11 de novembro de 2018

Os Números do Amor - Helen Hoang

Título: Os Números do Amor - The Kiss Quotient #1
Autora:  Helen Hoang
Editora: Paralela
Gênero: Romance/Chick-lit
Ano: 2018
Páginas: 304
Nota:
Sinopse: Já passou da hora de Stella se casar e constituir família — pelo menos é isso que sua mãe acha. Mas se relacionar com o sexo oposto não é nada fácil para ela: talentosa e bem-sucedida, a econometrista é portadora de Asperger, um transtorno do espectro autista caracterizado por dificuldades nas relações sociais. Se para ela a análise de dados é uma tarefa simples, lidar com os embaraços que uma interação cara a cara podem trazer parece uma missão impossível. Diante desse impasse, Stella bola um plano bem inusitado: contratar um acompanhante para ensiná-la a ser uma boa namorada.
Enfrentando uma pilha cada vez maior de contas, Michael Phan usa seu charme e sua aparência para conseguir um dinheiro extra. O acompanhante de luxo tem uma regra que segue à risca: nada de clientes reincidentes. Mas ele se rende à tentação de quebrá-la quando Stella entra em sua vida com uma proposta nada convencional.
Quanto mais tempo passam juntos, mais Michael se encanta com a mente brilhante de Stella. E ela, pela primeira vez, vai se sentir impelida a sair de sua zona de conforto para descobrir a equação do amor.

Resenha: Stella Lane é uma mulher de trinta anos, talentosa, super inteligente e bem sucedida em todos os aspectos da sua vida, menos no amor... Sua mãe não pára de pressioná-la pois já passou da hora dela arranjar um marido pra que ela possa constituir uma família e lhe dar netos. Stella é uma mulher solitária e, muitas vezes, acaba sendo incompreendida. Ela é portadora da síndrome de Asperger, um transtorno do espectro autista, e isso faz com que ela tenha uma enorme dificuldade de se relacionar com outras pessoas. Ele se constrange com muita facilidade e é cheia de excentricidades que, segundo ela, são um enorme obstáculo para um futuro relacionamento. O que ela queria era passar a vida com alguém que a aceite do jeitinho como ela é, mas ela acha que seu autismo é um grande impedimento, não só no âmbito da interação social em si, mas também numa possível intimidade mais "caliente", onde ela não sabe se será boa no assunto, ou que pelo menos vá tomar gosto pela coisa... E é aí que ela tem a ideia genial de contratar Michael Phan, super entendido no assunto, para poder ensiná-la tudo sobre ser uma boa namorada, e também o que deve ser feito entre quatro paredes.
Michael é um cara lindo e trabalha como designer de moda. Ele preza muito por sua família, principalmente depois do seu pai ter os abandonado. Sua mãe está lutando contra o câncer, as despesas médicas não param de crescer, e as contas não se pagam sozinhas, então ele usa todo o seu charme e poder de sedução para ganhar uma graninha extra como acompanhante. Mas ele tem uma condição: Não faz mais do que uma sessão por cliente. Porém, depois da sua primeira noite com Stella, ele pode estar disposto a abrir uma pequena exceção.

São poucos os livros/filmes que trazem personagens com algum transtorno do tipo, acho que o que me vem a mente agora é o livro O Projeto Rosie, e a animação Mary & Max. Não posso dizer que há um estereótipo nesses personagens, pois o comportamento de quem tem a Síndrome de Asperger é ser basicamente alguém muito inteligente e habilidoso com números, ter várias fobias e manias "esquisitas", e ter bastante dificuldade na socialização. Claro que há variáveis, mas não tem como fugir muito dessas características principais. E considerando que dessa vez a portadora do Asperger é uma personagem feminina, e que a história envolve muito do lado da sexualidade dela, achei que a autora foi bem feliz na escolha do que escrever, mesmo que alguns clichês tenham sido invertidos.
A visão que a autora deu desse espectro foi maravilhosa, mostrando o dia-a-dia de Stella desde como ela enxerga a mundo à sua volta, qual a importância que ela dá pra listas, horários e afins, até a forma como ela reage a sons, luzes, sons e toques... A forma como a autoaceitação é explorada também é incrível, pois Stella sabe de sua condição, aceita a si mesma com todas as suas diferenças, e não tem intenção nenhuma de mudar por causa de ninguém.

As cenas de sexo são ótimas, e mesmo que sejam bem explícitas, são muito bem descritas, naturais e nada exageradas. Mas além do sexo fumegante, o romance que vai surgindo aos poucos e as ​​mensagens adoráveis que estão dentro deste livro acabam dando aquele quentinho no coração e arrancando aquele sorriso no canto da boca, principalmente quando evidencia a importância do consentimento e dos limites. Michael é sempre muito atencioso e paciente, e nunca pensa duas vezes ao colocar as necessidades dela em primeiro lugar, sem avançar nenhuma linha que Stella não queira ou não esteja pronta para ultrapassar.

A capa do livro foi o que me chamou atenção inicialmente. Adoro capas com silhuetas, e aqui elas ainda são estampadas com flores, borboletas e fórmulas matemáticas estrambólicas que ilustram perfeitamente um pedacinho de quem é a protagonista. A diagramação segue o padrão da Paralela: é simples, capítulos {numerados} entre chaves, com diálogos indicados por aspas e páginas amarelas.

Enfim, nessa época onde a representatividade é tão importante, acho mais do que válido destacar aqueles que fazem parte de uma minoria, mesmo que eles não tenham nada de "inferiores" frente aos outros, muito pelo contrário. A história, no geral, é muito bacana, e mesmo que seja previsível, penso que deve ser exatamente este o tipo de leitura que foge um pouco da mesmice e que veio para atingir um público maior no gênero de romance. Basta dar uma chance para se apaixonar por esse casal super improvável mas que combinam perfeitamente bem.

1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Flávia, tudo bem? Quando vi a capa do livro, sem ler a sinopse, achei que ia ser alguma coisa com uma tendência astrológica, números e tal... mas jamais pensei que seria um romance com representatividade. Adorei a resenha, me incentivou a conhecer a história. Eu li "O Projeto Rosie" e me encantei com a originalidade da história, quem sabe me encanto com Stella e Michael.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir