6 de setembro de 2013

1984 - George Orwell

Lido em: Setembro de 2013
Título: 1984
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Distopia/Romance/Clássico
Ano: 2009
Páginas: 416
Nota:
Sinopse: "1984" não é apenas mais um livro sobre política, mas uma metáfora do mundo que estamos inexoravelmente construindo. Invasão de privacidade, avanços tecnológicos que propiciam o controle total dos indivíduos, destruição ou manipulação da memória histórica dos povos e guerras para assegurar a paz já fazem parte da realidade. Se essa realidade caminhar para o cenário antevisto em 1984 , o indivíduo não terá qualquer defesa. Aí reside a importância de se ler Orwell, porque seus escritos são capazes de alertar as gerações presentes e futuras do perigo que correm e de mobilizá-las pela humanização do mundo.

Resenha: "1984" é um clássico da atualidade. Mesmo tendo sido publicado em 1949, pouco antes da morte do autor, continua sendo muito influente devido a crítica explícita ao totalitarismo e não deixa de ser um tipo de protesto contra os estratagemas do governo.

O mundo foi dividido em três superpotências que estão em guerra entre si desde sempre: Oceânia, Lestásia e Eurásia. A história se passa no ano de 1984, em Oceânia, uma sociedade estática, rígida e controlada pelo "Partido", cujo líder é um ditador "invisível", mas amado, reverenciado, idolatrado, nunca contradito e que além de ser considerado um grande salvador, sempre está de olho você: O "Grande Irmão" (ou Big Brother*).
É uma sociedade onde tudo é feito coletivamente mas ao mesmo tempo todos estão sozinhos pois medo é um sentimento que domina a população, constantemente vigiada e controlada pelo Partido, seja no que diz respeito ao que vestem, ao que comem, ao que fazem e até mesmo ao que pensam. O Partido dita suas vidas, todos devem obedecer, e se, porventura, alguém se opor, sofrerá todas as consequências possíveis e inimagináveis...

"Novafala" é a língua do país, que irá substituir a "Velhafala" até 2050. É uma linguagem desenvolvida para que as pessoas, em hipótese alguma, possam se opor ao Partido, e tudo seja direcionado a uma coisa só, a fim de extinguir opiniões diversas ou contraditórias sobre o governo, distorcer e canalizar o pensamento em uma única direção: a palavra absoluta e verdadeira do Grande Irmão.
O "duplipensamento" é um exemplo, e é definido como "o poder de sustentar duas crenças contraditórias na mente simultaneamente, aceitando as duas." 2+2 nem sempre resultará em 4 pois isso depende do que o sujeito acredita, ou no que alguém o levou a acreditar...
"Guerra é paz
Liberdade é escravidão
Ignorância é força" - Slogans do Partido - pág. 14
Através das "teletelas", as pessoas assistem paralisadas a um programa, "Dois Minutos de Ódio", patrocinado pelo Grande Irmão, cuja única finalidade é odiar e condenar tudo e todos que ousarem se opor ao Partido. Até as crianças agem como "fiscais", e aprendem a vigiar e entregar os próprios pais ao menor indício de comportamento suspeito ou inadequado que demonstrem...

Neste cenário aterrorizante, somos apresentados a Winston Smith, um homem beirando a meia idade, infeliz e medíocre, que trabalha em um dos Ministérios criados, o "Ministério da Verdade" (ou seria da Mentira?) e é responsável por manipular notícias, apagando verdades ou criando mentiras a favor da conveniência do Partido. Quem determina o que é verdade, ou não, é o Grande Irmão e ninguém mais... Mas Winston está cansado de se submeter a tudo isso, não concorda mais com toda essa ditadura e só quer ser um homem livre...
Eis que surge Julia, uma mulher de espírito livre, jovem e rebelde que não tem o menor interesse ou respeito pela política, vive desafiando o sistema e quebrando regras, mas que nunca foi descoberta, caso contrário já teria se tornado uma "despessoa" (alguém "apagado" da existência para que não haja nenhuma evidência relacionada a oposição, e consequentemente, algo que poderia comprometer os ideais do Partido se fosse à tona)... Winston se arrisca num romance proibido, e até criminoso, quando se depara e se deixa envolver intimamente com alguém bem diferente de sua ex esposa, que tem coragem para pensar e fazer tudo o que ele nunca teve, mesmo que escodido... Julia, de certa forma, representa a coragem, a alegria e a vida que Winston sempre sonhou, mas que nunca teria...
Outros Ministérios, como o Ministério do Amor, responsável por condenar e reprimir desejos ou aproximações mais íntimas, o Ministério da Paz, que tem controle sobre a guerra sem fim e a administra, e até o Ministério da Fartura, responsável pelo controle da alimentação da população, distribuindo as rações necessárias para a sobrevivência, são "departamentos" desse governo totalitário e opressor.

É difícil falar sobre a obra de forma resumida devido aos incontáveis elementos que ela possui, caso contrário, a resenha teria muitos e muitos metros rsrsrs... É necessário ler para que tudo seja entendido, absorvido e apreciado, e por mais que seja chocante, intragável e inaceitável, é algo necessário para abrir os olhos de muitos que vivem estagnados, influenciados pelo que vêem, e entorpecidos, ou até enganados, por palavras fáceis, mas nem sempre compreendidas em sua totalidade...

1984 traz uma história pesada, cruel, complexa e perturbadora, e é capaz de fazer o leitor refletir acerca do poder totalitário e da manipulação a qual a sociedade está sujeita, mesmo que de forma inconsciente. O que vemos na TV é a realidade ou o que querem nos impor como verdade? Somos cidadãos livres ou estamos sob vigilância constante? Estamos acordando e fazendo algum progresso através de manifestações ou o Estado se alimenta da ignorância do povo com propósito de deter e manter o poder?
É a imagem do autor para um futuro trágico, que mesmo ultrapassado há quase 30 anos, ainda é claramente perceptível nos dias de hoje aos olhos dos mais atenciosos...
"Por quanto tempo pode uma história sobre um futuro que passou continuar a alarmar seus leitores?" - Posfácio - pág.  382.
Leitura obrigatória!

*E quem pensou no reality show cujo "entretenimento" é o mais barato, fútil, vazio e estúpido da televisão, e que faz muitos perderem horas valiosas da vida assistindo, saiba que ele faz uma referência, mesmo que distorcida, a esta obra, infelizmente.

32 comentários

  1. Faz algum tempo que soube sobre 1984, e de como o autor, apesar de ter lançado o livro a muitos anos antes, conseguiu retratar com uma realidade absurda os dias de hoje, ou seria, se não me engano, trilhando um caminho pelo qual nós um dia chegaremos. A Obra em si é realmente uma leitura obrigatória, e infelizmente eu não o possuo, mas colocarei ele na minha "pequena" lista de compras, e o lerei o quanto antes. Adorei a resenha, você soube sintetizar muito bem a obra.

    Bjss!

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    confesso que livros assim não me chamam atenção, gosto mais de romances e comédias, então no momento não leria este, mas meu cunhado fala tão bem autor que qualquer hora pego um emprestado para ler rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Não é um livro que tinha chamado minha atenção..não, até agora..rsrs
    Até vi alguns blogs resenhando ele..mas eu nem cheguei a ler. Mas lendo sua resenha agora..sinceramente fiquei muito interessada..com certeza estou colocando ele na minha 'pequena' lista..hehe.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha ouvido falar sobre esse livro e a referência dele ao reality show, porém não tinha me interessando pela leitura.
    "Somos cidadãos livres ou estamos sob vigilância constante?"
    O que vemos nos noticiários recentes, a invasão de privacidade em redes sociais, as denuncias de investigações que nem a presidente da república escapou...
    Adorei a resenha me fez pensar em algo maior, grandioso!
    Vou incluir o livro na minha listinha de leituras.
    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Faz um bom tempo em que li 1984; E para mim este é o único livro do autor que realmente gostei. A revolução dos animais? não mesmo, porém são detalhes. A escrita de 1984 no início da minha leitura pensei que fosse ser cansativa, porém, o autor começou a desenvolver fatos que me fizeram prestar atenção no livro ao ponto de não consegui parar de ler. Super recomendo a leitura, afinal o livro para mim é ótimo.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro não tinha me chamado a atenção, mas confesso que você está conseguindo me convencer a dar uma chance a ele!

    Beijinhos
    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
  7. "...e mesmo quando a pessoa não esta paralisada pelo macio nem grita de dor, a vida é uma luta incessante contra a fome ou o frio ou a insônia, contra um estômago embrulhado ou uma dor de dente."

    Esse livro é foda demais!!! Desculpe a expressão....mas é que eu amooo esse livro!!!

    ResponderExcluir
  8. Já havia lido algo sobre esse livro uma vez, mas não fazia ideia que era tão impactante assim. Mais depois dessa esplêndida resenha, fiquei muito interessada. Você mostrou coisas que realmente nos afeta e o autor foi um gênio em colocar isso num livro e querer mostrar ao leitores o que estamos nos tornando. Vou colocá-lo na minha lista de leitura. Beijos.
    elizabethmsalles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. nossa, clássico perfeito. Amo Orwell <3

    sua resenha foi bem escrita... penso em ver o filme, mas tenho medo que seja tão ruim quanto foi a adaptação de Admirável Mundo Novo...

    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li, mas concordo que é uma leitura obrigatória. A história parece bem pesada mesmo, mas na medida certa para provocar inquietações no leitor e nos fazer pensar sobre tudo isto. A sociedade é um caos mesmo, tem suas forças ocultas e se não pararmos para refletir e tomar posições, vamos sendo engolidos sem nem saber o porquê (as vezes, sem nem saber. rs).
    bjs

    ResponderExcluir
  11. esse livro so me lembra o meu professor de historia, cara dele mandar eu le-lo. mas acho q nao lerei, nao faz meu estilo. eu ja passo um bom tempo estudando para na hora de descontrair e ler um livro, eu ir ler mais ainda sobre historia :/ prefiro pegar um romance e morrer de amores pelo protagonista!! mas a resenha ficou otima!!

    ResponderExcluir
  12. Ja tinha visto esse livro na livraria, mais ele nao me interessou muito mais pela a sua resenha possivelmente eu compre.

    ResponderExcluir
  13. Deste autor li "revolução dos bixos" e ameeeiii. Sempre que vou a livraria fico de olho neste, mas ainda não consegui comprar. Já tinha lido algo sobre e quero muito ler. Gostei muito!!

    ResponderExcluir
  14. Oi Flávia

    Ótima resenha, principalmente a relação com os reality show tual. É engraçado como o aviso de 60 anos atrás virou entretenimento bizarro no século 21. Acredito que esse é um daqueles livros que muda a nossa maneira de ver e absorver o mundo, que nos faz refletir.
    Todo mundo deveria ler!
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. uma resenha de sentimentos
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Belíssima resenha. Inclusive, esse livro foi escolhido para leitura deste mês no Clube do Livro de Goiânia. Tenho que ler o quanto antes. Só não entendi uma coisa na resenha, a parte final quando você diz:

    "E quem pensou no reality show cujo "entretenimento" é o mais barato, fútil, vazio e estúpido da televisão, e que faz muitos perderem horas valiosas da vida assistindo, saiba que ele faz uma referência, mesmo que distorcida, a esta obra, infelizmente".

    O autor tem outra perspectiva a respeito dos reality shows?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas!

      A observação que acrescentei foi só pra falar a respeito do nome "Big Brother" que marquei com asterisco, pois é bem capaz de alguém lembrar do próprio Pedro Bial falando "estamos de oooolho" hehehe.
      O livro não fala sobre reality shows, inclusive isso não existe na história. Foi o programa que se inspirou na obra para ficar de "olho nas pessoas" 24hrs por dia. Tanto que até o nome dele é o mesmo do líder do partido fictício da história ;) Chega a ser quase um plágio descarado... rsrsrs

      Obrigada pelo comentário!
      Bjos

      Excluir
  17. Flavia a capa desse livro é HORROROSAAA!!! Se ele dependesse da capa pra me atrair, jamais compraria ele. Achei a história interessante, mas confesso que não é um tipo de livro que leria. Não gosto muito de histórias pesadas, cruéis e pertubadas como vc mencionou que ele é. Prefiro mil vezes chorar em um drama. rsrs...Mas gostei bastante da resenha.
    Bjokass

