2 de julho de 2018

Na Telinha - Kubo e as Cordas Mágicas

Título: Kubo e as Cordas Mágicas (Kubo and the Two Strings)
Produtora: Laika Entertainmet
Direção: Travis Knight
Distribuidora: Universal Pictures
Elenco: Charlize Theron, Matthew McConaughey, Art Parkinson, Ralph Fiennes, Rooney Mara
Gênero: Animação/Fantasia
Ano: 2016
Duração: 1h 42min
Classificação: +10
Nota:
Sinopse: Kubo vive uma normal e tranquila vida em uma pequena vila no Japão com sua mãe. Até que um espírito vingativo do passado muda completamente sua vida, ao fazer com que todos os tipos de deuses e monstros o persigam. Agora, para sobreviver, Kubo terá de encontrar uma armadura mágica que foi usada pelo seu falecido pai, um lendário guerreiro samurai.

Kubo é um jovem contador de histórias que vive com sua mãe numa caverna no topo de uma montanha. Durante a noite ele precisa voltar pra casa e cuidar dela, que sofre de uma doença, e durante o dia ele vai para a vila local para contar histórias animadas enquanto toca seu shamisen, um instrumento musical mágico que pertenceu a sua mãe, para dar vida a origamis que encenam lendas sobre os perigos enfrentados por um forte e corajoso samurai (e mal sabe ele que essas histórias vão além de contos e lendas), e ganhar algumas moedas para se sustentar.


Apesar de cercada por alguns mistérios, a vida de Kubo estava indo bem, até ele quebrar as regras ao ficar fora de casa durante a noite, e invocar um espírito maligno que passa a persegui-lo para se vingar de algo que aconteceu no passado...
Assim, para salvar sua mãe e a si mesmo, Kubo foge em companhia de Monkey, uma macaca falante e mandona, e Beetle, um besouro bem humorado, dois seres mágicos que unem forças com o garoto em busca de uma armadura mágica, e também para desvendarem o mistério em torno da morte de seu falecido pai. A jornada será cheia de perigos, com direito a lutas contra monstros gigantes, deuses, e criaturas da noite.


A animação, feita em stop-motion, é baseada em várias lendas orientais, assim como a cultura e alguns costumes. Os personagens possuem personalidades fortes e motivações interessantes que os levam a tomar decisões importantes para a movimentação e para o desenvolvimento da trama.
É bem perceptível o uso das tonalidades das cores para reforçar sentimentos e climas vividos e presenciados pelos personagens. Os tons de terra, amarelo e laranja mostram momentos alegres e calorosos, os tons de azul remetem ao frio e a tristeza, e o escuro da noite ou do mar, assim como o verde vivo, evidenciam o perigo e aumentam a tensão nas cenas de ação.


Os momentos mais pesados são bem delicados, por esse motivo que a animação não seja tão infantil assim, e, embora haja alguns elementos que conseguem amenizá-los, este não é um daqueles desenhos fofos em que para cada situação negativa, há uma gratificação em seguida para confortar o coração de quem assiste. A jornada de herói de Kubo é repleta de camadas e mistérios, e por mais que ele possa ganhar experiência e descobrir mais de seu passado, ele também precisará enfrentar situações que envolvem perdas irreparáveis e tristes.



Kubo e as Cordas Mágicas tem todo aquele clima de magia e mistério, e vai lidar com fatores não muito comuns em animações tradicionais, como a ideia de que os seres humanos são imperfeitos e muitas vezes tomam decisões erradas ou se deixam corromper, e como muitos preferem ignorar a realidade para viverem num mundo de fantasia. O mais bacana disso tudo é que por mais que algumas coisas não fiquem tão explícitas, a animação continua seguindo dando as informações necessárias e com a devida sutileza, sem entregar tudo numa bandeja e sem subestimar a nossa inteligência. E tudo isso usando a música para ajudar a contar a história.



Confesso que por mais maravilhoso que o visual tenha sido, e o quanto a história foi emocionante, senti falta de um desfecho compatível com a jornada de Kubo e seus companheiros. Em alguns momentos o humor acaba sendo um fator em excesso, mas talvez seja pra que o desenho mantenha o interesse do público infantil. O final é corrido e parece focar principalmente na ideia do respeito aos ancestrais e o quanto é importante preservar suas memórias.
A animação indicada para todas as idades e, além de divertida e cheia de aventuras, vai emocionar muito. Recomendo!

1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Esse filme é uma graça né?! Assisti na época que ele estava concorrendo ao Oscar de Melhor Longa Animado, pena que não ganhou (achei injusto), estava torcendo por ele :(

    ResponderExcluir