29 de agosto de 2017

Ninguém Vira Adulto de Verdade - Sarah Andersen

Título: Ninguém Vira Adulto de Verdade
Autora: Sarah Andersen
Editora: Seguinte
Gênero: Juvenil/Tirinhas
Ano: 2016
Páginas: 120
Nota:
Sinopse: As tirinhas certeiras de Sarah Andersen, que já contam com mais de 1 milhão de fãs no Facebook, registram lindos fins de semana passados de pernas pro ar na internet, a agonia de andar de mãos dadas com alguém de quem estamos a fim (e se os dedos ficarem suados?!), a longa espera diária para chegar em casa e vestir o pijama, e a eterna dúvida de quando, exatamente, a vida adulta começa. Em outras palavras, este livro é sobre as estranhezas e peculiaridades de ser um jovem adulto na vida moderna. A sinceridade com que Sarah Andersen lida com temas como autoestima, timidez, relacionamentos e a frequência com que lavamos o sutiã torna impossível não se identificar com esses quadrinhos hilários e carismáticos.

Resenha: Ninguém Vira Adulto de Verdade reúne tirinhas muito divertidas e verdadeiras que fazem parte do dia-a-dia de uma jovem engraçada e cheia de maluquices quando o assunto é relacionamentos, autoestima e até mesmo quando o seu próprio útero está prestes a lhe pregar uma peça quando menos se espera...
As criações da autora, que são relatos de momentos do cotidiano, já eram publicadas na Sarah's Scribbles, sua página no Facebook, que já conta com mais de dois milhões de curtidas.


Eu já acompanhava algumas publicações e fiquei muito feliz com a ideia de ter um livro tão caprichado em mãos.
A capa dura, as páginas grossas e tantas ilustrações divertidíssimas são um prato cheio pra quem gosta e é fã de tirinhas.

O que eu gosto mais no livro (e na própria fanpage) é que a autora representa muitas situações dos dias de hoje de uma forma muito engraçada, como se a ideia fosse rir das próprias tragédias da vida, não importa de que tamanho sejam. Então, mesmo que eu ainda não seja adulta, pra mim foi impossível não me identificar com as comparações do antes e depois e com as ideias dela de não querer ter filhos, mas querer ter milhões de bichos de estimação, ou enxergar minha própria mãe antissocial e impaciente na pele da personagem. Ela é muito tímida e tem várias neuras quanto a isso, faz coisas que contradizem seus pensamentos, odeia ficar cercada de gente, passa por situações constrangedoras e faz cara de paisagem, vive deixando pra depois o que poderia fazer hoje por motivo nenhum (ou só pra ganhar tempo colocando seriados em dia ou lendo enrolada em cabaninhas de cobertores), deixa as pernas cabeludas por preguiça de se depilar, não abre mão de usar pijama NUNCA e ama livros e vira a noite lendo até o sol raiar. Pra cada situação tem uma atitude, um pensamento, uma reação engraçada ou carregada de sarcasmo e ironia, e até umas cutucadas de leve na forma imbecil como muita gente utiliza as redes sociais, mostrando que ser adulto é praticamente uma ilusão, pois ninguém vira adulto de verdade quando a criança que temos dentro de nós ainda está alí insistindo em nos fazer passar vergonha ou agir de modo.



É um livro divertido, feito pra arrancar muitas risadas, no meu caso gargalhadas altas mesmo, ou até mesmo pra distrair. É uma leitura rápida e que vale a pena, não só pela ideia da diversão, mas por mostrar pequenos momentos de uma recém adulta que parece ainda estar com o pé na infância e ainda está aprendendo a lidar com suas inseguranças, relacionamentos, vida social, TPM e muito mais.

Nenhum comentário

Postar um comentário