    ResponderExcluir
  18. Leitura obrigatória????? Então com certeza não posso perder né :D
    Nunca vi nenhuma resenha negativa desse livro, nenhuminha...ele deve ser muuuuuito bom mesmo *--*
    Adorei sua resenha :D

    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Já tinha ouvido falar desse livro..mas não faz muito meu estilo literário e estou seriamente em dúvidas se leio ou não..sempre dou um voto de confiança no livro mas esse me parece ser bem maçante... e a capa não ajuda em nada =P

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Já vi ele várias vezes, mas nunca me interessei...nunca imaginei também que era tão interessante, sua resenha deixou um gostinho de quero mais.Só pela resenha me sentir dentro daquele cenário...Nem da pra imaginar atualmente o mundo dividido em 3 grande potências... e o que eu nunca imaginária que o reality show mais ridículo faz uma referência a esse belíssimo livro

    ResponderExcluir
  21. Tenho esse livro faz um tempão e ainda não li, que vergonha...
    Adorei sua resenha, talvez assim eu leia logo. Acho que nunca vi alguém que leu e não gostou, por isso acho que vou gostar tbm né? haha

    Bjs!

    ResponderExcluir
  22. Oi, Flávia! Confesso que esse tipo de leitura não é a que mais me atrai. Por mais que eu sempre leia boas críticas a respeito desse livro... não consigo me interessar por ele, ainda. Quem sabe um dia, não é? Beijocas.

    ResponderExcluir
  23. Esse livro é maravilhoso! É um dos meus favoritos!!!!

    Mais do que uma boa leitura, ele é uma espécie de aviso! - bem, pelo menos na minha opinião.

    Eu realmente acredito que a sociedade está caminhando para esse tipo de mundo controlador que o livro descreve :/

    ResponderExcluir
  24. Sou doida para ler esse livro. Semana passada, achei esse livro em uma livraria com a capa original, se eu estivesse com dinheiro tinha levado. E só tinham dois (que eu tenha visto) e não estavam em destaque. Duvido que eu os ache novamente.
    O livro parece ser ótimo! Imagina só viver em um mundo assim? Deus nos livre, já basta as crueldades de hoje em dia (é claro que em ''hoje em dia'' não é tão longe disso, como você mesma citou ''é claramente perceptível nos dias de hoje'').

    ResponderExcluir
  25. Esse livro super chamou a minha atenção desde que eu vi a sinopse.
    Sou viciada em história, e principalmente histórias de guerras. Sempre gostei de ler a respeito.
    Sem falar que o livro, escrito há tempo tempo, assemelha-se a nossa realidade, como foi dito.
    Tenho bastante interesse neste livro.

    ResponderExcluir
  26. Eu heim, já pensou ser considerada uma 'despessoa'?
    É triste imaginar uma situação dessa, onde as pessoas não tem o livre arbítrio. Esses Ministérios loucos que são apresentados no livro. Com certeza esse livro traz uma profunda reflexão, uma leitura mais calma, um pouco filosófica. Dizem por ai que somos livres, mas não somos, estamos sempre condicionados a regras e imposições.
    Vou ler esse livro em breve.
    Feliz primavera Flavinhaa

    ResponderExcluir
  27. Sou fã do George Orwell, e esse é o único que ainda não li. Pretendo lê-lo o mais breve possível e quero já em minha coleção.

    ResponderExcluir
  28. Esse livro nunca me chamou a atenção e muitas pessoas super indicam ele, mas não tenho vontade de lê-lo. Beijos

    ResponderExcluir
  29. Mereço prisão perpétua por ainda não ter lido este livro - tá eu sei, sou exagerada - mas é imperdoável, né? Ainda mais porque tenho este livro na estante. É que tenho medo de não gostar, todo mundo fala tão bem e fico assim, assim. Falam tão bem do Admirável Mundo Novo e eu não gostei. Penso que vai acontecer a mesma coisa com 1984. Sou estranha, também sei.

    ResponderExcluir