20 de fevereiro de 2016

O Túmulo da Borboleta - Anne Cassidy

Título: O Túmulo da Borboleta - The Murder Notebooks #3
Autora: Anne Cassidy
Editora: Jovens Leitores/Rocco
Tradutora: Viviane Diniz
Gênero: Juvenil/Policial/Mistério
Ano: 2016
Páginas: 272
Nota
Sinopse: Depois de Hora morta e A morte de Rachel, a série de suspense The Murder Notebooks chega ao seu terceiro volume, O Túmulo da Borboleta, levando os jovens Rose e Joshua a Newcastle, onde o tio de Joshua está internado e onde os dois descobrirão fatos surpreendentes sobre seus pais e o mistério que cerca seu desaparecimento. Decididos a investigar o paradeiro de Kathy, mãe de Rose, e Brendam, padrasto da garota e pai de Joshua, os dois adolescentes se veem enredados numa trama de perigos e segredos que envolve uma tatuagem de borboleta e seis cadernos com anotações em código, mapas e foto que eles terão que desvendar se quiserem descobrir o que realmente aconteceu. E principalmente se quiserem sobreviver.

Resenha: The Murder Notebooks é uma série composta por quatro livros que giram em torno de Rose e Joshua e dos mistérios que rondam suas vidas. Os livros são de autoria de Anne Cassidy e no Brasil são publicados pelo selo Jovens Leitores da Editora Rocco.
No primeiro volume somos apresentados ao casal de irmãos postiços que após o sumiço dos pais foram morar com parentes até se reencontrarem, e a partir daí passaram a procurar os pais enquanto investigavam algum mistério envolvendo assassinatos que eles acabam envolvidos.

Em O Túmulo da Borboleta, terceiro livro da série, a história é iniciada com um acidente nos penhascos de Cullercoats que o tio de Joshua, Stuart Johnson, sofreu, Tio Stu é levado para o hospital em Newcastle e Joshua e Rose partem para a cidade a fim de tomar conta do tio. A presença na cidade onde Joshua e o amigo cresceram é ótima, de uma nostalgia sem tamanho, mas o que eles não esperavam era descobrir uma pilha de provas sobre um caso de assassinato que ocorreu há vários anos além de descobrirem que tio Stu guarda segredos, incluindo o fato de que ele ainda tem contato com o pai de Joshua, Brendam. Com a ajuda de Skeggsie, os garotos conduzem a própria investigação sem imaginar as surpresas que viriam a descobrir...

A leitura é fácil, mas mesmo que seja um thriller voltado ao público juvenil não achei muito fluída, talvez pelo próprio gênero a que se destina. Mas mesmo que o ritmo da leitura e dos acontecimentos sejam lentos, tudo é bastante interessante de se acompanhar.
O livro é narrado em terceira pessoa e um ponto bacana é que a voz narrativa também faz indagações acerca de acontecimentos dos quais os protagonistas estão envolvidos, e dessa forma o leitor é convidado a questionar os detalhes, se atentar às pistas que são deixadas e ter um envolvimento maior com a trama, principalmente no que diz respeito ao desaparecimento dos pais de Joshua e Rose. Enfim é possível saber o que diabos está acontecendo com os pais de Joshua e Rose e esse fato dá um gás maior à leitura pelas peças, enfim, começarem a se encaixar, então posso dizer que a ideia de ler os livros fora de ordem não é tão boa assim, mesmo que os casos paralelos sejam resolvidos em cada um deles...
A trama continua tendo o mesmo estilo dos livros anteriores, em que o mistério principal fica a cargo do desaparecimento dos pais enquanto há outros em pararelo, e nesse caso o mistério é sobre a queda de Sturat nos penhascos e a descoberta do assassinato ocorrido há anos entitulado o Caso Borboleta.
Esse caso também é bastante interessante pois ele é sobre uma garota de dez anos que foi encontrada morta após ter se passado cinco dias em que desapareceu num estacionamento de supermercado e o culpado nunca foi acusado, logo fica no ar o que tal caso tem a ver com tio Stu e o mistério dos pais dos dois protagonistas.
Os personagens sofrem algumas mudanças e um acontecimento inesperado com um deles é responsável por toda uma reviravolta na história.
Joshua costumava ser um jovem tranquilo e pé no chão, mas passa a se tornar bastante grosseiro com Rose além de ficar extremamente individualista e mal humorado. Já Rose passa a ficar acuada devido as represálias de Joshua, mas é partir desses pontos que ela mostra que embora seja tímida e insegura, principalmente com relação ao que sente por ele, tem os sentidos aguçados e é muito inteligente, tanto que decide investigar as coisas sem depender dele.
Um dos pontos que mais gostei foi a exploração acerca do passado de Rose e mais sobre a vida de Joshua e o amigo Skeggsie que se desenrolaram antes do início da série.

A capa também é bem sugestiva pois além de evidenciar a borboleta (que está presente em todos os livros, seja na capa ou na diagramação) mostra o penhasco que é cenário do acidente abordado na história. A tipografia também é ótima pois lembra um scrapbook ou algo relacionado a arquivos. A capa é fosca e há aplicação de verniz sobre a borboleta, títulos e nome da autora, dando um visual bem bonito e caprichado à ela.
As páginas desta edição são brancas, os capítulos são apresentados através de numerais romanos e a cada início deles há uma borboleta ilustrando o canto superior da página. Não percebi erros na revisão e de forma geral o trabalho gráfico é super satisfatório, principalmente pelas capas da série combinarem entre si.

O Túmulo da Borboleta é um volume bastante importante e que acrescenta muito à série e, mesmo que tenha uma carga emocional maior do que os outros livros, já que tráz o passado à tona e ainda se aprofunda num crime bárbaro envolvendo uma criança indefesa mexendo com os sentidos dos protagonistas, mostra personagens vulneráveis mas mais maduros. O mistério é bem desenvolvido e unido isso ao fato de a leitura ser bem sólida, fiquei super curiosa para saber o que virá no próximo livro.


Nenhum comentário

Postar um comentário