3 de março de 2018

A Casa do Lago - Kate Morton

Título: A Casa do Lago
Autora: Kate Morton
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance/Suspense
Ano: 2017
Páginas: 464
Nota:
Sinopse: A casa da família Edevane está pronta para a aguardada festa do solstício de 1933. Alice, uma jovem e promissora escritora, tem ainda mais motivos para comemorar: ela não só criou um desfecho surpreendente para seu primeiro livro como está secretamente apaixonada. Porém, à meia-noite, enquanto os fogos de artifício iluminam o céu, os Edevanes sofrem uma perda devastadora que os leva a deixar a mansão para sempre.
Setenta anos depois, após um caso problemático, a detetive Sadie Sparrow é obrigada a tirar uma licença e se retira para o chalé do avô na Cornualha. Certo dia, ela se depara com uma casa abandonada rodeada por um bosque e descobre a história de um bebê que desapareceu sem deixar rastros.
A investigação fará com que seu caminho se encontre com o de uma famosa escritora policial. Já uma senhora, Alice Edevane trama a vida de forma tão perfeita quanto seus livros, até que a detetive surge para fazer perguntas sobre o seu passado, procurando desencavar uma complexa rede de segredos de que Alice sempre tentou fugir. 

Resenha: O ano é 2003. Sadie Sparrow é uma policial que foi afastada de um caso problemático o qual estava investigando, e foi passar as férias no chalé do avô, na Cornualha. Lá, ela acaba descobrindo a existência de uma casa abandonada que pertenceu à família Edevane, que guarda segredos sobre uma tragédia que aconteceu em 1933. Um bebê desapareceu em meio às comemorações do solstício e nunca foi encontrado, e o caso não resolvido deixa Sadie intrigada e determinada a desvendar este mistério. Ao seguir pistas, Sadie faz algumas descobertas importantes e encontra membros dessa família marcada por traumas. O problema é que o tempo discorrido é um fator que atrapalha as investigações, assim como a falta de provas sobre possíveis suspeitos...

Este é o primeiro livro que leio da autora. A história teve várias cenas desnecessárias e descrições intermináveis que poderiam ter sido resumidas sem prejudicar o enredo a fim de tornar o livro mais envolvente e menos cansativo, principalmente com relação ao início, que pode ser um verdadeiro teste de paciência. Mas basta persistir para que as coisas comecem a melhorar.

A narrativa é feita em terceira pessoa onde passado e presente se alternam para que as histórias possam se encaixar, e o dito mistério, que começou em 1933 envolvendo um desaparecimento, possa ser revelado. As suspeitas e as teorias começam a surgir, e talvez as respostas sejam mais simples do que parecem, independente da complexidade dada à história, o que foi um diferencial bastante positivo nesta leitura. Muitas questões levantadas pela autora ficam sem respostas durante um tempo considerável, e elas só vêm faltando poucas páginas para o livro terminar, e isso pode ser frustrante. A sensação é de que a autora investe em descrições excessivas e minuciosas sobre as coisas, muitas vezes sem tanta importância, em vez de ir direto ao ponto. Se não fosse isso, o livro poderia ter menos páginas e a leitura ser bem mais ágil.

Os personagens são peças fundamentais para o desenvolvimento da história, todos eles são bem reais, trazem uma carga emocional e dramática relevante, tem seus defeitos e virtudes, personalidades distintas e possuem a devida importância em meio a trama.

A capa é muito bonita e chamativa e a edição de forma geral ficou perfeita.
Pra quem gosta de histórias policiais que envolvem segredos familiares, com toques realistas de dor e amor, é livro recomendado. A Casa do Lago é um livro pra ser lido - e absorvido - com calma, tanto pelo excesso de detalhes e descrições quanto pela narrativa demorada, e por mais que a história pareça ser previsível em vários pontos, o final, inesperado, é um daqueles que tardam mas não falham.

0 Comentários pelo Blogger
Comentários pelo Facebook

Nenhum comentário

Postar um comentário