25 de setembro de 2014

Scarlet - Marissa Meyer

Título: Scarlet - Crônicas Lunares #2
Autora: Marissa Meyer
Editora: Rocco  
Tradutora: Regiane Winarski
Gênero: Distopia/Juvenil/Sci-fi
Ano: 2014
Páginas: 480
Nota:
Sinopse: Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida. Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção dos leitores e os deixa ansiosos pelos próximos volumes da série.

Resenha: Scarlet é o segundo volume da série "Crônicas Lunares", escrita por Marissa Meyer e lançado pelo selo Jovens Leitores da Editora Rocco e que dá continuidade a Cinder.
A resenha pode ter spoilers do livro anterior visto que Cinder continua sendo uma personagem que marca presença e tem grande importância na história, mesmo com a inserção de uma trama vivenciada por uma segunda protagonista, Scarlet Benoit.
A avó de Scarlet já está desaparecida há duas semanas e após as autoridades terem recusado o pedido de ajuda da garota, ela resolve fazer a busca por conta própria.

Inspirada na história de Chapeuzinho Vermelho, Scarlet ganha uma roupagem totalmente nova num cenário futurístico e bem tecnológico pós guerra. Sua capa vermelha dá lugar a um capuz funcional e sua cestinha de doces foi substituída por um revólver carregado que ela ganhou de presente da avó ao completar 11 anos, afinal, nunca se sabe quando um estranho pode aparecer para levá-la para onde não se quer ir... Então esqueça a ideia de uma garotinha indefesa e curiosa pelo caminho desconhecido, principalmente quando Lobo, um lutador de rua mui caliente, parece ter informações sobre o paradeiro de sua avó. Scarlet não tem medo de usar sua arma se necessário...
Determinada a encontrar sua avó, ela não se importa com nada que esteja em seu caminho, mesmo que o mistério que envolve o desaparecimento dela possa estar ligado a um grande segredo que pode colocar sua vida em perigo, e também, a questões políticas muito maiores do que se possa imaginar e que incluem Cinder, que agora está preocupada em fugir depois de ter sido presa no baile por ordem de Levana, a rainha de Luna, que tem planos maquiavélicos que envolvem o príncipe Kaito e todo o império. Porém, a fuga de Cinder pode colocá-la como a pessoa fugitiva mais procurada do mundo, e sua madrasta, Adria, não tem a menor intenção de acobertá-la, muito pelo contrário...
Scarlet e Lobo, mesmo que haja desconfiança por parte da garota, são atraídos um ao outro a medida que convivem juntos em busca da avó.
Com uma trama repleta de ação, segredos e muitas surpresas, Scarlet e Lobo vão em busca da avó, enquanto paralelamente, Cinder e Thorne, um ex cadete da força aérea americana condenado e preso, fogem da cadeia enquanto tentam não serem pegos e impedir que Levana se case com o príncipe Kai, tornando-o seu prisoneiro... Até que seus caminhos se cruzam e eles se deparam com um enigma a ser desvendado ao conhecerem Cinder e um pouco de sua história.

Narrado em terceira pessoa de forma bastante fluída, podemos acompanhar as duas protagonistas em suas jornadas para chegarem aos seus objetivos distintos e o ritmo, assim como no primeiro livro, é frenético e bem intenso.
Scarlet é bem destemida e assim como "Simba", ela ri na cara do perigo, hahahahá!
Lobo é um bad boy cuja confiança vai sendo conquistada aos poucos. Apesar de ser páreo duro e um lutador exímio e mortal, ainda tem um quê de timidez e doçura quando está em companhia de Scarlet.
Cinder desenvolve suas habilidades lunares recém descobertas e começa a descobrir mais sobre seu passado misterioso.
Thorne dá um toque cômico à história e prevejo um romance brotando no próximo livro...
Não posso me esquecer de mencionar a androide Iko, que dessa vez consegue ajudar e ser fiel a Cinder, após ter tido seu chip de inteligência conectado à nave do capitão. Quero uma Iko pra mim.
Kaito também tem grande importância na história, pois começa a descobrir mais sobre Cinder e acredita que ela não se parece com nada quando se conheceram e o quanto isso o deixa em conflito.

Confesso ter gostado mais de Cinder, mas Scarlet é uma delícia de se ler. É como um grande quebra-cabeças em que diferentes contos de fadas estão, de certa forma, interligados, e por mais modificado que sejam, me faz enxergá-los com outros olhos. Por essa e por outras, Marissa Meyer conseguiu elevar uma releitura doce e inocente a um patamar bastante superior no que diz respeito a originalidade, trazendo aos leitores fãs do gênero uma aventura distópica com um enredo sombrio e cheio de mistérios, tecendo duas histórias distintas ao mesmo tempo que faz parecer ser uma só e que fazem a ansiedade pelo fim da série aflorar desesperadamente em qualquer um.
E que venha Cress!



Um comentário

  1. oieeeee
    Fazia um tempo que eu não passava por aqui. Como está, Flávia?

    Apesar de não curtir muito o gênero, gostei da premissa do livro em si. Gosto da nova roupagem que determinados clássicos têm recebido, acho que aproxima bastante a galera jovem da literatura mundial. O que me preocupa é quando eles ficam por muito tempo lendo esse tipo de coisa... mas aí é uma questão de gosto. Há pessoas que preferem não se aprofundar. Alguns alunos meus amadureceram o gosto literário, outros preferiram ficar nas mesmas séries por simplesmente gostarem mais desse tipo de leitura.

    Esse me pareceu bem autêntico e interessante. A capa é linda e pelo o que você descreve parece criativo mesmo em meio ao mundo distópico. Nesse sentido, a série toda me parece uma boa!

    bjs

    ResponderExcluir