18 de abril de 2015

Sombras Prateadas - Richelle Mead

Lido em: Abril de 2015
Título: Sombras Prateadas - Bloodlines #5
Autora: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia/Sobrenatural
Ano: 2015
Páginas: 368
Nota: 
Sinopse: Sydney Sage arriscou tudo. Ainda infiltrada na organização, trabalhava contra os alquimistas e vivia um romance secreto com o vampiro Adrian Ivashkov. Qualquer deslize poderia trazer tudo por água abaixo, e foi exatamente o que aconteceu: sua própria irmã descobriu seu relacionamento proibido e a denunciou, fazendo com que Sydney fosse capturada pelos seus pares e mandada para a terrível reeducação.
Lá, as condições de higiene e de conforto eram mínimas. Nos poucos momentos em que ela ficava acordada, uma voz metálica tentava convencê-la a “confessar seus pecados”. Cercada de inimigos e sem saber onde estava ou como sairia dali, Sydney luta para manter sua identidade, sua capacidade de pensar por si mesma e, principalmente, a esperança de que encontrará Adrian novamente.
Enquanto isso, o vampiro tenta diferentes estratégias para descobrir o paradeiro da garota. Mas quando suas alternativas fracassam uma a uma, sua vida começa a sair do controle e ser tomada pelas garras do espírito - o elemento mágico que lhe confere poderes mas o afunda cada vez mais na depressão. Para suportar tudo isso, Adrian se entrega a uma vida desregrada, deixando que velhos hábitos voltem à tona para esquecer toda a impotência que sente. Será que o amor dos dois será forte o bastante para sobreviver a essa provação? 

Resenha: Sombras Prateadas, o quinto volume da série Bloodlines, traz mais emoção do que pude esperar. Depois de ser capturada por seu pai e sua irmã, Sydney foi enviada para a reeducação no subsolo de um local desconhecido. Neste lugar, a alquimista passa boa parte do tempo entorpecida, incapacitando Adrian de se comunicar com ela através dos sonhos. Sem ter muitas alternativas, Sage precisou usar sua inteligência e muita magia, o que a colocou em apuros muitas vezes. Richelle começa a desenrolar a trama de Bloodlines e encaminhar a história para um final.

Ai, ai ai (suspira). É tão difícil chegar ao penúltimo livro de uma série que amamos tanto, não é? É como deixar para trás bons amigos, um amor da infância; é de partir o coração. O amor por #Sydrian começou em Academia de Vampiros, cada um individualmente. Com o surgimento da série spin-off, esse casal me ganhou ao máximo e Sombras Prateadas elevou essa relação a algo lindo e singelo. É apaixonante <3

A narrativa continua em dois pontos de vista e dessa vez senti uma leve mudança na maneira de Mead escrever. Lembro que tanto VA como Bloodlines trazem em suas narrações um humor próprio das protagonistas. Agora, a história de Sage e Ivashkov ganhou um ar mais sério e denso. Nessa situação do desaparecimento de sua amada, Adrian se tornou um cara mais responsável e determinado a encontrá-la. Porém, é inevitável compará-lo com Dimitri, e honestamente, Belikov dá um banho nele. O sobrinho de Tatiana foi, por muitas vezes, irresponsável e inconsequente apesar das boas intenções. Pensei em determinados momentos: Poxa, Adrian, não era isso que eu tinha em mente. Não me desaponte. Vá, levanta daí e não desiste da Syd. Espero que no último volume ele se mostre um verdadeiro herói.

Richelle explicou um pouco na série Academia de Vampiros como e porquê existe a sociedade dos Alquimistas. Só que ainda falta algo, pelo menos para mim. De onde vem tanto ódio? Por que os vampiros são, para eles, seres tão horríveis? Creio que em Sombras Prateadas essas questões podiam ser intensificadas, já que a Sidney é mandada para um local para passar por reeducação e temos alguns alquimistas que são os mandantes disso. Mead podia ter explorado um pouco mais as raízes dessa organização a fim de nos deixar mais a par do assunto. A impressão final é que existe muito ódio deles para os vampiros mas isso fica meio nebuloso. Quem sabe o último livro não reserve uma parte para explorar e explicar a fundo a sociedade deles.

Um dos aspectos mais atrativos e bacanas da série e que eu amo é a cumplicidade de todos os amigos de Sydney. É tão acolhedor ver como eles fazem de tudo pela salvação da amiga e querem o bem dela acima de todas as coisas. Às vezes dá vontade de abraçar cada um deles por serem tão fofos e leais.

No mais, Sombras Prateadas é, como os leitores de Mead sabem, um livro de transição. Os acontecimentos, muitas das vezes super angustiantes e tensos, foram uma preparação e um salto para o último volume, The Ruby Circle. O sentimento de saudade começa a bater desde já, não é mesmo? Sydney Sage deixou de ser uma personagem turrona e irredutível para se tornar uma verdadeira guerreira que lutou muito por seus ideias e acabou subindo no meu conceito. Adrian, como já havia mostrado um pouco antes, é um verdadeiro gentleman. Suas frases clichês e românticas vão fazer falta. *suspira*

Só eu torço por um spin-off do spin-off? HAHA

Nenhum comentário

Postar um comentário