13 de abril de 2017

Novidades de Abril - Objetiva

Stálin - Stephen Kotkin

Em janeiro de 1928, Stálin embarcou num trem com destino à Sibéria, onde faria a grande aposta de sua vida política. Estava prestes a lançar o mais radical programa de replanejamento social já imaginado: a coletivização da agricultura e da indústria por toda a União Soviética. Milhões morreriam, mas ele iria até o fim contra toda resistência e dúvida. Como Stálin chegou a este ponto? De onde veio um poder tão desmedido e monstruoso? Produto de uma década de pesquisas meticulosas, este livro - o primeiro de três volumes - apresenta o retrato mais convincente já publicado sobre a chegada de Stálin ao poder. Stephen Kotkin apresenta revelações surpreendentes e uma visão íntima da geografia interna do regime bolchevique. O autor expõe de forma brilhante a sequência de catástrofes que eliminaram as estruturas sociais, o exército, os rivais e os próprios colegas que se colocaram no caminho de Stálin.

Me Diga Quem Eu Sou - Helena Gayer

Como num grito de alerta, Helena Gayer transmite as nuanças de uma pessoa apunhalada pelo transtorno bipolar. Com crueza, minúcia e fervor, a autora narra seus mergulhos ora em depressão ora em mania e as muitas experiências por que passou, correndo risco de morte e abusos. Ao se abrir e descrever com detalhes as inúmeras tentativas de ter uma vida normal, os episódios de completa alienação e as internações, ela deixa escapar, a cada linha, um pedido tênue, uma súplica fugaz, para que tenhamos um olhar mais apurado em direção à pessoa, não só à doença. Helena nos apresenta um relato íntimo sobre como é viver, sobreviver e constantemente se rearranjar nessa realidade tão dura e tantas vezes negligenciada. Diagnosticada aos 21 anos, ela remove e nos mostra cada estilhaço de sua trajetória, enquanto seguimos com ela numa jornada de dor e descoberta, mas, acima de tudo, de superação.

O Poder da Alegria - Frédéric Lenoir

É possível compreender uma experiência com aspectos tão diversos quanto a alegria? Ser alegre é viver livremente, é não estar condicionado aos desejos dos outros ou dependente do reconhecimento. No Ocidente, frequentemente consideramos a vida um fardo necessário, quando na verdade deveríamos receber a vida como um presente - isso, segundo Frédéric Lenoir, significa alegria de viver. O poder da alegria nos ajuda a criar as condições necessárias para uma vida repleta de realizações. Um guia para o leitor em busca de uma felicidade autêntica e duradoura.

Nenhum comentário

Postar um comentário