13 de agosto de 2016

Scarlets - Madeleine Roux

Título: Scarlets - Asylum #1,5
Autora: Madeleine Roux
Editora: V&R
Gênero: Juvenil/Suspense
Ano: 2015
Páginas: 104
Nota:
Onde Comprar: Saraiva | Submarino | Americanas
Sinopse: Os mistérios que rondavam o alojamento Brookline estão longe de chegar a uma conclusão. Neste episódio da série Asylum, Cal Erickson vai ser obrigado a integrar um grupo secreto, os Scarlets, mas essa decisão mudará toda a sua vida e vai cobrar seu preço. Scarlets é uma peça chave para que os fãs da saga se preparem para a leitura de Sanctum, segundo volume da série.
Resenha: Scarlets é um conto extra da trilogia Asylum, escrita por Madeleine Roux e publicado pela V&R no Brasil.
Cal Erickson é filho do Reitor da New Hampshire College e sua vida não anda muito legal... Seus pais são separados e ele não tem uma relação muito boa com o pai, com quem vive. Ele ainda anda bebendo mais do que deveria e seu comportamento acaba não superando as expectativas do pai, que vê o filho com desgosto.
Depois de ter sido pego dormindo em aula desfrutando de uma bela ressaca, seu pai decide castigá-lo o obrigando a participar de um grupo de estudos supervisionado pela professora Reyes. A tarefa do grupo seria catalogar toda a tranqueira encontrada num porão assustador em Brookline, um prédio antigo que costumava ser um manicômio destinado aos piores assassinos, mas nem tudo poderia ser tão chato quanto parece, ou pelo menos foi o que Cal pensou ao encontrar Devon quando se juntou ao grupo. Devon é um garoto por quem sempre foi atraído por ser bonito e sexy, mas os devaneios de Cal acabam sendo interrompidos quando ele enfrenta uma experiência terrível e assustadora no dito porão. Existem muitas coisas estranhas em Brookline, algumas inclusive relacionadas ao seu próprio pai, mas quando ele descobre os Scarlets, um grupo secreto, Brookline nunca mais será visto como antes...

O livro é narrado em terceira pessoa e por ser um episódio curto da série, não espere uma história completa com um ciclo fechado... Scarlets funciona mais como um gancho para introduzir o leitor ao segundo volume da série, Sanctum, então muitas perguntas ficarão no ar e o final totalmente em aberto sem nada resolvido, o que, pra mim, já era esperado. A ambientação e os detalhes que a autora deu para desenvolver a história são muito bem construídos e a história tem um ritmo tenso e que prende o leitor.
A relação de pai e filho é bastante conturbada e chega a ser possível refletir sobre os dois... Roger não se cansa de implicar com o filho, sempre desejando que ele mudasse por completo, principalmente por ele ser gay, e talvez o reflexo disso seja Cal ser cada vez mais e mais rebelde. Tem coisa mais decepcionante do que não ser aceito pelo próprio pai?

O projeto gráfico do livro, como sempre, é um arraso. A V&R é uma das poucas editoras que mais capricham em capas e diagramação, e com Scarlets não foi diferente. A capa com um crânio entre rosas é sombria e sugestiva, os capítulos são numerados e sempre se iniciam com capitular em vermelho. O número da página fica posicionado entre adornos em vermelho e isso dá um charme todo especial ao livro. As páginas são amarelas e a fonte tem um tamanho agradável, além de ser a mesma usada nos livros de toda a série.

Enfim, não tem como dar mais detalhes sobre a história sem soltar spoilers, mas posso dizer que Scarlets cumpre seu papel, principalmente no quesito "atiçar a curiosidade" e fazer com que fiquemos ansiosos pelo que vem a seguir. Pra quem gosta da série, é leitura mais do que indicada.

Nenhum comentário

Postar um comentário