2 de novembro de 2012

O Mendigo - Edson Jose da Silva Santos

Lido em: Novembro de 2012
Título: O Mendigo
Autor: Edson Jose da Silva Santos
Editora: Baraúna
Gênero: Literatura Nacional
Ano: 2010
Páginas: 235
Nota
Sinopse: Herbert é um mendigo que, como tantos outros, passa por dificuldades e sente na pele o peso do preconceito. Porém, a sua forma peculiar de comunicação e a sua desenvoltura em transmitir paz através de palavras otimistas faz dele uma personalidade única nos lugares por onde passa. É um homem que usa a sua experiencia de vida, os seus conhecimentos e a sua própria mendicância para acalentar os corações mais aflitos.
Resenha:  Em "O Mendigo", somos apresentados a um grupo de adolescentes que moram numa vila de classe média e que estavam reunidos batendo um papo descontraído enquanto algumas crianças jogavam bola. Acidentalmente a bola atinge um homem que passava por ali e o derruba no chão, e Marcos, o mais sensato da turma, vai ajudá-lo na maior boa vontade. E assim os jovens conhecem Herbert que apesar de ser um mendigo, é um homem muito inteligente, sábio, bondoso, gentil e com muita experiência de vida. Ele consegue enxergar além do que as pessoas são ou demonstram ser e sempre tem uma explicação ou conselho pra todas as coisas e atitudes erradas que os outros fazem. E através dele, os jovens ficam tocados e resolvem ajudar a comunidade a que ele pertence. Todos ficam impressionados ao saberem como funciona a distribuição dos donativos e a organização entre o pessoal da favela caindo aos pedaços, com exceção de Sandra, a patricinha da turma que o repudia por ele ser um mendigo pobre e imundo. Mesmo sendo admirado pela sua atitude e forma de pensar por alguns, Herbert também é criticado por quem se acha superior a ele, mas mesmo assim, não carrega raiva no coração, perdoa essas pessoas por mais maltratado que seja, e segue a vida continuando sua jornada de mendicância e ajudando os outros através de sua sabedoria. Ele também desperta a curiosidade desses jovens a respeito de sua origem e o que o levou às ruas já que é tão inteligente.

O livro aborda o preconceito, a amizade verdadeira, o amor, a intolerância, a futilidade, o egoísmo, o mal julgamento, os bons valores, etc... Enfim, aponta vários pensamentos sobre atitudes erradas que as pessoas têm e que não vão levá-las a lugar nenhum, mas para ser bem sincera, apesar de concordar com o ponto de vista do que é certo e errado e o que a pessoa precisa fazer para ser alguém melhor, eu não gostei da forma como a proposta deste livro foi apresentada, pois não há uma história propriamente dita.
Senti que as situações e os personagens foram criados de forma muito forçada, só com a finalidade de demonstrar quem ou o que corresponde ao que é certo ou errado para logo em seguida vir a lição de moral do mendigo. A mensagem não está nas entrelinhas, mas sim escrachada, e isso me incomodou porque são ensinamentos e pontos de vista que pelo menos a maioria que tem senso está cansada de saber.

A personagem Sandra, por exemplo. Uma mocinha linda, loira e dos olhos azuis, super preconceituosa, antipática e esnobe, que detesta pobreza. Ela acredita que não tem que estudar pra ser alguém na vida, mas sim, encontrar um marido rico para sustentá-la e lhe proporcionar uma vida cheia de status e luxo, então, quando tem oportunidade, mesmo sendo menor de idade, se veste de forma provocante a fim de tentar fisgar o tal bom partido se jogando pra cima dele. É o tipo de pessoa que absorve o que lhe convém, e faz julgamentos precipitados, sem saber se correspondem a verdade ou não. Todas as características que resumem uma pessoa intragável, ridícula e pobre de espírito, estão em Sandra. Porém, o que acontece é que uma situação foi criada e ela faz algo errado, como um julgamento por exemplo, e logo em seguida aparece alguém para lhe dar lição de moral, falando que tal atitude não é certa. Muitas vezes a fala ultrapassa uma página inteira! Não é um diálogo, é um sermão inteiro!

Acho que todos sabem que pessoas fúteis e que têm o pensamento atrasado, até que caiam na real, não chegam em lugar nenhum, então, a lição de moral que é dada a cada atitude ou julgamento que Sandra (ou qualquer outro) faz pra apontar que esse tipo de comportamento é errado, é totalmente desnecessária. Mesmo que depois venha a explicação do motivo que levou Sandra a se comportar assim, achei forçado demais! Tão forçado, que até os adolescentes fazem faculdade de algum curso que de alguma forma tem a ver com a própria personalidade, como Marcos, que faz Direito e tem um grande senso de justiça... Inclusive todos os cursos que eles fazem na faculdade são "tops", como Medicina, Psicologia, etc...

Outra coisa é que tudo é narrado da forma mais informal e simples possível, talvez para nos aproximarmos das personagens e sentirmos que podem ser pessoas do nosso cotidiano que falam e se comportam como nós, mas uma coisa é a pessoa conversar casualmente, de forma descontraída e ao vivo, outra coisa é a pessoa colocar a conversa em forma de narrativa num livro. Por um lado até pode ser bacana se se tratasse de uma característica linguística de um personagem em particular, mas muitas vezes não senti que se tratava de uma narrativa de um livro, mas de alguém contando um caso qualquer, principalmente por causa do uso constante de artigos antes dos sujeitos, como por exemplo "O Carlos abraçou a Sandra". Isso pra mim empobrece completamente o texto ainda mais pelo fato de o artigo ser usado e outras vezes não, ainda que na mesma frase! Além de alguns erros ortográficos, palavras como "" e "tava" estão muito presentes nas falas. Termos como "pegou uma queda por causa da bola", "deu formiga na cama", "para de fazer vergonha", "que marmota é aquela lá dentro?" e "abestado" também aparecem muito e por mais que as pessoas entendam, acredito que são expressões regionais e nem todos estão acostumados ou por dentro do que significam... Senti que a narrativa foi feita com sotaque do próprio Nordeste!
Muitas vezes aparecem personagens que nem são apresentados direito. Quem são, de onde vem... Eles surgem do nada!

Enfim, gostei da capa desse livro e acho que a ideia de falar a respeito desses problemas da sociedade é válida, mas a forma como foi exposta em forma de livro, não me agradou.

39 comentários

  1. Flavia, eu juro que ao começar a ler a resenha dei uma risadinha lembrando da nossa conversa sobre ele . Dá pra ver realmente que o livro não te agradou, e depois de tantos comentários que você fez, eu não criei vontade de ler também. hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar desse livro
    Mas tem um tema poucoabordade e me parece ser bastante emocionante

    Beijos
    @pocketlibro
    http://www.pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu curto muito essa sua sinceridade, o seu jeito de falar tudo o que pensa sem se importar com os outros. Adorei a sua resenha e depois de tudo que comentamos a respeito de O mendigo, ele virou um livro que nunca irei ler, rs, não curti mesmo, pois acho que tudo que ele teria para acrescentar, ou ensinar, eu já sei. Minha mãe fez o trabalho dela muito bem, haha.
    E realmente, a capa é bem legal e misteriosa, mas o livro, não.
    Beijo Flávia!!

    ResponderExcluir
  4. Oie Flávia,
    A verdade é que os autores estão querendo chegar tão próximo da população que acabam se perdendo. Livro é livro, vida real é vida real. Ok, vamos abordar um tema polêmico? Beleza, trabalhe direito.
    Agora temos um assunto que pode ser trabalhado de mil e uma maneiras diferentes e interessantes, e a pessoa se perde no contexto. Parece que a pressa de acabar, de lançar. Ou a tentativa de inovar está fazendo com que a qualidade dos livros estejam diminuindo. Enfim, talvez lesse o livro para contemplar o tema, mas não gostei do fato de 'não ter história'... Não sei.
    Sua resenha foi ótima.

    Beijos,
    http://secretsentreamigas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. "Para de fazer vergonha"? Nossa, mas que termo, eu nunca ouvi isto antes... realmente estranho.
    Você é mesmo bem detalhista e é bem raro encontrarmos leitores assim na blogosfera, o que me entristeci um pouco já que as pessoas não costumam ser 100% sinceras como você. É difícil expor os pontos fracos de uma maneira que não agrida o autor e penso que você se sai bem neste quesito.

    Parabéns pela resenha.

    Vanessa - Blog do Balaio

    ResponderExcluir
  6. adoro a sua sinceridade Flavinha,
    adorei a resenha, e não sei se leria esse livro ><

    beeijo!
    Letícia - Céu de Letras

    ResponderExcluir
  7. Oi ..

    Não conhecia o título e, sinceramente, não me atraiu também. Concordo com você que explorar fatos assim pode até ser interessante, mas quando não se explora direito uma proposta, não funciona né?

    Parabéns pela resenha!

    João Victor - Amigo do Livro
    http://amigodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. A capa do livro é realmente linda, mas pelo que vi você não curtiu muito! Realmente diálogos que ocupam quase uma página não dáa!^^
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    ResponderExcluir
  9. Oi, Flávia!

    Parabéns pela resenha, gosto deste tipo de resenha em que falamos a verdade. Concordo com você, relacioanado a capa do livro, que é bonita. O livro não me atraiu muito, não é tipo de temática que costumo ler;

    Bjos ;*
    Natalia - Entre Livros e Livros
    http://musicaselivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Não me interessei pelo livro e adorei sua resenha.
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Flávia!

    Já tinha comentado que estava com vontade de ler o livro, mas principalmente porque creio que devemos incentivar mais a leitura vinda de autores nacionais. Li toda a tua resenha e, sinceramente, já imaginei que se tratasse do tipo de leitura exatamente como tu colocastes. Adoro o jeito que tu escreve, de todos os blogs literários que já visitei, o teu foi um dos poucos que realmente me chamou a atenção e que eu realmente leio a resenha do início ao fim. Parabéns pela sinceridade e pela forma polida que usastes para mencionar os pontos fracos do livro. Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Olá, primeiramente, parabéns pela sinceridade na resenha.

    Já sabia da existência do livro, e até tenho vontade de lê-lo.
    Fazer um livro é algo completamente difícil, tiro por mim, tenho uma ideia na cabeça que até acho legal mas passar para o papel já é outros 500 mil, muito complicado xP

    Reflexos é algo que precisa ser compreendido, não simplesmente jogado na cara com o certo ou errado. Sermões são cansativos e normalmente não servem muitos, as pessoas são sempre relutantes em receber certos tipos de conselhos, por isso quando se pretender fazer algo do tipo, tem que ter um “jheito” de demonstrar suas ideias, o que é algo bem trabalhoso xP. Os personagens parecem forçados me incomoda. Mas engraçado, gostaria de ler para tirar minhas próprias conclusões, normalmente sou do contra, muito livros que amo as pessoas não curtem xP

    Claro, O Mendigo (cuja cara é linda *.*) não é uma prioridade, mas quem sabe um dia ^^

    Bjão o/

    -Amigas Entre Livros-

    ResponderExcluir
  13. Oi Flavia! Sinceramente não fiquei com vontade de ler, eu acho super legal um livro passar uma mensagem, mas tem que ser de forma sutil, odeio imposições, sou rebelde com muitas coisas, então com isso já perdeu estrelinhas comigo.
    A beleza de passar uma mensagem, está na criatividade de mesclar com a história, não acho que aconteceu aqui.
    A resenha está perfeita, super esclarecedora.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Não gostei muito da capa do livro, e não tinha lido nenhuma resenha do mesmo até então.
    Morro de preguiça de personagens como essa Sandra... “super preconceituosa, antipática e esnobe, que detesta pobreza”, mas infelizmente tem muitas pessoas desse tipo por ai até hoje, é triste saber que isso é real!
    Não sei se leria esse livro, é um tema importante, mas pela sua resenha não fiquei muito empolgada para ler não... Mas a resenha em si foi muito boa, parabéns! :)

    Estou voltando com o blog agora, se puder me dar uma força, ficarei agradecida!
    Beijos!
    http://plasticodelicblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Não sei se é um livro que eu leria agora porque estou numa fase de livros mais light. Mas futuramente, talvez. O fato de ter personagens bem construídos e de abordar assuntos tão fortes e intensos me atrai bastante.
    Adorei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que fofo o layout rosinha de novo! *.* Muito lindo! =)

