A Transformação de Raven - Sylvain Reynard

17 de julho de 2020

Título: A Transformação de Raven - Noites em Florença #1
Autor: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Gênero: Fantasia/Romance
Ano: 2015
Páginas: 448
Nota:★★★★☆
Sinopse: Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas.
Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus.
Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia.
Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam.
A transformação de Raven marca o início da série Noites em Florença, cujos personagens foram apresentados em O príncipe das sombras.

Resenha: A Transformação de Raven é o primeiro volume da série Noites em Florença que marca o início da incursão em romance sobrenatural do autor Sylvain Reynard.

Raven Wood nunca foi a garota mais popular ou bonita do colégio quando adolescente. Ela está acima do peso ideal e, devido a um acidente que sofreu na infância, ainda manca de uma perna e usa uma bengala. Apesar de ser insegura e ter baixa autoestima, nada disso impediu que ela fosse independente e corresse atrás de seus sonhos e paixões. Quando surge a oportunidade de ela trabalhar na Galeria Uffizi como restauradora de obras de arte, ela não pensa duas vezes e parte para Florença. Mas, numa noite, durante sua caminhada pra casa, ela acaba se envolvendo numa situação perigosa quando resolve defender um mendigo que havia sido espancado na rua por alguns marginais.
Sabendo do perigo da situação que não era nada favorável a ela, Raven já se prepara para o pior. Ela é atacada, e quando os baderneiros continuam, mesmo desfalecida, alguma coisa impede que ela seja violentada. Na semana seguinte ela desperta sem se lembrar de nada e mal acredita no que vê quando se olha no espelho. Ela não só se sente diferente, ela está diferente. Mais magra, mais bonita e até sua perna está completamente curada. Acreditando estar louca, Raven parte para a galeria, mas chegando lá é recebida por policiais. Ela descobre que a galeria foi roubada e se tornou a principal suspeita no caso do roubo por ter ficado sumida durante uma semana.
Como se tudo já não estivesse confuso o suficiente, ela conhece William, um homem que invade seu apartamento e a orienta a fugir para a própria segurança. Ele parece ter as respostas para todas as suas perguntas, mas obtê-las não será tão fácil quanto pensa. O que ela não imagina é que se trata do Príncipe de Florença, alguém cuja própria existência vai contra tudo o que ela acredita, mas que foi o responsável por salvá-la quando sua vida corria perigo, mesmo que ela não se lembrasse disso. Logo a atração é inevitável, mas a situação dos dois é mais complexa do que parece. O Príncipe deve manter seu reino protegido, mas precisará fazer uma escolha que poderá mudar sua vida, e a de Raven, para sempre.
A partir daí, segue uma história de suspense e amor em que dois mundos opostos se colidem.
mesmo que relutantemente o Príncipe a ajude, cada vez mais ele a arrasta para um mundo misterioso e desconhecido do qual ela deveria não saber que existe.

A escrita do autor é rica e graciosa, beira o estilo lírico e é um tanto afiada. Narrada em terceira pessoa, a história trata de um romance entre duas pessoas improváveis que, juntas, enfrentam os perigos das ruas de Florença. O romance fala de amor, sacrifício, religião e redenção ao mesmo tempo que se mescla com toques artísticos para dar beleza e riqueza à trama que vai se desenvolvendo de forma gradual e num ritmo lento mas, ainda assim, satisfatório.
Raven, inicialmente, é uma personagem que foge dos estereótipos de mocinha de romances contemporâneos, tanto pela aparência quanto pela personalidade, até mesmo porque ela mostra que a beleza é algo que vem de dentro. Ela é americana, mas, a fim de se livrar de seu passado conturbado e traumático, agarra a chance de ir para a Itália trabalhar com o que gosta em busca de uma vida nova.
O herói da vez - ou melhor, o anti-herói - é um vampiro secular, governador do submundo de Florença e que faz de tudo para manter a ordem na cidade. Mesmo que considere as pessoas seres insignificantes, ele sabe que elas são necessárias para que tudo possa fluir adequadamente no mundo. Ele é cruel, letal e valoriza a disciplina, mas esconde segredos e sentimentos como forma de fortalecer seu poder de influência e persuasão sobre os demais vampiros de sua espécie. Ao mesmo tempo que exerce seu charme se tornando alguém desejado, ele também é temido por ser alguém tão perigoso, mas para um homem que deve manter seus segredos em nome de seu governo, ter um ponto fraco que o torna vulnerável não é algo que ele pretendia ter no momento.

Um ponto de que gostei bastante foi o desenvolvimento dos conflitos internos que o casal enfrenta. Ele por ter que lidar com sentimentos que não sabia ser capaz de ter, pois uma criatura da noite tão imponente e sombrio não parece ser alguém capaz de amar. E ela por ser alguém que o torna vulnerável.
O roubo das famosas ilustrações de Botticelli também é abordado, dando prosseguimento ao que começou no conto anterior e que já vem da série O Inferno de Gabriel. Mesmo que não seja necessário ler O Príncipe das Sombras, acredito que a leitura seja importante para um entendimento mais completo do que se passa.

Os personagens de forma geral são bem construídos e interessantes e, mesmo que haja fantasia sobrenatural envolvida, possuem características emocionais que os tornam bastante próximos da nossa realidade.
A partir das descrições que o autor faz, é possível até mesmo fazer uma verdadeira viagem por Florença. E quem tem algum conhecimento de obras de arte vai ficar satisfeito ao se deparar com algumas obras sendo mencionadas no decorrer do livro.
A capa não tem detalhes a serem destacados apesar de ser bonita e bastante intrigante. As páginas são amarelas, apesar da imagem de uma das obras mencionadas na história que aparece no início do livro, a diagramação é simples e sem diferencial, e a fonte tem um tamanho agradável. A revisão está ótima. Ao fim da história há uma cena extra envolvendo o livro A Redenção de Gabriel mas que está ligada diretamente a este, e outra sobre Aoibhe, uma das personagens que anseia por ser a Princesa de Florença ao lado do Príncipe.

Talvez o título remeta a outro tipo de transformação, não a física pela qual Raven passa, mas algo interno, que envolve não só ela, mas a forma como o próprio Príncipe age e encara sua missão em Florença ao ser o responsável pelo submundo quando se deixa levar por um sentimento novo e único...
Ansiosa pelo próximo volume a fim de saber quais serão as consequências para as escolhas de Raven Wood e o Príncipe de Florença. Conspirações e reviravoltas, vingança, busca por poder, embates entre vampiros e caçadores e uma trama recheada de cenas super sensuais é o que nos aguarda em A Transformação de Raven.
0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário