20 de abril de 2014

Dias Perfeitos - Raphael Montes

Lido em: Abril de 2014
Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Literatura nacional/Ficção/Suspense
Ano: 2014
Páginas: 274
Nota:
Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.
Resenha: Téo é um estudante de medicina que mora no Rio de Janeiro e cuida da mãe paraplégica. Ao conhecer Clarice num churrasco o rapaz se encanta por sua beleza, seu jeito descolado e sua personalidade. Mas esse encantamento logo se torna um amor (?) obsessivo que leva Téo a raptar a garota e levá-la para um chalé em Teresópolis. Com um clima perturbador e intenso, Dias Perfeitos mostra o quão perversa a mente humana pode ser.

Para ser sincero, eu nem mesmo li a sinopse com atenção antes de começar Dias Perfeitos. Só iniciei a leitura e fui desvendando a história pouco a pouco. Quando entrei no clima pude entender a quê o livro veio e que o autor é realmente bom.

A história de Clarice e Téo é bem intensa. Ele a conhece, tem um amor à primeira vista, sequestra a moça e leva ela para um chalé. Mas não é só isso, claro. A mente doentia dele cria várias teorias sem nexo nenhum para essa relação e a obsessão por ela é bem característica de alguém com problemas psicológicos. O cara acha que ela o ama, quando na verdade o ódio dela só cresce por ele. Téo cria planos para o futuro, quando esse futuro não chegará. Essas nuances do personagem me apavoraram e causaram uma espécie de revolta. Em certos trechos me arrepiei, pois as atitudes dele em relação a Clarice foram sórdidas, doentias e macabras. Só lendo para ter noção exata disso.

A narrativa de Raphael é bem madura e concisa. As frases são bem colocadas, lê-las foi como ouvir uma música com uma harmonia perfeita. Em algumas cenas de tortura (não é spoiler) o autor criava um ritmo diferente para narrar os fatos, o que foi sensacional. Parecia que eu estava acompanhando um filme macabro com uma trilha sonora que se encaixava perfeitamente ali. Em momentos mais brandos as frases soavam com a mesma harmonia. Uma que me agradou foi "Clarice lia Lispector", uma referência ao livro que Téo deu de presente a garota.

Dias Perfeitos é um bom livro, sem dúvidas. Raphael tem talento e isso é inquestionável, mas há furos, infelizmente. O final do livro é meio fantasioso, sai um pouco do roteiro de todo o conteúdo apresentado. Senti que o autor quis dar um final diferente para a história e acabou deixando tudo surreal demais. Nós conhecemos nosso país e sabemos como as coisas funcionam aqui, e isso deixa claro que o fim de Dias Perfeitos foi meio irreal, com fatos mal explicados e buracos na trama.

Da Companhia das Letras tive o prazer de ler três titulos nacionais: O Matador, Patrícia Melo, Fim, Fernanda Torres (já resenhado aqui) e Dias Perfeitos. É notável a preocupação da editora em lançar bons livros e valorizar nossos autores. Então, se você está a fim de uma história tensa e capaz de provocar diversas reações ao decorrer da leitura, Dias Perfeitos é uma boa pedida.


6 comentários

  1. Oi Lucas :)

    Confesso que minha empolgação a respeito desse livro é muita, mas fiquei meio assustado e temeroso com o que você disse sobre o final ter furos e etc. Espero não me decepcionar. Abraços!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. ok '-' sem dúvida não leria esse livro, to cansada de gente perseguidora huuhashu
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha, o livro parece ser bem interessante, muito bom acompanhar os autores brasileiros nos mais diferentes gêneros! A capa tb ficou bem legal, juro que esse duende de jardim me assustou!! hahahahah
    Beijos
    Isadora

    http://novoromance.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Me arrepiei só com a resenha imagina com o livro ! Que na verdade pelo apresentado acima não lerei tão cedo. Estou meio que pulando fora fe narrativas macabras, mas fico feliz pela literatura nascional estar produzindo bons livros do gênero.
    Beijos e abraços , Uma vida nos livros

    ResponderExcluir
  5. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  6. Estou muito afim de ler *-*
    espero comprar logo o meu.
    Gostei da resenha =)
    Beijos

    http://cartaen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir