10 de maio de 2017

Um Amor para Lady Johanna - Julie Garwood

Título: Um Amor para Lady Johanna
Autora: Julie Garwood
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Romance de época
Ano: 2016
Páginas: 400
Nota:
Sinopse: Uma jovem viúva. Um guerreiro escocês fascinante. Duas vidas transformadas pelo amor e por uma paixão avassaladora. Quando Lady Johanna soube que estava viúva, ela prometeu que jamais se casaria novamente. Com apenas dezesseis anos, ela já possuía uma força de vontade que impressionava a todos que enxergavam além de sua beleza avassaladora. Contudo, quando o Rei John ordenou que ela se casasse outra vez – e selecionou um noivo para ela – pareceu que a moça deveria se conformar com esse destino. Seu irmão, no entanto, sugere ao Rei um novo pretendente:o belo guerreiro escocês Gabriel MacBain. No início, Johanna estava tímida, mas, conforme Gabriel revelou com ternura os prazeres magníficos a serem compartilhados, ela começou a suspeitar que estava se apaixonando por seu novo e rude marido. Logo ficou claro para todo o clã das Terras Altas, portanto, que o ríspido e galante lorde rendera completamente seu coração. Porém, a iminência de uma intriga da realeza ameaça separar o casal e destruir o homem que ensinou a Johanna o significado do verdadeiro amor, que a transportou além de seus sonhos mais selvagens.

Resenha: Johanna tinha treze anos quando foi obrigada a se casar com o Barão Raulf, um homem violento, arrogante, grotesco e que não hesitava em fazê-la se sentir inferior. Ele a tratava com violência, tanto física quanto psicológica, controlava seus passos, a punia de forma cruel e ainda usava o nome de Deus para inferiorizá-la e fazer da vida de Johanna um verdadeiro inferno, mas, alguns anos depois, e para alívio da garota, aos dezesseis anos ela se tornou viúva. Porém, quando Johanna acreditou que ficaria livre daquele tormento, para seu desgosto e tristeza, o rei da Inglaterra ordenou que ela se casasse novamente. Como Johanna era casada com um barão em quem o rei conversava e confiava, ele não poderia correr o risco dela se casar com qualquer um que poderia vir a saber sobre suas questões políticas, então seu próximo marido deveria ser alguém, de preferência da Corte, que ele confiasse tanto quanto o barão.
Acreditando que todos os homens são iguais e que ela iria se casar com outro tão nojento quanto seu falecido marido, a jovem não sabia o que fazer até seu irmão, o Barão Nicholas Sanders, ter a ideia de casá-la com lorde Gabriel MacBain, um guerreiro escocês líder dos clãs MacBain e Maclaurin. Inicialmente, MacBain não aceita a ideia de se casar com uma inglesa de bom grado, mas, visando alguns de seus interesses, ele concorda com o casamento. Lady Johanna se apavora ao saber que se casaria com alguém que poderia ser ainda pior do que Raulf, afinal, todos ouviam histórias sobre como os escoceses são bárbaros e hostis. Mas MacBain, embora seja um homem bastante rude, nunca faria nada de mal para uma mulher. Ele é um homem íntegro e honrado, e irá oferecer uma vida de aprendizado e descobertas pessoais e íntimas à sua esposa, e Johanna, que pensou que passaria por maus bocados, passou a apreciar - e muito - esse casamento e as novas experiências que vivenciava.
Mas intrigas da realeza e alguns conflitos passaram a ser uma ameaça para seu marido e seu casamento, e a ideia de se separar de alguém que a ensinou o que é o amor verdadeiro fará com que Johanna mostre o quanto é corajosa e decidida para enfrentar coisas que ela jamais imaginou.

Narrado em terceira pessoa, acompanhamos um romance histórico apaixonante que traz todos os elementos necessários para tornar a leitura fluída e muito cativante. Os personagens são muito bem construídos, o casal principal tem muita química, as intrigas fazem com que haja tensão e drama, além de cenas com toques de bom humor para aliviar a seriedade do enredo que tornam a leitura bastante envolvente e divertida.

Johanna é aquele tipo de heroína que é apresentada como alguém frágil, injustiçada e sua história inclusive é bastante revoltante, afinal, ela ainda era uma criança quando foi obrigada a se casar. A história se passa na Inglaterra e na Escócia do século XIII e era comum que as mulheres se casassem muito novas e sofressem vários tipos de abuso devido ao machismo da época além de serem levadas a acreditar que não valiam nada frente aos homens. Mas a medida que a trama progride e a protagonista começa a vivenciar experiências que até então ela desconhecia, Johanna começa a mostrar o quanto é inteligente, espirituosa e não tem nada de frágil ou submissa.
McBain é aquele guerreiro lindo e maravilhoso que usa sua forma rude de ser como fachada para esconder um homem respeitoso e que se preocupa muito com a esposa, tanto em mantê-la segura quanto em satisfazê-la de todas as formas possíveis.
Os demais personagens são bastante realistas, suas descrições correspondem com o estilo e a cultura da época e todos são importantes para o desenrolar da história.

Alguns conflitos que surgiram não foram desenvolvidos muito bem e outros parecem terem sido descartados sem muita preocupação em mostrar uma resolução, e o desfecho da história, mesmo que seja lindo, deixa que o leitor imagine o que poderia acontecer. Então penso que essas pontas soltas talvez sejam uma caracerística na escrita da autora.

O projeto gráfico é um arraso. A capa é linda, delicada e remete bem a um romance de época. As páginas são amarelas, a fonte tem um tamanho agradável e não percebi erros na revisão.

Em suma, pra quem gosta de romances históricos que retrata com bastante fidelidade a vida no século XIII e traz uma história doce e emocionante, o livro é mais do que indicado.

Nenhum comentário

Postar um comentário