27 de julho de 2014

Se Alguma Vez... - Meg Rosoff

Lido em: Julho de 2014
Título: Se Alguma Vez...
Autora: Meg Rosoff
Editora: Galera Record
Gênero: Ficção
Ano: 2014
Páginas: 256
Nota
Sinopse: Um encontro com a morte transforma a vida de David Case. Convencido de que o destino não lhe reserva nada de bom, David decide se reinventar e tornar-se, assim, irreconhecível para o destino e salvar-se de seu sofrimento certo. Ele passa a ser Justin Case, com uma aparência totalmente nova e uma paixão crescente pela sedutora Agnes Bee. Com seu galgo cinzento imaginário a reboque, Justin luta para manter sua nova imagem e, acima de tudo, sobreviver em um mundo onde as reviravoltas do destino o aguardam em cada esquina.

Resenha: Se Alguma Vez..., escrito por Meg Rosoff (mesma autora de "Minha Vida Agora") e lançado pela Galera Record, conta a história de David Case, um garoto de 15 anos bastante ansioso e acomodado. David começa a acreditar que a morte está lhe rondando após ter visto seu irmãozinho de 1 ano, Charlie, quase cair da janela quando achou que podia voar. Então, David começa a acreditar que aquilo é um sinal. Ele resolve "enganar" o destino com propósito de que ele jamais lhe alcançasse para lhe fazer mal e tenta ser outra pessoa, a começar por um novo nome que ele mesmo se dá, "Justin Case" (um trocadilho para a expressão "just in case"). Já que a ideia é fugir do destino, ele também acha que seria importante mudar o estilo de se vestir, talvez para dar a impressão de que ficaria irreconhecível e quando vai até o brechó conhece Agnes, uma moça de 19 anos que quer fotografar o garoto, e ele obviamente, se apaixona por ela...
Com todas essas mudanças, Justin é taxado de louco na escola e as pessoas começam a se afastar dele, mas ele não se deixa abater e parece não se importar. Agora com "Garoto", um galgo cinza em seu encalço, Justin não se sente sozinho, mesmo que o cachorro seja imaginário... Peter é um dos garotos da escola que acaba se identificando com Justin e se aproxima dele, e os dois acabam se tornando amigos.

Se Alguma Vez... é um livro que traz questões típicas de adolescentes, como a sexualidade e relacionamentos, tudo através de diversos pontos de vista, e senti que foi muito difícil "sentir" os personagens e saber realmente o que eles querem e pensam e se tudo aquilo é uma preocupação digna de atenção, e chegam a serem tão confusos a ponto de a leitura não fluir muito bem. Por diversos momentos me perguntei onde essa história iria parar, pois tudo estava sem rumo. Muita coisa acontecia, mas ao mesmo tempo nada saia do lugar, como se não tivesse enredo. A única coisa da qual eu tinha certeza era que Justin só podia ser louco e paranoico, ainda que o final do livro tenha me feito pensar a respeito...

Eu gostei da capa do livro, que ilustra alguns itens importantes na história como a janela pela qual Charlie tenta atravessar voando, a máquina fotográfica de Agnes e o galgo cinza, "Garoto". Não encontrei erros de revisão, a diagramação é simples, os capítulos são bem curtos (alguns são só um parágrafo).

Narrado em terceira pessoa de forma bem poética, a história é quase desprovida de diálogos e para alguns pode ser um tanto estranha. Não acho que leitores mais jovens vão entender muito bem, e acho que algumas pessoas mais velhas também não! Pra ser sincera, esse foi um dos livros mais estranhos que já li, não me senti conectada nele, a história não me prendeu (só quando foi chegando ao final) e nem tenho certeza se a mensagem contida aqui realmente é a mesma que captei, e isso tudo devido ao jeito como foi contada, simplesmente implausível.
Todos os personagens parecem querer passar alguma mensagem profunda e inteligente, mas tudo parece estar escondido em suas atitudes e pensamentos muito, mas muito complexos e malucos, e nem Charlie, o bebê, fica fora disso.
O único personagem que parecia normal era Peter, e a antipatia que tomei de Agnes foi algo fora do comum: em primeiro lugar, ela apareceu e começou a tirar fotos de Justin, mas ela nem ao menos o conhecia. Seria no mínimo suspeito alguém aparecer do nada e tirar fotos de outra pessoa.  Em segundo lugar, quis estapear Justin, que acaba se envolvendo intimamente com Agnes e após isso não pára de pensar em sexo de um jeito que chega a irritar... Mas em momento algum esse "relacionamento" foi crível para mim. Como pode uma garota de 19 anos, aparentemente independente, se envolver com um moleque de 15 que não esconde que foi "amaldiçoado" pelo destino e que está tentando fugir dele? E o pior, ela ainda parece entender e acreditar em tudo o que ele dia. Ok, ela é excêntrica, mas não deixa de ser uma estranha. Talvez o envolvimento tenha sido posto ali para que Justin aprendesse uma de várias lições, mas ainda me incomodei com a situação.
E a família de Justin que simplesmente não se manifestou quando o garoto resolveu fazer todas essas mudanças, até mesmo quando ele saiu de casa? Que família é essa que não se importa com o que o filho faz ou deixa de fazer e trata tudo com naturalidade quando o pobre coitado claramente precisava de ajuda?
E outra... eu ri quando imaginei Justin andando pela rua enquanto outras pessoas passavam e observavam ele jogando a bolinha ou fazendo carinho no ar, ou melhor, em "Garoto"...

A impressão que tive de Justin tentando enganar o destino é que o único "enganado" foi ele mesmo, afinal, existem coisas das quais não podemos fugir, existem outras que não podemos mudar, e por mais que fiquemos assustados ou ansiosos, a única certeza que temos na vida é a morte, o resto é simplesmente imprevisível. Não dá pra tratar o destino como uma pessoa que quer nos matar e de quem devemos fugir se acreditarmos que ele não nos reserva somente a felicidade. Isso é loucura pura! Não dá pra vivermos pensando que devemos fazer de tudo para evitar o que é simplesmente inevitável, e isso com relação a qualquer coisa...

Se Alguma Vez... é uma história complexa e que levanta questões a se refletir, mas não acredito que todos vão curtir devido a forma como é narrada... Esteja com a mente aberta e preparada caso queira conferir esta leitura...

Nenhum comentário

Postar um comentário