5 de dezembro de 2014

Amigas para Sempre - Kristin Hannah

Lido em: Dezembro de 2014
Título: Amigas para Sempre - Firefly Lane - Livro 01
Autora: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance/Drama
Ano: 2013
Páginas: 448
Nota
Sinopse: Tully Hart tinha 14 anos, era linda, alegre, popular e invejada por todos. O que ninguém poderia imaginar era o sofrimento que ela vivia dentro de casa: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas, costumava desaparecer por longos períodos, deixando a menina aos cuidados da avó. Mas a vida de Tully se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu a garota mais legal do mundo. Kate Mularkey era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully sentir-se parte de sua família. Ao longo de mais de trinta anos de amizade, uma se tornou o porto seguro da outra. Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos. Kate, por sua vez, a ensinou a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena. As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio. Até que algo acontece para abalar a confiança entre elas. Será possível perdoar uma traição de sua melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto salvar.

Resenha: Amigas para Sempre escrito pela autora Kristin Hannah e lançado pela Editora Arqueiro é o primeiro livro da duologia Firefly Lane.
O livro conta a história de Tully e Kate, que são amigas há 30 anos. Elas se conheceram ainda adolescentes, viviam em mundos diferentes, completamente o oposto uma da outra mas que foram unidas ao acaso pelo destino de forma que uma completasse a vida da outra, inclusive fizeram um juramento de que a amizade deveria ser eterna.
Tully é extrovertida e animada por mais que tenha tido um passado conturbado com a família. Ela quer esconder toda a mágoa e frustração guardadas em si por ter sido abandonada pela mãe por trás da máscara da popularidade. Ao se mudar para a Alameda dos vaga-lumes, conheceu Kate, que é bem diferente: inteligente, querida e amada pela família, bondosa mas bastante tímida pra se enturmar e fazer amizades com os outros. Dessa forma, ela sempre teve dificuldades em negar os pedidos da amiga, por mais absurdos que fossem, e o comportamento ambicioso de Tully, que considerava os sonhos de Kate tão "pequenos" perto dos seus, passou a criar fissuras nessa amizade duradoura colocando muitas coisas em questão e tornando a amizade das duas cheia de altos e baixos.

Narrado em terceira pessoa e dividido por décadas (70, 80 e 90), o livro é uma verdadeira novela. A autora investiu nos detalhes da amizade e nos acontecimentos que envolvem as duas, como o início da amizade, a ida à faculdade, o esforço para se darem bem na carreira, e juntas vivem tudo o que amigas verdadeiras poderiam viver... sonhos, amores, decepções, e tudo o que passam as definem como as pessoas que se tornaram quando adultas, mas a história não vai além disso. Senti como se fosse algo escrito para cair no gosto popular por ser muito clichê e previsível, ter alguns trechos emocionantes e carregados de sentimentalismo com propósito de fazer o leitor se debulhar em lágrimas, afinal, a amizade é uma coisa linda e maravilhosa quando é verdadeira, sincera e etc, mesmo que a vida seja difícil e cheia de problemas e infortúnios, mas que pra mim não funcionou muito bem devido a forma como foi contada. Fiquei com a impressão de que foram impostos estereótipos femininos que não me agradaram: ou a personagem é forte e decidida que sai passando por cima de tudo e todos em nome do próprio sucesso sem se prender a ninguém, ou é amável, romântica, mãe e dona de casa, submissa que aceita tudo calada e seja o que Deus quiser. Sem contar que as amigas são diferentes uma da outra, mas em certos pontos parecia que eram a mesma pessoa.
Amigas para Sempre é o tipo de história que poderia ser contada de forma muito mais direta e resumida, e quase 450 páginas foram uma enrolação sem tamanho. Muitas páginas pra pouca coisa a ser contada. Acredito que a mesma história, se enxugada, poderia ter sido contada em umas 150 páginas no máximo e isso fez com que a leitura se tornasse arrastada e muito cansativa pra mim, por mais fácil que seja. Acompanhamos a evolução e amadurecimento da amizade com o passar dos anos e fim. Fiquei com uma sensação de vazio ao fim do livro, que como imaginei, foi de destroçar o coração dos mais sensíveis (não o meu, como já esperava), não pela dor das personagens, mas por achar que faltou um algo mais na história, uma reviravolta, não sei ao certo. Mas posso afirmar que aproveitei bastante a questão da passagem pelas décadas e como isso influenciou na vida das protagonistas. Por esse motivo, não achei que foi uma leitura maravilhosa, mas também acredito que não deva ser descartada. É um bom livro.

Com relação a parte impressa, a capa retrata bem o nome da Alameda onde as meninas moravam quando adolescentes se tornando algo cheio de significado. As paginas são amareladas e não encontrei erros na revisão.

Como duologia, o segundo livro, Por Toda a Eternidade, foi publicado pela Editora Novo Conceito (por mais que eles tenham afirmado que não se trata de continuação) e pra quem quer se ver livre de spoilers, deve-se manter a ordem da leitura.


1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Quando terminei de ler este livro, fiquei com saudade das amigas de infância...
    Tenho que confessar que pulei várias partes, tem hora que o livro se arrasta demais. Mas vale a pena a leitura. ;)

    ResponderExcluir