mas só faz sentido ver o filme se ler o livro, perde muita coisa.
    Beijos sz

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Ainda não li o livro e nem vi o filme e como prefiro ler primeiro, tenho que comprar logo. Morrendo de curiosidade aqui!

    Beijos,
    http://sonhando-com-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ainda não assisti ao filme. Mas hoje no ônibus uma menina estava comentando que não gostou (porém ela não tinha lido o livro). Achou estranho uma pessoa falando por duas. Bem, eu estou louca para ver o filme. E apesar de também ter achado a buscadora totalmente off da história, acho que não vou me decepcionar.

    Bjoos
    http://leiturarecomendada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda não assisti ao filme e nem li o livro, acredita? O livro eu comecei a ler recentemente ;) Ah, tô seguindo o blog.

    Um beijo, Karine Braschi.
    Geek de Batom.

    ResponderExcluir
  10. Oi Flávia, estou na expectativa de ver o filme.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  11. a versão dublada: voz da barbie sahusashuh pelo menos parece pelo trailer que eu vi
    cara quero ver esse filme, apesar de algumas diferenças em relação ao livro, coisas pequenas pois também não li o livro (ta pegando pro meu lado) e não sei muita coisa.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Flavia. Agora que vi este post.
    Comprei o livro, mas não chega nunca! Que ansiedade! Quero ler antes pra depois ver a adaptação! No original claro, odeio filme dublado também!
    Que bom que você gostou. Espero curtir também.

    Beijos.


    http://navirj.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Flávia,

    também vi o filme e tenho a mesma opinião que você! Ainda bem que assisti legendado, ninguém merece dublagens ruins!

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi oi... ainda não vi o filme, mas gostei bastante do livro. Absolutamente nada a ver com Crepúsculo rsrs...

    Não gostei de terem mudado a buscadora e já vi algumas outras mudanças que não gostei também, mas, em suma, parece que ficou uma produção legal.

    Beijinhos da Anna
    Delírios Lúcidos

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu já tinha lido o livro lá no iniciozinho de 2009, mas reli antes de assistir ao filme. Eles mudaram muita, muita coisa. Não ficou um filme ruim, mas as alterações foram bem desnecessárias.
    Hum...o comentário terá SPOILERS, então se alguém não estiver a fim de saber alguns detalhes, é melhor nem ler...
    .
    .

    Antes de mais nada, a Seeker não era uma bruxa feia no livro. Ela era diferente do filme, mas não feia. Ela era baixinha, magrinha, cabelo escuro e preto, com uma cara constante de recriminação e desdém, mas em nenhum momento eles dizem que ela é feia. Mas a maior diferença é que ela parece bem mais controlada no livro. No filme ela pareceu uma maluca obcecada.

    As mudanças que mais me incomodaram foram na primeira parte da história (até um pouco depois do deserto) e isso porque eles mudaram a personalidade da Wanderer (a Peg). Ela pareceu fraca, controlável pela Melanie. No livro, em momento algum a Melanie assume o controle do corpo da Wanda. A única vez que ela faz alguma coisa é aquele tapa quando o Jared a beija. É a primeira (e se não me engano a única) vez que o corpo foge ao controle da Wanda. Todas as outras vezes a Melanie pergunta, argumenta, implora, briga, mas não consegue mover nada.
    Já no filme, eles fazem da Wanda uma fraca controlável. Ela é empurrada pela sacada, Melanie empurra o papel onde Wanda escrevia os detalhes de Jared e do irmão (esqueci o nome!!), ela chega a bater na Seeker. Ela usa alguns objetos como arma, enfim, tudo o que a Wanda não faz de jeito nenhum do livro e é justamente o que as distingue tanto.
    A cena no deserto também ficou diferente, as motivações e tal. No livro a Wanda faz uma aliança com Melanie e elas decidem ir para o deserto e enganam a Seeker premeditamente. No livro parece que ela está fugindo e sendo levada pela consciência da Melanie, o que não poderia estar mais longe da verdade.
    Enfim, a primeira metade do filme me irritou muitíssimo por estas mudanças estruturais. Não foram apenas adaptações, foram alterações na personalidade básica da personagem principal.
    Já a segunda parte eu acho que ficou bem mais fiel ao sentido da história, apesar de terem cortado e mudado algumas coisas, porque não havia tempo hábil para colocar tudo.
    Acho engraçado que todo mundo diz que o Ian se apagou (e talvez tenha mesmo, se levarmos em consideração o que ele faz no livro), mas meu irmão que só viu o filme comentou que o Jared é quem sumiu na segunda parte. Antes ele aparecia direto, era o homem importante na vida dela e depois ele virou pano de fundo.

    Seja como for, o filme foi uma experiência positiva. Nem de longe tão bom quanto o livro (que é surpreendentemente mais maduro e pé no chão que a saga Crepúsculo), mas ainda assim valeu a pena o ingresso.

    A propósito, conhecei o site hoje, por meio da crítica de Os Filhos do Fim do Mundo e gostei bastante. Está de parabéns.

    ResponderExcluir
  16. Eu até que gostei do livro, porém esperava mais. Acho que o filme vai ser melhor. Quero assistir, mas nem sei se vai dar, estou atarefada aqui. Tomara que eu consiga.

    Beijokas :*
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  17. Sou meio preconceituosa com essa coisa de autores, quando não gosto de algo que escrevem não procuro tentar ler novamente não a não ser que seja muito muito bom. A história parece ser muito boa mesmo. Mas o que me faria assistir o filme é a Saiorse, queria ver atuação dela, no demais não é algo que me interessa não :/

    Beijinhos.
    www.intheskyblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Flávia,

    Eu li "A Hospedeira" ano passado e não botava muita fé no livro, só comprei porque tava em promoção na Saraiva (na loja física mesmo), por 9,90 então não resisti, mas depois de ler, gostei bastante da história. Não é meu livro preferido e ainda acho que a Stephanie Meyer podia ter economizado umas 100 páginas de enrolação, mas foi uma ótima leitura.
    Agora com o lançamento do filme fiquei bem curiosa, mas com um pé atrás. Uma amiga assistiu e disse que é fraquinho (claro que ela comparou com o livro), então fiquei na dúvida. Mas seus comentários me deixaram mais animada, se ainda der tempo vou assistir essa semana.

    Beijos.
    ^-^
    http://vagandoentreestantes.blogspot.com

    ResponderExcluir