      Excluir
    2. Flavia, depois que você falou dos recados que as pessoas deixam sem ler o post fiquei encucada e resolvi olhar meus últimos comentários (aloka). Mandei muito mal nesse. Realmente, eu até li a resenha, mas sem prestar atenção. Lendo agora novamente vi que não dei atenção a algo importante e que certamente me tirou a vontade de ler o livro. Detesto livros com moral da história, que impõem ao leitor a opinião do escritor, mesmo os temas sendo interessantes. Acho péssimo. Bem errei feio no comentário. Se foi com ele que você se aborreceu desculpa. Se não foi, desculpa de qualquer forma. Detesto deixar uma má impressão para as pessoas. Parabéns pela resenha e pela sinceridade.

      Beijo, beijo. :*

      Excluir
    3. Imagina, flor... não preocupa que não foi nada pra vc rsrsrsrs Acontece aqui as vezes, mas como vejo acontecendo em outros blogs que tb gosto, resolvi dar esse toque no povo pq né? rsrsrs
      Pode ficar tranquila que nao to reclamando de vc de jeito nenhum!

      Bjão!

      Excluir
  16. A capa é interessante mesmo, e acredito que seje bom ler para que possamos ver como é aos olhos deles, mais do jeito que vc descreveu a resenha eu não me interessei.. Parabéns vc disse o que realmente achava do livro ^^

    Amiga, o Daily hj completa 1 ano de vida!!
    Tem várias promoções no blog ^^
    pássa lá

    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. poxa, flor, q pena q vc nao gostou tanto de O Mendigo quanto eu gostei.
    Achei o enredo interessantíssimo e as liçoes tb sao passadas de forma bem sutil...
    bom, cada um com sua opiniao neh?
    beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Esse é um livro que eu não perco tempo para ler. Já basta a raiva que to passando ultimamente com algumas obras ... não sei se aguento mais.

    esses tipos de dialogos são do cão mesmo, nem nem quero chega perto desse livro!!

    Adorei a resenha.

    David - Leitor Compulsivo

    ResponderExcluir
  19. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    Adoreiiiiiiiiiiiiiiiii a capa do livro e a sinopse
    Parece bastante interessante !
    Eu quero ler
    Adorei a resenha, flá
    Beijos
    Ili Bandeira
    http://oclubedameianoite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. gente acho que teria super nojo da sandra, odeio gente assim.
    eu nao gostei muito da capa, mas ela é bem a cara da tematica e tals.
    ah eu nao sei se leria. nao é muito o tipo de leitura que eu costume fazer mas quem sabe ne, pelo menos já estou avisada.

    ResponderExcluir
  21. Capa lindíssima!!!
    Parece ser um livro bem interessante. Gosto de quando tratam de temas "atuais" (apesar de esse tema, o preconceito, não ser tão atual rs) e temas do cotidiano. Eu leio :D
    Beijo,

    Dani
    http://artesanatoelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pela resenha!!!! Estou participando do booktour desse livro, quero ler!!

    ResponderExcluir
  23. Oi Flavinha, parabéns pela resenha. Confesso que este livro não me interessou muito!

    Beijokas!!!

    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  24. Olá flávia, resenha interessante,que bom que é de mais um autor brasileiro,porque o mercado está em expansão. O livro tem elementos que fazem parde do mundo real: aborda o preconceito, a amizade verdadeira, o amor, a intolerância, a futilidade, o egoísmo, o mal julgamento, os bons valores, etc.como você destacou.

    ResponderExcluir
  25. Sinceramente, esse livro não me chamou atenção. Tinha até gostado da capa, mas logo q li sua resanha Flavia vi q ele nao faz o meu genero. Quem categoria ele entra? Deve ser o de auto-ajuda.
    Enfim, queria comentar mais sobre esse livro, mas eu não o gostei q nem vou perder o meu tempo.
    Gostei muito da sua resenha menina, vc conseguiu ser sincera sem transmitir a grosseria q ninguem consegue dominar. Bjs *-*

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Olá Flavia!
    Obrigado por sua resenha. Sinceridade é um fator importantíssimo, seja ela para elogiar ou criticar.
    Claro que eu fiquei triste por o livro não ter te agradado, mas as suas observações são importantes e bastante úteis.
    Fico devendo uma história melhor para você. rsrsrs

    Bjs!!
    Edson Santos.
    www.edsonsantosescritor.webnode.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oi Flávia,

    O comecinho de sua resenha me lembrou o seguinte vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=nIOts0hHfTc
    Ele é um mendigo, que já foi rico um dia e resolve largar tudo para viver entre "os manos" rs
    É interessantíssimo o ponto de vista dele, sua filosofia de vida, sua humildade, sua inteligência. Eu fiquei de boca aberta, literalmente, quando vi este vídeo pela primeira vez. Mas bobeira a minha. Sempre taxamos as pessoas que vivem nas ruas. Nem todas elas são ignorantes, nem todas são burras, e nem todas estão lá porque querem.
    Umas pessoas sim, como é o caso do homem do vídeo acima rs

    Gostei de sua resenha. Me lembrou muito o livro O Vendedor de Sonhos, do Augusto Cury. Não por causa da história somente, mesmo porque não terminei de ler o livro. Era muito chato, o autor repete muito, mas muito mesmo, as coisas, os diálogos. Parece que está fazendo um livro somente para completar seu número de páginas e sair vendendo por aí. Acho que é assim que as coisas funcionam.

    Beijo

    ResponderExcluir
  28. O autor devia ter uma ideia na cabeça e criou a história rasa pra encaixar, é legal quando o livro tem pelo menos seus pontos positivos, apesar que acho esse negócio de "loira, olho azul, riquinha, metida, chata, fútil" bem preconceituoso e clichê.
    Ótima resenha Flavinha. Bjskas

    ResponderExcluir
  29. Não gostei muito da ideia do livro, muito vazio, seila :S

    http://www.inutilidadepublica.com/

    ResponderExcluir
  30. Interessante, mas não achei que possa envolver o leitor a ponto de ele se identificar. Porque pelo oque se dá para perceber, é que o livro faz pontos diretos do que quer dizer e não que o leitor descubra e veja que pode ter os mesmos problemas. Mas gostei da resenha e a historia deve ser calorosa e acolhedora, então quem sabe um dia eu leia :}

    ResponderExcluir
  31. Gostei,achei novo isso.Uma história diferente porém boa,e depois talvez eu leia.

    ResponderExcluir
  32. EU não tenho a minima ideia do que signifique maioria destas gírias, até mesmo porque eu não uso muitas gírias...
    Erros ortográficos, que não sejam propositais(pra dizer que o personagem fala errado) eu não aceito, tem que escrever direito. Sou chato pra esse tipo de coisa.

    ResponderExcluir
  33. A proposta do livro é bem legal, mas parece que esta forçando o leitor sobre o que é certo e errado. Ao meu ver cada um deve julgar o que é certo e errado... E força situações e personagens para "ensinar" o certo e errado não dá aquela naturalidade a história.
    Acho que o autor tentou usar a informalidade para ter um diferencial, mas acho que não tinha a experiencia necessária para algo. mas gostei de Herbert, pois já conheci uma pessoa assim...

    ResponderExcluir
  34. Oi Flávia!
    A resenha teve uma ótima exposição de argumentos, e embora o tema e a sinopses sejam bons, pela forma como a narrativa foi construída eu não leria o livro. Mas quero parabenizar o autor pela postura ao comentar na sua resenha, encarando os pontos criticados como fatores a serem refletidos.
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  35. Flá,
    Eu não me senti atraída pelo livro. Respeito demais sua opinião, afinal é para isso que estamos aqui, não é?! Se elogiarmos tudo e somente porque é nacional sem ter nos agradado o blog perde o sentido, a seriedade!
    O Autor também respeitou sua opinião e acredito que porque você explicou perfeitamente os motivo que a levaram a não gostar... pode ser que existam pessoas que tenham gostado do livro exatamente por essas razões.
    Você foi ética e profissional!
    Parabéns!

    ResponderExcluir