22 de maio de 2014

Maldição - Nancy Holder e Debbie Vingué

Lido em: Maio de 2014
Título: Maldição - Wicked - Livro 02
Autoras: Nancy Holder e Debbie Vingué
Editora: Rocco  
Tradutora: Maria Clara Mattos
Gênero: Fantasia
Ano: 2013
Páginas: 256
Nota:
Sinopse: O Fogo Negro consumiu Jer. Tudo indica que ele esteja morto, e tia Marie-Claire também se foi. Além disso, o maior inimigo de Holly jurou lealdade à Suprema Confraria. Poém, não há tempo para lamentar suas perdas: ela precisará reunir forças e assumir seu papel de líder. Em meio à dor, Holly ressurgirá como uma grande bruxa e fará o que for necessário para sobrepujar o mal... até mesmo sujar as mãos com o sangue do sacrifício.
Se no volume anterior Holly teve que lidar com a descoberta de poderes incríveis e de uma maldição mortífera, agora ela sentirá na pele a responsabilidade pelas vidas dos que a seguem e o peso de ser uma das últimas sobreviventes de uma das confrarias mais fortes de todos os séculos.

Resenha: Maldição é o segundo volume da série Wicked escrita pelas autoras Nancy Holder e Debbie Vingué. Os livros foram lançados pelo selo Jovens Leitores da Editora Rocco.
A história continua de onde parou em Bruxaria, cujo final foi terrível e desesperador, então esta resenha pode ter spoilers do livro anterior!
Jer, o filho do sombrio Michael Deveraux, foi consumido pelo Fogo Negro, umas das piores magias negras de que já se ouviu falar, e a ideia de que ele está morto deixou Holly arrasada devido ao romance que eles tinham um com o outro. Marie Clare, a tia de Holly, também não sobreviveu, e a garota junto com suas primas, Amanda e Nicole, ficaram sozinhas. Resta a Holly seguir em frente fazendo o que puder contra as forças do mal, mesmo que para isso ela tenha que utilizar o sacrifício...
Apesar de focar em acontecimentos passados com muita frequência, Maldição teve um diferencial em relação ao Bruxaria no que diz respeito à narrativa ou às mudanças bruscas de cena, pois felizmente o leitor é informado e situado sobre onde e quando tal acontecimento se passa sem que haja confusão. Tantas informações sobre o passado talvez tenham tido o propósito de explicar ao leitor como tudo aconteceu até chegar onde chegou, mas fiquei com a sensação de que o presente, que é o que realmente importa mesmo que a guerra entre as famílias Cahors x Deveraux seja antiga, ficou em segundo plano, o que não contribui muito para que a leitura se torne fluída, mas, sim, arrastada já que o primeiro livro se encarregou de contar praticamente tudo que deveria importar sobre vidas passadas e o próprio passado em si. Fiquei com a impressão de que a história ficou dando voltas e mais voltas e pra nada.
Quando nos deparamos com a Maldição jogada sobre os Cahors, a família de que Holly descende, o que realmente deixou as coisas agitadas foi como Michael se aproveitou disso para tentar se dar bem.
Fiquei abismada e em choque com o sacrifício feito por Holly e também em como ela passou de uma bruxa se descobrindo pra alguém tão poderosa. Talvez a ideia dos sacrifícios, rituais e mortes sejam mesmo chocar, pois tudo é muito bem detalhado, sanguinolento, cruel, bizarro... Mas alguém que nunca havia feito nada do tipo anteriormente criar coragem e ser tão fria, mesmo que estivesse envolvida emocionalmente, se tornou além de surreal, incômodo. Entendo que Holly, sozinha e sendo líder, precisa tomar decisões grandes que podem mudar tudo, mas algumas delas parecem ter sido descritas sem considerar que poderiam mudar completamente a personalidade da protagonista a ponto de descaracterizá-la, e isso tudo me deixou com a impressão de que, talvez, foi escrito só pra aumentar a intensidade de determinada cena para que o leitor fique abismado ao ler sobre como é feito um sacrifício. Inconstâncias desse tipo não descem aqui, pois o ritual, da maneira como foi feito, não combina com Holly. Fiquei me perguntando até que ponto a influência de Isabeau e sua "ajuda" poderia interferir no que Holly faz.
Uma coisa que vale ressaltar é que todas as brigas entre as famílias rivais que perduram por séculos lembram bastante a rixa de Romeu e Julieta, pois tudo tem como base a retenção de poder, a ganância, o egoísmo, mas lá estão Holly e Jer, indo contra tudo e todos, tentando ficar juntos...

A capa, seguindo o mesmo padrão da primeira é linda, aveludada, com alto relevo e verniz para destacar o título. A diagramação também segue a mesma linha. A revisão está ótima e as páginas são amareladas.

Considerei esse segundo livro como sendo melhor do que o primeiro pelas divisões de cenas e pelos detalhes sinistros que envolvem a magia negra e outras coisas terríveis, mas continuo achando que a história, pela forma como é contada, é bastante confusa e requer uma atenção redobrada e muita paciência para prosseguir com a leitura, que, em alguns pontos, confesso ser entendiante. Algumas cenas realmente são muito boas, mas não superam as demais. Para uma série com cinco livros, imagino o que virá pela frente, e como...


2 comentários

  1. Parece ser um livro muito boom. Nunca tinha ouvido falar, mas ja adicionei na minha lista de leituras.
    beijos
    juleitora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Flávia, tudo bem???
    Gostei bastante da premissa do livro, mas por ser série, confesso que me desanima, estou cansada de ficar presa em uma história e ficar aguardando o lançamento do próximo volume. A última série que estou me dispondo a ler são As Crônicas de Gelo e Fogo.

    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir