26 de março de 2013

Filhos do Fim do Mundo - Fábio M. Barreto

Lido em: Março de 2013
Título: Filhos do Fim do Mundo
Autor: Fábio M. Barreto
Editora: Fantasy - Casa da Palavra
Gênero: Ficção/Fantasia
Ano: 2013
Páginas: 288
Nota
Sinopse: Quando as crianças do mundo parar de nascer, um repórter se prepara para sua última matéria sobre o começo do fim do mundo. É meia-noite quando a humanidade é surpreendida pela notícia: todas as crianças nascidas nos últimos 12 meses morreram misteriosamente. Descobrem também que plantas e filhotes também morreram. Um repórter responsável por cobrir os eventos preparativos para o fim do mundo, deixa sua esposa grávida em casa, partindo para uma perigosa missão investigativa, em que terá de enfrentar grandes desafios para proteger aqueles que ama. Em Filhos do fim do mundo, acompanhamos a saga de um repórter tentando se equilibrar entre sua função de pai e jornalista em meio ao caos pré- apocalipse. As catástrofes se misturam com a tensão psicológica do personagem em um envolvente romance que vai encantar os amantes de ficção.
Resenha: Meia noite do dia 21 de Dezembro de 2012: Todas as crianças de até 1 ano de idade, simplesmente são dadas como mortas, assim como plantas e filhotes de animais. O caos está tomando conta do mundo, as pessoas não podem se comunicar direito, não sabem a causa de toda essa tragédia e só dependem de um único jornal para terem maiores explicações, e tudo que é passado às pessoas é filtrado pelo Governo, que cortou internet e telefone a fim de evitar especulações ou notícias indesejáveis  A população entra em pânico. Será que humanidade será extinta já que as crianças, que são o futuro do mundo, estão todas mortas?
Eis que em meio a todo esse caos e desordem somos apresentados ao Repórter, que está num enorme dilema: ele trabalha pra esse jornal (o único dentre todos autorizado a passar informações ao público), é o responsável por cobrir esses eventos apocalípticos e precisa partir para investigar esses acontecimentos terríveis. Mas ele também está prestes a se tornar pai... A Esposa fica em casa, grávida, e ele, mais do que nunca, quer descobrir o que está acontecendo a fim de evitar a morte do próprio filho que está chegando e proteger todos aqueles que ama. O Repórter, então, embarca numa corrida frenética e desesperada em busca de respostas e soluções.
Todos os personagens que são apresentados tem alguma ligação um com o outro, então, a ação não pára e o ritmo de correria se mantém ao longo da história. O Prefeito, o Major, o Padre, o Blogueiro rebelde são alguns dos personagens que dão vida em meio a tantos desastres e mortes, e nos levam a acreditar piamente que, independente de quem seja ou o que essa pessoa faz, o instinto de sobrevivência e o amor incondicional são as coisas que falam mais alto no final das contas... Imaginem um mundo onde os humanos não tivessem mais controle algum e não soubessem o que seria de suas próprias vidas nos próximos minutos...

Quando li a sinopse do livro, já achei bem interessante, mas ao mesmo tempo inquietante. Como assim os bebês simplesmente morrem sem explicações, em escala global e o futuro, a partir daí, se torna incerto e duvidoso? O caos reina, pois resta a quem sobrevive questionar, e no mínimo, ter direito a respostas convincentes sobre o futuro da própria existência.
O livro é super bem escrito, mas a narrativa apesar de fluída, se tornou um pouco confusa pra mim com relação a toda a ação presente na trama e alguns diálogos também, pois em alguns momentos me perdi de forma que eu precisasse reler o que se passou e continuar na dúvida. Os capítulos são enoooormes (o primeiro tem quase 90 páginas) e por mais que sejam divididos, sinto que não tenho tempo pra parar e pensar sobre o que aconteceu ali pra seguir pro próximo acontecimento. Talvez devido ao ritmo corrido a ideia é realmente não ter tempo pra respirar nem pra pensar, pois quem vai parar pra pensar na vida enquanto ela corre risco de chegar ao fim a qualquer momento? Mas ainda assim não curti muito pois prefiro capítulos curtos.
Por falta de costume, ainda estou em dúvida se gostei da forma como os personagens foram apresentados, pois nenhum deles tem nome e são sempre chamados por alguma característica ou função que têm, por isso as letras maiúsculas ao chamar o Repórter, a Esposa, o Padre, o Filho... Não dificulta nem impede o entendimento, mas acho que quanto mais próximo estivermos do personagem, sabendo mais detalhes dele incluindo seu nome, nos sentimos mais ligados a ele.
A história coloca à prova a questão das escolhas que fazemos e as consequências delas, o que vale a pena nessa vida, e, acima de tudo, o que seria, de fato, o fim do mundo pra alguém.
Com um final bem ousado, o autor escreveu uma história bem inovadora, mesmo que o tema "fim do mundo" já seja bem explorado.
Os leitores mais sensíveis, com certeza encontrarão uma história que vai mexer com suas emoções de forma a fazê-los refletir bastante. O livro é recomendado pra quem curte um misto de fantasia com ficção, muita ação, e, acima de tudo, pra quem quer saber do que um homem é capaz de fazer pra salvar o que considera seu bem mais precioso: seu filho...

29 comentários

  1. Minha nossa, 90 páginas é muito pra um capítulo só. Eu já desanimo quando o capítulo tem mais de 30 páginas, imagina 90! tenho que dizer que essa foi uma das coisas que eu não havia visto em outras resenhas, mesmo assim tenho vontade de ler, pois o tema "Fim do Mundo" me é bem atraente.

    Sempre maravilhosa na resenha. Parabéns Flavia XD
    Bjss!

    ResponderExcluir
  2. Já desgostei do livro por sua resenha. Um: odeio capítulos extensos, ainda mais um de noventa páginas. Dois: odeio não dar nome aos personagens. Fiquei puto com o Sidney Sheldon por ele ter feito isso com um livro dele. Enfim, acho que esse livro não me despertou muito interesse mesmo rsrsrs
    Beijooca Flavia !

    ResponderExcluir
  3. Oi, mais uma vez, Flavia. :)
    Eu estava com um pé atrás com esse livro porque achei a sinopse muito parecida com Os Filhos da Esperança, mas agora com a resenha, vejo que é bem diferente. Apesar de capítulos enormes me desanimarem, vou dar uma chance para o livro. O tema fim do mundo é um dos meus preferidos, tanto que estou escrevendo sobre isso, mas com uma abordagem totalmente diferente.

    Beijos.

    http://navirj.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que capítulos gigantes assim me dariam um certo desespero... rs... capítulos curtos me dão a impressão de que a leitura rende, enquanto os longos demais me fazem acreditar que nunca vou terminar de ler o livro... hehe...

    E acredito que eu sentiria bastante falta de nomes para as personagens também.

    Apesar de tudo, o tema parece interessante. Se aparecesse uma oportunidade, leria.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Também sinto uma coisa meio estranha toda vez que leio a sinopse desse livro, estou bastante curiosa a respeito dele ^^

    ResponderExcluir
  6. Tenho visto resenhas bem positivas a respeito desse livro. De repente em breve dou uma chance a ele! ;)

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  7. Não sei se me acostumaria aos personagens e suas maneiras de chamar, mas a ideia geral me agradou.

    ResponderExcluir
  8. Eu li o livro para uma entrevista com o autor, não vou dizer que foi uma leitura preferida, mas gostei bastante.
    O que me desgostou um pouco foi o tamanho dos capítulos, não consigo parar no meio e isso acabou me dando um certo desespero rs. E a questão dos personagens não terem nomes próprios, senti falta disso.
    Sua resenha ficou ótima! bjs

    ResponderExcluir
  9. Nossa, você faz ótimas resenhas no blog!! Aliás, ele está sempre super bem organizado, amo blogs assim!! Aliás, sobre a postagem, o título desse livro chama muito a atenção do leitor. É legal quando isso acontece, ainda mais quando a história em si acaba mesmo sendo interessante!!
    Parabéns pelo post!
    Antes que eu me esqueça, tem uma tag muito interessante sobre incentivo à leitura te esperando no meu blog!! Olha lá!! http://amoreoxigenio.blogspot.com/2013/03/tag-5-campanha-de-incentivo-leitura.html?spref=tw
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro
    Mas com capitulos tão grandes assim acho que cansa mais
    Afinal de contas, gosto de dividir a leitura em capitulos

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Flavinha.

    O livro tem poucas páginas. Com capítulos tão longos, devem ser poucos capítulos também. Eu gosto de saber tudo sobre os personagens, e nomeá-los por suas posições ou profissões torna a relação leitor x personagem bastante impessoal. Por outro lado, talvez esse tenha sido o desejo do autor: mostrar seus personagens (ou as pessoas) como meras peças de um quebra-cabeça em que tudo passa/acaba e a existência delas perde completamente o sentido/valor.

    Gostei da história e amaria lê-la. Obrigada pela resenha e pela dica. ;)

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  12. Gostei! Parece bastante com a ideia de The children of men, que é um livro fantástico, mas se diferencia por retratar não o pós, e sim o durante.

    ResponderExcluir
  13. OMG! Que primeiro capítulo é esse?!? rs
    90 páginas! Acho que desistiria da leitura!
    A resenha é boa, mas o livro não chama a minha atenção.

    BjO
    http://the-sook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Não conheço o título e nem o autor, mas já quero ler só por ser da Casa da Palavra <3, uma pena que os capítulos sejam tão grandes e um pouco confusos, a Casa da Palavra costuma acertar! :)

    Promoção literária no meu meu blog, te convido a participar!
    Beijos :)
    Carol,

    http://caixa-a-a.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Fiquei bem interessada no livro, achei a capa linda também.
    Ah, tô seguindo você.

    Um beijo, Karine Braschi.
    http://geekdebatom.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Querida que resenha fanática, adorei. Fiquei curiosa para ler e acredito que essa questão dos capítulos grandes também iria me incomodar, prefiro os curtos, com certeza. Essa historia me lembrou um pouco o filme Filhos da Esperança, onde no futuro as mulheres não conseguirão ter mais filhos e a população começa a envelhecer e morrer etc bem interessante. Enfim valeu pela dica e parabéns pela organização das idéias na resenha!!!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Flavia :)
    Hum, ainda não tinha lido nada a respeito do livro, mas gostei da sinopse e da sua resenha.
    Apesar do fato dos personagens não terem um nome, o que me incomoda um pouco, já vou coloca-lo na minha lista de leitura ;)
    Beijos, bom feriado =*

    @morenalilica
    Doce Insensatez

    ResponderExcluir
  18. Oi Flávia, eu li o livro, e pra mim foi mesmo bem confuso - pelo menos em boa parte da leitura - e acabou que a narração para mim não fluía, porém alguns pontos me prenderam realmente, e então quando eu achava que o livro ia começar a ficar ele 'brochava' (desculpe a palavra ai pessoal).
    Adorei o final, deu uma sensação de quem vai mais por ai, quem sabe né?

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá Flávia, ja posso dizer que amei seu blog? É tudo tao lindo que não dá vontade de sair mais.
    ~isso não é spam, é minha opinião mesmo ^^ ~
    Esse gênero literário geralmente confunde minha mente, fico realmente super confusa, sempre leio comédias e romances pois a leitura comigo flui melhor. Adorei mesmo teu blog. Te seguindo =*
    http://www.valeuapenaesperar.com/

    ResponderExcluir
  20. Oi Flavinha, também deteeesto capítulos longos. Me mata isso!
    Mas a história parece o máximo, acho até que daria um bom filme.
    Adoro esse tipo de enredo, com muita adrenalina e ação.
    Quero muito ler esse livro!

    Beijooos

    Meus livros, meu mundo.

    ResponderExcluir
  21. Interessante , sua resenha me fez tomar um certo gosto , adorei a ilustração e o tema é bem diferente e quero sim ler !

    ResponderExcluir
  22. Oi Flávia!
    Realmente parece um livro muito interessante. Você "falou e disse" tudo no trecho em que diz que "o autor escreveu uma história bem inovadora, mesmo que o tema 'fim do mundo' já seja bem explorado".
    Enfim, quando o fim está perto, o que conta realmente são nossas escolhas. :-)

    ResponderExcluir
  23. Parabéns pela resenha ficou ótima. Estou mega curiosa para ler esse livro, ele me lembra um pouco o filme Filhos da esperança!!!!

    ResponderExcluir
  24. No momento em que esse livro foi lançado eu não me liguei muito nele. Porém quando foram surgindo as resenhas eu fiquei cada vez mais curiosa, principalmente pelo enredo diferente, irreverente. Espero ter a oportunidade de ler.
    Ótima resenha Flávia.
    beijos

    ResponderExcluir
  25. Oie,
    eu não conhecia o livro, mas gostei e capítulos grandes não me incomodam, não tenho costume de dividir a leitura por cap rsrr

    ResponderExcluir
  26. Menina... fiquei arrepiada com sua resenha!!!! rsrsrsrsrs

    Confesso que não gostei muito da capa, mas a sinopse me deixou curiosa... adoro esse tema.

    Parabéns!!!

    bjo^^

    ResponderExcluir
  27. Oii Flavia!!

    Eu ja li diversas resenhas sobre esse livro, e estava super animada para le-lo. Mas confesso que a sua me desanimou um pouco. 90 paginas em um capitulo?? eu fico brava quando tem 30! Gosto de capitulos curtinhos rs.
    E se vc se sentiu confusa acho que me sentirei tb rrsrsr

    Claro que eu ainda vou ler o livro, mas tirei ele da minha lista prioritaria rsrs

    Bjoo
    Tati - Frases Rabiscadas

    ResponderExcluir
  28. Esse livro parece bom,Além do enredo diferente que me chamou bastante atenção ,mas 90 paginas em um capitulo?
    Quem sabe né,rsrs'
    Adorei a resenha,Parabéns.

    ResponderExcluir
  29. Nooooooossa, que livro incrível, e a resenha então, esse mundo apocalíptico em livros é sempre muito legal, todo o mistério e suspense deixam o leitor cada vez mais surpreso e cada vez mais ansioso pelo que vai acontecer em seguida. Quero muito ler!

    ResponderExcluir