16 de março de 2014

Cowabunga! - Ana Paula Seixlack

Lido em: Março de 2014
Título: Cowabunga! Desventuras de um ex-surfista
Autora: Ana Paula Seixlack
Editora: Benvirá
Gênero: Literatura Nacional
Ano: 2014
Páginas: 160
Nota:
Sinopse: Ricardo Avelar, o Zimbo, era um jovem surfista com um futuro brilhante quando um grave acidente encerrou sua carreira. Amargurado, há mais de quarenta anos vai à praia e passa o dia observando o mar. Ao longo das horas, sente o impulso de cair na água e mostrar como um verdadeiro surfista domina as ondas. Mas sempre fracassa. Além da frustração de voltar para casa sem surfar, Zimbo tem de lidar com um relacionamento conturbado com Letícia, sua jovem namorada que não abre mão de uma vida agitada com os amigos. Resta ao surfista relembrar as aventuras de seus dias de glória enquanto cuida de sua prancha na areia. O difícil é conseguir identificar o que é realidade e o que é fantasia em suas lembranças. Com um texto divertido e cheio de referências aos anos 1960 e 1970, Cowabunga é surpreendente desde seu título, que remete a um grito de guerra dado pelos surfistas. Ao final da leitura, você terá feito um novo amigo e talvez até descubra seu lado surfista. 

Resenha: Cowabunga!, escrito pela autora Ana Paula Seixlack e publicado pelo selo Benvirá da Editora Saraiva conta a história de Ricardo Avelar, conhecido como Zimbo, um ex-surfista que venceu vários campeonatos pelo mundo e até ficou famoso, mas que perdeu a coragem de surfar depois de ter sofrido um acidente. Quarenta anos depois do ocorrido e já na terceira idade, ele vive com Letícia, sua companheira bem mais jovem do que ele num relacionamento muito estranho, e continua indo à praia, como se quisesse provar pra si mesmo que não envelheceu desde então, e que, talvez, um passado cheio de conquistas pudesse compensar ou valer mais do que um presente cheio de infortúnios e fracasso.

O livro conta as memórias de Zimbo, desde a infância até os dias atuais, então é possível entendermos um pouco do que se passa em sua cabeça, mas não necessariamente aceitar seu comportamento. Apesar de muito bem construído e cheio de particularidades, Zimbo é um personagem "velho", daquele tipo antipático, que incomoda, irrita e que, querendo ou não, tira o leitor da sua zona de conforto. É como se estivéssemos lendo uma biografia. Zimbo é um cara que, mesmo idoso, é muito vaidoso, não perde a chance de paquerar alguém, mas é ranzinza e vive perdido em seus pensamentos, sentindo falta de ter sido um surfista famoso, mas ao mesmo tempo se lamentando por ter sido obrigado a deixar essa vida que elevou seu status pra trás devido ao acidente que sofreu.
Narrado em terceira pessoa, acompanhamos Zimbo por sua trajetória através de lembranças, pensamentos e até devaneios, afinal, ele quer voltar a surfar mas como tem medo o que lhe resta é se agarrar ao que tem na memória ou a situações que o fazem esquecer que o tempo pra ele já passou, como se não aceitasse ser velho e quisesse demonstrar que é jovem a qualquer custo se passando por ridículo. Tem coisa mais deprimente?

O tema "surf" não é meu tema favorito e vou confessar que além de não me interessar muito, não conheço praticamente nada sobre o assunto. Como termos "técnicos" e gírias desse meio são usados de forma frequente, senti falta de notas de rodapé que explicassem o que eles significam pois ajudaria os leigos a entender melhor sobre o que se trata.
A leitura flui muito bem, o livro é super bem escrito e a história de Zimbo é super bem contada pela forma como é descrita, considerei como sendo algo bem diferente e original, mas senti falta de descrições mais detalhadas sobre cenários praianos levando em consideração onde a história se passa e o tema. O que é trabalhado é Zimbo e sua personalidade, já outros personagens, mesmo que importantes e terem seus papéis com alguma influência na vida do protagonista são tratados com mais superficialidade.
A capa pra mim é a coisa mais linda, pois ao mesmo tempo que ilustra o tema ainda tem um efeito envelhecido como se quisesse mostrar vários anos que se passaram.

Pra quem quer sair da mesmice conhecendo um personagem intrigante com uma história que poderia acontecer com qualquer um próximo da gente (afinal, quem aqui não conhece uma pessoa ranzinza e chata que se acha e quer se mostrar como alguém que não é?) e de quebra ainda aprender um pouco mais sobre surf, vai curtir a leitura de Cowabunga!

14 comentários

  1. Adorei a resenha, eu não conhecia o livro, mas parece ser legal, porém eu também não conheço as gírias do mundo do surf, e livros que não vêm com o rodapé é chato, é um ponto negativo, eu acho extremamente necessário, muitos leitores são leigos em determinados assuntos que não o conhece.
    Também gostei da capa, bem criativa!
    Bjokas :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eudes...


      Desculpe intrometer dando meus pitacos, mas já li o livro e amei tanto que me vi obrigada a defendê-lo.

      Sendo sincera, os rodapés são desnecessários.Como ele não surfa mais, não há muita necessidade de descrever as manobras. Longe de ser um "manual de surf",está mais para "como não surfar" ..rsrsrs

      O foco parece ser o surf, mas ele é mero pano de fundo para as divertidas desventuras do Zimbo. Td é de forma leve e com linguagem super acessivel.

      Cheio de momentos divertidos e lembranças nostálgicas que nos remete aos anos 60 e 70, alem de momentos ternos e doces como o primeiro amor dele, a vontade de fazer uma banda com o irmão e os pais que curtiam jovem guarda.

      Recomendo que experimente ler o livro... é viciante e voce se surpreender dando boas risadas.

      bjs

      Excluir
    2. cara cada um tem sua opinião '-' e se a menina acha rodapés necessário deixa ela ué.

      Excluir
  2. Muito legal sua resenha, apesar de meio negativa fiquei bem interessada no livro, o assunto parece ser leve e legal hahahaha.

    Beeeijos
    Comente ;)
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/03/resenha-como-eu-era-antes-de-voce-jojo.html

    ResponderExcluir
  3. Ahh que pena, eu até gosto de surf, queria aprender a surfar e me aventurar pelas ondas, mas, voltando ao mundo real, não teria paciência de ler esse livro. Com um personagem tão chato e ranzinza eu o abandonaria logo. Isso de não ter notas que explica os termos do surf também me desagradou. Então não vou ler esse :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi Ieda


      Bom, eu já li o livro e gostei pra caramba.

      Sendo sincera, os rodapés são desnecessários. Até porque o foco do livro está mais para "como não surfar" ..rsrsrs

      O livro é sobre as divertidas desventuras do Zimbo. Td é de forma leve e com linguagem super acessivel. Ele é irônico e sarcastico, mas é de um jeito que nos faz rir e se apegar muito.

      Ele relembra de muitos momentos divertidos e nostálgicos que nos remetem aos anos 60 e 70. Narra a infância dele, como era aqueles tempos, o desejo de formar banda com o irmão,o primeiro amor dele, as loucuras e fantasias, os medos e inseguros. Voce adentra nas emoções desse homem que é tão humano e "real" quanto eu e voce.

      Recomendo que experimente ler o livro... é um livro leve, refrescante e perfeito para ler até nos momentos mais estressantes do seu dia-a-dia.

      bjs

      Excluir
    3. pare de justificar as coisas e querer obrigar as pessoas a ler cara '-' isso é chato!cada um tem sua opinião. eu hein.

      Excluir
  4. Oi Flavia tudo bem, que livro diferente tbm não hábitos de livros com temas assim, mas parece divertido! Achei a capa bem interessante assim como o titulo!
    bjkas

    ResponderExcluir
  5. Oi, Flavia
    O ponto negativo, na minha opinião, é o personagem ser ranzinza, me deixa irritada. deve ser interessante a volta ao passado, os anos 60 e 70. Vale a pena conferir.

    ResponderExcluir
  6. ta ai, eu gostei da capa, mas não é um livro que me encheu os olhos.
    e não leria pq não curto muito personagens ranzizas são poucos e raros os que me atrai, mas é tão raro que duvido que eu fosse curtir o personagem.
    obrigada por sempre fazer resenhas sinceras flavinha ^^

    ResponderExcluir
  7. Olá Flavinha!
    Não conhecia o livro, mas não me agradou a história, gente ranzinza já basta na vida real. Quem sabe um dia bem lá na frente, eu dê uma oportunidade a ele!
    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
  8. hehehehe...que barraco galera.
    Vish, que barraco..kkkk
    Livro é para divertir, não para estressar...Idem sites e blogs. É para entreter, trocar ideias..
    Todos podem falar bem, falar mal, dar palpite com todo mundo. Tudo é válido. Não ofendendo ninguém, não vejo pq crises...
    Liberdade always!! S2

    ResponderExcluir
  9. Não me lembro de ler algo assim antes, parece bem interessante.
    Mas não leria por hora, só bem mais para frente... por enquanto não é um livro que me chamou TANTO a atenção assim.

    ResponderExcluir