12 de novembro de 2014

Sombrio Perdão - Melissa Marr

Lido em: Outubro de 2014
Título: Sombrio Perdão - Wicked Lovely #5
Autora: Melissa Marr
Editora: Jovens Leitores/Rocco
Tradutora: Cláudia Mello Belhassof
Gênero: Juvenil/Fantasia/Sobrenatural
Ano: 2014
Páginas: 336
Nota
Sinopse: Em Sombrio Perdão, último livro da série Wicked Lovely, Keenan precisa escolher entre sua rainha, Aislinn, e sua amada, Donia. Aislinn, por sua vez, esta apaixonada por Seth. Irial foi gravemente ferido, e Niall está sofrendo. Porém, conforme o derradeiro ataque de Bananach se aproxima, todas as Cortes - a Sombria, a do Inverno e a do Verão - precisarão esquecer seus próprios problemas e se unir.
O fim está próximo. E a Guerra quer sangue.

Resenha: Sombrio Perdão é 5º volume que finaliza a série Wicked Lovely, escrita pela autora Melissa Marr e publicado no Brasil pelo selo Jovens Leitores da Editora Rocco.

Depois dos conflitos de Sombras Radiantes, um estranho que caminha por Huntsdale representa risco de vida para os seres encantados. Keenan, o Rei do Verão, está desaparecido e Aislinn cuida da Corte sozinha enquanto o procura. Ela continua esperando por Seth, que se manteve afastado para que ela pudesse escolher mas também está prestes a cometer o pior dos erros a ponto de pagar com a própria vida. Ash ainda se sente dividida entre ele e o Rei do Verão...
Seth se tornou peça fundamental na trama, principalmente por ter se tornado herdeiro de Sorcha e desenvolvido poderes de grande importância.
Com uma guerra iminente, Keenan anseia por fortalecer sua corte, e Donia prepara a Corte do Inverno para a batalha enquanto almeja uma paixão. Ela ama Keenan, mas entende que se não pode tê-lo por inteiro, é melhor se afastar.
A guerra está para começar, Bananach, a Rainha do Caos, está mais forte do que nunca, alguns vão ganhar, mas outros vão perder... O Mundo Encantado está tomado por intrigas e desespero, as Cortes estão repletas de conflito e traição...
A história, desta vez, tem um foco maior em Keenan e Donia, que desde Terrível Encanto já tinham uma história de amor impossível.
Keenan preza pelo seu reino e não pode colocar outros assuntos em primeiro lugar, abrindo mão de seus verdadeiros sentimentos por Donia, mas ao mesmo tempo, talvez pelo decorrer dos acontecimentos, ele acaba amadurecendo e suas atitudes conseguem surpreender bastante.

A narrativa continua em terceira pessoa mas isso não impede de nos aproximarmos dos conflitos pessoais de cada personagem da história em que cada atitude ou escolha interfere em algum acontecimento futuro ou em alguma outra Corte.
Melissa Marr trabalhou o universo que criou com toques fantásticos, perversos e sombrios, com personagens únicos e realistas, trazendo uma trama cheia de surpresas, reviravoltas, fazendo com que o leitor torça por determinados casais, pela ruína de alguns e a felicidade de outros como se não houvesse amanhã.
É difícil encontrarmos uma série onde a autora aborda temas delicados que sempre envolvem o emocional e psicológico ao se tratar de traumas, amores não correspondidos ou qualquer tipo de dificuldade para alcançar o que parece ser inalcansável, e a autora conseguiu usar as Cortes a fim de ilustrar e diferenciar o bem e o mal.
Posso afirmar que ao final da série é possível refletir sobre a história como um todo e perceber que as Cortes opostas são elementos que de certa forma nos fazem encontrar partes de nós mesmos, e que Verão e Inverno, Razão e Caos, Luz e Escuridão podem ter significados que vão além de seu sentido literal.
Não esperava por um final épico pois no decorrer da leitura da série senti que a autora foca mais nos sentimentos e nas intrigas das Cortes, mas ainda assim volto a afirmar que a mitologia que ela criou fez a diferença na história a tornando bem interessante. Acho que até a história chegar ao ponto de empolgar e ficar realmente intrigante, muitas páginas que considerei enfadonhas e "enrolonas" já haviam se passado, o que faz com que a leitura possa ser um pouco cansativa, e por esse motivo Sombrio Perdão e a série inteira não ganharam mais estrelinhas na minha avaliação.
Todos temos luz e trevas dentro de nós mesmos e acredito que o final, leva isso em consideração, com conflitos que mesclam encanto com perversidade, mostra que nem sempre finais felizes é o que encerra uma série de forma tão satisfatória como Sombrio Perdão encerrou.
A capa, seguindo o padrão dos livros anteriores e mantendo a arte original, é linda, páginas amareladas, ornamentos deixando a diagramação bem caprichada e a revisão não deixou a desejar.
No final das contas, a série, apesar de ser um dos meus gêneros favoritos, não é a melhor de todas que já acompanhei, mas não desaponta e vale a pena investir na leitura por ser tão inovadora e original, então, recomendo pra quem curte o gênero.

2 comentários

  1. Só cheguei a ler o livro 1 dessa série. Mas, sinceramente, apesar de ser uma das poucas que deseja que a Aislinn fique com Keenan, não consigo desmantelar esse pensamento. Como não prossegui a leitura (mas ainda vou continuar) não sei como foi o desenrolar com o Seth. Mas, gostei da forma como colocou tudo na resenha e principalmente pelo final épico, me deixou curiosa!

    ResponderExcluir
  2. Oi to a séculos tentando acha o livro frágil Eternidade quem tiver pode me mandar por favor?

    ResponderExcluir