3 de novembro de 2013

A Lista do Nunca - Koethi Zan

Lido em: Outubro de 2013
Título: A Lista do Nunca
Autora: Koethi Zan
Editora: Paralela
Ano: 2013
Páginas: 272
Nota
Depois de um acidente de carro que sofreram quando ainda tinham dez anos, Sarah e Jennifer, amigas inseparáveis, passaram anos escrevendo o que chamaram de Lista do Nunca: uma lista de ações e atitudes que deveriam ser evitadas, a qualquer custo, para que se mantivessem sãs e salvas. Numa noite, no entanto, ao entrarem em um táxi, o destino das duas garotas as levou a um lugar que certamente não considerariam nem um pouco seguro. Sequestradas por um homem frio e adepto do sadismo, elas ficam acorrentadas em um porão com mais duas garotas por três anos. Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah ainda tenta levar uma vida normal. Seu contato com pessoas se limita ao porteiro que diariamente entrega o que ela precisa para sobreviver e à sua psicóloga, que tenta ajudá-la a enfrentar cada novo dia. Seu sequestrador, porém, está prestes a conseguir uma condicional e, mais do que preparar um belo discurso de vítima, Sarah sente que este é o momento de agir. Para isso, vai enfrentar seus terríveis traumas em busca de uma história que nunca fora revelada.

Depois de ser sequestrada e mantida em cativeiro durante anos, Sarah teve sua vida de volta após conseguir escapar das mãos do sequestrador. Mas nem tudo está tão normal quanto ela queria. Os fantasmas do seu passado estão voltando, pois Jack, o homem que a manteve prisioneira no porão de sua casa por anos na companhia de mais algumas garotas, pode conseguir uma saída condicional da prisão. Sarah, Tracy e Christine vão reviver seu terrível passado em busca de respostas para os enigmas ainda não desvendados sobre a triste história delas.

Vocês se lembram do caso Josef Fritzl? O engenheiro austríaco, hoje com 78 anos, manteve sua filha em cativeiro por 24 anos num porão. Dessa relação incestuosa, Elizabete teve sete filhos com ele, sendo que o último morreu e os três primeiros foram colocados pelo próprio Josef na porta de sua casa, para simular um abandono. Após a descoberta do caso, que seu deu pela necessidade de levar um dos filhos-netos para o hospital, Josef foi preso e condenado a prisão perpétua. Elizabete vive hoje com seus seis filhos em um local secreto sob nova identidade.

Esse caso ficou muito famoso em 2008 e deixou o mundo todo estarrecido pela crueldade do raptor. A Lista do Nunca tem exatamente o mesmo teor de maldade e incredulidade dessa história real. Em todo o percurso da leitura senti uma pontada de medo e terror, porque o slogan da capa faz jus ao conteúdo: essa ficção é tão assustadora quanto a realidade.

A história traz a intercalação entre o passado e o presente de Sarah. No passado acompanhamos o terror dos momentos que ela passou com outras meninas no porão do sequestrador. Cada linha que descrevia o que Sarah sofreu foi, ao mesmo tempo, uma tortura para ela e para mim. É muito impressionante e amedrontador ver a que ponto chega a crueldade humana. No presente da personagem acompanhamos todas inseguranças e traumas que a marcaram. Pequenos detalhes da vida dela vão sendo apresentados e fui ficando cada vez mais receoso com as situações apresentadas. Senti um certo medo de poder ser vítima de algo do tipo pelas mãos de um louco qualquer. Com certeza Koethi me fez questionar que tipos de pessoas estão a minha volta e quão cuidadoso tenho que ser com o mundo em si.

O mais interessante da história é, sem dúvida, que o sequestro e as torturas feitas por Jack foram muito bem explicadas. Às vezes não sabemos o motivo de um sequestrador fazer o que faz, como matar alguém ou manter em cativeiro. Só pensamos: Ah, esse ai é louco. Existem muitos motivos totalmente obscuros por trás de tais ações, o que prova que somos apenas reles mortais que desconhecem muita coisa.

Senti uma falta enorme de uma atenção maior justamente n'A Lista do Nunca. Na capa existe todos os itens da tal lista, mas na história não há uma citação deles. Creio que o ritmo do livro, rápido e direto, não abriu espaço para isso. E também senti a ausência de uma explicação para um ponto crucial da história toda, o que acabou tirando uma estrela na classificação. Mas leiam, pois esse livro é daqueles que tiram o fôlego do começo ao fim. Recomendadíssimo!

21 comentários

  1. Nossa esse livro parece ser muito bom. Quero muitíssimo esse livro.

    ResponderExcluir
  2. Uau... Esses livros que mostram a realidade do que acontece no dia-a-dia das pessoas enquanto vivemos bem... Nos faz pensar e repensar onde é que estamos, com quem lidamos e onde pisamos... Assim como você disse! Muito ansiosa para lê-lo =)
    annagranado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei da historia do livro. Parece ser ótimo. :DD


    venha me visitar no meu blog,
    Saiu o volume 15 lá; venha conferir!! :
    http://gliter-lovely.blogspot.com.br/

    até

    ResponderExcluir
  4. Esse é um livro que meu Mô iria gostar.
    Boa dica para presente de Natal, Lucas.

    Beijocas,
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que história tensa =O
    É como um banho de realidade, nos faz pensar que o mundo real não é esse mar de rosa que a maioria dos romances conta.
    Fiquei chocada com o caso da Elizabete.

    Beijos,
    Resenhando Books

    ResponderExcluir
  6. Eu estou louca varrida pra ler esse livro,quero ele demais.
    A capa já me pegou legal,agora eu fiquei um pouco triste pois eu pensei que a lista da capa tinha algo a ver com o conteúdo.
    Mas mesmo assim eu ainda o quero.

    ResponderExcluir
  7. O livro parece muito bom. E ainda é baseado em fatos reais.
    Acho que o que dá mais medo é saber que tal crueldade realmente aconteceu.
    Ainda não li mas estou muito curioso para ler.
    the-paradiise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Lucas!! Parabéns pela resenha, achei a historia apesar de "complexa", super interessante sobre um assunto forte, que nunca li, e isso me deixou bastante curiosa. Já adicionei este livro na minha lista de desejados e espero gostar, apesar dos detalhes que você não acho tão positivos.

    ResponderExcluir
  9. Lucas, não sei se esse seria um livro que eu leria, não no momento atual, deve ser uma leitura densa, fiquei estarrecida com o caso do Josef Fritzl é difícil até de imaginar o que se passa na cabeça de uma pessoa dessas, as vezes penso se não estou me fechando em um mundo cor-de-rosa quando abdico esse tipo de leitura... mas atualmente não estou no clima para livros com esse teor.

    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Lucas, suas resenhas são maravilhosas! Parece que eu sinto o que você sente ao ler o livro.
    Infelizmente histórias como essa desse livro estão indo a tona agora, e é muito triste ver pessoas que se sentem bem em sequestrar e aprisionar suas vítimas durante anos e, se não bastasse, fazer mal a elas.
    Me deu uma vontade enorme de ler esse livro. Sou bem eclética quanto a isso.. Só não me dê biografias paradonas (no estilo de Olga é bom).
    Parabéns pela resenha novamente!

    ResponderExcluir
  11. Não gostei da capa, ela não me atraiu assim como o enredo, eu gosto de livros que tenha felicidade, gosto de um bom romance água com açúcar, hoje em dia vivemos em meio a tanta violência, para quê eu leria o livro em que fala sobre isso? Sequestro? Estupro? Não, nem pensar que vou ler.

    ResponderExcluir
  12. Que livro instigador, confesso que fiquei curiosa em relação a ele. Depois de ler o que você escreveu entrei em desespero para tê-lo. Necessito urgente *-*

    ResponderExcluir
  13. Eu lembro do lançamento desse livro, e só pela sinopse, pelo título e pela capa eu fiquei louca por ele, está na minha lista até hoje (uma lista de livros enooooorme). Sua resenha me motivou ainda mais, história de ficção assustadora e realista ?! Vou ler, claro.

    ResponderExcluir
  14. Olá Lucas :)
    Esse parece ser um livro realmente surpreendente e emocionante!
    Mas infelizmente não faz muito o meu estilo, então acho que eu não apreciaria muito a leitura :/
    Ótima resenha!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Já li outras resenhas sobre esse livro e todas tem a mesma essência. Estou apreensiva com relação a esse livro e com toda certeza vou ter que me preparar para lê-lo pois sempre me abalo com atos crueis.

    ResponderExcluir
  16. Já li outras resenhas deste livro mas devo admitir q essa me deixou mais curiosa em relação a este livro... a História da austríaca me surpreendeu muito na época e ver um livro que relata uma história parecida é um tanto perturbador... mas vale a dica!

    Bjão

    ResponderExcluir
  17. Nossa Flavinha!

    O livro parece ser bem forte! Ainda não li, mas gostei de saber por alto o que acontece. Sequestro é um crime terrível, fico angustiada só de pensar pelo que poderia ter passado.

    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
  18. Oi Lucas,

    Eu vi esse livro ontem na livraria e adorei a resenha dele..fiquei bastante curiosa com a história.
    Agora lendo sua resenha..que por sinal está excelente..tenho certeza de que preciso ler. Adoro essas histórias que tem semelhanças com histórias reais..e o caso Elisabete Fritzl foi tão cruel que acho que não exista alguém que não tenha ficado chocado neh?
    A lista do nunca com certeza esta indo para minha lista ;)

    ResponderExcluir
  19. Olá Lucas, muito boa tua resenha. E o livro parece ser muito bom. Bem no estilo pouco de terror e drama, certo que vou chorar se ler. Um tema bem complicado de se por em um livro, assunto delicado... e fico feliz que a autora tenha explicado o porquê de tal crueldade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Adoro esse tipo de livro, que mostra bem a realidade, de um jeito ainda mais obscuro. Achei um livro pequeno, de somente 272 páginas, pois aposto que se quisesse, a autora tinha aprofundado bem mais essa história, mas imagino que assim mesmo já esteja perfeito o livro.

    ResponderExcluir
  21. Assim... Esse livro é meio chocante demais para mim, eu acho que se eu for ler eu vou ficar mais paranoica do que realmente sou.

    ResponderExcluir