14 de agosto de 2014

O Livro Selvagem - Juan Villoro

Lido em: Agosto de 2014
Título: O Livro Selvagem
Autor: Juan Villoro
Editora: Seguinte
Gênero: Infanto Juvenil/Fantasia
Ano: 2011
Páginas: 192
Nota:
Sinopse: Juan tem treze anos e já planejou as próximas férias: quer ficar em casa e passar os dias brincando e aproveitando o sol do verão. Mas sua família está passando por uma situação difícil. Os pais acabaram de se divorciar, e, tentando se adaptar à nova vida, sua mãe decide que precisa passar alguns dias sozinha. Juan, então, tem de ir para a casa do tio Tito, um sujeito um tanto excêntrico, que ama os livros mais que tudo e tem estantes espalhadas por todos os cantos da casa. Tito detesta telefone e tudo que possa atrapalhar suas leituras, e como companhia aceita apenas os três gatos e a cozinheira. No entanto, ele adora Juan, que considera um leitor especial. Tito acha que o menino descobre muito mais coisas naquilo que lê do que os outros. E tem um plano: vai pedir a ajuda do sobrinho para encontrar uma obra singular entre as milhares que tem em sua casa, chamada “O livro selvagem”, que nunca foi lida por ninguém e que guarda um segredo destinado àquele que a encontrar. Mas por que o livro resiste à leitura? E por que Juan é o único capaz de desvendar seus mistérios? Nessa busca, entre livros, leituras e a convivência com o tio e com Catalina, a menina que trabalha na farmácia em frente da casa de seu tio, Juan vai descobrindo um pouco mais sobre si mesmo e sobre a relação da literatura com as experiências que vivemos cotidianamente.

Resenha: O Livro Selvagem, escrito pelo autor mexicano Juan Villoro e publicado no Brasil pela Seguinte conta a história de Juan, um garoto de 13 anos que acabou sendo obrigado a passar as férias na casa de seu tio Tito após seus pais se separarem. Sua mãe precisava urgentemente de um tempo só pra ela pra não pirar de vez. Juan a princípio não acha a ideia muito legal, afinal, tio Tito é um cara excêntrico e um tanto maluco que preferiu sua preciosa biblioteca com todos aqueles livros do que a própria esposa. Vive sozinho com seus 3 gatos, Obsidiana, Marfim e Dominó. Eufrasia, é a empregada encarregada pela comida e jamais podia limpar qualquer teia de aranha, afinal, elas comem os terríveis mosquitos que podem perturbar o silêncio absoluto pelo qual tio Tio sempre preza ao ler seus livros queridos.
E nessa casa muito estranha Juan começa a descobrir o quão interessante pode ser a vida quando os livros fazem parte dela, principalmente porque tio Tito acredita que o garoto é um leitor muito especial, que consegue enxergar além das histórias, e por isso conta com o sobrinho para que "O Livro Selvagem" - um livro misterioso que guarda um segredo importante mas que nunca se deixou ser lido por ninguém - seja encontrado em meio ao labirinto que as estantes de livros formam em sua casa. Porém, os livros têm "vida", vivem mudando de lugar e se não querem ser lidos pelo momento certo não ter chegado, simplesmente se escondem ou somem, mudam sua história, deixa suas páginas em branco, do contrário, simplesmente causam um alvoroço e pulam nas mãos de seu leitor predestinado ou aparecem como mágica nos bolsos de seus casacos.
Juan terá as férias mais peculiares de sua vida, conhecendo um pouco mais de seu tio e a filosofia de vida que ele leva.

Narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Juan de forma leve e bastante divertida, O Livro Selvagem é uma leitura muito fluída e mais do que agradável, cheia de reflexões interessantes acerca da literatura e do impacto que causa em cada leitor. Os personagens são todos bem construídos e muito cativantes e me apeguei a todos eles.
Tio Tito pode ser um solteirão que cria gatos, mas com os livros, ele nunca se sente sozinho e acredito que muito leitores amantes de livros podem compreendê-lo apesar de toda sua esquisitice.
Juan é um garoto sem maldade, curioso e aventureiro e quando se interessa por alguma coisa fica deslumbrado. Ele fica triste pela separação dos pais, mas sua estadia na casa do tio foi algo que o ajudou a ver as coisas de outra forma.
Catalina é a garota que trabalha na farmácia em frente a casa do tio Tito por quem Juan logo se apaixona. Ela é mais velha que ele, gosta de livros, devora a história quando é boa e lê até nos intervalos entre uma injeção e outra que precisa dar em alguém. O mais interessante é que Juan e Catalina compartilharam da leitura de um livro intitulado "Viajem pelo rio em forma de coração", mas a história é diferente pra cada um deles, o que os leva a acreditar que tio Tito tem razão quando afirma que os livros tem vida própria e podem fazer papéis de mocinhos ou vilões, que ajudam ou prejudicam os outros. E por isso a busca pelo Livro Selvagem se torna um tipo de missão, afinal, quais segredos um livro que se esconde pode guardar?
Espiem alguns trechos que separei:
"Uma biblioteca não é para ser lida por completo, mas sim para ser consultada. Os livros estão aqui para o caso de serem necessários. Li minha vida toda, mas há muitos assuntos sobre os quais não sei nada. O importante não é ter tudo na cabeça, e sim saber onde encontrar uma informação. A diferença entre um arrogante e um sábio é que o arrogante só aprecia o que já sabe, enquanto o sábio busca o que ainda não conhece." - pág 34
“Há duas maneiras de um livro chegar até você: a normal e a secreta. A normal é aquela em que você o compra, ou alguém lhe dá ou empresta. Já a secreta é muito mais importante: nesse caso, é o livro que escolhe o seu leitor. Às vezes, as duas maneiras se confundem. Você acha que decidiu comprar um determinado livro, mas na verdade foi ele que se colocou ali para que você o enxergasse e se sentisse atraído. Os livros não querem ser lidos por qualquer pessoa, mas sim pelas melhores, por isso procuram seus leitores.”  - pág 37
"A mente é uma máquina de pensar. O mais importante não é forrá-la de dados, mas sim aprender a usá-la. Cada cabeça é uma máquina diferente, então cada pessoa precisa usar seu próprio método para pensar." - pág 44
"Há pessoas que acham que entendem um livro só porque sabem ler. Eu já disse que os livros são como espelhos: cada pessoa encontra neles aquilo que está em sua própria mente. O problema é que você só descobre que existe isso dentro de você quando lê o livro certo. Os livros são espelhos indiscretos e arriscados: fazem com que as ideias mais originais saiam da sua cabeça e trazem à tona outras novas, que você não sabia que tinha. Quando você não lê, essas ideias ficam presas dentro da sua cabeça e não servem para nada." - pág 75
O Livro Selvagem é aquele tipo de livro que as pessoas costumam julgar pela capa, podem considerar que pela sinopse é um livro voltado ao público infantil, mas as reflexões que ele levanta são muito verdadeiras e servem pra leitores de todas as idades, ou pelo menos para os verdadeiros amantes da literatura. Mais do que recomendado e acrescento que depois da leitura desse livro e a forma como ele apresenta o universo literário tanto a Juan quanto ao próprio leitor, a leitura de qualquer outro livro pode se tornar muito mais interessante... Ler também é um dom.


3 comentários

  1. Oi Flavia, tudo bem?
    Amei a sua resenha, ainda não li nada do Villoro, mas tenho muita, mas muita vontade!
    E essa capa, achei muito bonita!!

    Beijos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha é tão envolvente que a gente sente água na boca! Eu tb tenho um blog, é bem recente, gostaria que vc desse uma olhada: http://livroarbitriodotco.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Caramba, este livro é demais, adorei li um tempinho atrás, realmente muito bom !! resenha ótima!!!!
    bjs

    ResponderExcluir