18 de outubro de 2018

A Caçadora de Dragões - Kristen Ciccarelli

Título: A Caçadora de Dragões - Iskari #1
Autora: Kristen Ciccarelli
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia/Jovem Adulto
Ano: 2018
Páginas: 386
Nota:
Sinopse: Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.

Resenha: Num mundo dividido entre homens e dragões, onde o simples ato de contar histórias pode ser fatal. Quando pequena, Asha sofria com pesadelos terríveis e sua mãe lhe contava histórias antigas que, apesar de acalmar a menina, atraíam dragões para o reino e desencadeava um grande caos. Asha só descobriu o quanto essas histórias eram perigosas quando sua mãe morreu por causa delas, e quando contou, sem saber das consequências, essas histórias para o povo, onde despertou e atraiu o mais terrível dos dragões: Kozu. Ele matou milhares de pessoas, destruiu metade da cidade de Firgaard e marcou a garota pra sempre. As histórias, desde então, foram proibidas. Agora, aos dezessete anos, a jovem princesa é a caçadora de dragões oficial do reino. Ela tomou como missão de sua vida matar todos os dragões que puder encontrar como forma de se redimir. E para reparar o estrago feito na cidade e na vida de muitas pessoas por algo que ela acredita ser sua culpa, ela precisa acabar com Kozu, mas não antes de embarcar numa jornada onde vai descobrir a verdade sobre tudo o que aprendeu e sobre si mesma...

Narrada em terceira pessoa, a história requer um tempinho para que possamos nos adaptar às nomenclaturas diferentes e a estrutura social super complexa de Firgaard, mas logo fisga o leitor com a excelente escrita da autora e com o seu desenvolvimento. Os capítulos se intercalam com trechos das histórias proibidas, as mesmas que atraem dragões e matam as pessoas quando são contadas, e elas expandem nossa visão desse mundo deixando a trama muito mais rica e interessante.

Inicialmente não tive muito simpatia por Asha pois, embora seja forte, leal e feroz, ela é imatura e toma atitudes um tanto questionáveis, principalmente antes de ir atrás de Kozu. Assim, sua jornada não é só para caçar, matar o dragão e trazer a cabeça dele para seu pai, mas também para que ela passe por várias coisas que serão responsáveis pelo seu amadurecimento como pessoa, para torná-la mais humana, mais sensível e menos alheia aos problemas do reino.
Assim, os personagens secundários acabam tendo um papel muito importante não só no desenrolar da trama, mas também no desenvolvimento e amadurecimento da própria protagonista.

Como um bom livro jovem adulto, não poderia faltar o elemento romance, e fiquei super satisfeita com a ideia de que o relacionamento é algo que não desvia o leitor do foco principal, se desenvolve sem pressa, de forma sutil e que aos poucos vai amolecendo o coração de Asha.

Assim, nos deparamos com uma história rica em sua construção e em sua mitologia, e através de sua protagonista podemos perceber que, embora o passado tenha deixado nela várias cicatrizes e a obrigado a seguir por um caminho que ela não pôde escolher, a liberdade é algo que sempre vai falar mais alto.

Eu gostei bastante da diagramação em geral e da capa que a Editora Seguinte escolheu para publicar a obra aqui no Brasil. É simples mas super bonita e condizente com a história. Acho que nem teria como aproveitar a capa original já que a bendita é a mesma usada por J.A. Redmerski em O Retorno de Izabel (e a capa gringa também é igual).


Enfim, A Caçadora de Dragões é o início de uma trilogia fantástica que superou as minhas expectativas, principalmente por ser livro de estreia da autora, e agora só me resta aguardar ansiosa pela continuação. Pra quem é fã de fantasia e adora histórias com dragões, é leitura mais do que recomendada!
0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário