Minha Pessoa Favorita - Alice Oseman

28 de dezembro de 2021

Título: Minha Pessoa Favorita - Heartstopper #2
Autora: Alice Oseman
Editora: Seguinte
Gênero: HQ/Romance/Juvenil
Ano: 2021
Páginas: 320
Nota:★★★★★
Sinopse: No segundo volume da série Heartstopper, Charlie e Nick precisam entender o que um beijo significa para a relação dos dois ― e, principalmente, para eles mesmos.
Charlie e Nick são melhores amigos, mas tudo muda depois que eles se beijam em uma festa. Charlie acredita que cometeu um grande erro e arruinou a amizade dos dois para sempre, e Nick está mais confuso do que nunca.
Mas aos poucos Nick começa a enxergar o mundo sob uma nova perspectiva e, com a ajuda de Charlie, descobre muitas coisas sobre o mundo que o cerca, sobre seus amigos ― e, principalmente, sobre ele mesmo.
Resenha: Depois de se beijarem na festa de aniversário de um dos colegas de escola, Charlie e Nick ficaram super confusos com seus sentimentos e com o que aconteceu. Enquanto Charlie acredita que o beijo destruiu essa amizade tão bonita e fica se martirizando, Nick só quer entender como lidar com seus sentimentos e o que fazer pra assumir que gosta de Charlie. Mas sabendo que os garotos da escola são uns imbecis, e sabendo que é algo novo, ele ainda não se sente confiante o bastante pra isso, ele precisa de tempo pra se situar em meio a essa fase totalmente diferente do que estava acostumado, começa a pesquisar sobre a bissexualidade e, inicialmente, acha que é onde ele se encaixa.
O aniversário de quinze anos de Charlie está chegando, e aí está mais um momento super especial que eles vão passar juntos.


O que acontece é que quando a pessoa é gay, é bi, ou como quer que ela se identifique, não é questão de escolha, pois ela já nasce assim, é questão de tempo até se descobrir. Pra uns levam menos tempo, pra outros levam mais tempo dependendo da família, do círculo de amigos, das crenças, enfim, mas uma hora vai acontecer. Pode ser como Charlie, que desde criança já sabia de sua orientação, mas pode ser que nem Nick, que gostava de garotas até se envolver com Charlie e descobrir que essa relação é o que o faz verdadeiramente feliz, onde ele se sente seguro pra poder ser quem é, sem filtros. E aqui temos um Nick que está descobrindo isso, sobre quem ele é e sobre como ele deseja se identificar, mas ainda tem medo de assumir uma nova orientação, e Charlie entende e respeita a necessidade desse tempo. E tudo isso enquanto os dois enfrentam o drama de um relacionamento adolescente e gay.

Mantendo o mesmo estilo de narrativa, nesse segundo volume podemos acompanhar os meninos passando mais tempo juntos, se entendendo cada vez mais, intensificando as demonstrações de afeto um pelo outro, mas ainda mantendo o lance deles em segredo até que Nick saiba o que realmente está acontecendo com ele. Conhecemos Tao, que ajudou Charlie na época em que ele sofria bullying no colégio, e Ellie, sua amiga trans que estuda num colégio para meninas, trazendo ainda mais representatividade para a história.

Claro que a autora não é hipócrita de contar uma história de dois garotos apaixonados que remete somente a contos de fadas onde tudo são flores. A realidade às vezes é muito dura e o público LGBTQIA+ ainda sofre muito com pessoas homofóbicas, preconceituosas e odiosas, e com Charlie e Nick as coisas não são muito diferentes, o que mostra que, embora o amor seja imenso e tente superar tudo, eles ainda precisam enfrentar muita gente intolerante e lidar com muito hate gratuito, e aqui o maior imbecil é Harry, um dos meninos que estuda no colégio junto com eles. As "piadinhas" ofensivas e sem a menor graça são terríveis e juro que fiquei super triste quando Charlie fala que "já está acostumado". Mas por que esse tipo de comportamento deveria ser aceitável a ponto dos outros se acostumarem? Não vejo a hora desse Harry ter seu castigo por ser esse grande idiota.

No mais, enquanto o primeiro volume traz os dois se conhecendo, em Minha Pessoa Favorita, Nick está se descobrindo enquanto Charlie o apoia com toda a paciência que só uma pessoa tão adorável e sensível como ele é capaz.
Já disse e repito: é um livro fofo, pra deixar o coração quentinho, um sorriso no cantinho da boca e uma vontade imensa de sair abraçando todo mundo que a gente ama. O único defeito desse livro é que ele acaba muito rápido e a gente só quer mais um pouquinho de Charlie e Nick. Voltem, meninos!

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário