8 de outubro de 2018

Na Telinha - BoJack Horseman (1ª Temporada)

Título: Bojack Horseman
Temporada: 1 | Episódios: 12
Elenco: Will Arnett, Alison Brie, Amy Sedaris, Paul F. Tompkins, Aaron Paul
Gênero: Animação/Comédia/Drama/Fantasia
Ano: 2014
Duração: 25min
Classificação: +16
Nota
Sinopse: BoJack é um decadente cavalo que trabalha na TV. Uma estrela já esquecida de um seriado da década de 1990 chamado Horsin' Around, ele disfarça sua baixa auto-estima com uísque e relações fracassadas. Com a ajuda de Todd, seu parceiro humano, e a ex-amante Princess Carolyne, ele quer deixar novamente a sua marca no mundo do entretenimento.

BoJack Horseman é uma sitcom que se passa numa Las Vegas onde humanos e animais antropomórficos coexistem em sociedade de forma bastante natural e pacífica. BoJack é um "cavalo-homem" que estrelou um show de comédia familiar nos anos 90 chamado Horsin' Around, onde ele era o protagonista que fazia o papel de uma figura paterna para três crianças humanas e órfãs. Com o posterior fracasso e fim do seriado, BoJack caiu no esquecimento. Vinte anos depois, ele vive a base de bebidas, sexo e drogas em sua mansão, mas agora pretende voltar aos tempos de glória. Para isso, ele vai contar com a ajuda (ou com as trapalhadas) de Todd, seu amigo humano, de sua agente e ex-namorada, a gata Princess Carolyn, e de sua nova ghost writer, a humana Diane Nguyen, que foi indicada pelo seu editor para escrever a biografia de BoJack numa tentativa de voltar a ter alguma relevância como ator em Hollywood, ou, como fica conhecida posteriormente, Hollywoo.

Então, é iniciada a trajetória de BoJack em busca de reconquistar sua fama, e nesse caminho, cheio de altos e baixos (e com muitos mais baixos do que altos, diga-se de passagem) vamos conhecendo quem ele é, de verdade.


Embora a primeira temporada foque bastante num BoJack relutante em dar informações sobre sua vida a Diane, que é sempre muito realista, para que ela escreva sua biografia, suas atitudes deixam bem claro que, embora seja obcecado em ser o melhor, no fundo ele é bastante fechado com relação ao que sente, tem suas inseguranças e não sabe bem como lidar com tudo o que acontece, principalmente com o tédio da própria vida. Obviamente isso não passa despercebido por Diane, que sempre está a postos tomando nota de tudo para que a obra fique fiel a sua imagem exterior e interior.

Talvez umas das dificuldades de BoJack em se abrir com Diane seja pelo fato dela ser a namorada de Mr. Peanutbutter, um golden retriever super animado e cheio de disposição, que também é ator e estrelou uma série bastante parecida com a série que BoJack fez no passado. Como ele enxerga Mr. Peanutbutter como um tipo de rival, mesmo que isso não seja recíproco por parte do cachorro, ele demora a se sentir confortável para começar a falar de si com alguém que ele acredita não poder confiar plenamente até que se prove o contrário.
Ele é inteligente, às vezes se aproveita de algumas situações acreditando que está se dando bem, mas mesmo que o que ele faz possa prejudicar algumas pessoas, ele, no fundo, não quer o mal para ninguém.


Todd vem dormindo no sofá de BoJack há cinco anos. Desde que frequentou uma festa na casa dele, nunca mais foi embora. Ele é desleixado e não tem muito senso de realidade, e acaba sofrendo alguns abusos por estar nessa posição. Ele é quase como o Alan sendo humilhado por Charlie em Two and a Half Men.
Princess Carolyn é uma workaholic que não perde nenhuma oportunidade quando o assunto é dinheiro, e fica tentando conseguir qualquer trabalho na TV para BoJack, porém, com a reputação dele, a tarefa não é nada fácil.

Assim, cada personagem tem um arco próprio, com personalidades distintas e objetivos diferentes, e, aos poucos, vamos conhecendo mais de cada um deles e vendo como suas vidas, por mais glamourosas que possam parecer quando vistas de fora, na verdade são tristes, depressivas e muito solitárias, pois eles não conseguem chegar lá e sempre tem algo que os puxa pra baixo.
A própria abertura da série já evidencia o quando BoJack é infeliz e solitário, mesmo que viva promovendo festas de arromba e esteja rodeado de pessoas, que ele sequer conhece.


Através dessa tentativa de BoJack em resgatar sua fama, vemos o quanto o mundo do show business não é sempre flores, e que por trás das cortinas - e das aparências - há muito mais sujeira e podridão do que se pode imaginar. A série mostra tudo isso com bastante realidade, usando de sarcasmo e humor negro para expor situações delicadas e chocantes que envolvem depressão, drogas, álcool, sexo, misoginia, machismo, chantagens, abusos, e afins, e que causam impacto o suficiente para colocar o expectador para refletir, seja pelos diálogos super inteligentes ou pelos acontecimentos que vão se desenrolando ao longo da temporada.


Um ponto que achei bem bacana é que, por mais que os animais convivam em sociedade e mantenham relações de todos os tipos com os humanos ou com outros animais, sejam da mesma espécie ou não, eles não perderam seus hábitos biológicos, logo somos agraciados com várias cenas hilárias nesse sentido. Não sei se foi intenção, mas eu inclusive cheguei a pensar que essa mistura foi uma forma do criador da série mostrar que é possível sim, conviver em harmonia e respeitar todas as diferenças de quem quer que seja, por mais esquisitas e peculiares que sejam.

Enfim, embora seja recheada de drama pelos temas pesados que trata, BoJack Horseman é uma série com vários toques de bom humor ao mesmo tempo que é sombria, reflexiva e brilhantemente incômoda.


0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário